Posts Tagged 'Ryuji Sasai'

The Orchestral SaGa -Legend of Music-: à espera de um álbum lendário

The Orchestral SaGa_003

A FILMharmonic Orchestra Prague é conhecida por um longo histórico de performances em concertos e trilhas de games


Por Alexei Barros

Apesar da qualidade e da excelência musical da série SaGa, a franquia tem uma representatividade muito pequena em arranjos orquestrais, seja em concertos ou álbuns. Mais isso vai mudar um pouco com o lançamento do CD duplo The Orchestral SaGa -Legend of Music-, que acontece hoje, dia 23 de março no Japão.

Gravado no Rudolfinum’s Dvořák Hall com a FILMharmonic Orchestra Prague na cidade de Praga na República Tcheca, o primeiro disco contém dez faixas em formatos de medleys. As seleções percorrem músicas de todos os compositores da série, desde o início com Nobuo Uematsu e Kenji Ito, até a era impressionista de Masashi Hamauzu, passando pelas faixas de Ryuji Sasai e Chihiro Fujioka em Jikuu no Hasha: SaGa 3.

A melhor decisão que podiam tomar é deixar os arranjos sob os auspícios de Kousuke Yamashita. Já pude ouvir diferentes trilhas de games, animes, J-dramas e tokusatsus e é impressionante o talento do japonês com músicas orquestrais. Entre tantos arranjos para os concertos de Monster Hunter, ele também arranjou e regeu o Nobunaga no Yabou 30th Anniversary Concert. Curiosamente, é a primeira colaboração de Yamashita com a Square Enix.

Na página oficial do The Orchestral SaGa -Legend of Music-, é possível ouvir diversos samples. Destaco a surpreendente aparição da “Battle Theme I” do Unlimited Saga na faixa 1, a “Decisive Battle! Saruin” do Romancing SaGa na faixa 5 e a “Feldschlacht I” do Saga Frontier II na faixa 9.

O segundo CD, por sua vez, traz apenas quatro faixas e foi gravado no Japão. Pelo que entendi nesta entrevista que Kenji Ito concedeu ao 4Gamer.net, na verdade são arranjos originalmente preparados para o Imperial SaGa, jogo da série para browser, mas acabaram ficando de fora. As releituras desse disco foram feitas pela Natsumi Kameoka e se diferem por terem bateria, baixo elétrico e guitarra. Chamo a atenção para a “Seven Heroes Battle” do Romancing Saga 2 e a “Four Demon Nobles Battle 1” do Romancing SaGa 3 na faixa 4 desse disco.

Claro que nem tudo é perfeito: ainda vou ficar sonhando com a “Searching for the Secret Treasure” do SaGa 2 Hihou Densetsu, a “Battle #1” do SaGa Frontier e a “Battle 1” do Romancing SaGa orquestradas. Já posso imaginar outro álbum nesse formato?

The Orchestral SaGa_005

O compositor Kenji Ito e o arranjador Kousuke Yamashita foram até Praga para supervisionar a gravação das partituras

[via 4Gamer.net e Square Enix]

Anúncios

“Battle Medley” – Rudra no Hihou (String Quartet)

Por Alexei Barros

O que os grupos pró-amadores japoneses adoram as músicas da Square Enix não está no papel. Porém, essa paixão se limita, de maneira geral, às séries Final Fantasy, Dragon Quest, Chrono e SaGa. Por isso, é revigorante ver uma performance de uma pérola obscura como o Rudra no Hihou. Lançado somente no Japão em 1996 para o Super Famicom, o RPG conta com uma envolvente trilha musical assinada por Ryuji Sasai, que também criou melodias para Final Fantasy Legend III e Final Fantasy: Mystic Quest, entre outros jogos. Embora Sasai conte com um longo histórico de game music e tenha sido de fato funcionário da Square Enix, ele também é conhecido por participar como baixista de diversas bandas de J-Rock, como Novela, Action, Queen Mania e Spiders from Cabaret. Confesso que jamais escutei nenhuma delas – só tinha ouvido falar, muito por cima, da Novela.

De qualquer forma, essa veia rockeira do Sasai se manifestou nos videogames, especialmente nos temas de batalha: as faixas sintetizadas de fato trazem timbres que simulam uma banda de rock. E quando músicas assim são adaptadas para instrumentos de corda é difícil de errar. Aquele mesmo grupo chamado simplesmente String Quartet que tocou a “Battle #1” do SaGa Frontier selecionou quatro temas de combate do Rudra no Hihou para mais uma sessão de deleite sinfônico. A “Strange Encounters (Sion)” abre a peça com impressionante dinamismo e a viola depois reproduz a melodia. Logo o quarteto segue para a “The Flame and the Arrow (Riza)” (0:46), e agora é o primeiro violino que comanda a música. Em uma transição quase imperceptível, a “The Spirit Chaser (Surlent)” (1:52) surge com tudo – sabiamente, não foram aproveitados os 15 segundos iniciais da original, que é uma introdução meio lenta e quebraria o ritmo acelerado. Eis que surge “Blazing Impact (Dune)” (2:42) em mais um momento de pleno entrosamento dos quatro instrumentistas, acabando sem demorar esse breve, mas inspirador medley.

“Battle Medley”
Originais: “Strange Encounters (Sion)” ~ “The Flame and the Arrow (Riza)” ~ “The Spirit Chaser (Surlent)” ~ “Blazing Impact (Dune)”


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: