Posts Tagged 'Konami'

“Konami Medley Fourth Movement” – (FCB 10th Anniversary Live)

Por Alexei Barros

Depois da leva de jogos pouco conhecidos por aqui no terceiro movimento do medley de jogos da Konami para NES da Famicom Band, a quarta parte caminha para uma relação de jogos mais populares do público ocidental.

Como tantas outras produtoras da época, a Konami não perdia a oportunidade de lançar adaptações de filmes famosos, e Top Gun é outro que engrossa a lista, assim como Goonies e King Kong 2 que já apareceram nos movimentos anteriores. A performance inclui até uma rendição do lendário tema de Harold Faltermeyer criado originalmente para a obra cinematográfica de 1986. Épico.

Pouco depois, nada menos do que Metal Gear é representado. Mesmo que a versão principal seja a de MSX2, é incrível como essa adaptação para Famicom/NES, sem o envolvimento do Hideo Kojima, ganhou notoriedade. Não vou entregar mais spoilers, mas quem jogou de cara vai se sentir em casa, ou melhor, em Outer Heaven. Para ficar ainda melhor, a “Jungle” de Contra é tocada sem demora, incluindo uma lapidar representação do run and gun com dois integrantes da Famicom Band. Se você não aguenta mais, calma, já está acabando: faltam duas partes para terminar essa homenagem aos jogos 8-bit da Konami.

0:02Top Gun

1:48 – Metal Gear (メタルギア)

3:25 – Contra (魂斗羅)

– “Konami Medley Fourth Movement”

Anúncios

Konami Medley Third Movement – (FCB 10th Anniversary Live)

Por Alexei Barros

Para escapar da restrição da Nintendo de lançar apenas cinco jogos por ano, a Konami criou nos EUA o selo Ultra Games, permitindo que mais jogos de NES publicados pela produtora pudessem chegar ao mercado.

Mesmo assim, é impressionante a quantidade de títulos de Famicom e Famicom Disk System que não tiveram lançamento em inglês. Neste terceiro movimento da Famicom Band de jogos 8-bit da Konami para o console da Nintendo, nenhum deles saiu nos EUA. Por isso, se você olha torto para nomes desconhecidos independente da qualidade desses jogos, melhor desistir aqui. Mas, se você despertar o seu interesse para pérolas gamísticas, seja bem-vindo.

Confesso que mesmo com a predisposição para me interessar por jogos de Famicom, ainda mais feitos pela Konami, a maioria eu nunca tinha ouvido falar. Os únicos que conhecia de nome era o Getsu Fuuma Den, também conhecido como o “Kenseiden do Famicom”, e o Knightmare II: Maze of Galious, que descobri por meio do excelente jogo original para MSX.

Agora… King Kong 2 (sim, baseado no segundo filme do gorila que inspiraria o Donkey Kong),  Hi no Tori, Meikyuu Jiin Dababa e Dragon Scroll são novidades para mim. Mas do que ouvi gostei muito. Como de praxe, veja os vídeos de gameplay e depois a performance da Famicom Band.

0:03 – King Kong 2 (キングコング2)

1:15 – Hi no Tori (火の鳥)

3:40 – Getsu Fuuma Den (月風魔伝)

4:35 – Meikyuu Jiin Dababa (迷宮寺院ダババ)

5:15 – Knightmare II: Maze of Galious (魔城伝説II 大魔司教ガリウス)

6:02 – Dragon Scroll (ドラゴンスクロール)

– “Konami Medley Third Movement”

Konami Medley Second Moviment – (FCB 10th Anniversary Live)

Por Alexei Barros

Nesta segunda parte desse passeio pela história musical da Konami promovido pela Famicom Band, temos mais um exemplo da diversidade de jogos que a produtora tinha na era 8-bit.

Depois de uma rápida passagem pela fanfarra do eterno Road Fighter, a maior parte do medley se concentra no The Goonies e The Goonies II, jogos que, muito antes do GoldenEye 007, mostravam que era possível, sim, ter boas adaptações de filmes. O tema “The Goonies ‘R’ Good Enough” da Cyndi Lauper que recebeu uma inacreditável versão sintetizada nos jogos, ganhou uma nova cara nos instrumentos de sopro da FCB. E, como sempre digo, é sensacional quando canções pop são orquestradas. Para completar, temos também Ganbare Goemon! Karakuri Douchuu, segundo jogo da série Mystical Ninja que não saiu no Ocidente, e não podia faltar também um pouco de Castlevania, o primeiro.


0:10 – Road Fighter (ロードファイター)

0:13 – The Goonies (グーニーズ)

1:59 – The Goonies II (グーニーズ2)

3:11 – Ganbare Goemon! Karakuri Douchuu (がんばれゴエモン!からくり道中)

4:10 – Castlevania (悪魔城ドラキュラ)

“Konami Medley Second Movement”

Konami Medley First Movement – (FCB 10th Anniversary Live)

Konami_logoPor Alexei Barros

Desde a primeira vez que vi a Famicom Band há inacreditáveis quatro anos, virei um admirador da orquestra pró-amadora pela devoção aos jogos antigos, qualidade musical e criatividade, com performances cênicas que são deliciosamente trash e arrancam gargalhadas. O último vídeo aqui publicado da FCB data de 2010 – quase três anos sem Famicom Band não dá. De tempos em tempos, eu entrava na página deles no Nico Nico Douga e nada de atualizações. Até que dia desses dei uma procurada de rotina e me deparo com nada menos do que… um medley colossal de jogos da Konami para Famicom dividido em seis movimentos. Boa parte desses títulos fez parte da minha infância (primeiro no MSX e depois no NES), e foi um deleite reconhecer músicas marcantes. Também apareceu muita coisa que desconheço (muita mesmo; vergonhoso de minha parte) e ainda vou averiguar melhor. Publicarei os movimentos em posts avulsos.

Neste primeiro, temos cinco jogos – três eu joguei nos tempos idos do 8-bit e os demais conheci depois, então o saldo de nostalgia foi além da conta. Já que nas performances da Famicom Band conta mais as representações lúdicas dos jogos do que a experiência musical, não tentarei esmiuçar cada detalhe do medley, até porque é muito mais gratificante ser surpreendido pelo vídeo do que ler o texto. De qualquer forma, caso você não seja familiar com os títulos, eu listei os jogos com os vídeos de gameplay, assim como os momentos em que eles aparecem ao longo da miscelânea.

0:17 – Gradius (グラディウス)

2:34 – Yie Ar Kung-Fu (イー・アル・カンフー)

3:22 – Antarctic Adventure (けっきょく南極大冒険)

4:06 – Track & Field (ハイパーオリンピック)

5:07 – TwinBee (ツインビー)

– “Konami Medley First Movement”

Cristiano Ronaldo é o garoto-propaganda perfeito para PES 2012

Por Claudio Prandoni

A Konami divulgou hoje oficialmente – porque já tinha vazado por outros meios e maneiras – a capa do Pro Evolution Soccer 2012, agora trocando o barceloneto Lionel Messi pelo merengue Cristiano Ronaldo.

Não poderia ser um cara mais perfeito para o cargo: um jogador bonito, cheio de classe e firulas, mas sem títulos de expressão ou eficiência no futebol, representando uma série que parou no tempo já faz uns 5 anos e se preocupa mais em alardear as coisas que continua tendo – ou pequenas evoluções – do que botar a mão na massa e bater de frente com o rival FIFA, promovendo mudanças severas na jogabilidade.

Enfim, neste ano de 2011 acho que volto para os estádios virtuais do FIFA, os quais deixei no FIFA 2001 para aprender a curtir um Uingui Elévi maroto com os colegas caiçaras.

Para não perder total a viagem, um trailer do PES 2012 mostrando o craque Neymar campeão da Libertadores pelo Santos:

Michiru Yamane deixa a Konami

Por Alexei Barros

Aconteceu há dois meses, e quase que furtivamente: desde o dia 15 de maio, a compositora Michiru Yamane não trabalha mais nos aposentos da Konami. Caminho que foi seguido por outros músicos que passaram pela produtora, como Norihiko Hibino, Miki Higashino e Motoaki Furukawa.

A saída se deu no vigésimo ano de serviços prestados à empresa para trabalhar independentemente com música de forma mais ampla – talvez não só com videogames. Destacou-se mais notoriamente na série Castlevania, nos jogos Bloodlines, Symphony of the Night, Lament of Inoccence, Curse of Darkness e Order of Ecclesia (trabalhos solo) e Harmony of Dissonance, Aria of Sorrow, Dawn of Sorrow e Portrait of Ruin (com outros compositores). Também em trabalho conjunto com demais músicos, deixou a sua marca em Suikoden III e IV.

Em concertos, foram poucas as vezes que apareceram suas faixas, mas duas situações ficaram cravadas na história, ambas na Alemanha: no Fourth Symphonic Game Music Concert (2006), em que esteve ao cravo em “Wood Carving Partita” (Symphony of the Night), e no Fifth Symphonic Game Music Concert (2007), no qual apareceu de surpresa para tocar o órgão de tubo em “A Toccata into Blood Soaked Darkness” (Curse of Darkness).

Se compararmos com o que aconteceu com outros compositores que saíram de suas respectivas produtoras e continuaram a trabalhar nas séries (Yasunori Mitsuda e Chrono, Nobuo Uematsu e Final Fantasy, Yoko Shimomura e Kingdom Hearts), não vejo por que Yamane não possa continuar colaborando com Castlevania.

Abaixo, uma entrevista (em japonês), ainda na Konami, que mostra um pouco do seu antigo local de trabalho:

[via Michiru Yamane website]

A next Metal Gear is… ah, quem liga…

mgsnext

Por Claudio Prandoni

Como vocês podem comprovar, tio Kojima não quis esperar tanto para espirrar mais alguns feijões sobre a nova novíssima novidade dele.

A imagem acima praticamente entrega tudo: vovô Big Boss no auge da ‘guevarice’, de boina, tapa-olho (ou seja, é um game que se passa depois de MGS3) e tal. E só porque está barbudo desse jeito acha que pode mandar em nosso hype fanboy.

Como falei aqui: “pode ser Metal Gear Solid 5 (o qual postulo novamente de que não deveria existir, deixa a vertente Solid como acabou que está perfeita) ou o raio que for, fato é que minha expectativa já diminuiu.”

Remake dos Metal Gear de MSX? Continuação de Portable Ops? Uma coletânea de minigames – incluindo estratégia militar, clonagem e, claro, romancezinho com a Eva?

Que seja. Pode ser qualquer porcaria que eu não vou me empolgar e vou acabar comprando na semana que sair e jogar até o final – ou quase (comprei Resident Evil 5 no dia que saiu e até agora não tive paciência para zerar aquela chatice sem originalidade).

Momento Early Edition: vazaram na Internet páginas da Famitsu que só sai amanhã. Tem uma entrevista com o Kojima, uma imagem dessas daí do Big Boss e (rá!) uma do Raiden-robô-MGS caolho do olho esquerdo à la Solidus.

90927_1_122_193lo

Hmmm, confirma o boato de Metal Gear Raiden, mas o que faz esse Grande Chefe aí? Viagem no tempo? Já foi feito (em tom de paródia) mas para mim pessoalmente enquanto indivíduo talvez salve um fiapinho de ansiedade.

Mas sei lá.

Não se engane, sou fã absoluto da saga Metal Gear e todos os personagens e momentos – como comprovam os hypes malucos por Super Smash Bros. Brawl e Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots. Porém, acredito que pelo bem da série (ou ao menos linha Solid) o fim é essencial. Mas sobre isso escrevo outro dia…


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: