Posts Tagged 'Final Fantasy Tactics'

VGO Live at Symphony Hall: a vez dos esquecidos Final Fantasy Tactics, Final Fantasy XII e Grandia

35736-1396846648
Por Alexei Barros

Quando fiz o primeiro post sobre a Video Game Orchestra lá em 2009, honestamente não imaginava que eles poderiam chegar tão longe, com a participação na gravação da Lightning Returns: Final Fantasy XIII Original Soundtrack. Não é para qualquer um. Não bastasse isso, a orquestra liderada por Shota Nakama vem protagonizando diversos crossovers com outras produções: em março de 2012, a VGO tocou no Distant Worlds; em fevereiro de 2015, vão tocar na turnê The Legend of Zelda: Symphony of Goddesses; e, em março, no Video Games Live!

Esse fato chama a atenção porque a VGO também possui espetáculos próprios, e a gravação da apresentação realizada em Boston no Boston’s Symphony Hall em outubro de 2012 estava há tempos prometida para sair em CD, com financiamento do Kickstarter. Depois de alguns adiamentos, o álbum Live at Symphony Hall finalmente foi lançado em abril de 2014 e cá estou para comentá-lo com meses de atraso.

No geral, o disco é muito competente na performance, mas vou me limitar a falar apenas de três dos dez segmentos que são os mais incomuns desse lançamento. Não que os outros não sejam bons, pelo contrário. Só que alguns jogos já cansaram pela repetição exaustiva de seus maiores hits, como Chrono Trigger, Portal, God of War, God of War II e Final Fantasy VII. Curiosamente, a página do Kickstarter falava que a “Snake Eater” do Metal Gear Solid 3 estaria no álbum. Acredito que deve haver algum problema em licenciar essa canção, visto que aconteceu a mesma coisa no The Greatest Video Game Music 2 (a música está prometida para o álbum Video Games Live: Level 4, a ser lançado em fevereiro de 2015).

Quanto ao Street Fighter II e Castlevania, ambos os números são tocados somente pela banda. Honestamente, não me empolgaram tanto quanto as faixas orquestradas, talvez pelo excesso de improvisações, mas não dá para negar que são instrumentistas habilidosos.

Vamos enfim aos três famigerados arranjos que mais me agradaram.

05 – “Final Fantasy Tactics Medley”
Originais: “Bland Logo ~ Title Black” ~ “Backborn Story”  ~ “Trisection” ~ “Ovelia’s Worries” (Final Fantasy Tactics) ~ “Sorrow (Liberation Army Version)” ~ “A Moment’s Rest” ~ “Boss Battle” (Final Fantasy XII)
Composição: Hitoshi Sakimoto
Arranjo: David Saulesco

Originalmente intitulado “Sakimoto Medley”, o que já achava impreciso, o medley ganhou um nome mais equivocado ainda porque cita apenas o Final Fantasy Tactics e acoberta a raríssima lembrança de músicas do Final Fantasy XII. Mais apropriado seria “Ivalice Alliance Medley”. Começando pela parte tática, a “Bland Logo ~ Title Black” aflora em toda a sua beleza orquestral com o toque militar característico do Sakimoto. O coral faz a incursão na peça com a “Backborn Story” até as cordas ficarem cada vez mais nervosas com a “Trisection”. O coro então retorna com a “Ovelia’s Worries”. Seguindo para o FFXII, há a “Sorrow (Liberation Army Version)”, nas cordas, e a “A Moment’s Rest”, com a flauta anunciando sua entrada. Duas músicas que são essencialmente de ambiente, mas caíram muito bem no medley. A percussão dá início ao apogeu da miscelânea, a poderosa “Boss Battle” em sua totalidade – no “Battle Medley 2012” do Final Fantasy Orchestral Album, a segunda parte da faixa não foi aproveitada, e aqui esse trecho ainda tem coral. Só esse final já vale o medley e a rara performance das composições do Hitoshi Sakimoto.

06 – “The End of the World” (Grandia)
Original: “The End of the World”
Composição e arranjo: Noriyuki Iwadare

É com extrema satisfação que ouço com a qualidade que merece a primeira aparição do Grandia original nos concertos, mas não dá deixar de esconder um desapontamento. No espetáculo, foram tocados quatro faixas arranjadas pelo próprio Noriyuki Iwadare, mas apenas duas delas estão no CD. E uma das eliminadas foi justamente a “Battle 1”, que tinha ficado simplesmente excepcional e me deixou estupefato quando vi a gravação amadora… – a outra cortada foi a “Farewell to Sue”.

A “Battle 1” era a única das selecionadas presente no Grandia Original Soundtracks II, segundo volume da trilha que contém as faixas originalmente sintetizadas no jogo. As outras três estão no primeiro Grandia Original Soundtracks e já são normalmente orquestradas. Falta de tempo no CD não é um problema, pois sobraram 14 minutos no disco. A única explicação que encontrei deve ser para não sobrecarregar a track list com Grandia, mas dada a singularidade do momento não haveria tanto problema.

Enfim falando da “The End of the World”, a música mostra toda a sensibilidade de Iwadare no uso dos violinos, que a VGO consegue reproduzir com maestria no concerto (o arranjo segue os passos da faixa original). É uma bela peça melódica que tem momentos de brilhantismo… Porém, se pudesse escolher ficaria com a “Battle 1”.

07 – “Theme of Grandia” (Grandia)
Original: “Theme of Grandia”
Composição e arranjo: Noriyuki Iwadare

Eis o grande momento que sonhei por anos: uma performance ao vivo de uma das maiores obras-primas de Iwadare, a magnífica “Theme of Grandia”, com todos os instrumentos que ela tem direito (e tudo sendo tocado ao vivo, é claro): bateria, percussão, baixo elétrico e guitarra (que aparece mais ao longo da peça e não só no solo). Assim como a faixa anterior, a partitura é bastante similar ao jogo (só não sei com certeza se é idêntica, porque sempre há sutilezas aqui e ali), com aquele solo de violino genial e, mais adiante, o já citado solo de guitarra. O canal da VGO inclusive publicou a gravação do segmento, o qual reproduzo abaixo. Momento histórico, sem dúvidas.

Anúncios

“Sakimoto Medley” – Final Fantasy Tactics e Final Fantasy XII (Video Game Orchestra ~Live at Boston Symphony Hall~)

Por Alexei Barros

Ainda nem sequer publiquei todas as quatro faixas do Grandia executadas na apresentação da Video Game Orchestra em Boston, mas me sinto no dever de trazer antes outro segmento diante da comoção causada pela inesperadíssima inclusão de uma faixa do Final Fantasy XII na turnê Distant Worlds assinada pelo Hitoshi Sakimoto.

O compositor ganhou um medley próprio no espetáculo da VGO, embora, talvez o título possa provocar certa decepção: seria mais apropriado “Sakimoto Final Fantasy Medley”, ou ainda melhor, “Sakimoto Ivalice Alliance Medley”, como a peça é toda dedicada às composições de FF Tactics e FFXII, deixando no ar a vontade de ouvir outras franquias que podiam aparecer – Radiant Silvergun é o jogo que vem em primeiro na minha lista.

Há uma boa alternância de temas mais calmos e mais nervosos e, mesmo que a maioria das escolhidas penda para a música ambiente, a peça é capaz sim de evocar memórias e até provocar arrepios, apresentando uma clara divisão de faixas do Tactics e do FFXII.

Com as cordas de fundo e as notas cintilantes do teclado, a “Bland Logo ~ Title Black”, como não poderia ser diferente, abre o medley, caminhando cada vez para o clima militar. A “Backborn Story” que não é uma composição do Sakimoto, mas do Masaharu Iwata, surge de mansinho com a participação do coral, elemento que a original sintetizada não sugeria. O clima vai esquentando e, quando as coisas pareciam acalmar, surge o grande momento dessa parte, com a lembrança da “Trisection”, arrancando gritos da plateia. De novo com o coral, temos a “Ovelia’s Worries” para finalizar a metade tática do medley.

Já no FFXII, a “Sorrow (Liberation Army Version)” aparece extremamente relaxante nas cordas e, em seguida, a “A Moment’s Rest” é rememorada com a flauta. Toda essa calmaria é compensada com o impacto da “Boss Battle”, uma das minhas faixas preferidas do FFXII especialmente pela segunda metade, que deixa no ar uma sensação de que a vitória da batalha está na iminência.

É, aos poucos o Sakimotão vai ganhando a simpatia da galera (basta ver os aplausos efusivos no final).

“Sakimoto Medley”

“Bland Logo ~ Title Black” ~ “Backborn Story”  ~ “Trisection” ~ “Ovelia’s Worries” (Final Fantasy Tactics) ~ “Sorrow (Liberation Army Version)” ~ “A Moment’s Rest” ~ “Boss Battle” (Final Fantasy XII)

Final Fantasy Tactics para iOS me dá nova chance e vontade de – finalmente – terminar o jogo

Por Claudio Prandoni

Lembro até hoje de quando joguei Final Fantasy Tactics pela primeira vez. Meio no embalo de Final Fantasy VII – que me fez comprar um PSone – dei chance pro Tactics, sobre o qual eu não tinha a menor ideia do que se tratava.

Recordo com carinho do quanto me marcou a linda música do vídeo de demonstração, que só ficou ainda mais bacana no remake para PSP, que ganhou o subtítulo War of the Lions. É essa mesmíssima versão, que tem cenas animais em anime, que chegou há poucos dias para iOS – vulgo iPhone, iPod e iPad.

Fica aqui um segredo: nunca terminei FFT. Por duas vezes joguei e travei no momento em que o Wiegraf enfrenta sozinho o protagonista Ramza e depois vira um monstro-ovelha feioso. Dizem que essa versão pra iOS é meio chatinha de jogar pelos botões e letrinhas pequenas, mas vou estar tentando dar uma chance mesmo assim.

Enquanto isso, que tal curtir essa lindíssima abertura aí no vídeo acima?

Symphony Final Fantasy Tactics: sinfonias táticas e pró-amadoras

Por Alexei Barros

O que distingue um concerto amador de um profissional? Basicamente, o fator primordial é se o evento tem a permissão do compositor ou da dona dos direitos autorais para executá-las ao vivo. Poderia ser também um diferencial o fato de os musicistas serem profissionais. No entanto, não é incomum notar que turnês e concertos ditos profissionais volta e meia utilizam músicos amadores. Principalmente coristas estudantes. A qualidade não pode ser usada como condição não apenas porque é um conceito subjetivo, como há muitas apresentações japonesas que demonstram uma excelência invejável. Por tudo isso, está cada vez mais difícil de estabelecer a divisão.

Tendo exposto o conflito de amadorismo e profissionalismo, eu me deparo com a seguinte frase no site do Symphony Final Fantasy Tactics, uma iniciativa primariamente amadora que aconteceu no dia 22 de novembro em Tóquio (como demorei para fazer o post!): “Nós temos permissão da detentora dos direitos autorais, Square Enix Co, Ltd.”. Muito possivelmente ao notar que o concerto havia chamado a atenção na comunidade de game music mais do que o normal, a melhor escolha foi obter a licença para evitar qualquer tipo de restrição. Para completar, o evento foi agraciado pelas presenças de Hitoshi Sakimoto e Masaharu Iwata, os compositores originais do lendário RPG tático do PlayStation, e foi relatado no 4Gamer.net. Os concertos amadores não costumam figurar nos grandes sites japoneses.

Os números são impressionantes: uma orquestra formada por 84 musicistas que se uniram por espontânea vontade (o que fez com que fossem inclusos instrumentos inusitados para uma orquestra, como saxofone e eufônio), 61 faixas separadas por abertura, quatro capítulos e bis, e organizadas de acordo com a ordem em que apareciam no jogo e mais três tocadas por grupos menores nos intervalos, totalizando 64 músicas, sendo que a OST tem 71 – uma das executadas, “Mistery of Ajora”, inexiste no álbum. Somadas, chegaram a 3 horas e meia de duração, com intervalos de 10 a 15 minutos entre cada parte – Hitoshi Sakimoto considerou uma loucura. Quase 1500 pessoas presenciaram o concerto. Como se não fosse suficiente, cada espectador recebia um programa colorido de 14 páginas com ilustrações alusivas ao jogo.

Tanto o programa como os cartazes foram desenhados pela Ransei Nakamura (centro na imagem abaixo), principal arranjadora do concerto que levou um ano e meio para fazer as releituras. Ressalto: a orquestra é um hobby.  Na verdade ela é game designer profissional com especialização 3DCG, e também pratica 2D e planejamento – não há informações sobre a empresa em que atua. Não sei se com tudo isso conseguiu tempo para jogar, mas possui DS, PSP, PlayStation 3 e Xbox 360 e gosta, além, é claro, de Final Fantasy Tactics, de Yu-Gi-Oh!, Persona e PoPoLoCrois. Na orquestra, Ransei tocou melofone e conduziu o bis. No restante da apresentação a regência foi feita por duas pessoas (claro que não ao mesmo tempo): Takahiro Kasagawa (esquerda) e Ousuke Miura (direita), ambos integrantes da Hoshirabe Ransei, a organizadora do concerto fundada por Ransei Nakamura.

Como não há, infelizmente, para variar, registros do evento, vou me limitar em reproduzir as impressões de todos os relatos que vi em relação à performance e aos arranjos. No geral, a atuação dos instrumentistas foi exaltada, exceção feita aos metais, que não eram tão bons quanto o restante da orquestra. O oboé e o violoncelo não agradaram em solos, mas nada muito intragável. Os medleys primavam pela literalidade das composições, e em diversas ocasiões otimizavam o peso das músicas. As transições, em contrapartida, não eram tão rebuscadas, mais no estilo para uma e começa a seguinte. Sakimoto e Iwata ficaram surpresos com a quantidade de fãs, especialmente porque o jogo saiu há 12 anos (11 nos EUA) para PlayStation, e agradeceram a todos que ali estavam.

Uma evolução e tanto em relação à apresentação anterior ocorrida em 2007, que possuía somente 30 instrumentistas e foi presenciada por 100 pessoas. Por fim, um pequeno detalhe: a entrada era gratuita. Quem quisesse podia fazer doações para auxiliar na organização do próximo espetáculo, que deve acontecer nas cidades de Kansai ou Nagoya em 2010. Quem não se sentiria motivado a ajudar a financiar este fascinante e dedicado concerto?

O set list:

Prologue

01 – Intro: “Bland Logo ~ Title Black” ~ “Backborn Story” ~ “P.R. Movie”

Chapter 1: The Meager
02 – Opening: “Prologue Movie”
03 – Present: “Chapel” ~ “Enemy Soldiers Attack”
04 – Past: “Officer Cadet” ~ “Back Fire” ~ “Algas” ~ “Alma’s Theme”
05 – Essence of Life: “Zalbag, The Holy Knight” ~ “Anxiety Before the Battle” ~ “Decisive Battle” ~ “Dicedarg’s Theme” ~ “Memories”
06 – Consequence: “Delita’s Theme” ~ “Trisection” ~ “And I Ran Away”

Intermission
“Tutorial” (conjunto de madeiras)

Chapter 2: The Manipulator & The Subservient
07 – Secret Preparations: “Data Screen” ~ “World Map” ~ “Attack Team” ~ “Random Waltz” ~ “Game Over” ~ “Formation Screen” ~ “Apoplexy” ~ “Battle’s End”
08 – Launching Out: “Unavoidable Battle” ~ “Run Past Though the Prain” ~ “Brave Story”
09 – Ignorance: “Ovelia’s Theme” ~ “Delita’s Theme” ~ “Antipyretic” ~ “Shock!!~Despair”
10 – Truth: “Descent” ~ “The Pervert” ~ “Saint Ajora’s Theme”

Intermission
“Under the Stars” (quinteto de cordas)

Chapter 3: The Valiant
11 – TRIPLE: “A Chapel” ~ “Desert Land” ~ “Antidote”
12 – Town: “Shop” ~ ” Fur, Meat, and Bones Trade” ~ “Pub” ~ “Soldier Agency” ~ “Treasure”
13 – Girl’s Tears: “Terror 1” ~ “Battle on the Bridge” ~ “Requiem”

Intermission
“Thunder God Cid’s Theme” (quinteto de metais)

Chapter 4: Somebody to Love
14 – RAMZA: “Main Character’s Theme” ~ “Remnants”
15 – Mullonde Cathedral: “Mistery of Ajora”* ~ “Terror 2” ~ “Bloody Excrement” ~ “Cry of a Bitter Heart” ~ “Saint Ajora’s Theme Deluxe Edition”
16 – Necrohol of Mullonde: “Ultema The Nice Body” ~ “Ultema The Perfect Body!” ~ “Last Battle’s End”
17 – Ending: “Epilogue Movie” ~ “Staff Credit”

Bis

18 – “Unit Introduction”

*Ausente da Final Fantasy Tactics Original Sound Track.

A título de curiosidade, as faixas que não foram tocadas:

“Player Creation”
“Doubtful Atmopsphere”
“Tension 1”
“Scheme”
“Espionage”
“Ovelia’s Worries”
“Cardinal’s Aunger”
“In Pursuit”
“Night Attack”

Mais do que nunca agradeço ao Fabão pelo tempo gasto, empenho e disposição. Não feliz em fornecer diversas informações via Twitter, apurou as curiosidades sobre a Ransei Nakamura e ainda por cima traduziu as temáticas das suítes e o nome da faixa ausente na trilha original.

[via Soundtrack Central, OSV, 4Gamer.net, Nonsense Zone (entrevista, Report 1, Report 2), mon asta@site]

O obscuro e fascinante concerto de Final Fantasy Tactics

Final Fantasy Tactics
Por Alexei Barros

Sempre reclamo dos jogos esquecidos pelos concertos mundo afora. E destes pouco lembrados normalmente não menciono Final Fantasy Tactics. Mas essa inépcia é porque eu, ainda que seja um entusiasta dos RPGs estratégicos, sou uma completa fraude em relação ao jogo. Estou falando sério. Já tentei várias vezes, porém acabo tragado pela complexidade excessiva dos combates – uma constante nas obras do desaparecido Yasumi Matsuno.

Além dos concertos exclusivos de Final Fantasy jamais recuperarem o clássico do PlayStation, fico impressionado como até mesmo a Orquestra Sinfônica Eminence, que tem maior proximidade com Hitoshi Sakimoto – segundo o diretor e fundador Hiroaki Yura, o compositor teve papel fundamental ao inserir seu time de instrumentistas na indústria –, nunca tocou FFT no A Night in Fantasia.

Partindo do âmbito profissional para o amador, temos a University of Maryland’s Gamer Symphony Orchestra, que fez o segmento “Final Fantasy Tactics”. Como a performance é de estudantes, evidente que não é das melhores. Vale a intenção. Então vamos para o Japão, onde a barreira entre profissionais e amadores quase não existe, que o digam The Screamer e Famicom Band. Chegamos ao intrépido Hoshino Shirabe (ao pé da letra, seu nome ou apelido, não se sabe ao certo, pode ser traduzido como “Música das Estrelas”), que está em processo de arregimentação de instrumentistas para um concerto exclusivamente de Final Fantasy Tactics. Que conjunto de cordas que nada. É uma orquestra completa. Nada menos do que 42 pessoas já foram confirmadas, e outras tantas estão em vias de se unir ao grupo. Ressalto: para uma apresentação de três horas, com um preâmbulo e mais quatro atos temáticos.

Como é possível ver no cartaz, a récita está marcada para o dia 22 de novembro de 2009. Essa é a segunda, na verdade. A anterior aconteceu em 2007 (da imagem do fim do post; veja outras imagens aqui) e, como se não fosse o bastante, foi anunciado outro espetáculo para 2010. Será que assim compensa a relapsidão com a inexistência de FFT nos grandes concertos?

Espero que, como se trata de uma iniciativa de fãs – e que fãs mais dedicados! –, aconteça o lançamento do CD, uma vez que as produtoras tendem a fechar os olhos para os álbuns doujin. Mas se aparecesse uma performance no Nico Nico Douga já ficaria feliz.

Tática e incomensuravelmente agradecido ao Fabão (agora .com.br e com Twitter) pela incrível descoberta e pela tradução.

[via Hoshirabe]


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: