Posts Tagged 'Namco'

“Namco Medley” – (Yuki Matsuri)

Por Alexei Barros

Reunir as melodias de jogos clássicos da Namco é uma ideia que não se pode dizer que é original dada a relevância da produtora no período seminal dos Arcades e também da game music. Falando dos meios amador e profissional, a Famicom Band já atacou com o “Namco Medley”, o Press Start 2006 teve o “Namco Arcade Medley”, e o Press Start 2010 ainda mostrará uma nova versão. Das orquestras para o piano. No Video Games Live, há uns dois anos, o Martin Leung apresentou em alguns shows um medley da Namco que estranhamente acabou abortado sabe se lá por qual motivo.

Eis que Yuki Matsuri mais uma vez nos proporciona uma performance exímia com escolhas pouco usuais. Ainda fez o favor de detalhar quais faixas e em que momento são relembradas. Como a maioria não foi lançada em CD me pouparei do trabalho de colocar os links das originais. Para mim é sempre um prazer um ouvir Pac-Man e Mappy, e aos poucos me acostumei com The Tower of Druaga, de resto não conheço praticamente nada. Só não gostei que algumas transições inexistem, e até dá para perceber que o vídeo é editado.

“Namco Medley”

0:01 Wonder Momo (1987) – Score Ranking Entry
0:23 Pac-Man (1980) – Game Start
0:30 Ms.Pac-Man (1982) – Coffee Break Music
1:00 The Tower of Druaga (1984) – (Stage Start – Quox(=Dragon) Stage Music – Stage Clear – Next Stage Start – Miss – Game Over – Insert Coin x 2 – Continue!!)
2:36 Ordyne (1988) – Game Over & 10 Count Down for Continue
2:54 Mappy (1983) – Main Theme
4:40 The Legend of Valkyrie (1989) – Epilogue
6:24 Marchen Maze (1988) – Epilogue

Press Start 2010: Wild Arms, Namco Arcade Medley 2010 e Final Fantasy X

Por Alexei Barros

Se a última safra de novidades do Press Start 2010 chocava pela rapidez com que jogos recentes foram selecionados, nesta volta o amargor dos retornos, das meias-novidades. Ainda que desde 2006 os programas sejam os mais diversificados entre os concertos de game music, fico com a sensação que as escolhas andam em círculos em vez de partir para novos horizontes, com o perdão dos clichês. Por exemplo: por que mais uma vez Wild Arms e não Grandia? Por que Namco Medley e não Konami Medley? E, principalmente, por que “At Zanarkand” de novo?

– Wild Arms

E eu achando que as reprises eleitas pelo público haviam acabado. No Press Start 2008 o medley de Wild Arms serviu como uma coroação por todo o talento da compositora Michiko Naruke, que arranjou o segmento em parceria com a Natsumi Kameoka. Afinal, ela tem toda a carreira dedicada à série, a não ser por um ou outro jogo, como o The Wizard of Oz: Beyond the Yellow Brick Road, aquele RPG para DS que perdeu o charme do anagrama do RIZ-ZOAWD no título japonês. Com performance de Haruo Kubota no violão para ajudar a recriar o clima de velho oeste que permeia a trilha, o número passeava mais até por seleções do Wild Arms 2 do que do Wild Arms original. Claro que a “Into the Wilderness” não faltou. Ao que tudo indica no depoimento de Shogo Sakai, que comentou que a melodia evoca sentimentos de tristeza e coragem, será o mesmo arranjo para este ano.

– Namco Arcade Medley 2010

A Namco não só é proprietária de marcas poderosas, como também de arcades famosíssimos no começo da década de 1980. Época sem internet e sem celulares que Kazushige Nojima diz se lembrar ao ouvir as músicas das máquinas de fliperama. Na primeira apresentação, no Press Start 2006, foi tocado um medley com jogos da empresa, mas como o título do segmento mostra e o depoimento confirma, a configuração de 2010 será diferente. No final, Nojima insinua que Tower of Druaga e Libble Rabble estão confirmados. Só não entendo que em 2006 não teve, acredite você, Rally-X e, mais incrível, Pac-Man, e vai ser pior ainda se pelo menos o come-come de 30 anos recém-completos não aparecer novamente.

– Final Fantasy X: “At Zanarkand”

Com todo o respeito… DE NOVO? Verdade que não acontece um concerto exclusivo de Final Fantasy no Japão desde 2006, o Voices, que já não teve o tema de abertura do FFX, mas, convenhamos, a mim já cansou. A música, com aquele mesmo arranjo magistral do Shiro Hamaguchi que estreou no 20020220 que insere a participação da orquestra ao solo de piano da original, tinha sido tocada ano passado no Press Start 2009 no bis. Inclusive arrancou lágrimas de Nobuo Uematsu na primeira apresentação. Mesmo assim, não vejo objetivo nesta repetição, ainda que o público continue a clamar pela faixa do jogo que está prestes a completar uma década, como lembrado pelo próprio Uematsu. E “Decisive Battle” que é bom, nada…

Set list até o momento:

01 – Chrono Trigger & Cross
02 – NES Medley
03 – Muramasa: The Demon Blade
04 – Mother
05 – New Super Mario Bros. Wii
06 – The Legend of Zelda
07 – Metal Gear Solid: Peace Walker

[via PRESS START]

“Namco Medley” – Famicom Band (FCB 5th Live)


Por Alexei Barros

A Namco não é apenas uma das produtoras de maior tradição, como também reserva algumas das melodias mais memoráveis da história dos videogames. Percebendo isso, logo na primeira edição do Press Start ~Symphony of Games~, em 2006,  o concerto tocou o “Namco Arcade Medley”, com oito minutos de Pole Position II, Gaplus, Thunder Ceptor, The Tower of Druga, Genpei Toumaden, Metro Cross, Mappy, Libble Rabble e Sky Kid. Nunca ouviu falar da maioria? Somos dois. Conhecer mesmo só o Mappy, graças mais uma vez ao imbatível cartucho múltiplo de 42 títulos.

De novo a gloriosa Famicom Band, que poderia se chamar Fan Service Band, também apresenta um medley da Namco não com oito, mas com 14 minutos em um total de 21 jogos – todos os supracitados, com exceção de Pole Position II, Gaplus e Thunder Ceptor. Diferentemente do “Big Big Nintendo Medley” que joguei a maioria, aqui minha fraudulência gamística fica ainda mais escancarada, porque jogar de verdade mesmo na época, apenas o já citado Mappy, além de Dig Dug, Galaga e Pac-Man (eles não se esqueceram do come-come ao contrário do Press Start). E sabe o que é mais inacreditável? Nenhum dos dois têm Rally-X. Mesmo que a maioria seja desconhecida, acredito que para o público em geral, é mais um medley espetacular, e o final é simplesmente genial. Depois do Hadouken coloco as referências para cada jogo também.

Faça o favor de ouvir:

“Namco Medley”

Perenemente grato ao Fabão pela identificação dos nomes dos jogos.

01 – [0:13] Star Luster
02 – [0:22] Ordyne
03 – [1:13] Libble Rabble
04 – [1:53] Mappy
05 – [3:01] Metro Cross
06 – [3:47] Wagan Land
07 – [4:40] Genpei Toumaden
08 – [5:07] Dig Dug
09 – [5:38] Dig Dug II
10 – [5:42] Tower of  Babel
11 – [6:08] Warpman
12 – [6:33] Sky Kid
13 – [7:18] Xevious
14 – [7:27] Galaga
15 – [7:32] Youkai Douchuuki
16 – [8:21] Family Stadium / World Stadium
17 – [8:50] Pac-Land
18 – [9:13] Sanma no Meitantei
19 – [10:09] Valkyrie no Densetsu
20 – [11:22] The Tower of Druaga
21 – [13:10] Pac-Man
22 – [13:27] Galaga Name Entry

Artwork do dia: Cartão de Natal da Namco

namco_xmascard_front_small.jpg

Por Claudio Prandoni

Uhuuu!
Feliz Natal pra todo mundo e eu estou aqui de volta com a legítima candidata a série mais insuportável de todos os tempos – nem que o Alexei tentasse ele conseguiria abocanhar o título.

Para o dia específico de Natal, deixei para postar o cartão que considero mais simpático dentre todos que achei: o da Namco.

A série homenageada não poderia ser outra. A bizarrice de Katamari Damacy combina totalmente com o clima natalino festivo e colorido. Sem contar que o cartão ainda exibe a verdade contundente que a mídia tenta esconder: Papai Noel não existe, ele é apenas uma das mil e uma facetas do Rei de Todo o Cosmo.

Isso na parte de frente do cartão. Atrás temos o nosso presente, que é uma caixa com o Príncipe e muitos dos primos dele. Para que eles servem eu não sei. Talvez colocasse na árvore de Natal ou enfeitando minha prateleira. Mas definitivamente não os degustaria como quitutes festivos. Eu acho…

namco_xmascard_back_small.jpg


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: