Posts Tagged 'Unlimited Saga'

The Orchestral SaGa -Legend of Music-: à espera de um álbum lendário

The Orchestral SaGa_003

A FILMharmonic Orchestra Prague é conhecida por um longo histórico de performances em concertos e trilhas de games


Por Alexei Barros

Apesar da qualidade e da excelência musical da série SaGa, a franquia tem uma representatividade muito pequena em arranjos orquestrais, seja em concertos ou álbuns. Mais isso vai mudar um pouco com o lançamento do CD duplo The Orchestral SaGa -Legend of Music-, que acontece hoje, dia 23 de março no Japão.

Gravado no Rudolfinum’s Dvořák Hall com a FILMharmonic Orchestra Prague na cidade de Praga na República Tcheca, o primeiro disco contém dez faixas em formatos de medleys. As seleções percorrem músicas de todos os compositores da série, desde o início com Nobuo Uematsu e Kenji Ito, até a era impressionista de Masashi Hamauzu, passando pelas faixas de Ryuji Sasai e Chihiro Fujioka em Jikuu no Hasha: SaGa 3.

A melhor decisão que podiam tomar é deixar os arranjos sob os auspícios de Kousuke Yamashita. Já pude ouvir diferentes trilhas de games, animes, J-dramas e tokusatsus e é impressionante o talento do japonês com músicas orquestrais. Entre tantos arranjos para os concertos de Monster Hunter, ele também arranjou e regeu o Nobunaga no Yabou 30th Anniversary Concert. Curiosamente, é a primeira colaboração de Yamashita com a Square Enix.

Na página oficial do The Orchestral SaGa -Legend of Music-, é possível ouvir diversos samples. Destaco a surpreendente aparição da “Battle Theme I” do Unlimited Saga na faixa 1, a “Decisive Battle! Saruin” do Romancing SaGa na faixa 5 e a “Feldschlacht I” do Saga Frontier II na faixa 9.

O segundo CD, por sua vez, traz apenas quatro faixas e foi gravado no Japão. Pelo que entendi nesta entrevista que Kenji Ito concedeu ao 4Gamer.net, na verdade são arranjos originalmente preparados para o Imperial SaGa, jogo da série para browser, mas acabaram ficando de fora. As releituras desse disco foram feitas pela Natsumi Kameoka e se diferem por terem bateria, baixo elétrico e guitarra. Chamo a atenção para a “Seven Heroes Battle” do Romancing Saga 2 e a “Four Demon Nobles Battle 1” do Romancing SaGa 3 na faixa 4 desse disco.

Claro que nem tudo é perfeito: ainda vou ficar sonhando com a “Searching for the Secret Treasure” do SaGa 2 Hihou Densetsu, a “Battle #1” do SaGa Frontier e a “Battle 1” do Romancing SaGa orquestradas. Já posso imaginar outro álbum nesse formato?

The Orchestral SaGa_005

O compositor Kenji Ito e o arranjador Kousuke Yamashita foram até Praga para supervisionar a gravação das partituras

[via 4Gamer.net e Square Enix]

Anúncios

“Ruby’s Theme” – Unlimited Saga (Soundtrack Cologne – East meets West)


Por Alexei Barros

Apesar do vasto legado musical, a série SaGa costuma ser deixada de lado nos concertos como sua popularidade é mais restrita ao Japão. O problema é que até as apresentações nipônicas oficiais não se esforçam muito para melhorar essa panorama, com exceção de Romancing SaGa no Press Start 2006. Ironicamente, mesmo a série não sendo das mais conhecidas na Europa, são os espetáculos alemães que compensam isso, com SaGa Frontier II no Fifth Symphonic Game Music Concert (2007),  Makai Toushi SaGa e SaGa 2: Hihou Densetsu (ou The Final Fantasy Legend e Final Fantasy Legend II) no Symphonic Odysseys (2011) e essa performance de Unlimited Saga no Soundtrack Cologne – East meets West (2012).

Nunca tive a oportunidade de jogar, mas, a julgar pelas análises, Unlimited Saga não é um RPG dos mais memoráveis. Lamento que o Masashi Hamauzu tenha criado uma trilha magnífica para um jogo tão criticado, o que diminuiria sensivelmente as chances de ouvir as músicas em uma apresentação. Por tudo isso, é um acontecimento incomum a lembrança de Unlimited Saga em um concerto ocidental.

Como o título jamais havia sido tocado, imaginei que, para começar, a escolha natural seria a faixa mais representativa, a “Unlimited Saga: Overture”, que já é originalmente orquestrada no jogo (por sinal, pelo Shiro Hamaguchi, que inclusive estudou com o Hamauzu na Tokyo University of the Arts). Em vez disso, a seleção vai além do senso comum com um tema de personagem, a encantadora “Ruby’s Theme”, que, embora não tenha performance de instrumentos reais na trilha, apresenta timbres convincentes.

De maneira geral, o arranjo do Roger Wanamo preserva a instrumentação e delicadeza da composição, mas com uma orquestração mais rica e refinada, que explora com maestria as cordas. Como a releitura tem o dobro de duração da faixa original, há espaço para as variações e diferentes participações dos instrumentos (como os breves solos de clarinete e flauta), além de um desfecho adequado para a peça executada pela WDR Radio Orchestra Cologne. O concerto foi transmitido via rádio, portanto a qualidade da gravação está plenamente apreciável.

“Ruby’s Theme”
Original: “Ruby’s Theme”

 

Soundtrack Cologne – East meets West: Xenogears e Unlimited Saga no programa


Por Alexei Barros

Provisoriamente conhecido como Symphonic Game Music Concert 2012, o concerto a acontecer na Alemanha dia 16 de novembro deste ano (não confunda com o Final Symphony em maio de 2013) mudou de nome e tem reservado boas novidades para os amantes da música sinfônica gamística.

O espetáculo, agora intitulado Soundtrack Cologne – East meets West, tem o conceito, como o nome diz, de misturar em uma mesma apresentação as escolas japonesa e ocidental de composição. O lado do ocidente já teve dois representantes anunciados: Journey (do americano Austin Wintory) e Turrican II (do alemão Chris Huelsbeck). Mas do oriente o programa é ainda mais promissor, com Xenogears (do japonês Yasunori Mitsuda) e Unlimited Saga (do alemão – de olhos puxados – Masashi Hamauzu).

As duas adições são ousadas para um concerto germânico. Xenogears jamais foi lançado na Europa, nem mesmo no relançamento da PlayStation Network. O RPG filosofal será representado por uma suíte arranjada pelo finlandês Roger Wanamo – por consequência, uma suíte diferente da apresentada no bis do Press Start 2011, em que o jogo foi tocado ao vivo pela primeira vez. Mitsuda foi consultado para sugerir suas composições favoritas para a peça.

Unlimited SaGa foi publicado na Europa para PlayStation 2, mas não é um jogo lá muito famoso. Nunca joguei e não li comentários favoráveis a respeito. Já a trilha sonora… talvez esse seja o único motivo para o jogo ser lembrado hoje. Aliás, o último capítulo original da série SaGa lançado (isso em 2003), como depois só vieram remakes. Eu, se pudesse escolher, ficaria entre a “Battle Theme I” e a “Unlimited Saga Overture” (que compartilham o mesmo motivo inclusive). Mas a faixa escolhida é ótima, remetendo ao trabalho do Hamauzu em Final Fantasy XIII: a “Ruby’s Theme”. Como o Xenogears, o arranjo será do competente Roger Wanamo.

Além desses dois, está listado o segmento “Final Fantasy – Concerto for Piano and Orchestra”, que acredito ser o mesmo apresentado no Symphonic Odysseys. A performance da WDR Radio Orchestra Cologne e WDR Radio Choir Cologne no Funkhaus Wallrafplatz conduzida pelo maestro britânico Wayne Marshall não terá transmissão em vídeo como o Symphonic Fantasies e o Symphonic Odysseys, mas haverá sim transmissão em áudio, o que já considero um imenso privilégio.

[via Facebook]

“Battle Theme I” – Unlimited Saga (The Screamer)

Por Alexei Barros

Se já estava confiante com a trilha de Final Fantasy XIII pelos trabalhos pregressos de Masashi Hamauzu, minha expectativa aumentou ainda mais depois de escutar Sigma Harmonics, o que mostra a ascendência do compositor alemão (pois é, ele nasceu em Munique, apesar dos traços orientais).

Notei que uma particularidade marcante em suas músicas é a ênfase no violino (aproveitando a enxurrada de performances exímias do instrumento), como comprovam “People of the North Pole” (FFX) – favorita-mór de Gustavo Hitzschkyuzu – e o tema do primeiro trailer do FFXIII. Uma das minhas favoritas com essa característica é “Battle Theme I” do RPG Unlimited SaGa do PlayStation 2, que nunca joguei, mas pelo que me consta é o lixo do mundo. À primeira vista, é difícil imaginar um tema de combate, que geralmente é agitado para pontuar a ação, interpretado por um violino (ou não), só que Hamauzu fez uma obra-prima, que, por sua vez, é uma variação da faustosa abertura “Unlimited: Saga Overture”.

Nunca imaginaria que alguém resolvesse tocá-la tendo em vista a preferência por Final Fantasy, Dragon Quest e Ys, quando mais uma vez surge The Screamer em uma execução irretocável, não obstante a qualidade medonha da imagem. Ah, ignore a introdução esdrúxula. O vídeo começa mesmo em 0:30.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: