Textos categorizados 'Low-tech Son'

“Main Theme” – Bomberman 2 (Low-tech Son: 9th Live)

Bomberman 2
Por Alexei Barros

A banda doujin Low-tech Son fez aquilo que deveria ser obrigação para todos esses grupos amadores japoneses: gravar as apresentações. No mais recente show 9th Live eles publicaram vídeos das músicas com a big band T.E.O. e MP3s das performances somente com o conjunto.

A faixa que destaco reproduz uma memorável melodia 8-bits de uma compositora de trajetória curiosa. Além de participar em games, June Chikuma faz parte do trio Le Club Bachraf enfocado em música egípcia e tunisiana e que recentemente tocou na trilha de Sonic and the Secret of Rings.

A “Main Theme” de Bomberman 2 é praticamente a mesma que toca no primeiro jogo, com uma variação ou outra. A escolha dos timbres da guitarra, do teclado e do órgão hammond são baseadas na original e soam como uma versão atual da música 8-bits. Depois entra o shakuhachi, flauta de bambu que destoa da banda conferindo um clima quase que do Japão Feudal. Nesse caso, gostaria que fosse saxofone ou então EWI. Solos de guitarra aguda e baixo comedido mais adiante para fechar. Preferências à parte, é mais uma performance pró-amadora de uma música pouco arranjada – é a primeira vez que falo das trilhas do Bomberman.

- “Main Theme” (Bomberman 2) – Low-tech Son

“Super Mario Land Medley” – Super Mario Land (Low-tech Son e T.E.O.: 9th Live)

Por Alexei Barros

Super Mario Land é um dos poucos jogos de plataforma do Mario que a trilha não é do Koji Kondo. Talvez essa seja a explicação para ser tão pouco lembrado pelos concertos profissionais e amadores. Mas as músicas são do Hirokazu Tanaka, e talvez se não fosse pela Low-tech Son e a Tezuka Yusuke Enharmonic Orchestra não me daria conta da qualidade.

Como de praxe em se tratanto de Hip Tanaka, são duas faixas grudentas que ficaram maravilhosas com a sonoridade big band da T.E.O. Depois da introdução no piano, a sessão jazzística tem início, e na performance da “Marine Pop, Sky Pop!”, que entremeia a “Rocket Ship Ride”, nota-se uma forte influência de jazz latino, com direito a apitos e percussão. Para não ninguém dizer que sempre falo mal das transições, está aí um exemplo perfeito de passagens muito naturais (2:10 e 3:25). No final tem umas desafinadas de leve, mas são pequenos detalhes. Eis um medley que poderia fazer parte do Mario & Zelda Big Band Live.

“Super Mario Land Medley”

“Rocket Ship Ride” ~ “Marine Pop, Sky Pop!” ~ “Rocket Ship Ride”

“Mother Medley” – Mother (Low-tech Son e T.E.O.: 9th Live)

Por Alexei Barros

Trago mais um vídeo do excepcional show 9th Live da banda Low-tech Son e da big band Tezuka Yusuke Enharmonic Orchestra: medley do Mother, o predecessor do EarthBound lançado somente no Japão para Famicom em 1989. Talvez seja a primeira vez que faço um post dedicado referente à série do Shigesato Itoi, mas aos poucos estou tentando ser, além de fã das músicas, apreciador dos jogos, embora tenha descartado o primeiro Mother pela dificuldade ridiculamente absurda (é possível jogar em inglês por conta da ROM do protótipo Earth Bound Zero que vaga pela Internet).

Havia me interessado pelas composições porque um dos compositores da série é ninguém menos do que o mestre Hirokazu Tanaka, que fez a trilha desse Mother e do EarthBound com Keiichi Suzuki, músico da banda Moonriders que escreveu poucas faixas para games – ele também é o autor da trilha de Real Sound: Kaze no Regret, o bizarro projeto do Kenji Eno para Saturno que consistia em um adventure sem qualquer tipo de elemento visual, apenas áudio. Aliás, mais uma vez comprovando como o mundo é pequeno, Suzuki chegou a formar a dupla The Beatniks com o baterista da Yellow Magic Orchestra, Yukihiro Takahashi.

Falando sobre o medley, mais uma vez a performance é extraordinária, conseguindo alternar entre faixas melosas, agitadas e românticas sem ficar com a sensação de que é uma colagem tosca. Os metais provocam um chofre logo na abertura com a “Bein’ Friends”, em alternância com o teclado. Baixo e outros metais sobressaem durante a “Approaching Mt. Itoi”, e daí se ouve o som de introdução de batalha. O tema de combate “Hippie Battle” é tocado de maneira apoteótica na guitarra rockabilly, na companhia dos metais e teclado. Passado o êxtase, aparece a melódica “Pollyanna (I Believe in You)” e a adocicada “Eight Melodies”. É possivelmente o melhor medley materno já feito. Como o Mother só saiu no Japão é pouco provável que os jogadores reconheçam as músicas, mas algumas delas apareceram em novas versões na série Super Smash Bros.

“Mother Medley”

“Bein’ Friends” ~ “Approaching Mt. Itoi” ~ “Hippie Battle” ~ “Pollyanna (I Believe in You)” ~ “Eight Melodies”

“Clash on the Big Bridge” – Final Fantasy V (Low-tech Son e T.E.O.: 9th Live)

Por Alexei Barros

Minha infindável busca pela “Clash on the Big Bridge” orquestrada foi tão afoita que até me fez colocar performances imperfeitas da música do Final Fantasy V. Pois bem, a procura acabou. Sim, ainda não é uma orquestra com cordas e madeiras, mas ouvi-las com a adicional dos metais já é algo de outro mundo.

O arranjo é da banda doujin Low-tech Son, que inclusive tinha mostrado uma impressionante (só que perto dessa ficou eclipsada…) versão a quatro mãos da “Clash on the Big Bridge” no piano. Na última apresentação, 9th Live, realizada em fevereiro de 2009, o grupo instrumental resolveu se juntar à big band T.E.O. (sigla para Tezuka Yusuke Enharmonic Orchestra), e como resultado a execução ficou simplesmente ESTONTEANTE. Aliás, perdão pelo excesso de palavras em caixa alta no texto a partir de agora.

A soberania da performance é tamanha que chega a ser covardia comparar com qualquer outra versão já feita da música – e falo de The Black Mages, CellythmFFXII etc. Mostra também como os amadores japoneses estão a anos-luz dos amadores ocidentais. Os primeiros são pró-amadores e os outros amadores esforçados. Claro que há exceções.

Sou a favor da completa exibição do talento, mas os instrumentistas são tão talentosos, mas tanto, que exageraram na exibição virtuosística. Isso fica muito claro na introdução no piano, com floreios altamente excessivos. Aí entram em cena os metais da T.E.O. AFIADÍSSIMOS. AFINADISSÍSMOS. FANTÁSTICOS.

Aproveitando a presença da big band, o arranjo ficou com uma entoada jazzística, com a intervenção de solos de shakuhashi (flauta de bambu), que surpreendentemente não ficou deslocada perto da sonoridade potente de outros instrumentos, e da guitarra arrebatadora. Para completar, as alternâncias entre os metais e a bateria (só o abuso dos pratos me incomodou um bocado) são incríveis.

Aviso aos apreciadores da “Clash on the Big Bridge”: assistir ao vídeo é uma imposição.

“Chrono Trigger” – Chrono Trigger (Low-tech Son)

Por Alexei Barros

Mais Chrono Trigger da Low-tech Son, e em dose dupla. Em vídeo, a versão jazzística do tema principal “Chrono Trigger”. E em áudio, no site da banda, é possível baixar o Ukulele Medley”, que inclui “Guardia Millenial Fair”, “Wind Scene” e “Crono and Marle” interpretados no ukulele (instrumento similar ao violão, mas  de quatro cordas) e flauta com uma levada celta – Yasunori Mitsuda ficaria orgulhoso.

“Corridors of Time” – Chrono Trigger (Low-tech Son)

Por Alexei Barros

Não contente os compositores japoneses serem melhores do que os ocidentais, as bandas nipônicas de fãs também são centenas de vezes superiores aos grupos amadores gamísticos do resto do mundo – para mim, que fique claro, não interprete como uma verdade absoluta.

Além do impressionante dueto no piano que mostrei, o conjunto doujin Low-tech Son também fez a sua versão da “Corridors of Time” do Yasunori Mitsuda. Enquanto na original a melodia era entoada por uma espécie de guitarra cítara sintetizada, aqui é uma agradabilíssima flauta. O guitarrista ainda mostra a sua habilidade com um solo. Esses caras são bons!

“Clash on the Big Bridge” – Final Fantasy V (Low-tech Son)

Por Alexei Barros

Já cansei de falar: às vezes a paixão dos fãs japoneses é tão vigorosa que suplanta até mesmo o trabalho dos profissionais. “Clash on the Big Bridge” (a.k.a. “Battle with Gilgamesh”) é uma das composições mais criativas do Nobuo Uematsu, e certamente a melhor do Final Fantay V. “Clash on the Big Bridge” foi arranjada para solo de piano por Shiro Sato e interpretada por Toshiyuki Mori na Piano Collections Final Fantasy V. Porém, eis que dois mestres do piano da banda doujin Low-tech Son resolveram se juntar para tocar uma impressionante versão a quatro mãos que superou a oficial. O entrosamento é impressionante:


RSS

Twitter

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.513 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: