Posts Tagged 'Goichi Suda'

Como não se apaixonar por Lollipop Chainsaw?

Por Claudio Prandoni

Não é de hoje que sou fã do Suda51: No More Heroes é (ou ao menos era) extensivamente debatido por aqui.

Ainda que não tenha gasto tantos caracteres por aqui para demonstrar isso, fico empolgado com tantas outras produções do cara, tipo o pouco falado Shadows of the Damned – um sucessor mais do que digno de Resident Evil 4, contando até com o decapitado Shinji Mikami no volante.

Ou seja, desde o primeiríssimo anúncio já estou mais do que empolgado com Lollipop Chainsaw, para PS3 e Xbox 360.

Tal qual em Shadows, aqui o Sudão mostra mais do que nunca que achou um ótimo equilíbrio entre suas excentricidades, regadas a litros de influências pop ocidentais, forte tempero nonsense e violência e sensualidade em quantidades deliciosas e ultrajantes.

Lollipop Chainsaw mostra a super gracinha (entenda como quiser) líder de torcida Juliet Starling detona zumbis com uma serra-elétrica. Rolou até um concurso no site gringo IGN para selecionar a sósia perfeita da guria.

De chaveiro, ela leva a cabeça do namoradão. Na jogabilidade, parece um lance No More Heroes mais frenético e melhor resolvido: muita pancadaria, efeitos visuais zunindo pra todo canto e humor aos baldes – assim como sangue dos mortos-vivos.

Ainda estou para jogar a parada, mas ao menos o lance já tem data pra sair: dia 12 de junho, pouco depois da E3 – igualzinho aconteceu com o irmão mais velho, Shadows of the Damned, em 2011 – o que pode tirar um pouco dos holofotes do game.

Vale ficar de olho para não deixar passar batido: além do carisma master mega plus a mais de Juliet, do retrospecto pra lá de favorável do broder Sudão e da empolgante jogabilidade, Lollipop Chainsaw também terá trilha sonora do Akira Yamaoka (o mesmo cara do Silent Hill e tal) e, reza a lenda, fases em estilo 8-bits ou coisa do tipo.

Em tempo: não deixe de ver o trailer aí abaixo, em japonês, que é ainda mais violento e tão caótico que você fica tão feliz quanto perdido ao assistir.

Anúncios

Agradecimentos aos envolvidos em No More Heroes 2

Por Claudio Prandoni

Nota rápida: agradeço à Ubisoft, Marvelous, Yasuhiro Wada, Suda51 e todos os envolvidos por permitirem que um jogo como No More Heroes 2 se torne realidade.

Joguei o comecinho do game e em pouco mais de 15 minutos já trouxe de volta tudo aquilo – e ouso até, um pouco mais – do que eu queria e esperava de um novo título da série. Violência exagerada, humor nonsense, diálogos dramáticos e prolixos, paródias descaradas, Sylvia “Johansson” Christel e lutas invocadas super iradas e tal.

Em tempo, acho curioso como o primeiro NMH veio como uma surpresa, um sleeper hit, por assim dizer, e agora NMH2 já é recebido com ares de superprodução. Quase como um jogador de futebol que vai para a Europa e depois volta ao clube que o revelou. Coisa assim.

Outra reflexão: até o primeiro NMH Suda51 era um game designer pouquíssimo conhecido, passando de leve pela beirada do status cult. Agora, não apenas por causa, mas especialmente por conta de NMH, fico com a impressão que ele já virou um cara pop cult (como ele tanto parece gostar): estrela trailers, faz projetos com Hideo Kojima e todos os projetos nos quais ele se envolve já são cercados de expectativa positiva.

É issae.

Cabeças explodem no jardim da loucura, digo, diário em vídeo de NMH2

Por Claudio Prandoni

O hype continua por No More Heroes 2, claro, ainda mais agora na semana em que o jogo sai de maneira propriamente dita e prática.

Que tal conhecer um pouco mais sbre a tresloucada aventura por meio da mente alucinógena do dançante Suda51?

Apesar de estar todo com áudio em inglês – e sem legendas nem nada do tipo para ajudar – o diário em vídeo acima traz informações o bastante e de uma maneira bem peculiar, com todas aquelas comparações de banheiro que o Suda adora fazer, referências a cultura pop, uma mocinha bonitinha a tiracolo, montagens psicodélicas e coisa e tal.

Se isso não for o suficiente,fica o apelo: a cabeça do Suda explode! E é bem no comecinho, então dá pra você ver e ficar feliz sem esperar demais.

Aliás, penso eu cá com meus botões: até que será um ano feliz para as exclusividades hardcore no Wii. Nesta semana já temos No More Heroes 2 e Tatsunoko vs. Capcom. O ano ainda promete Metroid: Other M, Super Mario Galaxy 2, um novo Zelda, Monster Hunter 3, Epic Mickey, Sin & Punishment 2 e Zangeki no Reginleiv. Quem sabe até Earthbound não apareça no Virtual Console – e ainda incite a Big N crie vergonha na cara e lance oficialmente o Mother 3 por aqui.

Isso sem contar algumas coisas multiplataforma, que vou preferir jogar no PlayStation 3, mas não deixam de aparecer no branquinho, como Prince of Persia: The Forgotten Sands.

E você, o que mais espera?

Cante e Dance com Suda51 + Cloud clone em NMH2

Por Claudio Prandoni

Estamos muito, muito perto do lançamento de No More Heroes 2. Meio que sem querer querendo, o game designer Goichi Suda voltará a receber luzes dos holofotes midiáticos e aproveitar isso para promover a nova aventura de Travis Touchdown e disparar um bocado de saborosas declarações nonsense regadas a cultura pop. Tipo um Hideo Kojima mais divertido.

Enquanto a data não chega de verdade verdadeira, vamos conferir o amigão Suda51 pagando mico com a grande vergonha alheia que é o tal do Just Dance, da Ubisoft para o Wii. Acredite ou não, o jogo está fazendo o maior sucesso na Inglaterra.

Como bom apreciador da cultura ocidental – do melhor ao pior – Suda mostra desenvoltura, ou coisa parecida, em “U Can’t Touch This”, do MC Hammer, e ainda se diz fã de hardcore techno (!?).

Em tempo, fuxicando algumas imagens de No More Heroes: Desperate Struggle encontrei referências ao inigualável Cloud Strife no game, mais especificamente como um dos assassinos que Travis. O cara é loiro, tem cabelo espetado de maneira similar ao herói de FF VII, a camisa dele é de textura similar e há até vários penduricalhos ao estilo Tetsuya Nomura e uma espada laser com cabo igual à da Buster Sword – e formato luminoso também parelho.

Aliás, chuto eu que ele também faz referência a Squall Leonhart e sua Gunblade com essa exagerada pistola cheia de tambores de balas. Confere?

Olhaí embaixo, revivendo o meme das imagens do IGN.

Cartões de Ano Novo gamers 2010: Grasshopper

Por Claudio Prandoni

Dica do nosso sempre presente leitor fezones, o cartão de Ano Novo da Grasshopper.

Muito convenientemente, a produtora se aproveita do fato de 2010 ser o ano do tigre no calendário chinês e promove No More Heroes: Desperate Struggle, muitíssimo promissora continuação de um dos melhores jogos de Wii na minha opinião.

Aliás, e não é que o jogo já sai neste mês de janeiro?

E lá quando falei dele pela primeira vez parecia tão longe…

Players to consult on ‘MLB 2K10’

Los Toperas Anthology: Prandas & Suda51

prandzsuda

Prandoni e Suda51 em bate-papo no lançamento de No More Heroes. Segundos depois, Prandas derrubou o suco de limão que parece tamarindo e tem gosto de groselha em cima de Suda

Por Claudio Prandoni

Não faço questão alguma de esconder aqui no blog que sou muito mega fã do Goichi Suda (agagá aka Suda51) e sua obra, principalmente No More Heroes.

O que poucos sabem é que minha admiração pelo game designer data exatamente da época de total toperismo ostracismo da banda Los Toperas. Desolados pelo incidente do metal, cada integrante do grupo trilhou caminhos distintos, inclusive se prestando a fazer aparições especiais em eventos dos mais diversos.

Um deles foi justamente o lançamento oriental de No More Heroes, o qual eu mesmo sozinho, sozinho, sozinho fui convidado. O episódio todo mundo conhece bem: Goichi Suda e o produtor Yasuhiro Wada foram ao bairro nerd mega tech blaster de Neo Tokyo Akihabara distribuir papel higiênico temático de No More Heroes.

Epic fail master plus. Quase ninguém comprou o jogo – exceção feita a um repórter, que precisava de fotos ou algo do tipo. O que poucos sabem é que a desgraça total da ação promocional se deve justamente à minha presença. Os japoneses, povo esperto que só, já estava ciente da toperice extrema que acomete este que vos escreve e preferiu se resguardar.

Até então eu havia preferido manter essa história reclusa do público, mas diante da provável redenção do Los Toperas acho justo compartilhar tudo – histórias boas e ruins.

Ah, não é segredo nenhum que no lançamento ocidental do game de Wii, o qual eu não compareci a nenhuma ação promocional, o jogo vendeu muito mais. Bem mais.

Flor, sol e chuva: a origem

Por Claudio Prandoni

Quer saber o nome do próximo jogo de Goichi Suda? Procure se informar sobre o que ele anda ouvindo.

Foi assim com No More Heroes, nome retirado da música homônima da banda The Stranglers. Rola o mesmo com Flower, Sun and Rain, adventure psicodélico e derretedor de mentes já lançado para PS2 e que chega semana que vem ao DS na América, cujo nome vem de uma composição da banda japonesa Pyg.

Acima, a música original. Abaixo o trailer de lançamento do game.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: