Posts Tagged 'Streets of Rage'

Concerto com músicas de Yuzo Koshiro será transmitido ao vivo neste sábado, 1º de dezembro

Por Alexei Barros

Neste dia 1º de dezembro, a apresentação NJBP Concert #1 “Koshiro Matsuri (Ancient Festival)” vai acontecer às 14h no Japão (3h da manhã no horário do Brasília) com um atrativo bombástico: o concerto terá transmissão online pelo YouTube! Como o nome diz, o espetáculo é dedicado às composições de Yuzo Koshiro, mais especificamente as músicas de The Scheme, Streets of Rage, Streets of Rage 2, Etrian Odyssey e ActRaiser.

Aconteceu tudo tão rápido que é até difícil de acreditar, considerando a dificuldade e a demora para ouvir arranjos orquestrais de tantas obras-primas de um dos maiores gênios da game music. Embora Streets of Rage seja o jogo que desperte a minha maior expectativa, eu também estou muito curioso para ouvir a “Symphonic Suite: ActRaiser 2018”. De acordo com Koshiro no site oficial do espetáculo, pela primeira vez todas as músicas do jogo serão executadas. Fico na dúvida se ele se refere às faixas perdidas ou ao fato de muitas músicas nunca terem sido tocadas ao vivo.

Obviamente, Yuzo Koshiro estará presente, e a Ancient, estúdio do compositor, está na supervisão do concerto, que terá a New Japan BGM Philharmonic Orchestra sob a regência de Yusuke Ichihara. Neste vídeo do ensaio é possível sentir um gostinho de ActRaiser e Etrian Odyssey.

O link da transmissão pode ser conferido aqui:

[via Twitter e NJBP]

Anúncios

Novo álbum Streets of Rage Perfect Soundtrack traz três músicas inéditas

Por Alexei Barros

Quando parecia que a coletânea Bare Knuckle Original Soundtrack da Wave Master seria o lançamento definitivo da série, eis que surge o álbum Streets of Rage Perfect Soundtrack publicado pela Wayô Records no dia 15 de dezembro. O CD traz, além da trilha sonora do primeiro Streets of Rage, três músicas inéditas que não foram aproveitadas na ocasião.

De acordo com o depoimento do Yuzo Koshiro no encarte, as composições eram muito similares às fontes de inspiração e nem chegaram a ser finalizadas. Ele também sugere que os fãs tentem imaginar quais fontes de inspiração eram essas.

Eu aprecio esse tipo de material que parece ter sido guardado em uma cápsula do tempo, porque foi algo feito naquele contexto e que não veio a público, não uma composição nova e influenciada que tenta replicar as características da época – seja do próprio compositor ou de um discípulo. O Yuzo Koshiro particularmente é pródigo em fornecer esse conteúdo, haja vista o álbum Misty Blue (1991) que traz faixas não aproveitadas de ActRaiser.

Por algum motivo desconhecido, o canal Spiele Soundtracks já havia publicado a trinca de músicas inéditas antes mesmo do lançamento do álbum. É o caso de aproveitar. Vai que sai do ar…

“Rave Dance in the City”

“Skyscraper Night”

“Quiet Insanity”

“Streets of Rage Medley” – Streets of Rage e Streets of Rage 2 (NJBP Live! #4 “The Sun of Ancient”)

Por Alexei Barros

“Streets of Rage orquestrado” estava na minha wishlist há tantos anos que nunca imaginei que esse dia chegaria. Afinal de contas, as músicas de Yuzo Koshiro em estilo techno e house não pareciam combinar com instrumentos sinfônicos. Além disso, os japoneses, que sempre estão na vanguarda, não pareciam nutrir o mesmo apreço pelas músicas da série do que os ocidentais.

Mesmo querendo que as faixas fossem orquestradas, eu imaginei que poucos conseguiriam fazer a adaptação com sucesso. O resultado poderia ficar totalmente irreconhecível ou então meia-boca. Pensei até que poderiam enfiar uma guitarra para facilitar as coisas… Mas então entra em cena os japoneses pró-amadores, que não se cansam de surpreender. No caso, a New Japan BGM Philharmonic Orchestra.

Sem nenhum auxílio de instrumentos elétricos, apenas com cordas, algumas madeiras e metais, duas músicas e mais uma vinheta da série Streets of Rage são adaptadas de maneira magistral. O detalhe é que não são faixas fáceis de imaginar orquestradas, como o tema introspectivo “The Streets of Rage”. São duas músicas que tocam no meio da pancadaria.

Com a multiplicidade de instrumentos, a orquestra consegue reproduzir todas as camadas de sons das composições em um resultado simplesmente fabuloso. Além do arranjo, também é impressionante observar a performance incansável dos violinos, violas e violoncelos, com reminiscências dignas de Michael Nyman e Symphonic suite from ActRaiser.

Assisti ao vídeo boquiaberto do começo ao fim. Uma das performances mais incríveis que já vi.

– “Streets of Rage Medley”
“Fighting in the Street” (Streets of Rage) ~ “Dreamer” (Streets of Rage 2) ~ “Round Clear” (Streets of Rage)

Eternamente agradecido à Jejé Pinheiro pela incrível descoberta.

“Keep the groovin’ (Round 4)” – Streets of Rage (Happy Fun Time Game Band)

Por Alexei Barros

Encontrar performances decentes de Streets of Rage pode ser uma tarefa extremamente difícil – mais difícil até do que a Sega lançar um novo jogo da série. Por algum motivo que estou para descobrir, a trilogia de pancadaria urbana da Sega não está entre os preferidos dos japoneses nos arranjos amadores, diminuindo a chance de vir à tona uma versão verdadeiramente apreciável. Mas, do ocidente mesmo, da Grã-Bretanha, eis que surge para surpreender a Happy Fun Time Game Band.

Vendo a banda tocar a “Keep the groovin’ (Round 4)”, aumenta ainda mais a dúvida a respeito da escassez de arranjos de Streets of Rage; os timbres que o Yuzo Koshiro utilizou de fato buscam imitar instrumentos reais de uma banda. Para quem sabe e manja, é muito fácil: bastava tirar de ouvido e separar os instrumentos. E é isso que a Happy Fun Time Game Band deve ter feito, porque ela se limitou a executar a música ao vivo, com a adição de solos ocasionais.

Além da bateria e baixo elétrico muito bons, a versão do grupo conta também com bongôs, teclado e saxofone (esses dois últimos tocados pela mesma pessoa; que maravilhas que a edição não faz). Meu único senão é o sax; não sei se pela mixagem ou sabe se lá por qual motivo, as intervenções desse instrumento ficaram, para mim, meio fake – se eu não visse o musicista, talvez nem acreditasse que era de verdade –, a ponto de preferir que o próprio teclado reproduzisse os trechos correspondentes. Tirando isso, é uma performance acima da média e ganha pontos extras pela escolha do jogo.

Se você gostou, é possível baixar no formato WAV essa performance no SoundCloud.

Agradecimentos ao Cledson pela valiosa dica.

Fúria de Streets of Rage reacende em coletânea


Por Alexei Barros

Duvide da Sega. Mas nunca da Wave Master. Em mais uma iniciativa que contradiz a situação errante da produtora japonesa, a publicadora WM vai lançar uma daquelas coletâneas que deixam os seguistas malucos, dispostos a comer qualquer frango que encontrarem no chão: Bare Knuckle Original Soundtrack, simplesmente um álbum de quatro CDs da série Streets of Rage que vai chegar ao varejo japonês em 27 de junho.

Não parece nada de mais se considerarmos que cada trilha sonora da trilogia foi lançada separadamente nos anos 1990 – Bare Knuckle, Bare Knuckle II e Bare Knuckle III – e as três saíram na Yuzo Koshiro Best Collection Vol. 2 em 2007 com o acréscimo de nove faixas do Streets of Rage 3 não publicadas anteriormente em CD.

Acontece que por algum mistério da natureza, as músicas do Streets of Rage 1 e 2 nesses álbuns não correspondem exatamente às faixas escutadas no Mega Drive. São, na verdade, da placa de som Sound Board II do computador japonês da NEC PC-8801, mesmo que o sistema jamais tenha recebido iterações da série. Os ouvidos mais atentos vão reparar que a mixagem das músicas nos álbuns é estranha – compare a “Dreamer” do CD com a “Dreamer” do jogo. Curiosamente, a trilha do Streets of Rage 3 lançada em CD equivale de fato à original do console de 16-bit da Sega.

O que vai acontecer na vindoura coletânea: as trilhas equivalentes do Mega Drive serão remasterizadas – a primeira composta pelo Yuzo Koshiro e as das continuações em uma parceria dele com o Motohiro Kawashima. Pela primeira vez também serão vendidas em CD as trilhas do Streets of Rage 1 e 2 das versões de Game Gear. Sei que ambos tiveram adaptações para Master System, mas, se não estou falando nenhuma besteira, as músicas são praticamente idênticas pela similaridade de hardware dos dois aparelhos 8-bit (coteje um com outro). Por fim, a compilação inclui ainda aquele “Legend Mix” que emenda 12 faixas da trilogia em um arranjo ininterrupto de 45 minutos que tinha sido disponibilizado para download no site do Koshirão uma época (lá pra 2004) e foi apresentado ao vivo no Game Music Club Event.

Para ficar perfeito, eu queria pelo menos um arranjozinho que fosse da [H.], lembrando que a banda da Sega já releu músicas do Yuzo Koshiro do Etrian Odyssey I e II no Sekaiju no MeiQ Super Arrange Version e Sekaiju no MeiQ² *shoou no seihai* Super Arrange Version, respectivamente. Mas isso só sonhando mesmo.

Agradeço ao furioso Rafael Fernandes por me alertar a discrepância de sonoridade das músicas dos CDs e dos jogos.

[via ebten]

“The Streets of Rage” – trilogia SoR (vintagenesis)

Por Alexei Barros

Nunca coloquei performances amadoras de Streets of Rage não porque são ruins, mas porque praticamente não existem. No Nico Nico Douga, por exemplo, não há nada. Não é de estranhar que a iniciativa tenha partido de brasileiros, dada a incrível popularidade do jogo por aqui. A dupla vintagenesis, formada por Cledson e Fernando, então fez uma versão do tema de abertura “The Streets of Rage”, viajando com duas guitarras pelas variações das continuações. Gostei do timbre agudo dos instrumentos. Porém, não vou negar que fez muita falta baixo e bateria. E piano também, é verdade.

Agradecimentos ao mestre-Koshiro Acid pela dica.

Streets of Rage & Wangan Midnight (Legend Game Music Club Event)


Por Alexei Barros

Nessa balada eu ia, disse há mais de um ano. Na ocasião havia colocado a performance de Yuzo Koshiro como DJ no Legend Game Music Club Event, realizado em 2002. Porém, era uma mísera amostragem do medley que tem cerca de 50 minutos de duração, com músicas da trilogia Streets of Rage (incluindo as chatíssimas do SoR III) e de Wangan Midnight, que, por sinal, são fantásticas. Agora finalmente é a versão completa, dividida em cinco partes depois do Hadouken.

As faixas do Streets of Rage são inspiradas no “Streets of Rage Allmix”, que chegou a ser disponibilizado para download no site do Yuzo. Contudo, bizarramente, a parte em que, pela ordem, seriam tocadas “Player Select”, “Fighting in the Street” e “Attack of the Barbarian”, foi cortada do vídeo. Se não tiver paciência e tempo disponível para ver tudo, peço ao menos que assista no início a “The Streets of Rage”, acompanhada efusivamente pelas palmas do público.

Continue lendo ‘Streets of Rage & Wangan Midnight (Legend Game Music Club Event)’


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: