Posts Tagged 'Mortal Kombat'

Inside Xbox Brasil #17 (ou falando sobre Mortal Kombat e Sub-Zero na internê)

Por Claudio Prandoni

Não é segredo pra ninguém que sou mega blaster fã de Mortal Kombat.

Com o iminentíssimo Mortal Kombat X o hype não poderia ser diferente e já estou contando nos dedos os dias para o lançamento – e procurando em todos os cantos secretos da carteira por dinheiros para tentar comprar uma das edições especiais do game.

Todo esse meu lado ‘kombateiro’ acabou chamando atenção do Nelson Alves Jr. e a equipe de produção do Inside Xbox Brasil que me deram a imensa oportunidade de contar no programa uma das minhas histórias favoritas: minha biografia juvenil do Sub-Zero!

Leitores mais antigos do Hadouken devem se lembrar dessa parada e ainda tem um update bacana: consegui mostrar a parada para o Ed Boon, com autógrafo e tudo do cara, assim como um tuíte que até hoje não assimilei bem se é realmente de verdade uma realidade verdadeira (is this real life?).

O programa tem ainda trechos de uma entrevista bem bacana com o próprio Ed Boon, quando o cara passou pelo Brasil Game Show, em 2014, assim como um depoimento igualmente único e divertido do bróder Renato ‘RAL’ Almeida e a história do Rafael Carvalho – colega ‘kombateiro’ que montou dois fliperamas em casa.

Clica na janelosa aí acima pra assistir a essa edição especial do Inside Xbox Brasil!

Em tempo, a tal biografia aí do Sub-Zero que cito na entrevista está disponível em versão digital meio capenga na íntegra pra ler/admirar/rir/contemplar AQUI.

Em tempo 2 – a missão: por lá na BGS também tive a oportunidade de entrevistar o Ed Boon junto com a querida Fê Pineda e o resultado tá AQUI Ó.

InstaSize_2015_3 _ 22281

Anúncios

Get over here! Produtor de novo Mortal Kombat vem ao Brasil falar sobre o game

Por Claudio Prandoni

Já de longa data dou um jeitinho de falar que sou fã de Mortal Kombat – principalmente de sua história e mitologia fantástica e rocambolesca.

Com relação ao novo Mortal Kombat aí, mostrado um pouquinho antes da E3 2010, a expectativa é bem alta e por vários motivos. Chuto eu que o treco chega em menos de seis meses às nossas mãos fatalityzentas, mas até agora sabe-se pouco sobre o game, com informações disponibilizadas a conta-gotas pela galera do NetherRealm Studios, da produção do título.

Felizmente, vai dar pra matar um bocadão de ansiedade e até tentar captar algumas informações novas direto com o produtor do novo game, o Hector Sanchez, que vem para o Brasil quase no fim do mês para o Brasil Game Show, evento que rola nos dias 20 e 21 no Rio de Janeiro.

O cara estará lá para entrevistas com a imprensa e também sessões de autógrafo e até demonstrações para o público. Passa lá, parece que vai ser bem bacana!

Em agosto tive oportunidade de entrevistar o Hector por e-mail para o UOL Jogos e ficou bem claro que ele manja e muito da série, ou seja, é um fã no comando da parada ao lado do tio Ed Boon, um dos criadores da franquia.

Fico em dúvida se devo levar uma cópia daquela biografia (agora já bem desatualizada) da família Sub-Zero para apreciação…

Aliás, de bônus, logo abaixo um trailer novinho mostrando um pouco da história do Sub-Zero no novo Mortal Kombat:

A expectativa pela E3 2010 – junto com a tal da Copa do Mundo

Por Claudio Prandoni

A exemplo da TGS do ano passado, a E3 2010 começou uma semana antes praticamente.

As cortinas se abrem em Los Angeles somente hoje de noite, com a apresentação da Microsoft sobre o Project Natal com o Cirque du Soleil, mas nestes últimos 7 dias já vimos um monte de novidades bem bacanas: Mortal Kombat, FIFA 11, Rock Band 3, Marvel vs Capcom 3 e outros tantos.

Inclusive, ajudei a preparar lá em UOL Jogos um álbum de imagens das principais promessas para a feira, assim como um vídeo destacando o que devemos ver de mais bacana nas conferências e afins.

Pessoalmente fiquei mais feliz com o novo MK – esse do trailer aí abaixo ó.

Implico um pouco com a vibe retrô demais – assim como fiz com Street Fighter IV – mas não nego que sou fã da era de ouro da série e torço para que retome o espírito violento sem noção místico das antigas.

Ah, curti pra caramba também o tal trailer de projeto de filme ou coisa assim. Fiquei bem impressionado, aterrorizado, mas sei que é o tipo de coisa que dificilmente viraria jogo. Ainda assim, curti demais.

Rock Band 3 traz tecladinho e um interessante modo que ensina a tocar instrumentos de verdade. O FIFA, como sempre, promete mais do mesmo, mas eu sou da turma do Pro Evolution Soccer, então não fico tão ouriçado.

Pegada do futebol mesmo é essa Copa do Mundo 2010, a primeira vivenciada pelo Hadouken e que conta inclusive com cobertura ao vivo simultânea in loco(?) de mestre Gustavo Hitzman – que prometeu uma entrevista com a Shakira – , e que tambem cuidará da tarefa de cobrir a E3 ao vivo simultâneo in loco. Como ele fará isso? Não importa: a Hadouken Mega Multi Corporations Unltd. está pagando bastante para o cabeludo sem vergonha.

Pedimos inclusive de mentira a opinião do twitter falso do narrador Cléber Machado sobre o assunto: “Se @gus_hitzman estiver na África e em Los Angeles a tempo de cobrir a Copa do Mundo e a E3 ele conseguirá. Caso contrário, não conseguirá. Ou não”.

Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero Saga

mortal-kombat-mythologies_sub-zero-saga_01Por Claudio Prandoni

Lá pelos idos de 1998 me aventurei no Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero. O jogo é toscão, ainda mais na versão Nintendo 64, justo a que eu joguei. Mesmo assim me apaixonei pelo troço. Zerei várias vezes, conseguia até matar o chefão final o que, acredite, não era tarefa simples – o mais normal era fugir por um portal malandro.

Enfim, minha fixação nos olhos do retrato na história do game – e da série MK, de maneira geral – era tamanha que cheguei ao cúmulo de escrever um livro sobre isso. Não bem um livro, mais como se fosse um livretinho, um manual, um complemento de certa forma – tem até ilustrações desenhadas a mão.

O foco é exclusivo no Sub-Zero e todos os acontecimentos que o rodeiam desde antes da criação do Mortal Kombat até o final de Ultimate Mortal Kombat 3. Detalhes todos coletados lá no longínquo e offline ano de 1998 em manuais de jogos e revistas de videogame.

Ok, tem uma certa dose de vergonha infantil e tal, mas que graça teria manter isso esquecido no fundo de uma gaveta aqui em casa?

Para apreciar este arroubo mortal literário da juvenil idade, basta acompanhar página a página na galeria mais abaixo – ou a versão mais interativa bonita no Issuu.

Comerciais gamers: Blanka esmaga Mortal Kombat

Por Alexei Barros

Por mais que a franquia Street Fighter seja refém da fama de SFII, não dá para negar que atualmente é muito mais relevante do que Mortal Kombat. Nem sempre foi assim, claro. Na época 16-bits as duas viviam o píncaro da fama, e arriscavam uma rivalidade. Ed Boon até sonha um dia com um Mortal Kombat vs Street Fighter – só se os personagens da Capcom forem como no bisonho jogo Street Fighter: The Movie.

O comercial remonta o período do lançamento de Street Fighter II’ – Special Champion Edition para Mega Drive, que se vangloriava por ter a melhor adaptação de Mortal Kombat – com sangue, não leite como no Super Nintendo.

A alfinetada não é sugerida no vídeo. É totalmente explícita. Notória também é a mão esverdeada de Blanka pulverizando a caixa de Mortal Kombat – forte a ponto de desintegrar o cartucho! No mais, o comercial é um tanto sem pé nem cabeça.

All your Mortal Tetris The IT Crowd Kombat Lemmings are belong to us!

Por Claudio Prandoni

Momento nostalgia túnel do tempo laborial: eu e maestro Barros fomos responsáveis durante muito tempo pela Arena Magazine, uma revista digital sobre cultura pop exclusiva do portal Arena Turbo.

Maestro editava e eu fazia o café alguns textos.

Certa vez, na edição número 23, de agosto de 2007, o Alexei dissertou sobre o genial seriado The IT Crowd, uma comédia geek cujos alusões a games abundavam. Isso transparecia também nos menus dos DVDs do programa, que mimetizam games clássicos.

A dose foi repetida na segunda temporada e o resultado absolutamente fantástico você confere no vídeo logo acima em que paródias totalmente hilárias de Tetris, Mortal Kombat (o primeiro) e Lemmings são feitas.

Mas a melhor de todas as homenagens é a última que referencia uma das cutscenes mais antológicas de toda a história dos videogames: a abertura da versão ocidental do shooter Zero Wing, de Mega Drive, com o célebre bordão “All Your Base Are Belong To Us”!


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: