Posts Tagged 'Royal Stockholm Philharmonic Orchestra'



“Super Mario Bros. Suite” – Super Mario Bros., Super Mario Bros. 3, Super Mario World e Super Mario 64 (PLAY! 2007 em Estocolmo)


Por Alexei Barros

Tudo o que se refere à “The Legend of Zelda Suite” se aplica a este medley do Mario: arranjo do Jonne Valtonen, apresentação do PLAY! A Video Game Symphony em 2007 na Suécia, performance plena da Royal Stockholm Philharmonic Orchestra, melhor do que a versão do VGL, também não está no CD e por aí vai. A diferença é que no Symphonic Legends os dois segmentos do Mario ficarão sob os cuidados do conterrâneo de Valtonen, o finlandês Roger Wanamo.

A sequência inicial do Super Mario remete ao arranjo “Super Mario Bros.” do Orchestral Game Concert, com a bem-vinda adição de faixas dos demais jogos da série que, infelizmente, ignora o Super Mario Bros. 2. A seleção chega a ser curiosa, porque no meu modo de entender a “Title” (Super Mario World), apesar de muito simpática, e a  “World 8 Map”, que surge meio que aleatoriamente, ficam atrás de outras músicas mais marcantes. Além disso, a “Main Theme” (Super Mario 64) é executada somente nas madeiras e nos violinos. Embora tenha ficado rebuscada, eu sempre a imaginei e preferi, por pura questão de gosto, com todos os metais que tem direito, como na versão do Mario & Zelda Big Band Live. E quando ouvi continuei a lamentar por ausências como “Fortress Boss” (SMB3) ou então a “Castle” (SMW). Ainda fico na expectativa de um arranjo definitivo, se é que isso é possível com tantas músicas memoráveis.

“Super Mario Bros. Suite”
“Overworld” ~ “Underwater” ~ “Underworld” (Super Mario Bros.) ~ “Title” (Super Mario World) ~ “Main Theme” (Super Mario 64) ~ “World 8 Map” (Super Mario Bros. 3) ~ “Overworld” ~ “Course Clear” (Super Mario Bros.)

Anúncios

“The Legend of Zelda Suite” – Zelda, Zelda II, Zelda: A Link to the Past, Zelda: Link’s Awakening e Zelda: Ocarina of Time (PLAY! 2007 em Estocolmo)


Por Alexei Barros

Há eras estou para publicar esta suíte, e achei o momento muito apropriado, às vésperas da realização do Symphonic Legends, o concerto em homenagem à Nintendo cujo segundo ato será reservado a 35 minutos de Zelda. Como no aguardado poema sinfônico da iminente récita, o segmento do PLAY! A Video Game Symphony é arranjado pelo Jonne Valtonen. Evidentemente, é muito menos ambicioso, com seis minutos de duração.

Trata-se da mesma apresentação do PLAY! da “The Revenge of Shinobi Suite” realizada em Estocolmo em 2007 que possui uma atuação exemplar da Royal Stockholm Philharmonic Orchestra. Zelda esteve ausente do duvidoso CD da turnê, diferentemente do Video Games Live, que conseguiu a licença para colocá-lo no Video Games Live: Level 2. Todavia, enquanto que o arranjo do VGL nada mais é do que uma transcrição da partitura do Orchestral Game Concert, aquela que já cansou faz tempo, a suíte do PLAY! é exclusiva e abarca outros jogos.

Como é de praxe nos trabalhos do Valtonen, todas as transições são bem acabadas, não há uma ponta solta sequer. Já a seleção de faixas, bastante variada, chama a atenção pela fartura de temas de tela-título. A reflexiva “Title Theme” do Ocarina of Time logo me vem à mente as tardes de 1998 em que observava a introdução com Link cavalgando na Epona no Nintendo 64… não foi o meu caso.

De um tema sereno para a pompa da “Title” do Zelda original a peça ganha em tamanho com a lembrança do tema principal, emendando com a muito bem-vinda “Underworld”, alarmante tema das dungeons. O terceiro e último tema de tela-título vem justamente do controverso Zelda II: The Adventure of Link, que de tão avesso à série a trilha nem é do Koji Kondo, mas do Akito Nakatsuka – e esta “Title” é ótima, por sinal. “Hyrule Castle” e “Overworld” do A Link to the Past não impressionam tanto como já estavam no Orchestral Game Concert (o arranjo não difere muito das versões “Hyrule Castle” e “Legend of Zelda Theme” do Toshiyuki Watanabe), o que não é o caso da essencial “Dark World”. No desfecho surge uma escolha incomum, a “Ballad of the Wind Fish” do Link’s Awakening, que tem a trilha do trio Kazumi Totaka, Minako Hamano e Kozue Ishikawa. Não é a suíte dos meus sonhos, mas procurou fugir do básico e óbvio com esmero.

“The Legend of Zelda Suite”
“Title Theme” (The Legend of Zelda: Ocarina of Time) ~ “Title” ~ “Underworld” (The Legend of Zelda) ~ “Title” (Zelda II: The Adventure of Link) ~ “Hyrule Castle” ~ “Overworld” ~ “Dark World” (The Legend of Zelda: A Link to the Past) ~ “Ballad of the Wind Fish” (The Legend of Zelda: Link’s Awakening).

“The Revenge of Shinobi Suite” – The Revenge of Shinobi (PLAY! 2007 em Estocolmo)


Por Alexei Barros

Milagrosamente encontrei uma gravação amadora do PLAY! A Video Game Symphony em Estocolmo, Suécia, 2007, e é uma pena constatar que o controverso CD oficial (se é que dá para chamar um CD-R de oficial) não originou desse concerto, mas da apresentação na República Tcheca em 2008. De maneira muito clara nota-se que a performance da Royal Stockholm Philharmonic Orchestra no Stockholm Concert Hall – mesma orquestra e anfiteatro do Sinfonia Drammatica – foi muito,  muito superior em relação à Czech Philharmonic Chamber Orchestra. As seleções fugiram do lugar-comum, com Lost Odyssey, Shadow of the Colossus, The Darkness, e a maior prova é o encerramento do espetáculo com “Dancing Mad” em vez de “One-Winged Angel”. Bons tempos do PLAY!.

Uma das joias foi a execução da suíte de The Revenge of Shinobi. Volta e meia colocava nos posts o link da “The Revenge of Shinobi Suite” tocada no Fourth Symphonic Game Music Concert (2006), que marcou a estreia do segmento, mas a a qualidade da gravação está deprimente, sobretudo na primeira parte.

Agora sim é possível desfrutar da suíte arranjada pelo próprio Yuzo Koshiro e orquestrada por Adam Klemens – melhor que isso só com uma gravação profissional. Vai saber se haverá um volume dois. O solo de flauta evoca a “Opening”, e as cordas se juntam numa sinergia contagiante que cresce até explodir, preservando a emoção da composição. Depois, uma emenda sutil para a “The Shinobi”, com as cordas pontuadas pela percussão. Novamente aumenta a proporção da peça, encerrando de maneira bombástica com “China Town”, que perdeu as batidas e a atmosfera oriental da original. É magnífica, suntuosa, apesar de ausências como “Long Distance” e “Terrible Beat”, entre outras – isso que dá o Koshirão não ter feito um álbum Symphonic Suite como ActRaiser.

“The Revenge of Shinobi Suite”
“Opening” ~ “The Shinobi” ~ “China Town”

“Legend of Mana ~Title Theme~” – Legend of Mana (Sinfonia Drammatica)

Por Alexei Barros

Aos poucos o editor do site polonês Gamemusic.pl está subindo no YouTube as gravações do concerto sueco Sinfonia Drammatica, e enfim foi publicada a música que mais aguardava: a “Legend of Mana ~Title Theme~”, considerada por muitos como uma das maiores obras-primas da Yoko Shimomura – e olha que não são poucas. O tema da tela-título de Legend of Mana só havia sido executado anteriormente no A Night in Fantasia 2007: Symphonic Games Edition. Jamais apareceu num concerto japonês.

A original já tinha a utilização de instrumentos reais: o piano de Sanae Hatori e as cordas do Shinozaki Group. No arranjo da Shimomura e orquestração da Natsumi Kameoka para o álbum drammatica, a ênfase no piano da “Legend of Mana ~Title Theme~” é arrefecida em detrimento da implementação de outros grupos da orquestra além das cordas, aparecendo somente em maior destaque na abertura e no desfecho. A grandiosidade adquirida nesta versão com os adicionais dos metais e das madeiras foi reproduzida ao vivo pela Royal Stockholm Philharmonic Orchestra sob a regência de Arnie Roth com absoluta perfeição.

“Hometown Domina” – Legend of Mana (Sinfonia Drammatica)

Por Alexei Barros

Como Legend of Mana não fará parte do Symphonic Fantasies – a suíte da série Seiken Densetsu será integralmente de Secret of Mana –, as performances dos quatro segmentos no Sinfonia Drammatica ganharam uma singularidade ainda maior, sobretudo porque, como já salientei anteriormente, o jogo jamais apareceu em um concerto japonês.

Apesar de se chamar “Hometown Domina” no drammatica, referindo-se à afável “Hometown Domina” na trilha original, a peça é entremeada pela simpática “Places of Soul” (no excerto compreendido entre 1:44 a 2:23). A transição foi feita de maneira tão suave que pode passar despercebida. Uma pintura de performance.

“Hometown Domina”

“Hometown Domina” ~ “Places of Soul” ~ “Hometown Domina”

“Destati” – Kingdom Hearts (Sinfonia Drammatica)

Por Alexei Barros

Quando a Yoko Shimomura fez as seleções para o álbum drammatica, ela levou em consideração três critérios: 1) popularidade das composições entre os jogadores, 2) possibilidade de serem orquestradas e 3) a vontade de ouvir arranjadas as músicas nunca antes orquestradas.

Mesmo sabendo disso, é curiosa a inclusão da “Destati”, que não se ouve durante toda a aventura do Kingdom Hearts. Faixa-bônus da Kingdom Hearts Original Soundtrack entoada em latim pelo Tokyo Philharmonic Chorus, a música na verdade provém dos primeiros trailers. No jogo mesmo só há variações, como a “Dive into the Heart -Destati-“.

E se no drammatica a “Destati” foi executada pela WDR Radio Orchestra Cologne e pelo coral Kettwiger Bach-Ensemble, ao vivo, no Sinfonia Drammatica, teve performance da Royal Stockholm Philharmonic Orchestra e do Stockholm Singers. Ainda que não tão grandioso, o coro sueco garantiu a magnitude na introdução, passando para os enigmáticos e assombrosos versos em latim. A orquestra é igualmente perfeita na execução.

Sombras dramáticas na Suécia

Sinfonia Drammatica
Por Alexei Barros

Foi na Suécia, mas bem que poderia ter sido no Japão. No último 4 de agosto, terça-feira, aconteceu o Sinfonia Drammatica, que combinou oito músicas do concerto/CD Symphonic Shades – Huelsbeck in Concert e oito do álbum drammatica: The Very Best of Yoko Shimomura. Como os dois possuem o conceito de tributo, ambos os compositores, Chris Huelsbeck e Yoko Shimomura, estavam na plateia do suntuoso Konserthuset em Estocolmo, cuja arquitetura externa inspirou o fundo da arte logo embaixo do Turrican desenhada por Hitoshi Ariga.

Ainda que o Symphonic Shades homenageie um alemão, a apresentação já tinha um pé no Japão por conta das participações de Yuzo Koshiro e Takenobu Mitsuyoshi nos arranjos, sem falar que as músicas dele são tão melódicas quanto as trilhas nipônicas.

Sinfonia DrammaticaEncontrei poucos relatos do concerto. Do blog StudioStrawberri me chamou a atenção que a autora elogia o comportamento exemplar do público e a ausência de telão, o que para alguns poderia ser um ponto negativo, e toda a atmosfera erudita da apresentação executada pela Royal Stockholm Philharmonic Orchestra (a mesma do CD de estúdio do Distant Worlds: music from Final Fantasy) e do coral Stockholm Singers sob a regência de Arnie Roth. Stefan Lindgren esteve ao piano – instrumento de suprema importância na interpretação das músicas de ambos os compositores.

Talvez para compensar a ausência de Legend of Mana no Symphonic Fantasies, já que a suíte da série Mana será totalmente dedicada ao Secret of Mana, as quatro faixas do jogo arranjadas para o drammatica foram executadas. Três músicas da série Kingdom Hearts e uma do Live a Live (veja só, um RPG nunca lançado no ocidente) e as mencionadas oito seleções do Symphonic Shades completam o programa.

Para quem não se lembra do set list, com links das originais:

01 “Grand Monster Slam (Opening Fanfare)” [Symphonic Shades]
02 “X-Out (Main Theme)” [Symphonic Shades]
03 “The 13th Anthology” (Kingdom Hearts I, II e Chain of Memories) [drammatica]
04 “The Bird Flies in the Sky, the Fish Swims in the River” (Live a Live) [drammatica]
05 “The Other Promise” (Kingdom Hearts II) [drammatica]
06 “Gem’X (Main Theme)” [Symphonic Shades]
07 “Colored Earth” (Legend of Mana) [drammatica]
08 “Apidya II (Suite)” [Symphonic Shades]
09 “R-Type (Main Theme)” [Symphonic Shades]
10 “Ruined Sparkling City” (Legend of Mana) [drammatica]
11 “Jim Power in »Mutant Planet« (Main Theme)” [Symphonic Shades]
12 “The Great Giana Sisters (Suite)” [Symphonic Shades]
13 “Legend of Mana ~Title Theme~” (Legend of Mana) [drammatica]
14 “Destati” (Kingdom Hearts) [drammatica]
15 “Hometown Domina” (Legend of Mana) [drammatica]
16 “Turrican II – The Final Fight (Renderings: Main Theme)” [Symphonic Shades]
17 “Fantasia alla marcia for piano, chorus and orchestra” (Kingdom Hearts II) [Kingdom Hearts II OST]

Por enquanto, encontrei apenas o vídeo da “The Great Giana Sisters (Suite)” (é possível ver Chris Huelsbeck e Yoko Shimomura agradecendo as palmas duas fileiras atrás de quem gravou), mas espero publicar no futuro todas as oito performances da parte dramática do concerto. Os números referentes ao Symphonic Shades coloquei quando analisei o CD.

[via StudioStrawberri]


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: