Posts Tagged 'Tales of Legendia'

“My Tales” – Tales of Legendia (Donna Burke Shine On)

Por Alexei Barros

Há algum tempo, a cantora australiana radicada no Japão Donna Burke vem colecionando diferentes participações em trilhas de games dos mais variadados gêneros e estilos. Mais recentemente, ela ganhou – com muito merecimento –, a honra de cantar o tema do próximo jogo da série Metal Gear, The Phantom Pain. A música “Sins of The Father” foi apresentada, como todo mundo já sabe, no trailer do jogo na conferência da Microsoft da E3 2013, o qual recebeu uma versão estendida pouco depois no canal da Konami no YouTube.

Daí vem a pergunta: se é assim, por que não fazem uma apresentação com as músicas de games que ela já cantou? Sim, fizeram, no dia 13 de abril de 2013 no Japão. Foi uma excelente oportunidade para a execução de canções que vinham sendo negligenciadas nos concertos, e uma dessas é a “My Tales” do Tales of Legendia, que considero uma das trilhas mais fantásticas de todos os tempos pela criatividade, inspiração e empolgação das músicas.

O genial compositor Go Shiina fugiu do padrão engessado do Nobuo Uematsu de fazer uma música J-pop interpretada por uma cantora, introduzindo elementos que os compositores de game music, mesmo os japoneses, ainda não descobriram. A “My Tales” é apenas a ponta do iceberg, com o perdão do clichê, porque traz um inusitado dueto (nesse mesmo jogo, a Burke também solou na belíssima “hotarubi”). Na canção original da “My Tales”, a Donna Burke é acompanhada pelo cantor Gab Desmond, que, na apresentação ao vivo, foi substituído pelo Marc Celluci. Outra diferença é que não há metais (fizeram falta, mesmo que a participação ao longo da música seja pequena); há apenas piano, um conjunto de cordas, back vocals e os essenciais (ainda mais em se tratando do Go Shiina) baixo e bateria.

Sei que algunas podem achar a canção romântica um tanto cafona, mas que se dane. Esse número valeu o show. Espetacular, ainda mais se levarmos em conta que, embora o Tales of Legendia já tenha aparecido no A Night in Fantasia 2007 e Press Start 2009, foram tocadas somente as músicas instrumentais que tiveram a performance no álbum da New Japan Philharmonic.

Agradecimentos ao ex-agente e agora virtual Rafael Fernandes por ter descoberto o show.

Anúncios

“The Prayers Become Power” – Tales of Legendia (A Night in Fantasia 2007: Symphonic Games Edition)

Por Alexei Barros

Foram muitas as vezes em que enalteci a trilha criativa de Tales of Legendia, e foram poucas as ocasiões em que as músicas apareceram em concertos. Somente em duas oportunidades: no iminente Press Start 2009 ~Symphony of Games~, no qual será executado “melfes ~ Shining Blue”, e no A Night in Fantasia 2007: Symphonic Games Edition, em que três faixas já naturalmente orquestradas na Original Soundtrack fizeram parte do set list, sendo uma delas a “The Prayers Become Power”.

A performance abaixo não é do concerto, do dia da apresentação (jamais encontrei vídeos desses segmentos e de tantos outros), e sim do ensaio. Ainda assim, é possível notar como a Eminence Symphony Orchestra já estava mais encorpada em 2007, comparando com as gravações do A Night in Fantasia 2005. Execução plena e fiel da música. Nem acho a melhor da trilha, mas um registro tão raro como esse não podia passar despercebido.

Press Start 2009: a nostalgia em forma de concerto


Por Alexei Barros

Enfim foi revelado em mais detalhes o concerto de games que tenho mais expectativa em 2009. Concerto que não verei e muito provavelmente nem ouvirei. E se escutar deve ser com qualidade inferior. Então por que se empolgar com algo tão distante?

Press Start ~Symphony of Games~ é o pináculo da nostalgia auditiva. Não se restringe somente em reproduzir músicas gravadas em estúdio ao vivo. A maioria dos segmentos é formada por arranjos exclusivos que entrelaçam faixas já orquestradas, como o medley do Super Mario Galaxy em 2008 que envolveu quatro temas, ou que reúnem orquestrações de composições antigas, a exemplo de obras-primas como “Shooting Medley” em 2007, ainda que inegavelmente as transições abruptas venham se tornando uma marca negativa.

O repertório é simplesmente imbatível. E também o mais abrangente de que se tem notícia, com músicas de diversificadas produtoras: Konami (Metal Gear Solid 2, Zone of the Enders: 2nd Runner, Castlevania), Capcom (Ace Attorney, Monster Hunter, Mega Man 2), SEGA (OutRun e Sonic), Namco (Ace Combat Zero), Falcom (Ys), SNK (Samurai Shodown), Sony (LocoRoco, ICO, Shadow of the Colossus), Nintendo (Mario, Zelda, Mother, Fire Emblem, Super Smash Bros. Brawl), Square Enix (Final Fantasy, Chrono, Kingdom Hearts, Romancing SaGa)…

Dito isso, não tenho mais dúvidas de que a série Press Start já superou, pelo menos em variedade, a antológica saga Orchestral Game Concert (1991-1995) pioneira ao reunir jogos de diversas empresas, mas limitado, em sua maioria, a Nintendo (Mario, Zelda, Super Metroid, Donkey Kong Country, Star Fox, Earthbound, Kirby, Stunt Race FX, Sim City), Squaresoft (Final Fantasy, Seiken Densetsu, Chrono Trigger), Enix (Dragon Quest, Paladin’s Quest, Lennus II, EVO: Search for Eden), Koei (Romance of the Tree Kingdoms, Nobunaga’s Ambition, Uncharted Waters) e ASCII (Wizardry). Comparo as duas porque não houve um concerto japonês de várias franquias no interregno entre 1996 e 2005.

Diferentemente do OGC, as apresentações do Press Start não foram publicadas em CD. O motivo mais provável para a inexistência da gravação oficial é o entrave de direitos autorais encabeçado por Square Enix e Nintendo, que não permitem o lançamento de discos com músicas de outras empresas.

O que resta? Os bootlegs. Como já disse, não é apenas ouvir a reprodução de faixas originais com reverberação, mas testemunhar jóias exclusivas que se perderiam no tempo. Exemplo: “Splash Wave” do OutRun orquestrada em 2006. Aliás, o fato de ficar estupefato – ao menos falo por mim – somente ouvindo uma gravação amadora, com toda a limitação de captação de áudio, mostra a genialidade do concerto. Se em 2006 e 2007 (e das duas apresentações, realizadas em Osaka e Yokohama) pudemos conhecer os arranjos por clemência de uma alma caridosa, em 2008 não tivemos a mesma sorte, pelo menos até agora, uma vez que os ingressos acabaram em questão de horas, impossibilitando a presença do bootlegger dos anos passados. Parte da frustração foi minorada pela versão chinesa, que mostrou não só set list diferente, como esteve longe de repetir a primazia nipônica.

Após o extenso introito, vamos finalmente para as informações da quarta edição da série produzida por Nobuo Uematsu, Shogo Sakai, Kazushige Nojima, Masahiro Sakurai e Taizo Takemoto. O Press Start 2009 ~Symphony of Games~ acontecerá no dia 2 de agosto, um domingo, com performance da Tokyo City Philharmonic Orchestra, a mesma do Press Start 2006, no Tokyo Metropolitan Art Space, local onde ocorreu recentemente o Monster Hunter Orchestral – 5th Anniversary Concert. Para evitar que o esgotamento instantâneo de ingressos se repita, serão realizadas duas apresentações nesse mesmo dia, a primeira às 14 horas locais e a outra às 18:30. Há entradas de 5.500 ienes (em torno de 118 reais) e 7.500 ienes (161 reais).

Em vez de revelar segmento por segmento tal qual em 2008, modelo que em muito me agradou, em 2009 já foi anunciada meia-dúzia, permanecendo a dúvida de como serão apregoados os restantes: um por um ou em grupos de seis. Em alguns casos, até mesmo as faixas foram detalhadas. Três estão relacionados com a Nintendo, então suponho que nada mais da produtora deve aparecer, ou seja, não será esse ano que haverá Metroid ou Donkey Kong. Eis as seleções após o Hadouken:

Agradecimentos ao Fabão pela descoberta transmitida pessoalmente e pelos detalhes na tradução.

Continue lendo ‘Press Start 2009: a nostalgia em forma de concerto’


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: