ActRaiser: as geniais músicas perdidas

ActRaiser
Por Alexei Barros

Com o intuito de minimizar a lista de pendências gamísticas veio por meio deste post informar que há pouco mais de duas semanas me tornei menos fraude porque finalmente completei um jogo que sempre quis terminar (por causa da trilha sonora), e sempre batia a maldita preguiça casual quando sobrava tempo: ActRaiser. Pior que nem era tão difícil ou extenso como imaginava.

Vergonhoso encerrar um título de 1991 em pleno 2008, mas tenho uma boa desculpa.  Na época em que foi originalmente lançado, a única referência que eu tinha era uma foto na caixa do SNES, já que, por comprar revistas esporadicamente, jamais soube de mais detalhes. Nas lojas? Nunca vi. Tomei conhecimento muito tempo depois, não lembro direito como, e quase certeza que foi por causa do Yuzo Koshiro. Bem verdade que escutei por inúmeras vezes a trilha original e, claro, o clássico Synphonic Suite from ActRaiser.

Pude constatar como os cenários eram variados (pirâmides, catacumbas, pântanos, montanha e até mesmo o espaço sideral) e os gráficos detalhados para a época, afinal foi um dos primeiros títulos do sistema, num período em que os games 16-bits ainda se libertavam dos cenários chapados do 8-bits. Em contrapartida, a ingenuidade da história, apesar do mote original de você ser uma divindade e do final surpreendente, mostra sinais do tempo: o mal aparece subitamente e deve ser debelado a qualquer custo, mesmo que não exista um porquê do vilão ser assim. Porém, é elogiável o comportamento dos habitantes das cidades que você ordena na porção SimCity do jogo, principalmente no que diz respeito à interação entre elas, como, por exemplo, quando as cercanias de Blood Pool chegaram ao território vizinho de Fillmore, e o primeiro povo quis ensinar a pescaria para o segundo. A parte de plataforma é de uma simplicidade ímpar, limitando-se a pulos e somente um tipo de golpe de espada, com eventuais esquivas ou mágicas. Nada de combos ou power-ups.

ActRaiserEntão vamos às músicas. Poderia falar da excelência de “Fillmore” e “Birth of the People”, algumas das minhas preferidas de todos os tempos, da semelhança impressionante de “All Over the World” com as músicas de Guerra nas Estrelas ou da alusão à vinheta da 20th Century Fox no início da “Ending”, mas vou chamar a atenção para algo pouco comentado (ao menos só li mais a fundo na biografia escrita pelo Acid), que lembrei depois que terminei o jogo: as músicas perdidas de ActRaiser compostas na placa de som Soundboard II (originária do PC-8801), que vieram à tona no álbum Misty Blue (1991) e também estão na coletânea Yuzo Koshiro Best Collection vol. 1 (2007). Supostamente, foram feitas no sistema porque ainda não tinha em mãos o aparato técnico do SNES e, como é de conhecimento, nunca existiu uma versão de ActRaiser para PC-8801.

E não são poucas: 14. Até aí, nenhum problema se fossem exatamente as mesmas do SNES com diferente qualidade. Não são. Apenas quatro composições são as mesmas – “Fillmore”, “Blood Pool ~ Casandora”, “The Beast Appears” e “Sacrifices”. Até aí, nenhum problema se as dez faixas não usadas no jogo não fossem grande coisa. Que nada. São maravilhosas, jóias raras que deveriam receber o mesmo tratamento. É bem possível associar os nomes das faixas (disponibilizo todas no fim do post) com situações da jornada, o que me deixa ressabiado para saber o motivo da exclusão.

“In the Castle” e “Boss Fight” demonstram a mesma mistura de música eletrônica com toque erudito da trilha original, ao passo que “Flight” e “The Seven-Headed Monster” ganhariam uma pompa avassaladora se fossem orquestradas. “Space Fight” é realmente uma música especial, totalmente contagiante. “Jungle” destoa de tudo, e só consigo pensar em Streets of Rage pela batida techno. Ouça-as abaixo. E um dia ainda termino ActRaiser 2…

“In the Castle”
“Boss fight”
“Minotaur”
“God’s Trial”
“Desert”
“Endless Adventure”
“Flight”
“The Seven-Headed Monster”
“Jungle”
“Space Fight”

Anúncios

23 Responses to “ActRaiser: as geniais músicas perdidas”


  1. 1 Gustavo "Mancha" 11/12/2008 às 1:37 am

    Boa, Alexei! Nunca é tarde pra jogar os clássicos!

    E a trilha desse jogo é fenomenal, fala sério. O Koshirão é um gênio. *_*

  2. 2 Rebeca 11/12/2008 às 6:09 am

    Mas pelo menos você terminou o jogo, Alexei. Vergonha é, em pleno 2008, não ter passado sequer da PRIMEIRA FASE de um game de 1985. No meu caso, Ghosts ‘n Goblins do NES. Quando eu era pequena tomei trauma do jogo, pois tentando passar da primeira fase eu só morria, morria, morria e morria. Daí estressei de vez e larguei de mão. Depois de velha (nem tanto, só tenho 24 anos) baixei a rom pro emulador, mas quem disse que me animei a jogar? Tá aqui nos arquivos mofando ainda. Mas já me propus a voltar a jogá-lo agora nas férias e ver se, finalmente, consigo terminar essa bagaça! heheheh xD

    ActRaiser é mucho bão, clássico total!

  3. 3 Itiro 11/12/2008 às 7:14 am

    Jo-ga-ço mesmo!!!
    E a trilha, fala por si só.
    Valeu pelas ótimas lembranças que pude reviver ouvindo as trilhas aqui.
    Eu devia ter uns 16 anos, nessa época.
    Valeu, Alexei!

  4. 4 geraldofigueras 11/12/2008 às 9:31 am

    Tava demorando pra aparecer esse post :D

    Dei muita risada com Ending, talvez a chupinhada de todos os tempos. E Jungle me lembrou mais Revenge of Shinobi do que Streets of Rage, algo próximo de Make Me Dance ou The Dark City.

    Fantástica também All Over The World. Bom, em se tratando de Koshiro, não posso dizer que estou surpreso.

  5. 5 geraldofigueras 11/12/2008 às 9:33 am

    @Rebeca

    O original Ghosts N Goblins, tanto do NES quanto a versão original arcade, é, na minha opinião, o mais difícil de toda a série. Recentemente dei um laço no Ultimate, e alguns tempos atrás repeti o feito de terminar o Super Ghouls N Ghosts do SNES e Ghosts N Ghosts do arcade. Agora o Goblins é o único da série que continuo sem derrubar :(

  6. 6 Adney Luís 11/12/2008 às 10:09 am

    Eu também tenho essa pendência com Ghosts N Goblins. Ô joguinho difícil!!

    E sobre Actraiser: eu também só consegui jogá-lo por intermédio de emuladores, e é um ótimo jogo mesmo (apesar de ter gostado mais do II).

  7. 7 Alexei Barros 11/12/2008 às 12:02 pm

    @ Mancha

    Sempre que dá tento riscar um clássico da lista. Pena que faltam tantos ainda. E pior que tem alguns que até dá vergonha de fazer um post similar…

    @ Rebeca / Geraldo / Adney

    Hahahah! Para ser sincero, das vezes que tentei jogar não me lembro de ter passado da primeira fase do Ghosts ‘n Goblins. Terminar são outros 500 ainda. Essa série sou uma completa fraude também. Quem me dera ter terminado tantos como o Geraldo… :(

    @ Itiro

    Embora não tenha citado no texto, acrescente “Opening” e a “Sacrifices” para completar a sessão de nostalgia.

    @ Geraldo

    Tem razão, “Make me Dance” e “The Dark City” lembram mais. Sabe como é, The Revenge of Shinobi também está na relação de falhas… Ah, a “All Over the World” (a.k.a. “World Tree”) ficou totalmente estupenda no medley “Aitos ~ Temple ~ Descent ~ All Over the World” (de 1:51 até o final) do Synphonic Suite.

    @ Adney

    Fiquei ainda mais interessado em jogar o 2 agora que você falou. Ouço poucas pessoas falarem sobre a continuação.

  8. 8 Acid 11/12/2008 às 3:13 pm

    Actraiser 2 é muito bom. Pena que deixaram a parte SIM/RPG de fora, a não ser por alguns diálogos. Mas os gráficos estão ainda melhores, e a jogabilidade conta com o vôo planado do herói, explorando melhor as plataformas.
    Eu na época pensei numa continuação que incluísse RPG também, ia ser fantástico, continuando no mesmo mundo onde vc começou em Actraiser 2…
    Talvez daqui a 10 anos, num remake pra Playstation 4.

  9. 9 Alexei Barros 11/12/2008 às 3:32 pm

    Principalmente depois que a Enix se juntou com a Square é difícil de imaginar um ActRaiser 3… Hmmm, a não ser para DS. Agora com os seus comentários fiquei ainda mais instigado a começar o ActRaiser 2 – uma pena que a ROM que tentei jogar estava problemática.

    Fico impressionado também com o desdém com a trilha sonora da continuação, já que nunca foi lançada em um álbum e muito menos recebeu arranjo oficial. Não que seja tão memorável quanto a do predecessor, mas tem umas interessantes, como “Industen & Benefic”, “Death Field & Almethea”, “Epilogue” e “Tanzra Returns” (aliás, não foi para minha surpresa quando li “‘Tanzra Returns’ Recorded by AcidZero and Datschge” no arquivo de texto que estava no arquivo do rip da trilha… :D ).

  10. 10 idiosyncratic idiot 12/12/2008 às 12:38 pm

    Assim como você, Maestro, tenho uma lista sem fim de clássicos não jogados; e também estou sempre tentando preencher essas lacunas vergonhosas no meu currículo gamer (este ano me redimi jogando o Metroid original e Myst, entre outros).

    Quanto ao Actraiser 2, é um jogo muito bom por si só, mas n vc deve evitar ficar comparando com o 1. Ele é diferente no que diz respeito ao gameplay. A parte de plataforma ficou bem mais complexa e interessante, com novos movimentos e magias. Por outro lado, o God Mode foi totalmente eliminado, imperdoável… isso descaracterizou o jogo IMO. É absurdamente mais difícil também (isso é bom).

    Tente rodar sua ROM no zsnes, é muito difícil achar uma que não trave no Snes9x.

  11. 11 Alexei Barros 12/12/2008 às 1:36 pm

    Caraca, você terminou o Metroid de NES? Bom, dessa série eu completei todos os 2D menos o II (Zero Mission, Fusion e Super), ainda falta a trilogia Prime inteira… =/ Quanto ao Myst, este nunca me apeteceu, não penso em jogar tão cedo.

    É, o ActRaiser 2 está definitivamente na minha lista depois do que você falou. Na verdade não joguei no PC. Não conta para ninguém ( :D ), mas tenho um DVD malandro de GameCube com todas as ROMs americanas de SNES, NES, Master System, Mega Drive e Turbografx 16, e justamente desse disco que o jogo não está funcionando – trava no mapa ainda, na hora em que vai começar a fase.

  12. 12 Orakio "O Gagá" Rob 12/12/2008 às 7:02 pm

    Alexei, relaxa, rapaz… a gente tem mais é que assumir os nossos pecados. Se quiser eu te empresto o banner que inventei para minha nova coluna lá no Gagá Games:
    http://gazetadealgol.com.br/gagagames/?p=1235

    Postar essas coisas é uma experiência libertadora :-)

  13. 13 Alexei Barros 12/12/2008 às 9:57 pm

    Muito legal, Orakio. Na verdade, eu já tinha postado parte das minhas falhas no currículo aqui – curiosamente havia esquecido de mencionar a série ActRaiser e também toda a série Mega Man… :(

    Mas Ace Attorney e Mario 2 pode riscar dessa lista – aliás, penso em fazer um post similar sobre o menosprezado Mario 2 (não é mesmo, sr. Prandoni?), que consegui terminar antes do ActRaiser.

  14. 14 Rebeca 13/12/2008 às 6:37 am

    E eu achava que esse problema com Ghosts ‘n Goblins era só meu! heheheh

    Gente, vamos nos propor uma meta de vida:

    * Zerar Ghosts ‘n Goblins antes de morrer! xDDD

  15. 15 Alexei Barros 13/12/2008 às 9:10 am

    Hahaa, não tinha como o problema ser só seu, Rebeca, esse jogo é impossível!

    Nessa meta de vida eu acrescentaria também terminar Battletoads (pela dificuldade insana após a terceira fase) e Dragon Quest VII (por não conseguir imaginar alguém que suporte aquela feiúra do jogo por mais de 100 horas). :D

  16. 16 Rebeca 14/12/2008 às 2:06 pm

    Battletoads eu nunca zerei também, mas porque nunca fiz esforço pra isso. heheheh
    É porque esse game nunca me atraiu muito, sabe? Daí eu joguei uma vez e larguei pra lá. Meu irmão que gostava e sempre o ouvi reclamar da dificuldade mesmo. xD
    O que eu achava interessante eram os gráficos, que pros padrões do NES eram muito bem feitos, né? =)
    Já Dragon Quest VII eu nunca joguei.

  17. 17 Alexei Barros 14/12/2008 às 10:32 pm

    Dragon Quest VII você não está perdendo nada, Rebeca, que me desculpem os milhares de japoneses que compraram o jogo.

    Já o Battletoads acho fantástico. Joguei na época, mas terminá-lo é algo que acredito que nunca conseguirei fazer, principalmente depois de relembrar a dificuldade da terceira fase.

  18. 18 Rebeca 14/12/2008 às 11:37 pm

    Você está me fazendo querer jogar Battletoads, hein?! xD
    Eu vi o vídeo da tal teceira fase! Acho que eu também não passaria dela, viu? Sempre fui ruinzona nessas fases que o personagem vai muito rápido e vem um montão de obstáculos! Naquele finalzinho então que ele dá um boost… aff, aí que eu morreria mesmo… ¬¬º
    heheheh

  19. 19 Alexei Barros 14/12/2008 às 11:50 pm

    Hehe, se tiver oportunidade tenta sentir na pele a dificuldade do terceiro estágio. As duas primeiras fases não são tão complicadas. Até por isso a terceira assusta tanto, já que o desafio cresce vertiginosamente.


  1. 1 O elo perdido de Final Fantasy e Misty Blue « Hadouken Trackback em 11/12/2008 às 6:24 pm
  2. 2 Novo álbum Streets of Rage Perfect Soundtrack traz três músicas inéditas | Hadouken Trackback em 20/12/2017 às 3:18 pm
  3. 3 Concerto com músicas de Yuzo Koshiro será transmitido ao vivo neste sábado, 1º de dezembro | Hadouken Trackback em 30/11/2018 às 2:26 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: