Posts Tagged 'Motoi Sakuraba'



Fantasy Rock Fes 2011 adiado indefinidamente


Por Alexei Barros

No universo de game music, a parte dos eventos é a que costumo dar mais atenção pela experiência inigualável de ouvir as músicas dos jogos ao vivo e pelas particularidades de cada apresentação (instrumentistas, arranjadores, compositores etc.). O principal polo dos shows e concertos é, evidentemente, o Japão, que, como se sabe, está em situação alarmante em decorrência do terremoto que provocou o tsunami dia 11 de março.

Mesmo que a maioria dos estúdios, produtoras e profissionais de games viva em áreas que não sejam diretamente afetadas pela tragédia – a saber, Tóquio, Kobe, Quioto e Osaka –, os abalos sísmicos trouxeram consequências negativas para o mercado de jogos e game music. Entre outros, Zettai Zetsumei Toshi 4: Summer Memories (PlayStation 3), cujo primeiro jogo da série foi lançado nos EUA como Disaster Report e o segundo com o nome Raw Danger!, foi cancelado e Ryu ga Gotoku Of the End (PlayStation 3) procrastinado sem uma nova data. Na seara musical, os selos Aniplex (dos álbuns de Persona) e Lantis confirmaram que a distribuição será prejudicada e a loja online CDJapan informou que os serviços de entrega foram interrompidos.

Mais notoriamente, o Fantasy Rock Fes 2011, que aconteceria nos dias 19 e 20 de março, neste final de semana, foi adiado, e os ingressos podem ser reembolsados. Seria uma ocasião histórica por reunir Nobuo Uematsu, à frente da banda Earthbound Papas, e Motoi Sakuraba, com abertura de Daisuke Kurosawa, guitarrista também conhecido pela alcunha numérica 96 com muitas participações nas séries GuitarFreaks e Drummania.

Vamos ver o que poderá acontecer com as demais apresentações enquanto as coisas não se acalmam.

[via SEMO]

Fantasy Rock Fes 2011: Nobuo Uematsu e Motoi Sakuraba no mesmo palco


Por Alexei Barros

“Na verdade, sou um grande fã de Motoi Sakuraba e o conheço pessoalmente. É um excelente tecladista e adoraria tocar com ele em um show de rock alguma hora”, diz Nobuo Uematsu em entrevista ao SEMO. Parece que ele tinha falado por falar. Estava redondamente enganado.

Nos dias 19 e 20 de março de 2011, no Club Citta em Tóquio, acontecerá o Fantasy Rock Fes 2011. São dois shows com as bandas Earthbound Papas e Motoi Sakuraba Progressive Trio. A primeira é a sucessora espiritual dos Black Mages e, a outra, se for a mesma formação do Motoi Sakuraba Live Concert Star Ocean & Valkyrie Profile e Motoi Sakuraba Live 2006 -Valkyrie Profile 2-, tem Atsushi Hasegawa  no baixo elétrico, Toshihiko Nakamura na bateria e Sakuraba comandando uma torre de teclados, dispensando a guitarra. Pela primeira vez os dois compositores vão estar no mesmo espetáculo, por mais incrível que possa parecer, já que ambos enveredam com gosto pelas variantes do rock há tempos. Mal poderia imaginar que Final Fantasy, Star Ocean e Valkyrie Profile estariam em um mesmo programa.

Meu único senão é a complicação de direitos autorais que uma apresentação desse tipo poderia causar para um provável lançamento de um registro. Talvez por isso provavelmente nunca foi lançado o CD do Motoi Sakuraba Live Concert 2004, que trazia músicas do Baten Kaitos, jogo, aliás, que foi incluso no set list do Press Start 2008 por vontade do Uematsu.

Grato ao Fabão, que compartilhou a novidade em meio à maratona automobilística.

[via Fantasy Rock Fes 2011, DERBLOG]

End of Eternity OST: Motoi Sakuraba e Kouhei Tanaka em seis discos


Por Alexei Barros

Apesar de ainda não ter feito uma menção sequer, estava ansioso por este dia 24 de março, porque hoje sai a trilha sonora do recém-lançado RPG da tri-Ace para PlayStation 3 e Xbox 360, Resonance of Fate, conhecido como End of Eternity no Japão.

Se menciono tri-Ace automaticamente surge o nome do monstro incansável Motoi Sakuraba. Prossegue. Mas desta vez ele veio acompanhado de Kouhei Tanaka, o compositor principal da série de games e animes Sakura Wars e também da abandonada série Alundra. Dessa combinação inusitada temos as empolgantes músicas do Sakuraba no estilo rock progressivo e as divinas faixas orquestradas do Tanaka. Minha expectativa ficou alta pelo que ouvi no disco promocional Resonance of Sounds -End of Eternity Special Sound Track-. Destaco do Tanaka, “The beginning of eternity” , com reminiscências de Guerra nas Estrelas, enquanto que “Irruption” mostra um Sakuraba mais inspirado do que a média.

O que mais causa espanto na End of Eternity Original Soundtrack, como se vê pela foto, é a quantidade espantosa de CDs para a trilha de um jogo apenas: inacreditáveis seis discos. Não fiz um levantamento apurado para saber se é a maior de todos os tempos, mas lançamentos colossais recentes não eram tão grandes, por exemplo BAYONETTA Original Soundtrack e Okami Original Soundtrack, ambas com cinco discos. O Super Smash Bros. Brawl facilmente desbancaria qualquer uma se a Nintendo não fosse tão indolente. Bom, o álbum sai por 5040 ienes, quase 98 reais sem impostos. Número de catálogo: KDSD-00358~363.

Quem sabe não me animo e faço um post depois que conferir. Enquanto isso confira a abertura para atiçar a sua curiosidade caso já não tenha acontecido:

[via Famitsu]

Yuzo Koshiro, Norihiko Hibino, Motoi Sakuraba, Koji Hayama e quatro compositores da SNK em Yuusha 30

Yuusha 30
Por Alexei Barros

Fiquei sabendo do Yuusha 30 pelo Continue. Apesar de curiosa, a proposta não me cativou pela efemeridade. São quatro jogos em um: RPG, shmup, ação e estratégia, sendo que cada game você testa (dá para falar que joga?) em sessões de 30 segundos. Até aí me passaria batido.

Mas ouvir nesses meio minutos composições dos mestres supracitados muda tudo. O time de músicos do projeto da Marvelous para PSP é um dos mais inusitados dos últimos anos. Não porque terá Yuzo Koshiro (Streets of Rage), Norihiko Hibino (MGS2 e 3), Motoi Sakuraba (Star Ocean) e Koji Hayama (Cho Aniki). Mas porque trará o quarteto na companhia de mais quatro talentosos e misteriosos compositores da SNK: Yasuo Yamate, vulgo Tate-Norio (The King of Fighters e Sengoku Denshou); Yasumasa Yamada, o Yamapy-1 (Samurai Shodown e Art of Fighting); Hideki Asanaka, também conhecido como SHA-V (The King of Fighters e Fatal Fury) e Takushi Hiyamuta, o Hiya (Metal Slug, Cosmic Cop). Para completar, The Engines. Não me pergunte o que é.

Conforme vou apreciando as músicas, como é o caso dos jogos com a assinatura da Shinsekai Gakkyoku Zatsugidan, sempre procuro pesquisar sobre os compositores para descobrir mais informações do universo musical-gamístico. Agora o pessoal da SNK é quase impossível. Além de se esconderem por trás desses pseudônimos malditos, o que dificulta saber o nome verdadeiro deles, não há nem fotos. Será que eles existem mesmo? Quem sabe se vier a OST do Yuusha 30 a situação não melhora. Torço para um encarte recheado de biografias em japonês.

Como cada vez mais fã do Koshirão, meu palpite é que ele vai sobressair dentre todos os envolvidos, porque nos primórdios da sua carreira se destacava justamente por fazer melodias memoráveis com músicas de looping diminuto, como atestam “The Syonin” (Ys) e “Long Distance” (The Revenge of Shinobi).

[via SEMO]

Press Start 2008: a cartada de Baten Kaitos

Por Alexei Barros

Tradicionalmente, o RPG é o principal difusor da game music: repare como a maioria dos compositores conhecidos se consagrou com o gênero. Mas um gênero não pode ser representado musicalmente somente por duas ou três séries. Você sabe, Final Fantasy, Dragon Quest e Kingdom Hearts – às vezes Chrono Trigger – são tocadas com constância nos concertos.

Na contramão das tendências, encerrando o monopólio, o Press Start 2006 não deixou de ter FF, mas incorporou PoPoLoCrois, Ys, Romancing SaGa e Mother (em menor escala, porque já se manifestara nos Orchestral Game Concert 2 e 3). KH, CT e FF compareceram ao PS 2007, é fato, só que teve Fire Emblem (relativamente aproveitada, com aparições em OGC 3 e 5, e Smashing…Live!).

A bem-vinda incursão de Wild Arms no PS 2008 mostrou como a equipe organizadora do concerto está disposta a desviar-se do óbvio, o que se comprovou a cada novidade no set list. Vislumbrando a inauguração de outras séries de RPGs em apresentações, citei nos posts anteriores e nos comentários: Grandia, Arc the Lad, Star Ocean, Valkyrie Profile, Eternal Sonata, Suikoden e Shining Force II. O mestre Fabão expandiu as possibilidades em sua wishlist, reforçando Grandia e destacando Lunar, Seiken Densetsu, Ogre Battle (certo, mais estratégia do que RPG) e Xenogears/Xenosaga.

Pois bem, nenhuma dessas, apesar dos três chutes na trave: Star Ocean, Valkyrie Profile e Eternal Sonata. Motoi Sakuraba na cabeça. Inacreditavelmente, o prolífero compositor jamais teve uma música executada por uma récita orquestrada. Baten Kaitos, série exclusiva de GameCube distinta pelo combate com cartas, é a escolha que vem coroar a sua inexpugnável produtividade. Somente no segundo semestre, concluiu as trilhas de Tales of Symphonia Dawn of the New World e Tales of Vesperia, e prepara as OSTs do anime de Tales of the Abyss, de Tales of Hearts e cuida dos arranjos dos álbuns Tales of Series Battle Arrange Tracks e Tales of Series Piano Selections.

Nobuo Uematsu abre o post com a revelação de que Motoi Sakuraba é um dos seus compositores favoritos, mas nunca teve oportunidade de assisti-lo ao vivo. Acompanha o seu trabalho por revistas e mencionou o fato de continuar a compor para games e para outras mídias. Até adquiriu o último CD solo, Forest of glass.

Em seguida, Uematsu traça um ensaio sobre a música. Fala que ela é composta de vários elementos para os quais é preciso ficar atento: a melodia, o movimento da harmonia, a diversão do ritmo, a beleza do tom, a performance do artista, seu impulso destrutivo… Mas acha que de todos os elementos a melodia é o que toca mais facilmente a sensibilidade do ouvinte. No fim, diz que Baten Kaitos já deveria ter entrado antes no Press Start, e que gostaria de apreciar a música na poltrona da platéia.

Como Uematsu não deu uma indicação sequer de qual música será tocada, vou expor as minhas vontades. Revelo que, vergonhosamente, ainda não tinha ouvido a trilha do Baten Kaitos na íntegra, e reparei a falha assim que soube da novidade do set list. O rock progressivo é exuberante nos empolgantes temas de combate “Vitriolic a Stroke” e “Violent Storm”, mas acho pouco provável que toquem, mesmo em um medley. Ah, isso me lembra do Motoi Sakuraba Live 2004, único dos três shows que ele fez na companhia do baterista Toshihiko Nakamura e do baixista Atsushi Hasegawa com músicas de Star Ocean e Valkyrie Profile em que foram tocadas faixas de Baten Kaitos, e único dos três que não foi lançado em CD. É um complô?

Dentre as peças que poderiam ser orquestradas (a trilha é sintetizada em sua maioria, somente com performances reais de oboé, guitarra, violino e flauta), gostaria de ouvir: a majestosa “To the End of the Journey of Glittering Stars”, a emocionante “Speaking with the Stars” e a nervosa “Supreme Ruler of the Nine Heavens”. Todas do Baten Kaitos ~Eternal Wings and the Lost Ocean~. O Baten Kaitos Origins deve ficar para uma próxima.

Para não correr o risco de esquecer de outra série, diria que Tales, Phantasy Star, Radiata Stories, Golden Sun, Breath of Fire, Parasite Eve, Front Mission, Drakengard, Rogue Galaxy, Etrian Odyssey, Disgaea, Odin Sphere e qualquer outro J-RPG têm chance de ser inserido no Press Start. :D

Já não tenho como agradecer o Fabão pela tradução.

[via PRESS START]

Set list até o momento:

01 – Wild Arms
02 – Super Mario Galaxy
03 – Monster Hunter
04 – Spelunker
05 – Touch! Generations Medley
06 – Samurai Shodown
07 – Uematsu’s Early Years Medley
08 – Ace Attorney


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: