Posts Tagged 'Hiroaki Yura'

“Meridian Dance” – Secret of Mana (Game Music Laboratory Tokyo 2nd [unplugged])

Por Alexei Barros

Ao terminar Secret of Mana, você acabará ouvindo muito mais vezes a “Danger”, que toca na batalha contra os chefes, do que a “Meridian Dance”, que aparece somente no combate final. Óbvio. Mas isso não está relacionado à popularidade, porque, pelo que acompanho nos comentários, a “Meridian Dance” parece ser muito mais elogiada que a “Danger”. Isso acontece em muitos outros casos também, mas é só uma constatação, porque prefiro a “Danger”.

Por isso, não é de estranhar que no Game Music Laboratory Tokyo 2nd [unplugged] tenham tocado, além da “Danger”, a “Meridian Dance”, visto que o violinista Hiroaki Yura, acompanhado por outro violino, piano, baixo e bateria já tinha executado a “Meridian Dance” na apresentação Passion (2007) na Austrália. A maior vantagem em relação à nova versão é que dá para ouvir muito bem o baixo elétrico, coisa que não era possível no outro por ser uma gravação da plateia com muita ambiência.

Mas… não gostei de três coisas. Dispensável o uso da keytar nesta performance, dialogando com o violino – melhor seria se fosse com a guitarra ou mesmo outro violino. E outra: os solos alternados cairiam melhor na segunda vez em que a banda repetisse a faixa, não logo de cara, para preservar toda a maravilhosa alternância melódica da música. O ponto em que escolheram para terminar ficou estranho. Em compensação, a reprodução da progressão harmônica no violino (a partir de 0:52 no vídeo) é digna de louvor, ainda que o Hiroaki Yura tenha errado um pouco no final deste trecho.

Durante os aplusos, os compositores Kenji Ito e Hiroki Kikuta, o autor desta faixa, sobem ao palco.

Anúncios

“Danger” – Secret of Mana (Game Music Laboratory Tokyo 2nd [unplugged])

Por Alexei Barros

Pela raridade com que a “Danger” aparece nas miscelâneas de Secret of Mana, pensei que fosse um dos poucos fãs do alucinante tema de batalha com chefes. Percebi que não estava sozinho quando foi eleita a 139ª na votação das 700 melhores faixas de games de acordo com os japoneses. A terceira colocada do total de cinco músicas do Secret of Mana que apareceram na relação: atrás de “Prophecy” (67ª) e “Meridian Dance” (86ª) e à frente de “Angel’s Fear”(164ª) e “Into the Thick of It” (205ª).

Mais satisfeito fiquei com o arranjo tocado no show Game Music Laboratory Tokyo 2nd [unplugged], realizado no dia 6 de fevereiro de 2011 e que só não mencionei antes porque não seria conveniente falar do evento se não houvesse vídeos. Felizmente, há. De tudo. Nem tudo é tão interessante; muitos solos de teclado manjados do Final Fantasy VII.

Pela gravação e depois pesquisando, reconheci alguns dos instrumentistas do grupo, aparentemente batizado de kikutaband pela hashtag proliferada no Twitter: Hiroaki Yura, o spalla da Eminence Symphony Orchestra, no violino; Akifumi Tada, arranjador do estúdio Imagine na keytar; Jem Harding no teclado; e Ko Omura na bateria. Ainda teve baixista e guitarrista, os quais não consegui descobrir quem são. Pela formação, com violino no meio de uma banda normal, já se esperaria alguma coisa parecida com a jdk Band; diferentemente da atual banda da Falcom, a guitarra é relegada ao segundo plano.

Com o violino em destaque, esta versão ganha pontos em ousadia, afinal é muito mais difícil tocar a sucessão frenética de acordes da “Danger” neste instrumento do que em uma guitarra, por exemplo. A introdução, que é um bocado repetitiva, é feita convincentemente no violino, mas, na hora do trecho dissonante, a impressão é que a sequência precisou ser simplificada. Na virada da música, o violino fica em relevo mais do que nunca, no ponto alto da performance, parando logo em seguida para o solos de teclado e guitarra (embora o timbre da sintetizada claramente simule um baixo elétrico). O violino retoma a melodia para encerrar o primeiro looping com o teclado em evidência. Na repetição da introdução o baixo se solta mais. Já que a intenção era imitar a original, a batida da bateria poderia ser mais rápida e menos forte no meu entendimento. Todavia, de modo geral, o resultado ficou esplendoroso, dada a complexidade da composição. E, com isso, eu me pergunto se um dia a “Danger” será totalmente orquestrada…

“Meridian Dance” – Secret of Mana (Passion)

Por Alexei Barros

Se há um RPG que me orgulho de ter terminado, este é Secret of Mana, e não faz muito tempo. Uns dois anos. Parte do quinteto mágico de jogos japoneses da Squaresoft lançados nos EUA para SNES – completam Final Fantasy II e III (IV e VI, na verdade), Chrono Trigger e Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars –, me chamou a atenção, entre tantos aspectos, pela trilha sonora de Hiroki Kikuta, um versátil compositor que também dá os pitacos como ilustrador, diretor etc. Já falei sobre ele aqui.

Entre músicas melancólicas e principalmente animadas até dá para esquecer que são reproduzidas de um cartucho. Como aconteceu com os todos os mencionados acima menos SM RPG, Secret of Mana foi representado na série Orchestral Game Concert no ano de 1993 no OGC3, com a faixa da tela-título, “Angel’s Fear”, orquestrada por Nobuo Kurita – escute-a: “Angel’s Fear”. Surpreendentemente, também reapareceu em 2007 no Fifth Game Music Concert.

Ainda melhor é a “Meridian Dance”, tema de combate final. Foi escolhida para encerrar o concerto Passion, apresentado na Austrália e Cingapura em 2006, com um grupo formado pelos principais musicistas da Orquestra Sinfônica Eminence (do A Night in Fantasia): Hiroaki Yura e a Ayako Ishikawa nos violinos, Zane Banks no violão ou baixo, Joshua Hill na bateria e percussão e Natalia Raspopova no piano. Todos talentosos e até virtuoses, como Yura, o fundador da Eminence de apenas 26 anos.

Detalhes:

1) A gravação do Passion chegou a ser lançada em CD em 2007, mas apenas na Austrália e em edição limitada. Por favor, permitam que o mundo conheça o admirável trabalho publicando os discos de maneira abrangente!
2) Inexplicavelmente, a “Meridian Dance” não foi inclusa no disco. Depois disso e das ausências final fantasístas no VGL Greatest Hits Vol.1 desconfio que a querida Square Enix é a empresa mais ranheta em termos de direitos autorais. Se bem que há músicas do Chrono Cross no CD do Passion…
3) Hitoshi Sakimoto e Yasunori Mitsuda compareceram ao evento. E o Yasunori Mitsuda ainda tocou bouzouki.
4) Falando em Sakimoto, foram tocadas três músicas do Final Fantasy XII (já que o Distant Worlds ignora…): “Clan Headquarters”, “Victory Fanfare” e “Penelo’s Theme”. Nenhuma está no CD…  Veja o set list completo aqui.
5) Minha vontade é que eles tocassem o tema de encerramento “The Second Truth From the Left” e ouvir um dos mais empolgantes riffs de baixo sintetizado com um baixo de verdade.

SBS Asia Focus – Orquestra Eminence

Por Alexei Barros

Reportagem interessante sobre o evento australiano A Night in Fantasia. Inclui entrevistas com o Hiroaki Yura, fundador da Orquestra Eminence, e os compositores Go Shiina e Hitoshi Sakimoto.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: