Posts Tagged 'Michiko Naruke'



“Donkey Kong Medley” – DK64 e DKC2 (VGO @ Berklee Performance Center)

Por Alexei Barros

Desde a primeira vez em que falei da Video Game Orchestra, o que mais queria ver era o medley do Donkey Kong prometido para a apresentação no dia três de maio no Berklee Performance Center, com arranjo do vencedor do concurso 1st Call for Arrangers, o estudante de composição para cinema James Whisenand.

Poderia reclamar da ausência de diversas músicas esquecidas (“Simian Segue”, “Aquatic Ambiance” e outras), mas não vou ser mesquinho, afinal Whisenand fez aquilo que nenhum concerto profissional se atreveu e que há muito se esperava: orquestrou a “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)”!

Mas antes vem a “Jungle” do Donkey Kong 64, que é uma releitura da “DK Island Swing” do Donkey Kong Country. Aproveitando a levada jazzística, a introdução é tocada de maneira muito apropriada na bateria, seguindo por contrabaixo acústico, trompetes, trombones, violinos, clarinete, saxofone soprano, xilofone e por aí vai.

Na sequência aparece a “Bramble Blast” do Donkey Kong Country 2 baseada não na original, mas na arranjada pela Michiko Naruke para o Super Smash Bros. Brawl. Está fiel à releitura, com o beliscar das cordas dos violinos (o pizzicato), o solo de violão, prosseguindo ao clímax quando entram metais e a bateria ainda mais forte, encerrando com o violão.

Porém, por mais que o arranjo do Brawl seja interessante, preferiria que a orquestração fosse baseada na “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)” original, que possui andamento mais lento, as esparsas intervenções do piano e principalmente o timbre grave eletrônico, que poderia ser feito pelo teclado.

“Donkey Kong Medley”
“Jungle” (Donkey Kong 64) ~  “Bra
mble Blast” (Donkey Kong Country 2 & Super Smash Bros. Brawl)

Anúncios

RIZ-ZOAWD: o retorno triunfal de Michiko Naruke

Michiko Naruke, com o compositor Hitoshi Sakimoto à esquerda e o produtor Tetsuya Okubo à direita
Por Alexei Barros

Embora eu e mais ninguém no Hadouken tenha citado o simpático RPG RIZ-ZOAWD, torço bastante pela localização norte-americana. Baseada na história de O Mágico de Oz – perceba que o nome  é um anagrama –, foi lançado no Japão no Natal do ano passado para DS, e junto veio um CD promocional com parte da trilha sonora. A OST completa saiu há poucos dias, precisamente 25 de fevereiro.

O que mais chama a atenção é a inédita parceria da Michiko Naruke com o Hitoshi Sakimoto – posteriormente Masaharu Iwata e Kimihiro Abe, ambos do estúdio Basiscape, se juntaram à dupla. Melhor ainda, o retorno da Naruke à composição, algo que não acontecia desde Wild Arms 4 (2006). Depois do período improdutivo, fez três arranjos em Super Smash Bros. Brawl e co-arranjou com a Natsumi Kameoka o medley de Wild Arms e Wild Arms: 2nd Ignition para o Press Start 2008.

Para RIZ-ZOAWD, Naruke compôs apenas três músicas, sendo os temas de abertura e encerramento cantados pela Kaori Asoh (Wild Arms 2nd Ignition) e uma versão instrumental da faixa do preâmbulo. Peço toda a atenção para a fantasticamente ensolarada “RIZ-ZOAWD!” – isso que J-Pop nem está entre os meus estilos favoritos. As intervenções da guitarra são extasiantes.

“RIZ-ZOAWD!”
“If You Follow the Brick Road ~RIZ-ZOAWD!Arrange~”
“Our House on a Ridge”

Press Start 2008: a estréia de Wild Arms

Wild ArmsPor Alexei Barros

Diferentemente do Press Start 2006 e 2007, quando os set lists foram anunciados de uma só vez, o Press Start 2008 se iluminou no Smash Bros. DOJO!! para trazer novidades em doses homeopáticas. Não por acaso, uma vez que os organizadores Shogo Sakai, Nobuo Uematsu, Masahiro Sakurai, Taizo Takemoto e Kazushige Nojima participaram de uma forma ou de outra do Super Smash Bros. Brawl. Melhor assim: em vez de um infarto fulminante, mini-infartos a cada atualização para evitar o óbito dos fãs de game music de carteirinha.

Depois de tantos depoimentos em japonês dos responsáveis pelo concerto, hoje foi finalmente inaugurada a seção do set list que, como disse, traz apenas a revelação de uma música. Na verdade, não foi divulgado o nome da faixa, mas o jogo: Wild Arms. Detalhe: a trilha sonora nunca havia sido orquestrada e representada em um concerto antes. Quando eu acho que consigo antever o que virá pela frente, eles me trazem uma notícia dessas.

Graças à misericórdia do Fabão para traduzir o teor do post empolgado do Shogo Sakai sobre a inclusão, vem a bomba (no bom sentido): a compositora Michiko Naruke, que fez a adaptação sinfônica, regerá a orquestra, com convidados especiais para tocar violão e reproduzir os assobios! Não é 100% de certeza, mas pela descrição tudo leva a crer que é a “Into the Wilderness”, o tema de abertura do primeiro Wild Arms.

Mais uma vez, muito grato ao Fabão pela tradução.

P.S.: Arrojada, a inserção de uma música de um RPG fora do antro Square Enix só me faz sonhar com Grandia (hoje, na verdade, sob a tutela da Squenix)… Tá certo que o Noriyuki Iwadare vai estar meio ocupado no tribunal em 23 de setembro, mas o Press Start acontecerá antes, dia 14…

[ATUALIZAÇÃO] Em adendo, o Masahiro Sakurai deu um comunicado aos fãs sobre as faixas do segmento do Wild Arms: a prevista “Into the Wilderness” e logo na emenda, “You’ll Never Be Alone”, também da Naruke e cantada por Kaori Asoh na introdução do Wild Arms 2nd Ignition, mas em versão instrumental.

[via PRESS START]


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: