End of Eternity OST: Motoi Sakuraba e Kouhei Tanaka em seis discos


Por Alexei Barros

Apesar de ainda não ter feito uma menção sequer, estava ansioso por este dia 24 de março, porque hoje sai a trilha sonora do recém-lançado RPG da tri-Ace para PlayStation 3 e Xbox 360, Resonance of Fate, conhecido como End of Eternity no Japão.

Se menciono tri-Ace automaticamente surge o nome do monstro incansável Motoi Sakuraba. Prossegue. Mas desta vez ele veio acompanhado de Kouhei Tanaka, o compositor principal da série de games e animes Sakura Wars e também da abandonada série Alundra. Dessa combinação inusitada temos as empolgantes músicas do Sakuraba no estilo rock progressivo e as divinas faixas orquestradas do Tanaka. Minha expectativa ficou alta pelo que ouvi no disco promocional Resonance of Sounds -End of Eternity Special Sound Track-. Destaco do Tanaka, “The beginning of eternity” , com reminiscências de Guerra nas Estrelas, enquanto que “Irruption” mostra um Sakuraba mais inspirado do que a média.

O que mais causa espanto na End of Eternity Original Soundtrack, como se vê pela foto, é a quantidade espantosa de CDs para a trilha de um jogo apenas: inacreditáveis seis discos. Não fiz um levantamento apurado para saber se é a maior de todos os tempos, mas lançamentos colossais recentes não eram tão grandes, por exemplo BAYONETTA Original Soundtrack e Okami Original Soundtrack, ambas com cinco discos. O Super Smash Bros. Brawl facilmente desbancaria qualquer uma se a Nintendo não fosse tão indolente. Bom, o álbum sai por 5040 ienes, quase 98 reais sem impostos. Número de catálogo: KDSD-00358~363.

Quem sabe não me animo e faço um post depois que conferir. Enquanto isso confira a abertura para atiçar a sua curiosidade caso já não tenha acontecido:

[via Famitsu]

Anúncios

13 Responses to “End of Eternity OST: Motoi Sakuraba e Kouhei Tanaka em seis discos”


  1. 1 Farley 25/03/2010 às 8:33 am

    Também estou curioso por esta OST, o pouco que ouvi eu gostei muito. Mas 6 discos acho um pouco exagerado, 5 eu já acho muito, 6 então…

    Essa Irruption é pra mim um dos melhores temas de batalha do Sakuraba, acredito que essa parceria com o Kouhei Tanaka foi uma boa.

    “Se menciono tri-Ace automaticamente surge o nome do monstro incansável Motoi Sakuraba”, hahahaha, muito boa essa de monstro incansável! Mas sabe, acho que os trabalhos dele pra tri-Ace são mais interessantes do que os pra série Tales por exemplo (a OST de Tales of Graces mesmo só salva alguns poucos temas de batalha).

  2. 2 Alexei Barros 25/03/2010 às 11:12 am

    Concordo plenamente. Acompanhei pouco as trilhas da série Tales, mas do que ouvi acho isso mesmo. A que mais gostei, do Tales of Legendia, é justamente do jogo que ele não participou.

    Sobre o mostro incansável, hehe, cheguei a essa conclusão depois dessa citação em entrevista à Famitsu que o 1up traduziu:

    “Anything else, I can usually belt out a track for in four hours. If I can ad-lib it well enough, I can do it in five minutes, even. One time I had a phone call from a dev who needed an opening theme for a portable game within half an hour. I sent them the full data package in about ten or fifteen minutes.” — Motoi Sakuraba, composer on Star Ocean and the Tales games

    o.O

  3. 4 Geraldo Figueras 26/03/2010 às 4:21 am

    Sakuraba, Sakuraba… sempre a mesma coisa, mas sempre me agrada :P

  4. 5 Nairo 30/03/2010 às 2:05 pm

    eu gostaria de saber se há a disponibilidade dessa musicas para download em algum lugar se souberem podem mandar pro meu e-mail

    nairo666@yahoo.com.br
    agradeço a todos!

  5. 6 Dante 03/05/2010 às 3:17 pm

    Sakuraba é impressionante. Desde qdo ouvi a trilha de Maneuver Cepter Granada do Mega Drive em 1990 me apaixonei pelo estilo dele.

    EU fico impressionado sempre q sai algum trabalho em q ele compõe….

  6. 7 Alexei Barros 03/05/2010 às 4:03 pm

    Wow, só fui conhecer o Sakuraba muito depois disso, mais por causa do Valkyrie Profile. A única crítica que faço a ele é que algumas músicas saem no modo piloto automático, com aquele estilo rock progressivo sem muitas invenções – isso fica mais evidente na série Tales. Mas mais impressionado eu fico com a velocidade que ele diz compor as músicas.

  7. 8 Pança 23/05/2010 às 12:49 pm

    Essa OST e muito boa. As musicas do Sakuraba eu gosto de ouvir em qualquer lugar, ate coloque no meu MP3. As do Kouhei Tanaka se adaptam muito bem ao clima do jogo, mas nao gosto de escuta-las fora dele.

  8. 9 Adon 12/09/2010 às 11:59 pm

    Estou ovindo a música “Home sweet home”. Fabulosa! Linda!

    • 10 Alexei Barros 13/09/2010 às 12:03 am

      “Home sweet home”? Confere!

      Apesar do post ainda não tirei para ouvir a trilha de ponta a ponta, mas esta faixa é belíssima – o Kohei Tanaka sempre manda bem.

      • 11 Adon 13/09/2010 às 8:02 am

        Interessante que eu possuía uma boa lembrança da trilha sonora do Alundra, mas nunca cheguei a experimentar qualquer outro jogo com a participação do Kohei Tanaka.

        No meio de toda a discussão sobre a qualidade dos games, Ocidente x Oriente, é notável, pelo menos no que alcancei, a distinção dos orientais na feitura de uma trilha sonora para games. Pode parecer até falta de conhecimento-percepção, mas ao ver nomes como Masashi Hamauzu (certo é alemão meio oriental, hehe),Hideki Sakamoto, Kohei Tanaka impressionando nessa últimos tempos é de emocionar, em contrapartida não enxergo tanta riqueza musical nos compositores ocidentais. Não é caso de questionar conhecimento ou qualificação desses, mas parece que quando Koichi Sugiyama compôs “Travelling with wagon” para o DQVIII, decidiu fazer a mais bela música que poderia naquele momento. A OST do Echochrome então…

        God of War, Halo, Mass Effect, Dantes Inferno, Metal Gear. Todos esses possuem uma estrutura parecida de pensar musicalmente, algo como Hollywoood In game.

        Alexei, o que vc pensa sobre isso?

        Falei demais, né? Hehehe

        Abraços!

        • 12 Alexei Barros 13/09/2010 às 12:30 pm

          Que isso, Adon, quanto mais melhor.

          Muito interessante você ter levantado tal questão, porque eu concordo absolutamente que as trilhas japonesas de games são mais marcantes do que as ocidentais de maneira geral. Eu abri os olhos para tal questão quando o Werther comentou sobre isso há mais de dois anos:

          “Nem todas as trilhas são focadas em melodia. Grande parte (sobretudo as de compositores americanos) são focadas em ambiência. Até porque, na maioria das vezes não se deseja que a música tenha “personalidade” o suficiente para desviar a atenção do jogador.”

          Ano passado houve um bate-papo com vários compositores japoneses (coincidentemente o Hideki Sakamoto estava lá) e adivinha qual foi o tema? “Japanese Game Musicians Talk About Western Soundtracks”. De modo geral todos eles concordam que as trilhas ocidentais são muito influenciadas por Hollywood, e que não há necessariamente melodias inesquecíveis, mas sim um enfoque na ambiência – músicas para dar um clima em determinada cena.

          Diria mais, a riqueza de melodias não é uma característica apenas da game music japonesa, mas da música nipônica em geral.


  1. 1 “Geki! Teikoku Kagekidan” – Sakura Wars (Kouhei Tanaka Sakka Seikatsu 30 Shunen Kinen Concert) « Hadouken Trackback em 26/03/2010 às 5:45 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: