Posts Tagged 'Eminence'

Vossa eminência, que amadorismo


Por Alexei Barros

Pela enésima vez, sabe se lá o motivo, o site da Eminence Symphony Orchestra saiu do ar e voltou, não sei por que, se o design é praticamente o mesmo. Mais organizada e com maior quantidade de informações do que uns anos atrás, a página traz o  histórico da orquestra australiana que já participou da gravação de trilhas de jogos como Soulcalibur IV, Valkyria Chronicles, Opoona e animes idem, a exemplo de Romeo x Juliet e The Vanishment of Haruhi Suzumiya. Já falei umas mil vezes, são feitos respeitáveis. Logo no começo do texto na seção do perfil está escrito: “Fundada em 2003 por Hiroaki Yura, a Eminence Symphony Orchestra é um grupo de profissionais, dedicados músicos com uma visão distinta”.

Profissional, ao menos para mim, é o termo usado para designar algo relativo à profissão, aqui no caso de instrumentistas. Instrumentistas autossuficientes, ou seja, que sobrevivem da música por ter talento e uma técnica superior de um amador porque estudaram anos e anos para atingir o nível de alguém bancar para o que você toca. De fato, pelo que se ouve nos vídeos e gravações,  as performances são profissionais, ainda que nem sempre perfeitas. O problema não é a qualidade.

Não é a primeira vez que me revolto com esse tipo de coisa, haja vista o que disse no Hadoukast #06, só não foi tão escancarado como agora. Tem coisas que precisam ser ditas uma hora. É o que você lê na abertura do post: “Garanta o futuro da Eminence fazendo hoje uma doação online”.

Não quero dar uma lição de moral. Cada um doa dinheiro como bem entende, seja para auxiliar os desabrigados por consequência do terremoto no Haiti, das tempestades do Rio de Janeiro ou então para uma causa mais “nobre”: ajudar a manter uma orquestra sinfônica profissional especializada em jogos e animes. E do primeiro mundo! Antes a orquestra fosse de um país subdesenvolvido, resultado de um projeto social que visasse a ajudar pessoas carentes. Seria um imperativo nesse caso.

Mas não. É uma orquestra que, mais uma vez, repito, tem contato direto com diversos compositores, entre eles nomes como Kow Otani, Go Shiina, Inon Zur, Yasunori Mitsuda, Hitoshi Sakimoto, para não esquecer de todos os arranjadores do estúdio Imagine, como Shiro Hamaguchi, Hayato Matsuo e Akifumi Tada. Que se gaba de ter a apresentação da “One-Winged Angel” mais vista no YouTube. Que se orgulha de dizer que foi a única orquestra com o primeiro concerto presenciado pelo Nobuo Uematsu. Que se vangloria de ser a mais longa série de concertos de games e animes.

É o cúmulo do amadorismo, é a falta do senso de ridículo. Se a Eminence não consegue se sustentar com as gravações de trilhas sonoras e concertos na proposta de levar a música erudita para o público jovem por meio dos jogos e animações japonesas, não deveria nem existir, paciência, quem sabe outra área seja mais lucrativa. Pedir doação quebra a lógica do profissionalismo, em que se paga para ter alguma coisa em troca. Veja você, até mesmo quando um violinista de entrada de metrô indiretamente pede dinheiro com o estojo do instrumento aberto, na verdade você não doa, mas retribui em dinheiro, se quiser, por ouvir a música que ele está tocando.

A única vez em que soube de caso semelhante de pedido de doação em apresentações de game music foi com o Symphony Final Fantasy Tactics, com a diferença de que era uma iniciativa amadora com entrada gratuita. Tudo isso já estava entalado na garganta há tempos, mas não foi possível segurar ao ver o pedido tão escancarado, somados aos elogios exacerbados de  fanboys que acham tudo o que eles fazem o máximo e das autopropagandas exageradas.

Então, só eu acho inconcebível que uma orquestra profissional peça doações?

Anúncios

A Night in Fantasia 2009: eminente só no mundo da fantasia


Por Alexei Barros

Parece até um milagre hoje em dia: o lançamento da gravação de um concerto com arranjos inéditos e exclusivos em meio ao oceano de restrições de direitos autorais que aterrorizam as apresentações de game music, a maioria com versões recicladas. Mas minha empolgação é contida. Serei franco: ainda que o currículo da Eminence seja respeitável, eles ainda têm muito o que aprender com a produção, organização e divulgação, áreas que resistem em permanecer com um pé no amadorismo. Por exemplo, o que aconteceu com Valkyria Chronicles e Diablo III no set list e o Hitoshi Sakimoto na plateia, que chegaram a ser anunciados no site oficial?

Vou além. Mesmo a performance, sempre exaltada, não é tão exímia quanto deveria. Isso me leva a questionar as autopropagandas e o hype exagerado  no site oficial, Facebook e Twitter – na maioria das vezes dispensáveis, como aqui –, e os elogios exacerbados do grande séquito de fanboys espalhados pelo mundo. Eu me incluía no grupo de admiradores (ainda me mantenho, com ressalvas) mais extasiado pelas exclusividades do set list (Final Fantasy XII e The Legend of Zelda: Twilight Princess especialmente) do que pela primazia ou arrojo da execução, muito porque os registros são escassos.

O CD duplo do A Night in Fantasia 2009, que foi oficialmente anunciado para sair no dia 8 de janeiro de 2010, atrasou um pouco, nada digno de nota. Uns dois meses. Quem comprou por pré-venda no site da Eminence recebeu o álbum no final de março e início de abril. Considerando que a apresentação ocorreu dia 26 de setembro de 2009, seis meses é um tempo habitual que separa o concerto do lançamento do CD, então por que anunciar a data de maneira tão precoce? Além disso, em um primeiro momento a gravação seria feita em estúdio, não ao vivo – felizmente a qualidade de áudio é elogiável, com alguns aplausos mais efusivos no final de determinadas performances.

Como fiz na ocasião do concerto, quando comentei sobre as músicas de uma gravação amadora, falarei sobre cada faixa do disco 1 intitulado “Symphonic selection from Video Games” – seleção porque Command and Conquer: Red Alert 3, Darksiders, God of War II, Dragon Age: Origins e Metal Gear Solid 2 / 3 não entraram no CD. O disco 2 traz os segmentos de animes que tomei a liberdade de passar batido. É uma mistura interessante de quatro seleções de jogos japoneses e duas de ocidentais, sendo que estas nunca foram lembradas em outra oportunidade.

Pelo título do post, alguns podem pensar que o CD é um desastre. Claro que não é assim. Tem pontos positivos e negativos. É bom, mas não é tão eminente como comento depois do Hadouken.

Continue lendo ‘A Night in Fantasia 2009: eminente só no mundo da fantasia’

Good Game TV – Reportagem sobre o A Night in Fantasia 2009

Por Alexei Barros

No dia 26 de setembro aconteceu na Austrália o A Night in Fantasia 2009, que, embora não chame tanto a atenção em âmbito global, é foco de reportagens da imprensa local. Nesse vídeo, há depoimentos de Hiroaki Yura (diretor da Eminence Symphony Orchestra), Cris Velasco (God of War), Philip Chu (maestro da Eminence), Inon Zur (Prince of Persia), Kow Otani (Shadow of the Colossus) e Go Shiina (The iDOLM@STER). Oferecendo um panorama geral sobre game music, há imagens do concerto realizado há algumas semanas, incluindo a performance no piano de Otani na suíte de dez minutos do Shadow. A repórter até arranhou a “Scars of Time” no violino.

A Night in Fantasia 2009: o regresso eminente

Por Alexei Barros

Depois da ausência em 2008, ano ocupado pela gravação das trilhas de Diablo III, Soulcalibur IV, Valkyria Chronicles e do álbum Echoes of War, a série de concertos australiana A Night in Fantasia retornou neste ano em Sidnei, no Sydney Entertainment Centre no sábado passado, dia 26 de setembro. A despeito de algumas informações desencontradas (Diablo III, Valkyria Chronicles, o anime de The Tower of Druga e a presença de Hitoshi Sakimoto nem se confirmaram como anunciado de início), aparentemente a récita foi caprichada, mesmo porque foi realizada em um único espetáculo.

Do total de 20 executadas, 13 serão lançadas no CD A Night in Fantasia 2009 no dia 12 de dezembro. Muito melhor do que fazer várias apresentações na Austrália e restringir a eminência sinfônica para o público local. Como disse antes, o set list possui mais jogos ocidentais e, muito possivelmente para evitar problemas de direitos autorais, não há músicas de títulos da Nintendo e Square Enix – os direitos autorais da trilha de Chrono Cross são do próprio Yasunori Mitsuda.

Em relação àquela lista de convidados comentada no post anterior do A Night in Fantasia 2009, nada muito sério a acrescentar, senão pela ausência de Steve Jablonsky (Gears of War 2), que não pode comparecer e deixou uma mensagem em vídeo. De resto, Yasunori Mitsuda (Chrono Cross), Masaru Shiina (THE iDOLM@STER), Inon Zur (Dragon Age: Origins e Prince of Persia), Cris Velasco (God of War II), Wataru Hokoyama (Afrika) e Kow Otani (Shadow of the Colossus) estavam lá.

Como os relatos australianos costumam ter o péssimo hábito de não citar nominalmente as faixas tocadas, diferentemente dos blogs e sites japoneses, poderia encerrar por aqui se não fosse por uma gravação da plateia que encontrei de quatro músicas, algumas das que estava mais curioso para ouvir – faltou God of War II, Ace Combat V e Soulcalibur. Não é perfeito, mas audível e permite ter uma ideia dos arranjos – alguns que poderão ser futuramente apreciados no CD em todo o esplendor.

“Radical Dreamers” (Chrono Cross)
Original: “Radical Dreamers”

Chrono CrossParece até que foi combinado. A faixa selecionada é exatamente uma que não apareceu no antológico “Fantasy III (Chrono Trigger & Cross)” do Symphonic Fantasies, o que demonstra a fartura de músicas de Chrono Cross. Isso que ainda há tantas outras não aproveitadas. A singela canção dos créditos, originalmente apenas voz (da cantora Noriko Mitose) e violão, já havia sido traduzida para violino, violoncelo e piano no evento Destiny Reunion da própria Eminence, e adquiriu maiores proporções no opulento arranjo de Hayato Matsuo. Mais interessante, ele usou o mesmo recurso do Jonne Valtonen ao verter as partes do violão para a harpa. Aos poucos, o tema é repetido e variado, com forte utilização de metais graves e flautas, explodindo até o apogeu, e encerrando de maneira comedida na harpa. Meu veredicto definitivo só poderá ser dado na versão do CD.

“Shadow of the Colossus”

Shadow of the ColossusVerdade seja dita: o A Night in Fantasia é o concerto que mais rende homenagem à trilha do Shadow of the Colossus, não por menos o spalla Hiroaki Yura é amigo pessoal do compositor Kow Otani. Em todos as apresentações feitas pelo mundo, os segmentos reproduziam uma original ou emendavam várias músicas. Esse é o primeiro arranjo de fato, ou seja, uma interpretação alternativa, não literal, do Shadow. Uma ambiciosa suíte com dez minutos de duração, com Otani ao piano.

De início, me causou aflição por saber da participação da cantora Aika Tsuneoka, a mesma do Echoes of War, por não existir nenhum solo de vocal na trilha inteira. O pessimismo me acometeu quando a primeira intervenção dela me lembrou a “Children of the Worldstone”, mas felizmente aqui não parece que ela está cantando direto da garganta como no Echoes of War. O coral também atua, conferindo um clima sagrado.

Contudo, meu reconhecimento de faixas falhou, e só consegui identificar lembranças de “The Sunlith Earth” (3:00), “Prologue to the Ancient Land” (6:30), e acredito até que existam trechos originais, por isso também nem me arrisquei a detalhar por completo. Outra que precisa ser conferida no CD.

“Tonari ni…” (THE iDOLM@STER)
Original: “Tonari ni…”

Chiaki TakahashiTocar uma canção J-pop de um jogo de karaokê lançado apenas no Japão e para Xbox 360 é o que chamo de uma escolha audaciosa. Como a maioria das composições do Masaru Shiina, a “Tonari ni…”, que está registrada no álbum THE iDOLM@STER Master Artist 07 Azusa Miura, é pontuada por metais jazzísticos e baixo elétrico – que desapareceram na versão de Kazuhiko Sawaguchi. As palmas, o contracanto e outros elementos também foram suprimidos. Apesar da participação da cantora original Chiaki Takahashi e do coral, parece até outra canção. Ficou menos pop e mais erudito. Prefiro a original.

“Metal Gear Solid 2 / 3 Theme” (Metal Gear Solid 2 e 3)
Originais: “Metal Gear Solid Main Theme MGS 3 Version” ~ “Metal Gear Solid Main Theme” ~ “Metal Gear Solid Main Theme MGS 3 Version”

Metal Gear Solid 3: Snake EaterEsse arranjo não é novo, é o mesmo apresentado no A Night in Fantasia 2007: Symphonic Games Edition que alterna entre os temas principais do Metal Gear Solid 2 e 3. Inclusive havia publicado antes. Só não sabia que era da Natsumi Kameoka. Foi executado no encerramento, com Hiroaki Yura de bandana e tudo. A participação da bateria, reproduzindo as batidas sintetizadas das originais, é a melhor parte, sem esquecer do emocionante solo de violão no final.

Set list, agora com a ordem da apresentação:

Ato I

01 – Command and Conquer: Red Alert 3*
Composição: James Hannigan
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

02 – Laputa, Castle in the Sky
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

03 – My Neighbour Totoro
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

04 – Princess Mononoke
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

05 – Darksiders*
Composição e arranjo: Cris Velasco

06 – God of War II*
Composição e arranjo: Cris Velasco

07 – Soulcalibur
Composição: Junichi Nakatsuru
Arranjo: Shiro Hamaguchi

08 – Astro Boy
Composição: Tatsuo Takai
Arranjo: Shiro Hamaguchi

09 – Melancholy of Haruhi Suzumiya*
Composição: Satoru Kousaki
Arranjo: Shiro Hamaguchi

10 – Tsubasa Chronicles
Composição: Yuki Kajiura
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

11 – Ace Combat V: The Unsung War
Composição: Keiki Kobayashi
Arranjo: Wataru Hokoyama

Ato II

12 – Death Note
Composição: Yuki Kajiura
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

13 – Afrika
Composição, arranjo e regência: Wataru Hokoyama

14 – Chrono Cross
Composição: Yasunori Mitsuda
Arranjo: Hayato Matsuo

15 – Dragon Age: Origins*
Composição e arranjo: Inon Zur
Vocal: Aubrey Ashburn

16 – Prince of Persia
Composição e arranjo: Inon Zur

17 – Shadow of the Colossus
Composição, arranjo e piano: Kow Otani
Vocal: Aika Tsuneoka

18 – THE iDOLM@STER*
Composição: Masaru Shiina
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi
Vocal: Chiaki Takahashi

19 – Gears of War 2
Composição: Steve Jablonsky
Arranjo: Wataru Hokoyama

Bis

20 – Metal Gear Solid 2 / Metal Gear Solid 3*
Composição: Tappy Iwase e Harry Gregson-Williams
Arranjo: Natsumi Kameoka

* Não estarão registrados no CD.

A Night in Fantasia 2009

[via PALGN]

A Night in Fantasia 2009: os detalhes definitivos do concerto

Por Alexei Barros

Até que enfim! Na iminência da realização do concerto de games e animes A Night in Fantasia 2009, no dia 26 de setembro no Sydney Entertainment Centre, na Austrália, o site oficial, que estava em estado letárgico há alguns meses, foi reformulado e, com isso, o set list detalhado finalmente foi divulgado.

Se os repertórios dos anos anteriores impressionavam por segmentos de jogos nipônicos que nem apareciam em outros espetáculos (Final Fantasy XII, Onimusha, Xenosaga Episode I, The Legend of Zelda: Twilight Princess e por aí vai), este ano a ocidentalização está mais notável, mas sem abandonar o Japão. Interessantemente, sem nenhum Final Fantasy ou qualquer jogo da Nintendo, que tanto caracterizaram as performances nos anos passados, talvez para evitar problemas de direitos autorais, uma vez que haverá um CD com a performance ao vivo (na revelação, a informação é de que seria gravado em estúdio), sem, aparentemente, God of War II, Command and Conquer: Red Alert 3, Dragon Age: Origins, Metal Gear Solid 3: Snake Eater, Darksiders, THE IDOLM@STER e Melancholy of Haruhi Suzumiya. Junto também vem um DVD bônus com os bastidores.

Yasunori Mitsuda e Hiroaki YuraA prova da abrangência do set list é o vasto número de músicos convidados: as cantoras japonesas Aika Tsuneoka (aquela com vocal esquisitíssimo de “Children of the Worldstone” e “Last Angel” do Echoes of War) e Chiaki Takahashi e a americana Aubrey Ashburn, além dos compositores nipônicos Masaru Shiina, Yasunori Mitsuda, Kow Otani (que também tocará piano em Shadow of the Colossus) e Wataru Hokoyama (que ainda regerá Afrika), os americanos Steve Jablonsky e Cris Velasco e o israelense Inon Zur.

O que mais me impressionou, todavia, é que os 20 itens confirmados são de arranjos novos (se não todos, a maioria) pelo que mostra a respeitabilíssima relação de arranjadores. Quando achava que aquela versão da “Scars of Time” seria tocada pela enésima vez pela Eminence Symphony Orchestra, na verdade o segmento de Chrono Cross terá o arranjo inédito de Hayato Matsuo (um dos compositores de Ogre Battle e Final Fantasy XII). Ace Combat V: The Unsung War, por sua vez, de Wataru Hokoyama e Metal Gear Solid 3: Snake Eater de Natsumi Kameoka (drammatica, Chrono Trigger Orchestra Extra, Echoes of War etc.). Com isso, também se confirma a estranha exclusão de Valkryia Chronicles e The Tower of Druaga do repertório e a presença de Hitoshi Sakimoto, que chegaram a ser veiculados no site de início. Daquela primeira lista Diablo III também foi eliminado.

O set list com os créditos:

Games

01 – Afrika
Composição, arranjo e regência: Wataru Hokoyama

02 – Shadow of the Colossus
Composição, arranjo e piano: Kow Otani
Vocal: Aika Tsuneoka

03 – God of War II
Composição e arranjo: Cris Velasco

04 – Command and Conquer: Red Alert 3
Composição: James Hannigan
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

05 – Dragon Age: Origins
Composição e arranjo: Inon Zur
Vocal: Aubrey Ashburn

06 – Metal Gear Solid 3: Snake Eater
Composição: Tappy Iwase
Arranjo: Natsumi Kameoka

07 – Darksiders
Composição e arranjo: Cris Velasco

08 – Ace Combat V: The Unsung War
Composição: Keiki Kobayashi
Arranjo: Wataru Hokoyama

09 – THE IDOLM@STER
Composição: Masaru Shiina
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi
Vocal: Chiaki Takahashi

10 – Soulcalibur
Composição: Junichi Nakatsuru
Arranjo: Shiro Hamaguchi

11 – Prince of Persia
Composição e arranjo: Inon Zur

12 – Chrono Cross
Composição: Yasunori Mitsuda
Arranjo: Hayato Matsuo

13 – Gears of War 2
Composição: Steve Jablonsky
Arranjo: Wataru Hokoyama

Animes

14 – Melancholy of Haruhi Suzumiya
Composição: Satoru Kousaki
Arranjo: Shiro Hamaguchi

15 – Princess Mononoke
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

16 – My Neighbour Totoro
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

17 – Laputa, Castle in the Sky
Composição: Joe Hisaishi
Arranjo: Wataru Hokoyama

18 – Tsubasa Chronicles
Composição: Yuki Kajiura
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

19 – Death Note
Composição: Yoshihisa Hirano
Arranjo: Kazuhiko Sawaguchi

20 – Astro Boy
Composição: Tatsuo Takai
Arranjo: Shiro Hamaguchi

[via A Night in Fantasia]

Ressonância curta, mas eminente

Soulcalibur Suite - The Resonance of Souls and Swords
Por Alexei Barros

De todos os trabalhos da australiana Eminence Symphony Orchestra (Odin Sphere, Valkyria Chronicles etc.), muito possivelmente Soulcalibur IV seja o jogo mais proeminente. Porém, a parceria entre o compositor Junichi Nakatsuru e a Eminence não acabou aí e foi estendida com o lançamento de Soulcalibur Suite – The Resonance of Souls and Swords, um EP de três faixas – embora a duração de cerca de 14 minutos pareça curta demais para classificá-lo como Extended Play –, vendido somente digitalmente na iTunes dos EUA e Japão, ou seja, disponível apenas para os residentes nesses países.

A trinca recebeu arranjos inéditos sob a batuta de Shiro Hamaguchi, simplesmente o principal nome nas orquestrações de trilhas e concertos de Final Fantasy. Promissor. Produzida e dirigida pelo spalla Hiroaki Yura, a gravação foi feita no Trackdown Scoring Stage, e utilizou o método Source-Connect, que permitiu uma conexão de áudio direta entre o estúdio na Austrália e os produtores e músicos no Japão.

Abaixo, a tracklist. O EP inteiro custa 2,97 dólares, e cada faixa pode ser comprada individualmente por 0,99 dólares.

01 Bearer of Fate
02 Voice of the Wind
03 Decisive Souls

[via Eminence Online]

A Night in Fantasia 2009: Darksiders e Dragon Age: Origins

A  Night in Fantasia 2009
Por Alexei Barros

A pergunta que não quer calar: o que houve com o A Night in Fantasia 2009? A divulgação do concerto australiano que acontecerá no dia 26 de setembro no Sydney Entertainment Centre estava meio nebulosa. Alguns jogos tinham sido confirmados no set list em fevereiro no site oficial,  e depois bisonhamente foram excluídos Valkyria Chronicles e The Tower of Druaga: The Aegis of Uruk (anime), ambos com trilhas de Hitoshi Sakimoto que foram executadas pela própria Eminence Symphony Orchestra nas versões originais. Desde então a página entrou em estado de hibernação, sem qualquer atualização.

Em março, o SEMO corroborou com exclusividade Afrika, e agora no final de julho, quatro meses depois, o OSV re-revelou a realização do concerto, como se nada tivesse sido anunciado antes, publicando o release que também ratificou a inclusão de Darksiders (trilha de Cris Velasco, o mesmo de God of War) e Dragon Age: Origins (do Inon Zur, de Fallout 3, Prince of Persia e Crysis). Desculpe a minha ignorância, mas jamais tinha ouvido falar desses dois jogos ainda não lançados: o primeiro é um RPG de ação para PlayStation 3 e Xbox 360 que sairá no começo de 2010 e o outro, RPG da BioWare para PC, PS3 e X360 que chega em outubro de 2009 – acredito que esse pelo menos eu deveria ter sabido a existência. Estranhamente, o release não menciona que o concerto teria um CD gravado em estúdio com alguns dos arranjos exclusivos que serão executados na apresentação.

Considerando então o que está listado no site atualmente e no release, é isso o que consegui compilar do set list. Como informado, nota-se que o foco desta vez são os jogos ocidentais não aproveitados nas edições anteriores do concerto.

Jogos:

– Shadow of the Colossus
– Diablo III
– Ace Combat V
– iDOLM@STER
– Afrika
– Darksiders
– Dragon Age: Origins
– Metal Gear Solid
– Prince of Persia
– Command & Conquer: Red Alert 3

Animes:

– Astro Boy
– Studio Ghibli
– Totoro
– Laputa
– Princess Mononoke
– Death Note
– Steamboy

[via OSV]


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: