Posts Tagged 'Super Smash Bros. Brawl'

Fire Emblem 25th Anniversary: a série tática da Nintendo em um concerto emblemático

fe25th_01

A cantora Renka, que dubla a personagem Azura, durante a performance de “if ~Hitori Omou~” (Fire Emblem Fates)

Por Alexei Barros

Neste ano marcado por muitas comemorações musicais no Japão, faltou eu falar do Fire Emblem 25th Anniversary, concerto que comemorou os 25 anos da série de RPG tático da Nintendo. Estranhamente, o espetáculo não foi reportado nos grandes sites japoneses, o que dificultou a garimpagem pela busca de informações.

No total, foram três apresentações: uma no dia 24 de julho e duas no dia 25 do mesmo mês, todas com a Tokyo Philharmonic Orchestra sob a batuta de Ikuro Fujiwara no Tokyo Dome City Hall. Masahiro Sakurai, criador de Kirby e Super Smash Bros., foi o anfitrião do evento que contou com a presença de diversos seiyuus (dubladores japoneses), dependendo da ocasião. Chegou a ser feita até uma performance ao vivo de um minidrama da série (uma espécie de radionovela). Eu estava na expectativa que a Yuka Tsujiyoko, compositora principal de Fire Emblem, tivesse comparecido, mas não foi dessa vez que ela deu as caras.

De acordo com o Fire Emblem Wiki, todos os jogos da série foram representados no programa, exceção feita a Fire Emblem: Thracia 776, um dos últimos jogos do Super Famicom (o título foi lançado em 1999). O site diz que o set list consiste de cinco suítes extensas à la Symphonic Fantasies, mas eu não estou certo disso, já que alguns dos números são medleys, e não faz muito sentido ter medleys dentro de suítes…

Ainda que não conste no site oficial, a canção “if ~Hitori Omou~” do Fire Emblem Fates para Nintendo 3DS foi apresentada, com a performance vocal da cantora Renka. Outra música ausente no site é o número do bis “Fire Emblem Theme (Opera Version)”, arranjo do tema principal originalmente feito para um comercial de TV e recriado para o Super Smash Bros. Brawl. Uma releitura dessa versão havia sido tocada no Press Start 2007.

Para completar, há uma bagunça de nomes das faixas e dos jogos. Fire Emblem do GBA, o primeiro jogo da série lançado no Ocidente, era o sétimo considerando todos que saíram no Japão. Embora os seis anteriores (dois do Famicom, três do Super Famicom e ainda um do GBA), não tenham aterrissado neste lado do mundo, a Nintendo criou os títulos oficiais em inglês de alguns desses jogos por conta da extensa participação dos personagens em Super Smash Bros. Esses nomes, por sua vez, se confundem com a tradução literal dos títulos em japonês. Para citar um exemplo: o supracitado Fire Emblem de 2003 é conhecido no Japão por Fire Emblem Rekka no Ken, que literalmente em inglês seria Fire Emblem: The Sword of Flame. Porém, o site do concerto se refere a esse jogo como  Fire Emblem: Blazing Sword. Para evitar a confusão, eu também coloquei links de referência para os jogos no programa.

Segundo o relato do site Serenes Forest, o concerto foi oficialmente gravado, mas por ora não há nenhuma informação a respeito do álbum em CD ou, sonhando muito, o DVD. A foto que abre o post é a única que eu encontrei do espetáculo. Em compensação, há diversas fotos da memorabilia disponível no evento aqui, aqui, aqui e aqui.

[ATUALIZAÇÃO 1] Foi só eu falar do concerto que anunciaram o DVD da apresentação! O lançamento foi agendado para 26 de fevereiro de 2016.

[ATUALIZAÇÃO 2] Um vídeo de procedência misteriosa mostra trechos da apresentação. Valeu MajoraMan28 pela descoberta.

Set list

Main Theme
01. “Fire Emblem Main Theme” (Fire Emblem: Ankoku Ryuu to Hikari no Tsurugi)

He Who Succeeds the Light

02. “Strife of Agustria” (Fire Emblem: Seisen no Keifu)
03. “Eldigan the Lionheart” (Fire Emblem: Seisen no Keifu)
04. “The Final Holy War” (Fire Emblem: Seisen no Keifu)
05. “Ending Ballad” (Fire Emblem: Seisen no Keifu)

Hero-King
06. “Shadow Dragon and Blade of Light Story Medley” (Fire Emblem: Ankoku Ryuu to Hikari no Tsurugi)
07. “Gaiden Story Medley” (Fire Emblem Gaiden)
08. “Legend of the Divine Dragon” (Fire Emblem: Monshou no Nazo)
09. “He Who Carves a New History” (Fire Emblem: Monshou no Nazo)

10. “if ~Hitori Omou~” (Fire Emblem Fates)

Manaketes and Sacred Stone
11. “The Binding Blade, Blazing Sword, Sacred Stones Battle Medley” (Fire Emblem: Fuuin no Tsurugi, Fire Emblem Rekka no Ken e Fire Emblem: The Sacred Stones)
12. “Suspicious -The Theme of the Three Dragon Generals-“ (Fire Emblem: Fuuin no Tsurugi)
13. “Winds Across the Plains” (Fire Emblem Rekka no Ken)
14. “Treasured Memories” (Fire Emblem: The Sacred Stones)

Radiance and Awakening
15. “Life Returns” (Fire Emblem: Path of Radiance)
16. “Bonds, Eternal” (Fire Emblem: Radiant Dawn)
17. “…somehow, it feels a bit itchy.” ~ “My name is MARTH.” (Fire Emblem: Awakening)
18. “Id” Medley (Fire Emblem: Awakening)

Bis
19. “Fire Emblem Theme (Opera Version)” (Super Smash  Bros. Brawl)

[via Fire Emblem 25th Anniversary, Fire Emblem Wiki, Barks, nijiiroleina.blog49, Reddit e Serenes Forest]

Anúncios

Press Start 2015: o fim de uma era

press2015Por Alexei Barros

Pelo excesso de reprises, eu esperava uma despedida um tanto melancólica do Press Start. Mesmo assim, estava no aguardo do tradicional report do concerto no site da Famitsu, que produziu a série japonesa de espetáculos orquestrais. E eu fiquei esperando… esperando… esperando… E nada. Nada de fotos da apresentação também.

O jeito foi me basear nas análises dos blogues japoneses, que sempre se preocupam em detalhar o set list o máximo possível. O concerto foi realizado em duas apresentações no dia 8 de agosto (e eu extrapolando todos os limites da demora para fazer post), com performance da Kanagawa Philharmonic Orchestra no Tokyo Metropolitan Art Space. Pelo menos foi feita uma surpresa bacana no final. Set list e minhas considerações a seguir.

Ato I

01. Final Fantasy VIII: “Liberi Fatali”
02. “Classic Medley 2015 Ver.”
03. Super Mario Bros.: “Overworld” ~ “Underwater” ~ “Underworld” ~ “Overworld”
04. The Legend of Zelda: “Main Theme”
05. Shadow of the Colossus: “Revived Power ~ Battle With the Colossus” ~ “Grotesque Figures ~ Battle With the Colossus~”
06. Ace Combat Zero: The Belkan War: “Zero”
07. Legend of Mana: “Legend of Mana ~Title Theme~” ~ “Colored Earth” ~ “Hometown Domina” ~ “Ruined Sparkling City” ~ “Song of Mana ~Opening Theme~”

Ato II

08. Ore no Shikabane o Koete Yuke: “Flower”
09. Rhythm Heaven: “Ninja”
10. El Shaddai: Ascension of the Metatron: “Theme of El Shaddai” ~ “The Faraway Creation ~ Enoch’s Theme” ~ “Tragic Scream”
11. Xenoblade Chronicles: “Xenoblade” ~ “Gaur Plains” ~ “Mechanical Rhythm” ~ “Riki the Legendary Hero” ~ “Sator, Phosphorescent Land / Night” ~ “Those Who Bear Their Name” ~ “Confrontation with the Enemy”
12. Mother: “Pollyanna (I Believe In You)” ~ “Bein’ Friends” ~ “Eight Melodies”
13. Chrono Trigger/Cross: “A Premonition” ~ “Chrono Trigger” ~ “Wind Scene” ~ “Frog’s Theme” ~ “Decisive Battle with Magus” ~ “Epilogue ~ To Beloved Friends” (Chrono Trigger) ~ “Frozen Flame” ~ “Marbule: Home” ~ “Scars of Time” (Chrono Cross)
14. “Goodbye Medley”:
Press Start 2006
– ICO
– PopoloCrois Story
– Ys I & II
Press Start 2007
– Kingdom Hearts
– Space Invaders
– Super Smash Bros. Brawl
– Sakura Wars
Press Start 2008
– Wild Arms 2
– Spelunker
– Final Fantasy IX
Press Start 2009
– Persona 4
– Okami
– Final Fantasy X
– Kirby’s Dream Land
Press Start 2010
– New Super Mario Bros. Wii
– Muramasa: The Demon Blade
– Famicom Disk System Start-up
Press Start 2011
– 428 ~Fuusasareta Shibuya de~
– Pokémon Red & Blue
– NieR
– Xenogears
Press Start 2012
– Kid Icarus: Uprising
– Final Fantasy XI
– Ihatovo Monogatari
Press Start 2014
– Toukiden
– Final Fantasy XIII
– Super Smash Bros. for Wii U e 3DS

“Liberi Fatali” é uma das reprises mais batidas em concertos da série Final Fantasy, mas nunca tinha sido tocada no Press Start. Aliás, a escolha dessa música do FFVIII foi uma surpresa para mim, porque o Press Start não vinha usando corais em suas apresentações. Acredito que foi usado um coro não muito grande.

– Em relação aos convidados, a soprano Oriko Takahashi mais uma vez cantou a “Zero” de Ace Combat Zero. Mesmo sem ter participado da gravação da trilha original, ela foi a intérprete mais recorrente dessa música fabulosa com toques de flamenco no Press Start.

– A “Song of Mana” teve a voz da australiana Louise Bylund, que morou por diversos anos de sua vida na Suécia e atualmente reside no Japão. Essa mistura garantiu que ela fosse a escolhida para a performance dessa maravilhosa canção, que tem versos em sueco.

– A Lioko Kihara foi outra convidada do espetáculo e, diferentemente das outras duas cantoras, ela também tocou piano ao melhor estilo Angela Aki no segmento de Ore no Shikabane o Koete Yuke.

– Como de praxe, o duo ACE formado por Tomori Kudo (guitarra) e CHiCO (vocal) participou da performance de Xenoblade Chronicles, além da cantora Manami Kiyota.

– O segmento de Mother é o mesmo tocado no Press Start 2010, inclusive com os versos do álbum vocal Mother (1989) escritos pela letrista Linda Henrick (provavelmente um pseudônimo). Na ocasião, a performance contou com a voz da cantora Melody Chubak, que na época tinha 13 anos. Agora com 18, a moça voltou as palcos para cantar no mesmo segmento.

– Além do quinteto que produz o concerto (Taizo Takemoto, Kazushige Nojima, Shogo Sakai, Nobuo Uematsu e Masahiro Sakurai), também estiveram presentes os compositores Keiki Kobayashi e Masato Kouda. A Yoko Shimomura deixou uma mensagem em vídeo.

– Não foi feita nenhuma homenagem musical a Satoru Iwata, mas o desfecho do concerto foi bastante especial. Embora muito provavelmente não seja um segmento com transições elaboradas, o medley final resgata seleções icônicas de todas as edições anteriores do Press Start, com exceção de 2013, ano que foi tomado por reprises. Fantástica a ideia!

– Foi uma satisfação ter acompanhado e feito os posts sobre o Press Start durante esses nove anos, mesmo com tão raros registros oficiais das performances. Mal custo a acreditar que o primeiro post que fiz no Hadouken, lá em 2006, era justamente sobre a primeira edição do concerto a qual fiquei extasiado com uma mera gravação da plateia.

Não existiu outra série de apresentações com um repertório tão diversificado, cheio de seleções únicas e surpreendentes. Claro que tamanha variedade me fez querer mais e é uma pena saber que o Press Start acabou sem tocar músicas de jogos que dificilmente veremos nos demais concertos, como Bayonetta, Eternal Sonata, Panzer Dragoon, Valkyria Chronicles, Front Mission, Dark Souls e tantos outros.

Eu torço fortemente para que se não o próprio Press Start, outra série de concertos japonesa apareça algum dia sem demorar muito – houve um hiato de nove anos entre o Orchestral Game Concert 5 de 1995 e o Press Start 2006, considerando apresentações sinfônicas no Japão que abrangem diversas franquias.

Press Start: vou sentir saudades.

Grato ao Fabão pelos links e também pelas diversas informações e traduções nos posts do Press Start.

Foto tirada no Press Start 2008, com alguns dos maiores nomes japoneses de game music (além de outros desenvolvedores): Noriyuki Iwadare, Nobuo Uematsu, Motoi Sakuraba, Yasunori Mitsuda, Mahito Yokota, Kazushige Nojima, Michiko Naruke, Shogo Sakai, Koichi Sugiyama, Masahiro Sakurai e Koji Kondo

[via sarian198919, mugendai, comdoc5964nijiiroleina 1, 2 e 3]

Press Start 2007: o novo Orchestral Game Concert?


Por Alexei Barros

Em 1986, principiava com Dragon Quest Suite os concertos com músicas de jogos no Japão sob a batuta de Koichi Sugiyama. Três anos depois veio Final Fantasy Symphonic Suite, o primeiro de muitos da grife FF. A despeito do pioneirismo dos dois, foi a série Orchestral Game Concert que criou um novo paradigma em apresentações de game music.

Em vez de uma franquia, diversas, incluindo Dragon Quest e Final Fantasy, com ênfase em títulos do Super Nintendo. Pela primeira oportunidade se ouvia o tema do Super Mario Bros. tocado por uma orquestra. Melodias de jogos importantes daquela época também receberam arranjos sinfônicos, tais como The Legend of Zelda, Super Mario World, Yoshi’s Island, Donkey Kong Country, Chrono Trigger, Secret of Mana, Star Fox e Super Metroid. Lá que a ópera “The Dream Oath ‘Maria and Draco” do FFVI foi reproduzida na íntegra, com 23 minutos de duração. No total, cinco apresentações – de 1991 a 1995 –, que inspiraram a criação de outros concertos.

O legado foi herdado por Video Games Live (EUA), PLAY! A Video Game Symphony (EUA), que  organizam espetáculos em vários lugares do mundo, e Symphonic Game Music Concert (Alemanha) e o A Night in Fantasia (Austrália), que realizam uma apresentação por ano. Mas não havia proveniente do Japão de trilhas de empresas diferentes como o Orchestral Game Concert.

Não havia até o ano passado – onze anos depois do último OGC. Eis que surgiu o Press Start ~Symphony of Games~. O repertório estava longe de fazer frente ao OGC em termos de significância, apesar de  ICO, Zone of the Enders 2, Metal Gear Solid 2, OutRun e Zelda.

Pensei que seria uma apresentação única. Estava enganado. Nos dias 17 e 22 de setembro aconteceu em Osaka e Yokohama a edição 2007 do concerto organizado por Nobuo Uematsu, Masahiro Sakurai, Shogo Sakai, Kazushige Nojima e Taizo Takemoto. Os convidados? Yuzo Koshiro e Keiki Kobayashi. E como em 2006, tive a oportunidade de ouvir um bootleg. A qualidade é razoável para ruim, mas o suficiente para ter uma idéia da grandiosidade.

pressstart.jpg

O set list mudou completamente: apenas duas faixas foram reprisadas. Isso sim é renovação. Houve um avanço substancial em relação aos musicistas. No ano passado era apenas a Tokyo City Philharmonic Orchestra e eventuais solistas. Novamente sob a regência de Taizo Takemoto, desta vez formou-se a Press Start Gadget Orchestra, que combina instrumentos de uma orquestra erudita (cordas, metais, madeiras etc.) com a de uma banda (baixo, guitarra, bateria e teclado) – algo que é feito no Brasil pela Orquestra Jazz Sinfônica. Essa combinação permite executar músicas com muito mais impacto e também amplia a gama de melodias que podem ser interpretadas com fidelidade e perfeição. Também estreou um coral.

Minha empolgação foi tanta que preferi comentar cada uma das faixas da apresentação de Yokohama  (e uma exclusiva de Osaka) baseando-se no bootleg.
Continue lendo ‘Press Start 2007: o novo Orchestral Game Concert?’


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: