Posts Tagged 'Suikoden'

“Suikoden II Medley” – Suikoden II (Symphonic Gamers 2)

Por Alexei Barros

A série Suikoden tem trilhas incríveis, mas a representatividade em performances orquestrais, embora existam, são bastante limitadas perto do montante de músicas excelentes – basta ver a quantidade, variedade e qualidade de álbuns com versões arranjadas nos estilos mais diversificados.

Até mesmo pela escassez de músicas executadas, este medley da JAGMO (JApan Game Music Orchestra) do Suikoden II é facilmente o melhor. Até então, só existiam performances da “Into a World of Illusions” (Suikoden) no Press Start 2009 e 2014 e no concerto sueco Score e da “Opening” (Suikoden II) nas apresentações suecas Settings e Score.

A maioria das músicas de Suikoden II são da Miki Higashino. Miki-Chang, como ela gostava de ser creditada, é certamente uma das minhas compositoras favoritas (Gradius do arcade, Knightmare do MSX, Tartarugas Ninja do arcade não é para qualquer um), mas infelizmente ela se aposentou, apesar de volta e meia fazer uma participação especial.

Única das escolhidas já orquestrada na trilha, a magnânima “Opening BGM” que abre o medley perde bastante impacto sem coral (a original ainda conta com um solo vocal étnico), mas tem o seu valor. Inclusive vale destacar que Suikoden II saiu no Japão dois meses antes de Final Fantasy VIII e sua idolatrada “Liberi Fatali”. Porém, a diferença de popularidade entre as duas é gigantesca. O que vem a seguir é a continuação do tema de abertura, que termina com um impressionante dueto de violino.

A “Reminiscence” também tinha uma breve intervenção do vocal étnico, porém nesse arranjo o oboé é que faz esse papel – genial! Em destaque mesmo é o piano em uma bela interpretação da instrumentista com as cordas de fundo.

Imitando a timbragem da música sintetizada, “Those Who Don’t Work Don’t Eat” entra com os fagotes, os contrabaixos e a flauta, além de solos de viola e violoncelo. Aos poucos a orquestra cresce e chega a “One Minute Showdown”. Pelo que informa a legenda no vídeo, essa música toca no evento de batalha de culinária no restaurante do chef de cozinha Hai Yo. Pode ser viagem minha, mas ela apresenta uma pegada meio Dragon Quest. Ela acelera até culminar em uma rápida alusão referente ao segmento “March of the Swiss Soldiers” da obra “William Tell Overture” de Gioachino Rossini.

Depois de uma breve pausa, aparece a “The Even More Glorious, Beautiful Golden Capital” (música assinada pelo Tappy Iwase, aliás) com bastante percussão e até palmas em um clima meio celta. A bateria faz a passagem para a “Confrontation with Monsters Again” com a potência dos metais.

Mas o ápice do medley é a “Gothic Neclord” em toda a sua imponência e majestade. A “Gothic Neclord” no arranjo da banda Yajuh-Ohkoku do álbum Genso Suikoden Music Collection Produced by Hiroyuki Namba é uma das minhas favoritas de todos os tempos com uma pegada diferente pela presença da guitarra em combinação com o violino. Mas eu achei essa versão melhor do que a “Gothic Neclord” do álbum Genso Suikoden Music Collection Produced by Kentaro Haneda que é orquestrada. Com as cordas mais afiadas do que nunca e a batida da bateria (muito presente e, ainda assim, sem acobertar os demais instrumentos), a JAGMO conseguiu aproveitar ao máximo a excelência da composição. A legenda nem avisa, mas o oboé e a flauta resgatam a “Into a World of Illusions” para fechar esse medley de maneira fabulosa.

Algo que eu não entendi é que a JAGMO está vendendo no site Chakushin Uta em versão digital o segmento chamado “Genso Suikoden II Medley ~Tabibitotachi no Tsuisou Suite ver.~”, mas com uma seleção de faixas um pouco diferente desta apresentação. Também existe um medley similar do primeiro Suikoden intitulado “Genso Suikoden Medley ~Tabibitotachi no Tsuisou Suite ver.~”. Todos esses medleys são de autoria de Kunio Matsuzaki, que faz parte da equipe interna da JAGMO e nasceu em 1992 – mais um jovem talento do mundo dos arranjos para orquestra.

Honestamente, se várias dessas músicas fossem de uma série mais popular como Final Fantasy, elas teriam um reconhecimento maior. De toda forma, a Konami ultimamente não tem ajudado muito em valorizar as suas franquias.

– “Suikoden II Medley”
“Opening BGM” ~ “Reminiscence” ~ “Those Who Don’t Work Don’t Eat” ~ “One Minute Showdown” ~ “March of the Swiss Soldiers” ~ “Confrontation with Monsters Again”“The Even More Glorious, Beautiful Golden Capital” ~ “Gothic Neclord” ~ “Into a World of Illusions”

Agradecido ao Fabão por ter me informado sobre esse medley e também pela tradução da legenda.

Anúncios

Press Start 2014: a celebração musical de Super Smash Bros. for Nintendo 3DS

Como na época do Super Smash Bros. Brawl, o Press Start foi no embalo de um lançamento da série. Neste ano, o primeiro ato inteiro e o bis tiveram relação com o novo jogo para o 3DS


Por Alexei Barros

Se você estava contando os dias para o lançamento de Super Smash Bros. for Nintendo 3DS eventualmente soube que o jogo saiu 13 de setembro no Japão. Aproveitando a ocasião, o Press Start 2014 aconteceu nesse dia, com duas apresentações no Tokyo Metropolitan Art Space e performance da Kanagawa Philharmonic Orchestra com programa idêntico em ambas as ocasiões. O primeiro ato foi todo dedicado às músicas relacionadas com o jogo portátil, ao passo que o segundo foi mais variado. Seguindo a tradição, confira o set list detalhado para depois saber minhas observações sobre o concerto baseado nas informações que consegui filtrar do report da Famitsu.

Ato I

01. Super Smash Bros. for Nintendo 3DS: “Main Theme”
02. Super Mario Bros.: Medley
03. Super Metroid: “Space Warrior – Samus Aran’s Theme”
04. Star Fox: “Planet Corneria”
05. Donkey Kong Country: “Jungle Level”
06. Animal Crossing: New Leaf: Kotobuki Land Medley
07. Kirby’s Dream Land: “Green Greens”
08. Kid Icarus Uprising: “Dark Pit’s Theme”
09. The Legend of Zelda: Ocarina of Time: “Gerudo Valley”
10. Mega Man 2: Medley
11. Fire Emblem: Shadow Dragon: “Fire Emblem”
12. Pokémon X & Y: Battle! (Trainer Battle)

Ato II

13. Persona 4: “Poem for the Souls of Everybody” ~ “Reach Out To The Truth” ~ “A Corner of Memory”
14. Castlevania: Symphony of the Night: “Dracula’s Castle” ~ “Wood Carving Partita” ~ “Lost Painting” ~ “Dance of Pales” ~ “Death’s Ballad”
15. Etrian Odyssey: “Labyrinth I – Emerald Woodlands [Dungeon 1F~5F]” ~ “Battle – Initial Strike [Normal Battle – First Part]” ~ “Battle – Destruction Begets Decay [Normal Battle – Last Part]” ~ “Labyrinth V – The Fallen Capital of Shinjuku [Dungeon 21F~25F]”
16. Suikoden: “Into a World of Illusions”
17. Toukiden: “The Time of Oni” ~ “Ephemeral” ~ “March of Heroes” (Toukiden: The Age of Demons) ~ “ウタカタ・秋艶” ~ “千年ヲ駆ケシモノ” (Toukiden Kiwami)
18. Pokémon X & Y: “Title Screen” ~ “Kalos Region Theme” ~ “Lumiose City” ~ “Snowbelle City” ~ “The Sun Shines Down”
19. Final Fantasy XIII: “Vanille’s Theme” ~ “Blinded By Light” ~ “Final Fantasy XIII – The Promise”

Bis

20. The Legend of Zelda: Ocarina of Time: “Zelda’s Lullaby” ~ “Song of Storms” ~ Epona’s Song ~ “Song of Time” ~ “Saria’s Song”
21. EarthBound: “Onett”
22. Super Smash Bros. for Nintendo 3DS: “Staff Roll (Super Smash Bros.) Ver. 2”

Continue lendo ‘Press Start 2014: a celebração musical de Super Smash Bros. for Nintendo 3DS’

Press Start 2014: Castlevania: Symphony of the Night e Suikoden

Por Alexei Barros

Dando continuidade às atualizações do set list do Press Start 2014, há mais duas novidades, ambas da Konami, ambas de clássicos da era PlayStation. Antes de conferi-las, vale destacar que o site acrescentou uma informação valiosa no número de Smash Bros., a qual eu comentei no post anterior (se não quiser se dar ao trabalho de ver, só para dizer que aparentemente o medley vai se enfocar nas séries cujos personagens vão entrar em combate no jogo, não nas músicas originais).

– Castlevania: Symphony of the Night: “Wood Carving Partita” ~ “Dance of Pales” ~ “Death’s Ballad” ~ “Lost Painting” ~ “Dracula’s Castle”

ps2014_draculaOpa! Parece uma escolha batida, mas não considero. O Press Start 2007 já havia apresentado o supremo “Castlevania Medley”, o que melhor sintetizou o espírito musical da série em sua fase clássica. Esse número conseguiu isso sem incluir nenhuma música do SOTN, portanto natural que o jogo mais famoso da série Castlevania recebesse uma homenagem exclusiva.

A miscelânea vai incluir quatro faixas da obra-prima auditiva da Michiru Yamane, incluindo a obrigatória “Wood Carving Partita”, que foi executada pela primeira vez no concerto alemão Fourth Symphonic Game Music Concert (2006) com a compositora ao címbalo. Isso se repetiu no concerto sueco Castlevania The Concert, que, dessas quatro, também tocou (sem a participação da Yamane) a “Dance of Pales” e a “Lost Painting” – se não me equivoco, a “Death’s Ballad” seria a única inédita das escolhidas. Como já esperava, a “Dracula’s Castle”, uma das minhas favoritas, foi ignorada. Pelo menos o Castlevania The Concert não cometeu o mesmo erro.

[ATUALIZAÇÃO] Retiro o que disse sobre a “Dracula’s Castle”. Em uma surpreendente atualização do dia 28 de agosto, o site informou que essa música obrigatória também será incorporada ao medley. Fantástico!

– Suikoden: “Into a World of Illusions”

ps2014_gensouAtualização bem menos empolgante, essa música do RPG do PlayStation já tinha sido tocada no Press Start 2009 e, além disso, também apareceu no álbum Press Start The 5th Anniversary, acabando com toda curiosidade que haveria com o arranjo, por sinal, o mesmo do CD Genso Suikoden Music Collection Produced by Kentaro Haneda. Com tamanha riqueza musical da série, é de se lamentar essa reprise, quando podiam seguir para o Suikoden II, por exemplo.

[via PRESS START]

Press Start The 5th Anniversary: desfalcado, reverberado e abrupto


Por Alexei Barros

Arranjos exclusivos, fartura de jogos nipônicos, seleções obscuras… são alguns motivos para mostrar tanta admiração pela série de concertos Press Start, que conta com apresentações desde 2006 no Japão. A cada ano lamentava pela inexistência de CDs e DVDs, o que significava que as performances se perderiam no tempo e no espaço, exceto pelas gravações da plateia que surgiram em 2006 e 2007, sendo que de 2008 em diante não passou do terreno da imaginação.

Então o impossível aconteceu: em agosto foi anunciada a compilação comemorativa de aniversário Press Start The 5th Anniversary, à venda em 11 de setembro, dia da realização do Press Start 2010. Apesar de celebrar o quinto aniversário, o álbum mescla seleções de somente duas apresentações: do Press Start 2008, com a Kanagawa Philharmonic Orchestra no Bunkamura Orchard Hall, e do Press Start 2009, com a Tokyo City Philharmonic Orchestra no Tokyo Metropolitan Art Space. Sempre que um produto muito aguardado finalmente é lançado, vem a inevitável pergunta: a espera valeu a pena? Respondo de cara: não. O que leva a outro questionamento: “você ficava elogiando toda hora e agora vem dizer que não é tão bom assim?”. Calma.

À primeira vista chateia a pouca quantidade de faixas para uma coletânea: nove, em um total de 50 minutos – para efeitos de comparação, o Video Games Live: Level 2 e o Play! A Video Game Symphony Live estão entupidos até a boca, com 74 minutos. Ou seja, sobraram 24 minutos de CD. Se fossem segmentos de seis minutos, caberiam mais quatro faixas. Imagino a substância que trariam Out Run, Castlevania, Mega Man 2 e Wild Arms. Isso até daria para relevar.

O principal problema do álbum é a equalização equivocada, que conta com muita reverberação (valeu, 00Agent!), prejudicando a nitidez dos instrumentos, a ponto de parecer que a orquestra está muito mais longe do que verdadeiramente está. Fora isso, não existe a profundidade sonora que torna as performances orquestradas tão especiais. Ainda que gravado ao vivo, é inaceitável para um CD como ambas as apresentações aconteceram em salas de concerto, onde a arquitetura privilegia a acústica. Seria covardia comparar com o Symphonic Fantasies, um exemplo de perfeição entre os concertos de games. Para pegar um caso mais próximo, japonês, cotejo com o Monster Hunter 5th Anniversary Orchestra Concert ~Hunting Music Festival~, que, inclusive, aconteceu no Tokyo Metropolitan Art Space, o mesmo local do Press Start 2009, e viceja uma qualidade invejável de produção. Mais desanimador é que a reverberação exagerada persiste no Super Mario Bros. 25th Anniversary Special Sound Track Press Start Edition, que ainda farei um post específico.

Segundo, os arranjos não são tão bons quanto deveriam. As transições que reclamo tanto são irregulares em vários números do álbum. Não que sejam ruins, é que o Kazuhiko Toyama e o Nobuyuki Nakamura definitivamente não estão entre os melhores arranjadores do mundo. Falta polimento em muitas passagens e percepção de como encadear as músicas em um medley. Às vezes parece que as faixas e a sequência são pré-definidas por alguém e eles têm que se virar com isso, no momento em que mudanças e cortes poderiam ser feitos para o bem dos arranjos.

Mesmo assim, a track list foge do padrão do que se costuma ouvir nos concertos ocidentais. Importante ressaltar que o disco não representa a totalidade da experiência, como não há nada da Square Enix e da Nintendo. Depois do Hadouken minhas pútridas impressões do álbum que, mesmo com os já mencionados contratempos, tem os seus momentos.

Continue lendo ‘Press Start The 5th Anniversary: desfalcado, reverberado e abrupto’

“Into a World of Illusions” – Suikoden (Score)

Por Alexei Barros

Apesar da vasta discografia e da excelência musical, a série Suikoden foi pouco homenageada nos concertos. Bem verdade que isso vem mudando, visto que o CD Press Start The 5th Anniversary registra uma performance do Press Start 2009 da “Into a World of Illusions” arranjada por Kousuke Yamashita, por sinal, um exímio compositor não só de games, como de animes e J-dramas.

Se no Japão há esse exemplo único, no ocidente, curiosamente, a situação melhora graças à ousadia dos espetáculos suecos produzidos por Orvar Säfström, a exemplo da “Opening” do Suikoden II executada no Settings – Orchestral Game Music. No recém-realizado Score, por sua vez, alguém teve a misericórdia de registrar a reprodução do tema de abertura do Suikoden original.

O solo de violino logo de início me lembrou a versão do Yamashita da “Into a World of Illusions” no álbum Genso Suikoden Produced by Kentaro Haneda (provavelmente similar à do Press Start 2009), mas notam-se algumas tênues diferenças: aquele solo de piano com uma toada jazzística inexiste nesta performance, sendo que todos os holofotes ficam voltados para a atuação exímia do spalla da Gothenburg Symphony Orchestra.

Essa gravação foi feita por um espectador diferente  dos outros dois vídeos que publiquei anteriormente. A câmera está mais próxima do palco, mas a fileira da frente não ajudou muito na captação das imagens. Em compensação, o áudio pode ser apreciado em todo o seu esplendor.

Press Start 2009: Suikoden

Por Alexei Barros

As atualizações do Press Start 2009 ~Symphony of Games~ aconteciam toda sexta-feira. Mas não há um padrão definido. E então… A mais recente adição reforça como a série de concertos pinça as músicas de outros RPGs além dos mais famosos Final Fantasy, Chrono e Kingdom Hearts. Foi assim com PoPoLoCrois Story, Mother, Ys, Romancing SaGa, Wild Arms e Baten Kaitos, e será com Persona 4 e Tales of Legendia. Mais um para a lista:

– Suikoden: “Into a World of Illusions”

SuikodenComo Tales, Masahiro Sakurai queria incluir Suikoden no ano passado, mas não foi possível. Não à toa ocorreu tal obsessão. A franquia da Konami possui discografia vasta e variada, com arranjos em toda a sorte de estilos. Curiosamente, ainda que inédita em apresentações nipônicas de grandes proporções, a série aflorou em dois concertos suecos obscuros: Joystick 2.0 (2007) e Settings – Orchestral Game Music (2009), o qual postei o vídeo da imponente “Opening” do Suikoden II.

Pelo que informa o site, a faixa que será tocada é o tema de abertura “Into a World of Illusions” do Suikoden. Para começar não há outra melhor. Em seu primeiro post, Nobuo Uematsu escreveu o texto no domingo em um hotel em Cingapura, e aproveitou o calor para tomar cerveja. Relembrou o momento em que jogou Suikoden, e ficou espantado com o que ouvia, indagando o que era aquela música e quem a havia criada. A genial Miki Higashino, que também fez as trilhas de Gradius e Salamander. Falou que ela é criativa e original, e passeia por diversos estilos, entre os quais usou pop e até folk em Suikoden. Lamentou o fato de Higashino ter abandonado o posto de compositora para ser mãe, mas comentou que muitos fãs aguardam ansiosamente pelo seu retorno.

[via PRESS START]

Set list até o momento:

01 – Super Mario Bros.
02 – Persona 4
03 – Tales of Legendia
04 – Rhythm Heaven
05 – Ore no Shikabane o Koete Yuke
06 – NES Medley
07 – Ace Combat Zero: The Belkan War
08 – Fantasy Zone
09 – Otogirisou e Kamaitachi no Yoru


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: