Posts Tagged 'Motoaki Furukawa'

Game Music Tribute Live: mais um novo Game Music Festival?


Por Alexei Barros

Repito a dizer: lá para, 2005, 2006, quando soube da existência da série de shows Game Music Festival, além de me lamentar eternamente pela falta de gravações lançadas das apresentações, também havia uma espécie de conformismo de que os compositores de game music jamais voltariam a formar bandas e subir no palco para tocar suas músicas… Ainda mais porque o pessoal daquela época saiu de cena, ou melhor, das produtoras onde trabalhavam e, quando muito, viraram freelancers. Mas não é que, depois do Japan Game Music Festival realizado em julho, vamos ter OUTRO show com bandas japonesas de game music em 2013? Com vocês, o Game Music Tribute Live, que vai acontecer dias 2 e 3 de agosto.

Ao mesmo tempo em que fiquei satisfeito de ler nomes como jdk Band, Zuntata, Crush 40 e [H.] no programa do JGMF 2013, também senti a ausência de algumas bandas. É não é que justamente as que faltaram no JGMF 2013 vão estar no Game Music Tribute Live? Só me pergunto por que eles não juntam tudo e fazem um show ainda maior, mas cada um deve ter os seus motivos…

A maior surpresa, definitivamente, é o retorno da Gamadelic, a banda da falecida Data East. Apenas peço que ouça a “SHOOOT!!” (do Windjammers) ou então a “Operations Thunder Zone” (do Thunder Zone) para ver como era o som dos caras – um hard rock de primeira qualidade. Só imagino essa competência com uma sonoridade mais moderna. Por favor, lancem álbuns. Eles voltaram para valer mesmo, com direito a site oficial, Facebook e Twitter. E até publicaram no YouTube um vídeo promocional com clipes antigos que eu nunca imaginei que veria na vida:

O JGMF 2013 não tinha a Blind Spot? Aqui está ela, a antiga S.S.T. Band. Aliás, é incrível pensar que a Sega consegue ter TRÊS bandas diferentes tamanha é a sua fartura musical. Impressionante. O JGMF 2013 não tinha o Motoaki Furukawa? Aqui está ele, com a Voyager, fazendo a vez da extinta Kukeiha Club da Konami. Seria muito pedir que ele voltasse a usar o timbre de 1992 (de músicas como a “Fantastic Offroader” do Sound Locomotive), que incrivelmente soa mais atual do que ele vinha usando nos álbuns mais recentes? (Ainda bem que é a primeira vez que falo isso). Eu confesso que nunca entendi muito a razão de existir o Koji Hayama com suas músicas excêntricas para a série Cho-Aniki, mas ele também chegou a tocar no Game Music Festival 94 e vai estar aqui. Meh…

O detalhe é que o site ainda tem um espaço vago com a mensagem “Here comes a new artist!”… Não me diga que é a Alph Lyla da Capcom? Ou então a… Shinsekai Gakkyoku Zatsugidan Special Band da SNK? Melhor não sonhar muito alto porque sei de pessoas que enfartariam caso isso acontecesse.

Para completar, o Game Music Tribute Live também vai ter a participação de quatro cantoras J-pop: Chisa Yokoyama, Mami Kingetsu, Junko Noda e Haruka Shimotsuki. Com exceção da última, que cantou, sei lá, milhões de músicas para jogos diferentes, as outras três são nomes relativamente conhecidos da colossal discografia da série Tokimeki Memorial e tiveram vários álbuns lançados pela Konami (vários deles com músicas originais, sem relação com jogos).

Só vai ser chato acontecer tudo isso e não ser lançada nenhuma gravação…

[via Game Music Tribute Live]

Anúncios

Vídeo promocional do DVD de Motoaki Furukawa

Por Alexei Barros

Como disse antes, o mundo da game music é muito injusto. Além do antigo costume do esforço de um ou mais compositores serem mascarados por pseudônimos ou nomes de estúdios, o mais comum é que os shows não sejam lançados oficialmente.

Por isso, até onde sei, não existem registros da banda Kukeiha Club (1990-1998) da Konami e, por consequência, nunca vi um videozinho sequer do líder e guitarrista Motoaki Furukawa, hoje na Voyager. Já que não tive o mesmo privilégio do Fabão de assistir ao vivo o Hyper Game Music Event 2008, ficava na esperança daquele DVD anunciado em setembro do ano passado.

Então, o DVD Motoaki Furukawa with Voyager Live 2008, que mescla os shows do grupo jazz fusion em Tóquio e Kobe, à parte do Hyper Game Music Event, foi finalmente lançado no dia 25 de agosto pela bagatela de 7000 ienes (quase 139 reais sem impostos). Ainda ninguém subiu as gravações no YouTube (todas as músicas não têm relação com jogos), mas fizeram o grande favor de publicar o vídeo promocional para enfim poder acompanhar uma amostra de Furukawa em ação.

É possível ver, na sequência, todos os integrantes da Voyager: Tetsuya Tatekawa (bateria), Tatsuya Mori (baixo), Kumopi (teclado) e Freddy Nakayama (teclado). Para completar os convidados Ikuma Takeda (saxofone) e o antológico Koichi Namiki (guitarra), ex-S.S.T. Band.

Confesso que eu preferiria o timbre de guitarra que o Furukawa usava antigamente. Parecia mais consistente – basta comparar a “Dear Blue” (Salamander 2) do Kukeiha Club pro-fusion ~Salamander~ com a performance abaixo.

Beatles e game music: tudo a ver

Beatles
Por Alexei Barros

Talvez eu seja o único jogador que não estava contando os dias para o lançamento de The Beatles: Rock Band neste cabalístico 09/09/2009. Não só porque sou indiferente para a maioria desses jogos de ritmo ocidentais (japas é outra história), e também porque enfoca uma banda que não sou admirador – revelação que quase me fez ser apedrejado certa vez, como se fosse obrigação gostar, como se fosse a última maravilha musical do mundo.

Desabafos à parte, é evidente que reconheço a popularidade do quarteto e toda a importância na cultura pop que ainda se perpetua na entrada dos anos 2010. Mais incrível, essa influência dos Beatles pode ser percebida nos compositores de jogos, incluindo os que moram bem longe da Grã-Bretanha, no Japão. Não chega a ser uma Yellow Magic Orchestra em termos de preponderância, mas há muitas relações. Diretas e indiretas. Coincidentemente ou não, todos da lista são alguns dos meus favoritos, o que me leva a crer que seja um fã enrustido dos Beatles.

Continue lendo ‘Beatles e game music: tudo a ver’

Otomedius G: o verdadeiro tributo a Gradius e Salamander


Por Alexei Barros

Foi só reclamar do time de arranjadores desconhecidos de GRADIUS house ReMix que a Konami me faz essa. Lança dois pacotes de músicas para o shmup Otomedius G (exclusivo da Xbox Live Arcade no Japão) com faixas de Gradius e Salamander relidas por um time insigne. Entre os destaques, Motoaki Furukawa, um dos compositores de Gradius II e guitarrista das bandas Kukeiha Club (extinta) e Voyager (na ativa); Takahiro Izutani, funcionário do estúdio GEM Impact de Norihiko Hibino e participante de Metal Gear Solid 4; Akira Yamaoka, compositor e produtor da série Silent Hill; Miki Higashino, eterna autora da trilha de Gradius e pérolas do MSX como Knightmare e Yie Ar Kung Fu; e, para fechar com chave de ouro e colocar a cereja no topo do bolo, Yuzo Koshiro, que dispensa apresentações, com o perdão de todos os clichês. Vou ser impertinente: Koshirão já disse que Gradius foi uma de suas influências – algo que ficou patente em Slap Fight do Mega Drive –, então por que fez o remix de uma faixa do Salamander?

Como não tenho nem mesmo os samples, coloco os links do GoEar para todas as versões originais para refrescar a memória. E é incrível como o som dos jogos da Konami no final dos anos 1980 e início 1990 tem algo mágico, totalmente nostálgico… Numa boa, o que são as músicas do Salamander 2?

Para variar, agradeço ao Fabão por ter transmitido a notícia.

Otomedius G BGM Pack Vol.1 – Gradius

“A Shooting Star” (Gradius II): Motoaki Furukawa
–  “Take Care!” (Gradius II): Hiromu Toda
“In the Wind” (Gradius III): Kplecraft
“Synthetic Life” (Gradius II): Motoaki Furukawa
“Sand Storm” (Gradius III): quad(luvtrax)
“Crystal Labyrinth” (Gradius III): Takahiro Izutani
– “Challenger 1985” [a.k.a. “1st Stage”] (Gradius): quad(luvtrax)
– “Final Attack” [a.k.a. “7th Stage”] (Gradius): Sharaku Kobayashi

Otomedius G BGM Pack Vol.2 – Salamander

“Combat” (Salamander): Akira Yamaoka
“Poison of Snake” (Salamander): Akira Yamaoka
“Silvery Wings Again” (Salamander 2): Naoki Maeda
“Thunderbolt” (Salamander): Akira Yamaoka
“Planet Ratis” (Salamander): Yuzo Koshiro
“Slash Fighter” (Life Force): Miki Higashino
“Sensation” (Salamander 2): Naoki Maeda
“Destroy Them All” (Salamander): Akira Yamaoka


[via Gpara]

Hyper Game Music Event 2008: o set list de Motoaki Furukawa com Voyager


Por Alexei Barros

Acredito que inspirado pelo site do Press Start 2008 ~Symphony of Games~, a página do Hyper Game Music Event 2008 também traz atualizações esporádicas sobre o evento na seção blog. Contudo, não escreverei posts de cada novidade como fiz com o concerto porque há muitos artistas completamente obscuros que fogem do meu alcance – KPLECRAFT? quad(luvtrax)? Uraken?

Ainda bem que começou com Motoaki Furukawa, muito mais conhecido do que os DJs supracitados. Pudera, ele participou do Street Fighter Tribute, foi guitarrista e líder da Kukeiha Club, a banda da Konami que lançou cinco CDs de estúdio nos anos 1990.

Desde 2003 não é mais funcionário da produtora, e retomou a banda Voyager, com a qual se apresentou no Hyper Game Music Event 2007 relembrando cinco músicas da sua carreira: “The Ocean and You” (Guitar Freaks & drummania Instrumental Collection 2), “Just Who I Needed to See” (Policenauts F/N), “Smile For You” (Guitar Freaks & drummania Instrumental Collection), “Memories of Summer Island” (Kukeiha Club) e “Ultra 7”(Ultra 7), única no Hyper Game Music Event 2007 EXTRA The Live Album Vol.1.

Para esse ano, Furukawa revisitará a sua fase de compositor na Konami. Eis a lista, com as observações:

– Otomedius G: Novidade completa. Versão para Xbox 360 do novo shmup da Konami.
– Gradius II:
compôs a trilha com Shinji Tasaka, Kenichi Matsubara e Seiichi Fukami. Arranjou exaustiva e repetidamente: “Burning Heat”, “A Shooting Star” e “Farewell” no Under the Blue Sky ~include Gradius arrange~, “Burning Heat” de novo no Gradius Tribute e “Farewell” novamente e “Maximum Speed” (com Koichi Namiki) no Gradius Arcade Soundtrack. Isso que a Kukeiha Club já havia executado a “Farewell” no Konami Special Music Golden Treasure Chest.
– Xexex: compôs a trilha com Satoko Miyawaki. Arranjou “Battle Cry – All Hands on Station! (Title Demo BGM)” no álbum XEXEX, e a Kukeiha Club chegou a tocar ao vivo a “Breeze”, em arranjo de Kenichiro Fukui (atual tecladista do The Black Mages), em uma apresentação em 1991 que está no pacote Konami All Stars ~1000-Ryo Box Heisei 4th Year Edition~;
– Akumajou Dracula Medley:
nunca esteve nos CDs de estúdio, mas imagino que será o mesmo que a Kukeiha Club tocou em shows ao vivo e foi registrado no Kukeiha Club & Konami Kukeiha Club Best Vol.2 e no mencionado Konami All Stars ~1000-Ryo Box Heisei 4th Year Edition~. Posteriormente criou a trilha do hediondo Castlevania 64 com Masahiko Kimura e Mariko Egawa.
– A-Jax: compôs a trilha com Y. Ueno. A Kukeiha Club tocou “Final Command” na caixa Konami Special Music Golden Treasure Chest.

Tardiamente agradecido ao Fabão pela tradução dos nomes dos jogos.

[via EXTRA]

Motoaki Furukawa lançará DVD com banda Voyager


Por Alexei Barros

Aos poucos a inexistência de lançamentos de CDs e DVDs de shows japoneses de game music parece se diluir. Por exemplo, Motoaki Furukawa, músico de portentosa trajetória na Konami, responsável pela criação e liderança da banda Kukeiha Club durante os oito anos de duração, 1990 a 1998, que renderam cinco álbuns de estúdio, mas nenhum vídeo oficial sequer desse período.

Finalmente poderei ver Furukawa na guitarra agora na companhia do grupo Voyager, o qual ele formou na época pré-Konami e voltou a reuni-lo em 2006, depois de ter deixado a produtora em 2003. A Voyager chegou a participar do Hyper Game Music Event 2007 com cinco faixas, das quais somente uma, “Ultra 7”, está no Hyper Game Music Event 2007 EXTRA The Live Album Vol.1. Quem sabe no postergado DVD evento…

Enquanto esse não vem, a Voyager fará uma apresentação no dia 20 de setembro (como se já não bastassem o Press Start 2008 e o Gyakuten Meets Orchestra nesse mês) em Tóquio, que será lançado em DVD. Os convidados: o saxofonista Ikuma e, a melhor notícia de todas, o guitarrista Koichi Namiki, ex-S.S.T. Band e que fez dupla com Furukawa no álbum Policenauts F/N, e reviveu a parceria F/N na “Maximum Speed (Gradius II)” do Gradius Arcade Soundtrack. Em outubro ainda acontecerá um show em Kobe. Espero que sejam tocadas músicas do soberbo CD solo Sound Locomotive (“Fantastic Offroader”?) e outras do Kukeiha Club (“Memories Of A Summer Island”?).

Apesar de ser um notório arranjador jazz fusion (hoje bem menos inspirado do que antes, é verdade), Furukawa também teve participações na composição de jogos importantes, como Metal Gear, Snatcher, Policenauts, A-Jax, Gradius II e Xexex. Recentemente, foi escalado para a trilha de Thunder Force VI na companhia de Tamayo Kawamoto (Ghosts ‘n Goblins), Go Sato (série Raiden) e Tsuyoshi Kaneko (Segagaga).

[via Square Enix Music Online]

Arranjadores que não podiam faltar no SSBB

sonic_brawl.jpg

Por Alexei Barros

Ainda não consegui descobrir o número exato de músicos envolvidos da trilha sonora hiper-mega estelar (segundo Masahiro Sakurai: “Mais de 30 eu acredito”) de Super Smash Bros. Brawl. São muito mais que 30 mesmo. Lembre-se que a relação de 38 envolve apenas os arranjadores e não os compositores – Nobuo Uematsu, que fez o tema, não está na lista, assim como Akito Nakatsuka, o autor das trilhas de Ice Climber e Zelda II: The Adventure of Link, que não chegou a participar das releituras.

Não contente em ver tantos mestres em um só jogo e projetando o que será o próximo capítulo da série (mas já?), eu selecionei sete músicos que poderiam deveriam ter participado do SSBB por tudo o que representam no cenário gamístico musical ou por terem se destacado como arranjadores.

– Koichi Sugiyama

koichi-sugiyama.jpgVamos lá: tem Nobuo Uematsu, Koji Kondo e Yuzo Koshiro. Faltou Koichi Sugiyama. Ele é apontando (Koshiro já afirmou que ele é o melhor de todos e se pá o Kondo e o Uematsu também, mas eu não me lembro direito) como o pai da game music, consagrando-se com as trilhas sonoras eruditas da série Dragon Quest. Tem relação com a Nintendo, até supervisionou a produção do álbum arranjado Super Mario World. Tudo bem, não há um representante da saga como lutador e também não me recordo de ele ter arranjado faixas que não fossem as próprias composições. Mas, convenhamos, o que Sugiyama faria com as suas interpretações de Zelda, Fire Emblem e, por que não, Mother?

– Norihiko Hibino

norihiko-hibino.jpgQuando falamos de Metal Gear Solid o primeiro compositor que me vem à mente é o saxofonista ex-Konami, Norihiko Hibino. Com Solid Snake ingressando na luta desde a revelação do jogo estranhei a ausência dele na lista de arranjadores. Porém, um adendo: ao menos, algumas composições do Hibino inevitavelmente estarão presentes na Shadow Moses Island, como a versão original Yell “Dead Cell” do MGS2: Sons of Liberty, que inclusive é apontada pelo próprio como a sua música preferida (valeu, Fabão!).

– Hitoshi Sakimoto

hitoshi-sakimoto.jpgDe novo, vamos lá: compositores de RPGs temos Yasunori Mitsuda, Noriyuki Iwadare, Motoi Sakuraba, Yoko Shimomura, Kenji Ito…Cadê o Hitoshi Sakimoto? Não o Sakimoto da pálida trilha de Vagrant Story ou das repetitivas músicas de A.S.H., mas o de Final Fantasy XII, Odin Sphere, Gradius V e um monte. Aliás, você sabia que em toda a sua carreira ele já participou de mais de 100 jogos? Sua faceta erudita seria perfeita para um Fire Emblem e a faceta eletrônica “cairia como uma luva” para hmmm…Metroid, quem sabe?

– Shinji Hosoe

shinji-hosoe.jpgVeja só, Hosoe já arranjou uma música cada nos álbuns Nintendo Sound History Series – Zelda the Music, Metroid Prime & Fusion Original Soundtracks e Famicom 20th Anniversary Arrange Soundtracks (aqui o tema do Dr. Mario). Sempre que há uma festa de game music (ainda tem Street Fighter Tribute Album e Rockman 1 ~ 6 Techno Arrange Ver.), Hosoe é convidado. SSMB é a maior delas e nem o convocaram. Podiam pelo menos ter resgatado esses remixes eletrônicos dos álbuns que citei, como a música grudenta do Dr. Mario…

– Richard Jacques

richard-jacques.jpgO único ocidental da lista e, para mim, seria obrigatório em se tratando de Sonic. Além de ter feito a trilha de Sonic R, o britânico Jacques é o responsável pela orquestração do fenomenal “Sonic Arcade Medley” no VGL. Já temos Jun Senoue e Yuzo Koshiro (:P), por que não ele com algum arranjo do Sonic? E o que dizer das releituras jazzísticas do Out Run então? Fora outras…

– Michiru Yamane

michiru-yamane.jpgPela importância, uma compositora como Michiru Yamane não poderia ter ficado de fora. Nem precisaria aparecer algum personagem de Castlevania. É tão eclética (erudito, rock, fusion etc.) que qualquer música que dessem para ela ficaria fantástica. Do Zelda, Kirby, Yoshi, Mario, Kid Icarus qualquer uma.

– Motoaki Furukawa

motoaki-furukawa.jpgSua prolífica carreira como músico (principalmente arranjador) na Konami garantiu o convite para muitos álbuns comemorativos, mas não o engajamento para Brawl. Falando em Nintendo, ele é o responsável pelo arranjo do tema do Yoshi’s Cookie no Famicom 20th Anniversary Arrange Soundtracks. Só imagino como a “Mute City” ou a “Big Blue” do F-Zero ficaria com o som cintilante de sua guitarra…

Falei de sete e ainda temos Keiki Kobayashi, Masaru Shiina, Tokuhiko Iwabo, Hiroshi Miyauchi, Takayuki Aihara, Masashi Hamauzu, Hiroki Kikuta, Jeremy Soule, Miki Higashino, Akira Yamaoka, Tommy Tallarico…


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: