Posts Tagged 'God of War'

Gamificação do Carnaval: Portela homenageia God of War III – ou coisa do tipo…

Por Claudio Prandoni

Dentre muitas referências nerds e/ou gamers no Carnaval 2011, eu e o Pablo Raphael ficamos muito intrigados com um dos carros da Portela, lá no Rio de Janeiro…

…que nos lembrou muito o primeiro chefão do God of War III, o Poseidon.

Parecidos, né? Como bem disse o mestre PR, é a gamificação do Carnaval brasileiro.

Anúncios

Video Games Live: Level 2: seria ótimo se ainda estivéssemos em 2006


Por Alexei Barros

Mais de dois anos depois do Video Games Live: Volume One, lançado em julho de 2008, sai a sequência, sem os atrasos e aparentemente livre das controvérsias. Continuação? Sete números já tinham sido registrados no primeiro álbum, sendo que outros cinco estariam quando o CD era nomeado Video Games Live: Greatest Hits – Volume One, e acabaram ficando de fora por problemas de licenciamento, o que obrigou a remoção do “Greatest Hits” do título. Fica para mais do mesmo.

Gravado dia 1 de abril em Nova Orleans, EUA, no Pontchartrain Center com performance da The Louisiana Philharmonic Orchestra e de um coral sem nome de 34 vozes, o Video Games Live: Level 2 é o álbum que melhor sintetiza o repertório mainstream do show. Os principais hits estão presentes, com exceção, eu diria de Kingdom Hearts, que seria o ápice da redundância, pois segue a partitura original e já apareceu no VGL: Volume One, e do Metal Gear Solid, uma ausência compreensível pela acusação de plágio, pois a própria Konami abandonou a música. Mesmo assim, é uma track list que seria interessante para 2005 ou 2006. Hoje não tem a mesma graça.

Se o VGL: Volume One possuía somente três números de jogos japoneses e oito ocidentais, no Level 2 ficou mais equilibrado: nove nipônicos e sete americanos. Falta variedade, todavia. Desses sete, três são da Blizzard, e dois da mesma franquia, Warcraft. É de se elogiar a façanha de licenciar as músicas da Nintendo no CD, ainda que não faça tanta diferença assim no fim das contas, já que os dois arranjos orquestrados foram lançados anteriormente no Orchestral Game Concert. Diferentemente do que se supunha, não é tão complicado assim licenciar Final Fantasy em um álbum com faixas de outras produtoras, e o que facilitou neste caso é o fato de o arranjo da “One-Winged Angel” ser próprio do VGL, por mais parecido que possa ser com as outras versões. Isso não aconteceu no PLAY! A Video Game Symphony Live! porque a turnê concorrente usa as partituras dos concertos oficiais da série, que pertencem à Square Enix. Quanto ao Chrono Trigger, a inclusão agora se tornou possível porque a marca foi registrada por ocasião da transmissão em vídeo do Symphonic Fantasies. Tudo isso é para se empolgar não com o VGL, mas com as portas que se abrem para os CDs de outras produções.

Aquela crítica de o VGL: Volume One ter somente três das 11 faixas gravadas ao vivo, levando em consideração o “Live” do nome do espetáculo, e o restante em estúdio eu retiro. A tão proclamada “emoção de um show de rock” na descrição do Video Games Live pode ser sentida muito bem, até demais no VGL: Level 2. Como disse quando os samples foram liberados, os gritos não chegam ao nível da torcida brasileira (não consigo chamar de plateia espectadores que torcem para um personagem ganhar uma luta), mas aparecem em todos os números, exceção aos solos de piano. Antes, durante e depois das performances.

Eu disse show? Nos segmentos com guitarra, baixo elétrico e bateria – estes dois últimos são de verdade, não playback como na maioria das apresentações –, em especial Mega Man, Castlevania e Final Fantasy VII, a orquestra não pode ser ouvida em sua plenitude por conta do conflito de instrumentos de sonoridade forte e baixa. Não há uma homogeneidade como na Metropole Orchestra da série holandesa Games in Concert em que guitarra, baixo e bateria atuam como instrumentos da orquestra, não uma parte alheia ao restante. Falei do baixo. Tocado pelo próprio contrabaixista da orquestra, David Anderson, o baixo elétrico só aparece quando a guitarra toca, nos  arranjos com pendor para o rock. Ridículo! Como se o baixo só combinasse com o gênero. Não acabou aqui a minha indignação sobre esse tópico como você verá nos segmentos de Chrono e Sonic.

Mesmo quando não está acompanhada da banda, a mixagem não proporciona uma experiência sinfônica que torna as performances orquestradas tão especiais, que é de testemunhar dezenas de instrumentistas reproduzindo a música. Chega a ser irônico que nas declarações em vídeo Jack Wall e Tommy Tallarico salientam que muitos pais os agradeceram porque graças ao Video Games Live seus filhos viram uma orquestra pela primeira vez, e que isso normalmente não aconteceria se não fossem tocadas músicas de videogame. Como se o VGL fosse um baita concerto.

Após o Hadouken, comento cada uma das 16 faixas do Video Games Live: Level 2, e espero fazer isso pela última vez de determinados números. Agora não tem mais aquela desculpa de que as gravações amadoras são horrendas e o YouTube piora a qualidade.

Vale lembrar que a versão digital possui ainda Mass Effect e Myst, e o DVD e Blu-ray contam com os dois além do “Classic Arcade Medley” (em versão depenada, somente com Pong, “Cavalgada das Valquírias”, Dragon’s Lair e Tetris), “Sweet Emotion” (Guitar Hero: Aerosmith) e “Tetris Solo Piano Medley”. Em compensação, em vídeo não tem nada da Nintendo e nem da Square Enix, menos Chrono Cross.
Continue lendo ‘Video Games Live: Level 2: seria ótimo se ainda estivéssemos em 2006’

Sony libera trilhas da trilogia God of War para download

Por Alexei Barros

Você não leu errado. Por mais que as OSTs da série God of War tenham sido lançadas em CD no passado separadamente ou inclusas em pacotes especiais, em uma decisão bastante surpreendente, a Sony disponibilizou todas as trilhas da despudorada saga de Kratos para baixar. De graça!

Isso é relativamente raro de acontecer porque, ainda que os mercados de game music nos EUA e Europa não tenham a maturidade do Japão, vender um produto, seja lá qual for,  de uma franquia poderosa como God of War poderia representar algum dinheiro extra. Assim de cabeça só me recordo do BioShock.

O arquivo possui 300 MB de tamanho, sendo que as músicas estão no formato MP3 em qualidade 256 kbps. São 23 faixas do primeiro God of War, 24 do God of War II e mais 24 do God of War III. O quarteto Gerard Marino, Mike Reagan, Cris Velasco e Ron Fish são os principais compositores por terem participado de toda a trilogia, que ainda teve as participações da Winifred Phillips no primeiro e do Jeff Rona no último jogo.

Falando em trilhas gratuitas, as músicas assinadas pelo compositor Arkadiusz Reikowski para o insólito Sadness, jogo de Wii desenvolvido pela polonesa Nibris recentemente cancelado, também foram liberadas para download. Pelo menos parte da tristeza é mitigada por saber que parte do projeto não vai para o lixo do mundo.

[via UOL Jogos, Gamemusic.net]

I can haz Zeus Revenge 4 real, plz?

Por Claudio Prandoni

Lógico que ainda dá tempo. Sempre dá, afinal, estamos na internet.

Olha aqui: mais uma tramóia inteligentemente elaborada. Aqui no caso pelo Sammy Anderson, mestre supremo insone do GameHall.

Lustrem novamente a cara de pau, apreciem e tentem dizer para si mesmos que não gostariam que não fosse verdade.

Midnight Kratos @SP: Kratos não aprova

Por André Sirangelo

Teste, 1, 2, 3. Uou. Meu login no Hadouken ainda funciona!

OK, depois de ver o motivational do Kratos eu não resisti e fiz uma piadinha imbecil para ajudar na proliferação de um novo meme nas internets mundiais: o fenomenal Kratos brazuca e suas demonstrações de êxtase, fúria e desgosto!

Ajude você também mandando as porcarias que você criar com o nosso amigo fantasiado. Se o Alexei der risada com alguma a gente publica.

(Quem não viu o post e os vídeos do Kotaku sobre a interface do Playstation Move, é só clicar aqui)

Midnight Kratos @ SP: Disgust Motivational

Por Claudio Prandoni

Emoção: uma das minhas fotos lá do evento de lançamento do God of War III virou um motivational.

Traduzindo:
“NOJO
Quando até o Kratos acha desagradável você sabe está fazendo algo errado”.

Muses God of War Hero

Por Claudio Prandoni

Segue meu Twitter? Então talvez tenha visto aqui quando comentei que o God of War III possui um puzzle singelo, mas de coração, que homenageia os nossos queridos e populares joguinhos musicais.

Gravei o trecho enquanto jogava e soltei aí na rede mágica do YouTube. Aproveito para colocar meu chapéu de cara chato e soar o alarme: para alguns o vídeo pode ser considerado um SPOILER.

ES-PÓI-LÊR!

Sim, pois se trata de um trecho não exibido em vídeos promocionais da Sony e que só acontece láááá pela frente, pouco depois da metade da aventura, se não me falha a memória.

Se não se importa, vejaí. Senão espere para terminar o game e depois compartilhe aqui suas impressões sobre o tal enigma musical.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: