Textos categorizados 'Inon Zur'

Play!: as estreias de Halo: Reach, Dragon Age II, Metroid e dos novos números de Mario e Zelda


Por Alexei Barros

Gostou da “Terra’s Theme” e do “Castlevania Medley” do Play! A Video Game Symphony? Ambos os arranjos são de Chad Seiter (informação atualizada no primeiro post), um dos compositores do FPS Fracture. O que dizer então quando o seu talento for direcionado para a sacrossanta tríade de franquias da Nintendo, além de Halo: Reach e Dragon Age II? Altamente promissor. Os cinco segmentos estão marcados para debutar em 21 de junho em Seattle, com uma reprise no dia 22.

Metroid jamais esteve representado no programa da turnê. Tenho esperanças que façam justiça à trilha do Hirokazu Tanaka, na maioria das vezes esquecida em favor do trabalho do Kenji Yamamoto e da Minako Hamano em Super Metroid. Alguma(s) da trilogia Metroid Prime não fariam mal a ninguém. “Super Mario Bros. Suite” e “The Legend of Zelda Suite” eram duas partituras exclusivas, preparadas por Jonne Valtonen, mas ainda assim vão investir nas novidades. Zelda, aliás, será a “Overture” orquestrada do ZREO: Twilight Symphony.

O Play! já contava com o medley “Halo”, arranjo de Arnie Roth com faixas da trilogia e agora terá um segmento dedicado ao Halo: Reach. E se em Dayton ocorreu a estreia de Dragon Age: Origins (não mostrei aqui pela baixíssima qualidade do único registro disponível no YouTube), haverá Dragon Age II em Seattle – isso se o site não estiver se confundindo e for o mesmo número –, com a performance vocal da cantora Aubrey Ashburn. Ela, o compositor de Halo Martin O’Donnell e Chad Seiter estarão presentes na sessão de autógrafos também.

[via Play!]

Play!: os debutes de Dragon Age: Origins e do novo segmento de Castlevania


Por Alexei Barros

Aos poucos, a turnê Play! A Video Game Symphony, que parecia passar pelos últimos momentos de existência, está ensaiando uma melhora. Se o Civilization V não empolgou muito (nem sequer encontrei uma gravação no YouTube), a novidade da “Overture” do The Legend of Zelda: Twilight Princess baseada no arranjo do Twilight Symphony é para se animar, embora ainda não se saiba a data da estreia.

Antes, um par de segmentos foram confirmados para o concerto em Dayton, Ohio, que se dará dia 31 de março, no Schuster Center, com a Dayton Philharmonic e o Dayton Chorus. Dragon Age: Origins já foi tocado no A Night in Fantasia 2009, inclusive com performance vocal da Aubrey Ashburn e arranjo do próprio compositor Inon Zur, mas estranhamente o segmento se ausentou do CD. Ao que tudo indica, não haverá solo similar no Play!.

Mais promissor é um segmento inédito e exclusivo da série Castlevania arranjado por Chad Seiter, o mesmo responsável pela orquestração do segmento de Twilight Princess. O site oficial adiantou parcialmente as seleções: “Moonlight Nocturne” (Symphony of the Night), presente no supervalorizado “Castlevania Rock Overture” do Video Games Live; “Iron Blue Intention” (Bloodlines), música jamais arranjada oficialmente; “Bloody Tears” (Simon’s Quest), selecionada no subestimado “Castlevania Medley” do Press Start 2007; e alguma faixa que a página não informa do Lords of Shadow, cuja trilha original é assinada pelo espanhol Óscar Araujo, e marcou a limiar de uma digressão no estilo musical de Castlevania na era pós-Michiru Yamane.

Contudo, não sei se seria melhor deixar o Lords of Shadow para um número avulso, como se costuma fazer com Super Mario Galaxy, dada a diferença de faixas arranjadas para orquestra e composições já pensadas para orquestra. Volto a frisar que o Play! já tinha um segmento da série, o “Castlevania Suite”, que fez parte do set list do Fourth Symphonic Game Music Concert (2006). Para o bis, foi prometida uma nova roupagem de um clássico conhecido, mas tal surpresa foi mantida em sigilo. Vai saber.

O maestro Andy Brick está confirmado no cargo de diretor musical, ele que vinha regendo as apresentações depois da saída de Arnie Roth. Também se junta ao time do Play! o diretor e produtor de vídeo Anthony Pagano, que já trabalhou com nomes como The Jonas Brothers, Pavarotti, Ennio Marricone e Elton John.

Fico na expectativa de coisa boa, mas para me convencerem mesmo deviam lançar um CD que nos fizesse esquecer do duvidoso Play! A Video Game Symphony Live.

[via Play!]

A Night in Fantasia 2009: eminente só no mundo da fantasia


Por Alexei Barros

Parece até um milagre hoje em dia: o lançamento da gravação de um concerto com arranjos inéditos e exclusivos em meio ao oceano de restrições de direitos autorais que aterrorizam as apresentações de game music, a maioria com versões recicladas. Mas minha empolgação é contida. Serei franco: ainda que o currículo da Eminence seja respeitável, eles ainda têm muito o que aprender com a produção, organização e divulgação, áreas que resistem em permanecer com um pé no amadorismo. Por exemplo, o que aconteceu com Valkyria Chronicles e Diablo III no set list e o Hitoshi Sakimoto na plateia, que chegaram a ser anunciados no site oficial?

Vou além. Mesmo a performance, sempre exaltada, não é tão exímia quanto deveria. Isso me leva a questionar as autopropagandas e o hype exagerado  no site oficial, Facebook e Twitter – na maioria das vezes dispensáveis, como aqui –, e os elogios exacerbados do grande séquito de fanboys espalhados pelo mundo. Eu me incluía no grupo de admiradores (ainda me mantenho, com ressalvas) mais extasiado pelas exclusividades do set list (Final Fantasy XII e The Legend of Zelda: Twilight Princess especialmente) do que pela primazia ou arrojo da execução, muito porque os registros são escassos.

O CD duplo do A Night in Fantasia 2009, que foi oficialmente anunciado para sair no dia 8 de janeiro de 2010, atrasou um pouco, nada digno de nota. Uns dois meses. Quem comprou por pré-venda no site da Eminence recebeu o álbum no final de março e início de abril. Considerando que a apresentação ocorreu dia 26 de setembro de 2009, seis meses é um tempo habitual que separa o concerto do lançamento do CD, então por que anunciar a data de maneira tão precoce? Além disso, em um primeiro momento a gravação seria feita em estúdio, não ao vivo – felizmente a qualidade de áudio é elogiável, com alguns aplausos mais efusivos no final de determinadas performances.

Como fiz na ocasião do concerto, quando comentei sobre as músicas de uma gravação amadora, falarei sobre cada faixa do disco 1 intitulado “Symphonic selection from Video Games” – seleção porque Command and Conquer: Red Alert 3, Darksiders, God of War II, Dragon Age: Origins e Metal Gear Solid 2 / 3 não entraram no CD. O disco 2 traz os segmentos de animes que tomei a liberdade de passar batido. É uma mistura interessante de quatro seleções de jogos japoneses e duas de ocidentais, sendo que estas nunca foram lembradas em outra oportunidade.

Pelo título do post, alguns podem pensar que o CD é um desastre. Claro que não é assim. Tem pontos positivos e negativos. É bom, mas não é tão eminente como comento depois do Hadouken.

Continuar lendo ‘A Night in Fantasia 2009: eminente só no mundo da fantasia’

A Night in Fantasia 2009: Darksiders e Dragon Age: Origins

A  Night in Fantasia 2009
Por Alexei Barros

A pergunta que não quer calar: o que houve com o A Night in Fantasia 2009? A divulgação do concerto australiano que acontecerá no dia 26 de setembro no Sydney Entertainment Centre estava meio nebulosa. Alguns jogos tinham sido confirmados no set list em fevereiro no site oficial,  e depois bisonhamente foram excluídos Valkyria Chronicles e The Tower of Druaga: The Aegis of Uruk (anime), ambos com trilhas de Hitoshi Sakimoto que foram executadas pela própria Eminence Symphony Orchestra nas versões originais. Desde então a página entrou em estado de hibernação, sem qualquer atualização.

Em março, o SEMO corroborou com exclusividade Afrika, e agora no final de julho, quatro meses depois, o OSV re-revelou a realização do concerto, como se nada tivesse sido anunciado antes, publicando o release que também ratificou a inclusão de Darksiders (trilha de Cris Velasco, o mesmo de God of War) e Dragon Age: Origins (do Inon Zur, de Fallout 3, Prince of Persia e Crysis). Desculpe a minha ignorância, mas jamais tinha ouvido falar desses dois jogos ainda não lançados: o primeiro é um RPG de ação para PlayStation 3 e Xbox 360 que sairá no começo de 2010 e o outro, RPG da BioWare para PC, PS3 e X360 que chega em outubro de 2009 – acredito que esse pelo menos eu deveria ter sabido a existência. Estranhamente, o release não menciona que o concerto teria um CD gravado em estúdio com alguns dos arranjos exclusivos que serão executados na apresentação.

Considerando então o que está listado no site atualmente e no release, é isso o que consegui compilar do set list. Como informado, nota-se que o foco desta vez são os jogos ocidentais não aproveitados nas edições anteriores do concerto.

Jogos:

- Shadow of the Colossus
- Diablo III
- Ace Combat V
- iDOLM@STER
- Afrika
- Darksiders
- Dragon Age: Origins
- Metal Gear Solid
- Prince of Persia
- Command & Conquer: Red Alert 3

Animes:

- Astro Boy
- Studio Ghibli
- Totoro
- Laputa
- Princess Mononoke
- Death Note
- Steamboy

[via OSV]

Video Games Live: sem críticas à Crysis


Por Alexei Barros

Faz tempo que não saía uma boa notícia do Video Games Live. Talvez desde a iniciação de Metroid no set list. Durante a Games Convention – por favor, que seja melhor que a apática E3 2008! –, dia 20 de agosto, no Leipzig Arena, Alemanha, acontecerá a apresentação do VGL que tocará pela primeira vez no mundo uma peça de Crysis, cuja trilha sonora foi criada pelo israelense Inon Zur, compositor de Champions Of Norrath e colaborador de Prince of Persia: Warrior Within. A estréia da música tem um elemento especial que é o fato de a desenvolvedora do FPS, Crytek, ser alemã.

Achei a adição extremamente positiva porque, apesar de não conhecer o trabalho musical, são faixas de um jogo muito mais representativo do que as implementações anteriores do nível de Conan, Harry Potter and the Order of the Phoenix, Lair e Command & Conquer: Red Alert… É complicado incluir Super Mario Galaxy, Super Smash Bros. Brawl, Soul Calibur, Shadow of the Colossus, Donkey Kong Country e Chrono Trigger? Certo. Então que se concentre em novidades ocidentais, mas desde que sejam novidades decentes, como Crysis e BioShock. E que tal Fable, Call of Duty, Brothers in Arms, Hitman, Black, Assassin’s Creed, The Elder Scrolls IV: Oblivion e, não me canso de bater na mesma tecla, o “Main Theme” de Medal of Honor: Allied Assault?

A expectativa, claro, é que Crysis seja executado na turnê brasileira que terá apresentações, por enquanto, em Brasília, dia 28 de setembro, e no Rio de Janeiro, com abertura da banda Mega Driver, uma semana depois, 5 de outubro. São Paulo não foi confirmado. Ainda.

[via Music 4 Games]


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.513 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: