Posts Tagged 'Sega'



Área de trabalho enfeitada com o Mundo Loko de MadWorld

mw_wallpaper_kukuri_1024x768_w

A excelente loja online britânica GAME disponibilizou alguns wallpapers lindões do instigante e energizante MadWorld. Duas roupagens e três sabores: 1024×768, 1280×1024 e 1600×1200.

Divirta-se!

Anúncios

Garbo, elegância e descontração nos embates entre Sir Aliens e Herr Predadores

avpchessfront

Por Claudio Prandoni

Apesar de nada de muito concreto ter sido mostrado ou anunciado – a não ser o cancelamento de um RPG – a Sega está fazendo jogos baseados na licença, franquia ou coisa parecida de Aliens vs. Predador.

Enquanto informações sobre os games não são apregoadas, a casa do Sonic se aproveita da promoção para a maratona de filmes que o serviço de televisão SkyTV fará na Nova Zelândia.

No caso especificamente falando, três peças fantásticas, mostrando os dois alienígenas feiosos medindo forças da mente, músculo e espírito em atividades pouco ortodoxas.

Photoshop zumbi de ainda mais um leitor

hotdoverkill_16_51_59_8385d

Por Claudio Prandoni

Tornou a repetir: assim como o Ed, o leitor Lucas Pinho (mais conhecido nos comentários como CP9) atendeu ao chamado e confeccionou o próprio pôster para o trash e divertido The House of the Dead: Overkill, da Sega para Wii.

Simpatia e uma pitada de Dead Rising com essa multidão imensa e o número lá em cima.

Photoshop zumbi do leitor

house-of-dead-postered

Por Claudio Prandoni

Conclamei aqui os leitores serelepes do Hadouken a soltarem o lado pútrido da imaginação para voar com o editor de wallpapers do tiroteio trash B de The House of the Dead: Overkill.

E não é que veio resposta?!

A imagem logo acima é do leitor Ed, rapaz de Manaus (vizinho do Blanka, pelo que ouvi) que também está ajudando a meninada esperta do estúdio Make a Wish, produtora do MMO Shadow of Light – sobre o qual ainda falo por aqui de novo .

micro IMPRESSÕES: Demo japonesa de Yakuza 3

microimpressoes_yakuza3-copia

Por Claudio Prandoni

Como de praxe, o oriente é agraciado com os jogos da série Yakuza muito, muito, muito mesmo antes de o pessoal deste lado do meridiano de Greenwich, não por acaso a gente.

Na geração alta definição a premissa vale até para demonstrações. E que demo generosa! A versão teste de Yakuza 3 – e/ou Ryu Ga Gotoku lá em território do sushi – apresenta cerca de meia hora de brincadeira, regada a muitas porradas e ainda mais diálogos, infelizmente todos apenas em japonês.

Já dono de identidade própria e longe das comparações com Shenmue, este quarto capítulo da franquia – não esqueçamos do nostálgico Kenzan! – se estabelece como um promissor jogo de ação e porrada beat’em up. O que não necessariamente se traduz em inovações neste título exclusivo para PS3.

O pouco tempo que tive com o primeiro Yakuza deixou bem marcada a sensação vibrante de dar porradas nos inimigos. É divertido, prazeroso, cheio de estilo. Não sei dizer ao certo se a jogabilidade apresenta novidades e tal, mas certamente empolga. Além dos punhos, Kazuma Kiryu dispõe na demo de um bastão à la Donatello das santas tartarugas, um nunchaku e soco inglês – cada um com velocidade de golpes diferente, combos e por aí vai. Ou seja, realmente faz diferença qual arma se usa, cada uma se adapta a um estilo de jogador.

Enfim, o visual apresenta cenários absolutamente críveis e elaborados, marcados por detalhes e iluminação bonita, mas totalmente precários em termos de interação. Nada se mexe. Nada quebra. No máximo você pega o abajur e – kabong! – dá na cabeça do bandido. As pessoas humanas tem aquele jeitão esquisito de Sega: animações esquisitas, cabelos de laquê e mãos de proporções dignas de Chun-Li em dias ruins.

Rua, bar chique. Luta com manos (bizarros) japoneses de terno. Rua, beco. Mais um lutinha contra clones do Agente Smith, direto da Matrix. No meio, um monte de diálogos, bate-papo no codec, celular e tal. Não dá pra sacar muito, mas as porradas divertem. E nem precisam de Sixaxis.

Deu vontade de jogar os Yakuza de PS2.

Para fechar este quadro com chave de bronze, depois do pulo duplo uma propaganda especial do game veiculada lá no Japão.

Continue lendo ‘micro IMPRESSÕES: Demo japonesa de Yakuza 3’

Sonic lobinho poderia ser pior… ou não

blog0217_6

Por Claudio Prandoni

Fato: o tal Sonic lupino de Sonic Unleashed é uma das coisas mais abomináveis feitas com a série nos últimos tempos.

Não bastasse o esforço do Sonic Team nesse sentido, pior ainda é constatar que outras tantas idéias esdrúxulas cruzaram as escrivaninhas de trabalho dos integrantes da equipe – como esse honorável Sonic Fofinho das Neves aí acima.

Comprove ainda mais nas imagens divulgadas nos blogs dos próprios produtores da Sega. Na dúvida entre qual deles é pior, confesso que preferiria que não tivesse lobouriço algum!

Ah, de bônus muitas artes conceituais também do morceguinho(?) Chip, que antes se chamava Whip.

Sonic and the Black Knight é bobo, mas bonito

72891520090214_022326_7_big

Por Claudio Prandoni

Falando sério: Sonic and the Black Knight vai ser uma bomba daquelas. Não é só eu que digo, já que a meninada do Warpzona teve chance de testar em primeira mão na blogosfera gamer brasileira o jogo lá na Comic-con em Nova Iorque. Confira!

De qualquer maneira, não deve deixar de ser um jogo bonito. A imagem acima renderia um belo quadro, não?


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: