Archive for the 'Grandia' Category

VGO Live at Symphony Hall: a vez dos esquecidos Final Fantasy Tactics, Final Fantasy XII e Grandia

35736-1396846648
Por Alexei Barros

Quando fiz o primeiro post sobre a Video Game Orchestra lá em 2009, honestamente não imaginava que eles poderiam chegar tão longe, com a participação na gravação da Lightning Returns: Final Fantasy XIII Original Soundtrack. Não é para qualquer um. Não bastasse isso, a orquestra liderada por Shota Nakama vem protagonizando diversos crossovers com outras produções: em março de 2012, a VGO tocou no Distant Worlds; em fevereiro de 2015, vão tocar na turnê The Legend of Zelda: Symphony of Goddesses; e, em março, no Video Games Live!

Esse fato chama a atenção porque a VGO também possui espetáculos próprios, e a gravação da apresentação realizada em Boston no Boston’s Symphony Hall em outubro de 2012 estava há tempos prometida para sair em CD, com financiamento do Kickstarter. Depois de alguns adiamentos, o álbum Live at Symphony Hall finalmente foi lançado em abril de 2014 e cá estou para comentá-lo com meses de atraso.

No geral, o disco é muito competente na performance, mas vou me limitar a falar apenas de três dos dez segmentos que são os mais incomuns desse lançamento. Não que os outros não sejam bons, pelo contrário. Só que alguns jogos já cansaram pela repetição exaustiva de seus maiores hits, como Chrono Trigger, Portal, God of War, God of War II e Final Fantasy VII. Curiosamente, a página do Kickstarter falava que a “Snake Eater” do Metal Gear Solid 3 estaria no álbum. Acredito que deve haver algum problema em licenciar essa canção, visto que aconteceu a mesma coisa no The Greatest Video Game Music 2 (a música está prometida para o álbum Video Games Live: Level 4, a ser lançado em fevereiro de 2015).

Quanto ao Street Fighter II e Castlevania, ambos os números são tocados somente pela banda. Honestamente, não me empolgaram tanto quanto as faixas orquestradas, talvez pelo excesso de improvisações, mas não dá para negar que são instrumentistas habilidosos.

Vamos enfim aos três famigerados arranjos que mais me agradaram.

05 – “Final Fantasy Tactics Medley”
Originais: “Bland Logo ~ Title Black” ~ “Backborn Story”  ~ “Trisection” ~ “Ovelia’s Worries” (Final Fantasy Tactics) ~ “Sorrow (Liberation Army Version)” ~ “A Moment’s Rest” ~ “Boss Battle” (Final Fantasy XII)
Composição: Hitoshi Sakimoto
Arranjo: David Saulesco

Originalmente intitulado “Sakimoto Medley”, o que já achava impreciso, o medley ganhou um nome mais equivocado ainda porque cita apenas o Final Fantasy Tactics e acoberta a raríssima lembrança de músicas do Final Fantasy XII. Mais apropriado seria “Ivalice Alliance Medley”. Começando pela parte tática, a “Bland Logo ~ Title Black” aflora em toda a sua beleza orquestral com o toque militar característico do Sakimoto. O coral faz a incursão na peça com a “Backborn Story” até as cordas ficarem cada vez mais nervosas com a “Trisection”. O coro então retorna com a “Ovelia’s Worries”. Seguindo para o FFXII, há a “Sorrow (Liberation Army Version)”, nas cordas, e a “A Moment’s Rest”, com a flauta anunciando sua entrada. Duas músicas que são essencialmente de ambiente, mas caíram muito bem no medley. A percussão dá início ao apogeu da miscelânea, a poderosa “Boss Battle” em sua totalidade – no “Battle Medley 2012” do Final Fantasy Orchestral Album, a segunda parte da faixa não foi aproveitada, e aqui esse trecho ainda tem coral. Só esse final já vale o medley e a rara performance das composições do Hitoshi Sakimoto.

06 – “The End of the World” (Grandia)
Original: “The End of the World”
Composição e arranjo: Noriyuki Iwadare

É com extrema satisfação que ouço com a qualidade que merece a primeira aparição do Grandia original nos concertos, mas não dá deixar de esconder um desapontamento. No espetáculo, foram tocados quatro faixas arranjadas pelo próprio Noriyuki Iwadare, mas apenas duas delas estão no CD. E uma das eliminadas foi justamente a “Battle 1”, que tinha ficado simplesmente excepcional e me deixou estupefato quando vi a gravação amadora… – a outra cortada foi a “Farewell to Sue”.

A “Battle 1” era a única das selecionadas presente no Grandia Original Soundtracks II, segundo volume da trilha que contém as faixas originalmente sintetizadas no jogo. As outras três estão no primeiro Grandia Original Soundtracks e já são normalmente orquestradas. Falta de tempo no CD não é um problema, pois sobraram 14 minutos no disco. A única explicação que encontrei deve ser para não sobrecarregar a track list com Grandia, mas dada a singularidade do momento não haveria tanto problema.

Enfim falando da “The End of the World”, a música mostra toda a sensibilidade de Iwadare no uso dos violinos, que a VGO consegue reproduzir com maestria no concerto (o arranjo segue os passos da faixa original). É uma bela peça melódica que tem momentos de brilhantismo… Porém, se pudesse escolher ficaria com a “Battle 1”.

07 – “Theme of Grandia” (Grandia)
Original: “Theme of Grandia”
Composição e arranjo: Noriyuki Iwadare

Eis o grande momento que sonhei por anos: uma performance ao vivo de uma das maiores obras-primas de Iwadare, a magnífica “Theme of Grandia”, com todos os instrumentos que ela tem direito (e tudo sendo tocado ao vivo, é claro): bateria, percussão, baixo elétrico e guitarra (que aparece mais ao longo da peça e não só no solo). Assim como a faixa anterior, a partitura é bastante similar ao jogo (só não sei com certeza se é idêntica, porque sempre há sutilezas aqui e ali), com aquele solo de violino genial e, mais adiante, o já citado solo de guitarra. O canal da VGO inclusive publicou a gravação do segmento, o qual reproduzo abaixo. Momento histórico, sem dúvidas.

“Theme of Grandia” – Grandia (Video Game Orchestra ~Live at Boston Symphony Hall~)

Por Alexei Barros

Uma vez que Grandia foi escolhido para integrar o programa do concerto da Video Game Orchestra em Boston de 2012, a “Theme of Grandia”, evidentemente, era uma escolha obrigatória, mesmo que eu tenha ficado mais surpreso pela rendição espetacular da “Battle 1”.

Como comentado no post anterior, o arranjo para a apresentação foi preparado pelo próprio compositor do RPG do Saturn e adaptado para PlayStation, Noriyuki Iwadare, que assistiu à performance in loco. No post do espetáculo no fórum do Soundtrack Central, aliás, eu soube que a homenagem à Grandia foi além do esperado: também estava na plateia a viúva do criador da série e fundador do estúdio Game Arts, Takeshi Miyaji, falecido em 2011 de complicações cirúrgicas realizadas em decorrência de um tumor no cérebro. Bela homenagem póstuma.

Diferentemente da “Battle 1”, originalmente sintetizada, a “Theme of Grandia” já era orquestrada na trilha do jogo, contando também com bateria, baixo elétrico e guitarra – que, na OST, foi tocada pelo talentoso Jun Kajiwara, frequente em diversos álbuns com arranjos da SNK. O mais legal é que a VGO tem todos esses instrumentos normalmente e não depende de subterfúgios duvidosos – falo do repulsivo uso do playback. Por isso, vale a emoção de ouvir essa música de abertura que incorpora o espírito de aventura e descoberta do jogo.

Destaque para o solo de violino de cortar o coração maravilhosamente tocado e, claro, aquele solo de guitarra que o instrumentista fica na ânsia a música toda esperando só para mostrar a que veio. Obrigado, Shota Nakama. Obrigado, VGO.

“Battle 1” – Grandia (Video Game Orchestra ~Live at Boston Symphony Hall~)

Por Alexei Barros

Ouvir de uma vez por todas Grandia em um concerto de games, ainda que em uma gravação amadora do YouTube, é a realização de um sonho. Por que demorou tanto? Mesmo que a série não tenha prosperado, é muita música boa para ser ignorada.

Como disse no outro post, Grandia foi mostrado em um concerto da Video Game Orchestra no Boston’s Symphony Hall. A história contada pelo líder da VGO, Shota Nakama, é que alguns meses atrás ele pediu ao compositor Noriyuki Iwadare para incluir músicas do Grandia na apresentação. Iwadare respondeu: “Ok, eu vou fazer um arranjo para você”.

A informação era de que seria uma suíte de 15 minutos do jogo. Bem, apesar da minha empolgação provocada pela lembrança do RPG da Game Arts, não considero o que vi e ouvi exatamente uma suíte, que seria um segmento com várias faixas tocadas continuamente, com transições entre elas. Na verdade, foram executadas quatro músicas avulsas intercaladas por interrupções. Não dá para dizer que estou completamente decepcionado dado o ineditismo da performance.

Das quatro escolhidas, a que mais me empolgou, pela ordem das seleções, foi a segunda: “Battle 1”, ou seja, o primeiro tema de batalha do jogo (que grande observação essa). É que, com o passar da aventura, a música para os combates normais muda e não fica aquela repetição toda muito recorrente nos Final Fantasies da vida.

Ver uma orquestra dessa envergadura, com guitarra, teclado, baixo, bateria e percussão à sua frente no palco, tocando uma música empolgante como a “Battle 1”… não tem como resistir: eu simplesmente me esqueci do quão espetacular era esse tema de combate. A versão é um pouco diferente da original. Basicamente, em vez do solo de teclado, há um solo de guitarra e o naipe de metais tem uma participação mais incisiva. Só uma pena que a gravação, a de qualidade mais aceitável que encontrei, não permite escutar o baixo elétrico. Mas, felizmente, aquele álbum financiado via Kickstarter conseguiu atingir o valor necessário e Grandia está na track list para podermos ouvir essa maravilha em melhor qualidade (nem que seja um sample).

Próximo concerto da VGO terá quatro convidados japoneses; programa inclui suíte de 15 minutos de Grandia arranjada por Noriyuki Iwadare


Por Alexei Barros

Como faz tempo que não falo da Video Game Orchestra por aqui. Até queria comentar mais, acontece que não encontrava performances diferentes das que já publiquei anteriormente. Nesse meio tempo, a orquestra liderada por Shota Nakama ganhou bastante reconhecimento, chegando, inclusive, a participar do Distant Worlds em Boston em março de 2012, em um crossover outrora inconcebível entre as produções de concertos de games.

Mas em 7 de outubro, no Boston’s Symphony Hall, nos EUA, a VGO promete realizar uma apresentação ainda mais ambiciosa. Kinuyo Yamashita, Hitoshi Sakimoto, Yoko Shimomura e Noriyuki Iwadare estarão na plateia. Este último inclusive preparou um arranjo de 15 minutos de Grandia especialmente para o espetáculo… morri. Eu já estava feliz se fosse só a “Theme of Grandia”… Agora uma suíte? De 15 minutos? (E provavelmente com os temas de batalha?)

Além de Grandia, teremos no set list um número intitulado “Sakimoto Medley”. Sinceramente não sei o que pode vir aí, se as obras mais famosas dele (Final Fantasy XII) ou as mais cult, como Verytex, Gauntlet IV, Radiant Silvergun, Gradius V… Na torcida pela segunda opção. Porque a “Return” ainda ressoa na minha mente…

Completam o programa, entre os segmentos já anunciados: “Bombing Mission” (Final Fantasy VII), Street Fighter II, God of War, “Baba Yetu” (Civilization IV), “Vampire Killer” (Castlevania), Kingdom Hearts, “Snake Eater” (Metal Gear Solid 3), Chrono Trigger e Cross e Final Fantasy VII Suite.

Foi aberta uma campanha via Kickstarter para financiar a gravação parcial do concerto com o custo de 30.000 dólares, mas, faltando 13 dias para encerrar o prazo, o valor ainda não atingiu a metade do necessário. De qualquer jeito, eu já vou ficar mais do que satisfeito de ver um videozinho da suíte de Grandia.

[via Kickstarter]

Um raro e excepcional EP com arranjos de Grandia II


Por Alexei Barros

Se já foi um acontecimento do ano (de 2007) a aparição da “A Deus” do Grandia II em um concerto de games, o que dirá um EP amador com músicas do RPG da Game Arts? De um aficionado ocidental, ainda por cima – é algo muito incomum. E de muita qualidade.

Não surpreende que a inusitada ação não ocorreu por meios normais – dos arranjadores e/ou instrumentistas serem fãs do jogo, por exemplo. Em março de 2011, no evento MAGfest, foi promovido um leilão entre os participantes a fim de arrecadar dinheiro para ajudar as vítimas dos terremotos no Japão. O vencedor tinha o direito de escolher uma música para que fosse arranjada. (Aliás, uma iniciativa similar foi feita por ocasião das chuvas torrenciais no Rio de Janeiro, não é mesmo Gagá / Cosmonal?). Por sorte, o ganhador escolheu Grandia II e sugeriu algumas músicas para Grant “Stemage” Henry, que ficou conhecido pelo trabalho na série de álbuns Metroid Metal. Então Stemage arranjou quatro faixas e lançou dia 14 de outubro o Frets of Valmar: Grandia II no Bandcamp. Todas as músicas podem ser ouvidas inteiras e em qualquer momento gratuitamente. Para baixá-las, você define um preço, e todo o valor é redirecionado à Cruz Vermelha Japonesa.

Não comentarei as faixas muito minuciosamente, mas os links para cada uma estão aí no fim do post, acompanhados das originais. A primeira que ouvi foi o tema de combate, que contava com uma guitarra real totalmente alucinante. O Stemage conseguiu melhorar o que já era incrível com a guitarra base e a guitarra solo. É a minha favorita do EP. A mencionada “A Deus” ganhou uma versão instrumental lembrando a “Distant Worlds” do Black Mages: uma canção que originou um arranjo acústico, mais calmo e com violões. “Dangerous Zone” tem um vocal metal, que, felizmente (para mim, falo pelo meu gosto) aparece muito pouco. A música é permeada por solos dos integrantes da banda Arm Cannon e do Chunkstyle. Para fechar, a “Purification of Darkness ~ Battle with the Parts” recebeu uma bela atualização, na tradução da sinfonia sintetizada para um show de guitarras.

01 – “A Deus”
Original: “A Deus”

02 – “FIGHT!”
Original: “FIGHT!! Ver.1”

03 – “Dangerous Zone (featuring Arm Cannon and Chunkstyle)”
Original: “Dangerous Zone”

04 – “Purification of Darkness”
Original: “Purification of Darkness ~ Battle with the Parts”

“Theme of Grandia” – Grandia (Japan Expo 2010)

Por Alexei Barros

Não sei você. Eu acho a “Theme of Grandia” não só uma das melhores músicas do Noriyuki Iwadare, como de toda a história dos videogames. É o tipo de composição que me fez pensar: olha onde a game music conseguiu chegar, além de encaixar perfeitamente com as cenas da abertura da extensa aventura de Justin, Feena e cia.

Isso em 1997, e tal resultado foi obtido graças à utilização de instrumentos reais no tema, desde cordas, madeiras, metais até bateria, baixo elétrico e guitarra, que emerge em um breve solo em 3:24 tocado por Jun Kajiwara, aquele mesmo que aparece em quase todos os álbuns arranjados da SNK. Apesar da interessante versão “Theme of Grandia” do álbum Vent ~ Grandia Arrange Version e da “Theme of Grandia (Marching Ver.)” presente no Grandia Online − Perfect Sound Library − ser bem bacana, para mim não conseguem se equiparar à original.

Até hoje não consigo entender por que nunca foi executada com a instrumentação completa em um concerto oficial. Em compensação, ainda não com orquestra, só com banda, o tema foi tocado no evento francês Japan Expo 2010.

Supera em parte a decepção de sequer ver ou ouvir, apenas sonhar com fotos a performance do show History of Grandia Live na Square Enix Party 2005, por ocasião da revelação do Grandia III. A formação da banda era parecida, com a diferença é que lá havia violino e Iwadare tocava piano, não teclado como aqui.

Mesmo com a riqueza da orquestra resumida a timbres de sintetizador, a “Theme of Grandia” não perdeu tanta força como imaginava, e ganha respeito pela presença do compositor. Além disso, o enlevo provocado pela surpresa do solo de guitarra inexiste, visto que o instrumento participa ativamente desde o começo da performance. No entremeio, ainda tem a tradicional apresentação dos integrantes da banda também formada por Wo-Lya (baixo), Roze Horiguchi (bateria) e Yasufumi Fukuda (guitarra).

“A Deus” – Grandia II (Games in Concert 2)


Por Alexei Barros

Sinceramente, não achei que um dia fosse ouvir a “A Deus” executada no Games in Concert 2 em 2007. Uma performance histórica eu diria. Foi a primeira (e até agora única) vez que uma faixa da série Grandia foi tocada ao vivo. Curiosamente, o compositor Noriyuki Iwadare só se tornou mais ativo em concertos ano passado não com Grandia ou Lunar, mas com Ace Attorney.

E que seleção mais ousada! Grandia II foi lançado originalmente para Dreamcast em 2000, e desse capítulo mesmo a “Canção do Povo” é um pouco mais comentada. Naquele ano do concerto Grandia III já havia surgido, e o Grandia original seria uma escolha que se imaginaria mais facilmente – a Metropole Orchestra poderia tocar a “Theme of Grandia” numa boa com todos os instrumentos que tem direito. Levando em consideração que a apresentação não foi no Japão, e sim na Holanda, a audácia atinge níveis estratosféricos.

Cristina BrancoPara completar, a canção divinal é em português, o que torna tudo ainda mais singular. Se na original era interpretada com uma pronúncia terrível pela japonesa Kaori Kawasumi, ao vivo foi cantada pela portuguesa Cristina Branco. Como é o seu idioma nativo, a canção soa muito mais natural e fluida.

Os versos são entoados duas vezes (e não uma como na original) e na primeira repetição do refrão o PA’ dam Choir também acompanha a cantora antes do encantador interlúdio com os solos de flauta e violoncelo. Toda a parte instrumental é uma pintura, e mostra que a Metropole Orchestra não tem apenas um naipe de metais potente, como demais músicos de excelente nível. A harpa etérea, as cordas majestosas… e ainda o baixo elétrico sutil. Sublime.

O site do concerto holandês nunca publicou o vídeo da música, mas esta e “Moon Over the Castle” foram as duas escolhidas para a transmissão de rádio – preciso dizer que são as que estava mais maluco para conhecer?

Abaixo, a letra da música, que não faz o menor sentido (é um verdadeiro amontoado aleatório de palavras bonitas), e o link da gravação, que consegui graças ao colega Matthijs Koole:

Nascer do Sol, palavras, milagre
Água pura, uma lágrima
Paz, luz, amor…
Fruto agreste, respiração, liberdade
Harmonia, vento da benção
Agradecimento…
Tempestade, inquietação, escuridão
Luz do Sol, alegria, graças a Deus…

“A Deus” (Grandia II, Games in Concert 2)


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: