Posts Tagged 'Yoshi’s Island'

“Yoshi Medley” – Yoshi’s Island e Yoshi’s Story (VGO @ Anime Boston)

Por Alexei Barros

Há meses não publicava uma performance da Video Game Orchestra, e faço agora com um vídeo que deixei escapar. Mas antes de comentá-lo, vale falar mais sobre as novidades que aguardam a VGO para 2011.

Além de uma nova apresentação no PAX East, haverá um espetáculo a ser realizado no Boston Symphony Hall no dia 1º de abril – não é mentira. Nos 111 anos da sala de concerto, pela primeira vez serão tocadas músicas de jogos. A orquestra, que era de 40 integrantes, aumentará para 70 instrumentistas, somando aos tradicionais 30 coristas e a banda formada por cinco pessoas. Como convidados, três compositores, sendo dois japoneses e um americano. E o repertório receberá o reforço de músicas de filmes. Para completar, a VGO gravou um CD na Berklee College of Music, com a presença de Wataru Hokoyama (Afrika e Resident Evil 5) e Go Shiina (Tales of Legendia e God Eater). Na expectativa para mais informações.

Enquanto isso não acontece, regresso para o dia 2 de abril de 2010, quando ocorreu o Anime Boston, e a VGO executou um dos seus melhores segmentos, combinando músicas do Yoshi’s Island e Yoshi’s Story. O arranjo da Niki Mariskanish (clarinete) e do Zac Zinger (saxofone soprano) é fenomenal, e olha que se dá ao luxo de ignorar “Athletic”, ou uma das minhas preferidas, “Map BGM”, que, apesar de simples, empolga pela forma com que os instrumentos sintetizados vão se somando.

Meu elogio se deve à perfeição da cadência das músicas e das transições em pouco mais de sete minutos. Dá gosto de ouvir uma versão tão bem feita – pena que o áudio é de uma gravação amadora, como o vídeo não está disponível no canal da VGO. Tranquilamente os violinos tocam a “Yoshi Start Demo”, com a “Yoshi Story” querendo despontar. A “Powerful Infant” é uma preparação para a empolgação que sucede na “Flower Garden”, com metais jazzísticos tocando a melodia. Um espetáculo! Espere então até entrar o solo de guitarra. “Castle & Fortress” aparece na sequência com o rebusque que poucos imaginariam na sintetizada. Uma inesperada interpretação se sucede na guitarra após o solo de bateria, culminando na “Big Boss BGM” (se não estiver enganado). Para fechar, “Yoshi Story” em uma interpretação típica de big band, com direito a um solo de violino. Mesmo com tantos estilos diferentes em um mesmo número, é um arranjo com unidade.

“Yoshi Medley”
“Yoshi Start Demo” (Yoshi’s Island) ~ “Yoshi Story” (Yoshi’s Story) ~ “Powerful Infant” ~ “Flower Garden” ~ “Castle & Fortress” ~ “Big Boss BGM” (Yoshi’s Island) ~ “Yoshi Story” (Yoshi’s Story)

Nintendo Game Music Live: os incríveis shows com uma talentosa banda nintendista

Por Alexei Barros

O evento Nintendo World 2011 aconteceu nos dias 8, 9 e 10 de janeiro e só falo dele agora. Por que a demora? Porque custei a acreditar que, por um milagre da natureza, acontecessem apresentações de game music da Nintendo e, mais inacreditável, que fossem gravada oficialmente por diversas câmeras para futuras apreciações no site sabe se lá até quando. A desculpa é esfarrapadíssima, eu sei. Enfim o post.

Enquanto Sega, Taito, Capcom, Konami e outras produtoras foram representadas na saudosa série Game Music Festival com bandas que marcaram época, a Nintendo jamais possuiu um grupo similar. A trinca de álbuns Nintendo Sound Selection e Touch! Generations Sound Track trazem a performance de alguns compositores da casa em versões arranjadas, mas, até onde é de meu conhecimento, nunca saiu do estúdio.

Para surpresa total, uma banda no Nintendo Game Music Live tocou nos três dias. Afora as participações especiais dos compositores, todos os instrumentistas são convidados. Músicos profissionais que participaram de diversas gravações de trilhas de jogos e animes como o VGMdb me deixou saber.  Nesse sentido, me vem à mente instantaneamente a Shinsekai Gakkyoku Zatsugidan Special Band que se apresentou no Game Music Festival ’94 e teve uma seleção de faixas registrada no Neo•Geo Super Live! 1994. Sem compositores da SNK, todos convidados.

Os escolhidos para a banda não são tão conhecidos, mas a performance mostra uma intimidade com os instrumentos que, imagino, talvez os músicos da Nintendo não teriam.

São estes:

Teclado: Yasutaka Mizushima
Guitarra: Kazuya Takayama
Bateria: Atsuo Okubo
Baixo: Tooru Hebiishi
Sax & Flauta: Yoshinari Takegami
Trombone: Eijiro Nakagawa

O que mais me agradou foi a levada jazz fusion que permeia todos os arranjos preparados especialmente para o show pelo Yasutaka Mizushima, o tecladista, trazendo boas memórias de álbuns antigos da discografia da Nintendo, como o esplendoroso F-Zero ou o emblemático Super Mario World. A maioria deverá sentir falta de guitarronas pesadas e batidas aceleradas. Por isso, vale o aviso: nada de chifrinhos metaleiros aqui.

Foram quatro apresentações apresentadas pela Yumi Takanashi nos três dias, variando na ordem das músicas e participações especiais. Mahito Yokota, o principal compositor de Super Mario Galaxy e Super Mario Galaxy 2 fez o segundo teclado no medley de Zelda no dia 8 de janeiro; Kazumi Totaka, dublador do Yoshi e autor de trilhas como Wave Race 64 e Wii Sports, tocou vibrafone no medley de Animal Crossing nos dois shows do dia 9; e, finalmente, Koji Kondo, você sabe muito bem quem, acompanhou a banda no teclado durante o medley do Mario e ainda apresentou, como número exclusivo do dia 10, um solo de piano com seleções da série (diferentes do medley do VGL 2009 em Tóquio).

Dá gosto de ver Donkey Kong voltar à ativa de outros tempos, graças ao Donkey Kong Country Returns. Ainda mais com a música “DK Island Swing”, herança da Rare e do David Wise, com forte participação do trombone e intervenções de guitarra e sax. Mario teve uma seleção bem básica, presa aos hits do jogo original. Pelo menos foram apresentados de uma forma diferente da que estamos acostumados. Claro que a “Overworld” é tocada com ênfase de música latina, mas a “Underworld” ganhou um novo sentido por conta dos solos alternados de sax à la Shinsekai e trombone. O saxofone mais uma vez brilha na “Overworld” do Zelda, o que mostra como a composição é incrivelmente versátil: nunca havia escutado uma rendição convincente do tema nesse estilo. “Gerudo Valley” ficou meio Rainha da Sucata no início, porém logo vêm solos de guitarra e trombone alucinantes. Mas o meu preferido de todos é o Animal Crossing, talvez pela surpresa (não conhecia nenhuma das faixas), talvez porque as composições do Totaka já pendem para o fusion. Depois da “Title” (Animal Crossing: Wild World) ser magnificamente entoada pelo sax, a banda emenda três músicas do cachorro cantor K.K. Slider (personagem baseado no Totaka): “K.K. Funk” com geniais metais jazzísticos, “K.K. Bossa”, com a flauta de Yoshinari Takegami fazendo a vez do assobio da original, e a “K.K. Samba”, com o trombone como estrela principal.

No mais, que esses shows não sejam acontecimentos isolados e venham muitos outros nos próximos anos.

Depois do Hadouken, os set lists detalhados de cada dia, com os tempos em que as músicas são tocadas. Clicando no fake player você será redirecionado para o player do site da Nintendo.

Continue lendo ‘Nintendo Game Music Live: os incríveis shows com uma talentosa banda nintendista’

“Mario Piano Solo” – Koji Kondo (VGL 2009 em Tóquio)

Por Alexei Barros

Ainda estou preparando um post sobre a visita do Video Games Live no Japão, mas achei mais apropriado publicar esse vídeo separadamente dada a singularidade. Assim como no show do VGL 2007 na E3, o mago, o mestre, enfim, o mestre dos magos Koji Kondo esteve ao piano para tocar seis músicas do Mario.

A bem da verdade, a execução nem é tão exemplar assim. Que me perdoe o Kondo, ele errou alguns acordes (na parte do Mario 3 principalmente), mas ter o compositor na performance é algo único. Além disso, me agradou muito a seleção – todas essas do vídeo foram escritas pelo próprio. Não sei se você sabia, há muitas outras músicas sensacionais do Mario em toda a série, não apenas no primeiro. Tem até Super Mario Galaxy. Ainda mais incrível, Yoshi’s Island.

No início do vídeo a incidência de luz é tão forte sobre Kondo que ele fica pálido como um fantasma Boo, mas o problema é resolvido quando a câmera focaliza o telão, tornando possível a visualização do teclado do piano.

“Mario Piano Solo”

“Main Theme” (New Super Mario Bros.) ~ “Rosetta’s Observatory 1” (Super Mario Galaxy) ~ “Athletic” (Yoshi’s Island) ~ “Athletic” (Super Mario Bros. 3) ~ “Underworld” (Super Mario Bros.) ~ “Overworld” (Super Mario Bros.)

“Athletic” – Yoshi’s Island (Muta e TOMMY/RYO)

Por Alexei Barros

O incrível saxofonista Muta voltou para mais uma performance pró-amadora. Agora aparecendo – ao menos do pescoço para baixo –, ele é acompanhado pelo TOMMY/RIO, que tocou o violão duas vezes na versão da simpática “Athletic” (tema de desenho animado dos anos 1940 ou música para cinema mudo?), com a liberdade de encaixar alguns solos ocasionais. Se a faixa do Koji Kondo parecia ser bem difícil de ser executada no piano, no violão e sax ficou perfeita, passando a impressão de que foi composta para ser tocada com esses instrumentos.

“Athletic” – Yoshi’s Island (Yuki Matsuri)

Por Alexei Barros

Há poucas semanas o comentarista Geraldo Figueras me confiscou ser fã da trilha do Yoshi’s Island do SNES – ainda estou em dívida com o Yoshi’s Island DS, iniciado, mas ainda não finalizado. Foi só relembrar as músicas para despertar novamente a minha admiração. Como qualquer trabalho do Koji Kondo o nível de qualidade é supremo. É de elogiar a regularidade dele através dos anos, seja em Mario ou Zelda.

Pois bem, prometi para o promotor Geraldo que separaria uma performance no piano, porém não lembrava onde havia assistido. Busquei por outras, e todas horrendas, porque aparentemente são bem complicadas de tocar. Até que finalmente encontrei a que tinha visto, do yukimatsuri, o mesmo dessa obra-prima de OutRun. Nos comentários da página do YouTube, o autor confirma a dificuldade da música, especialmente nas passagens da mão direita, e diz que o ideal seria treiná-la por uma semana, não duas a três horas como fez. Também revelou que cometeu erros com a mão esquerda, que, a meu ver, não prejudicaram o resultado final:


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr brawlalliance_banner_copy

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.598 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: