Posts Tagged 'Donkey Kong Country 2'

“Donkey Kong Country 2 Medley” – Donkey Kong Country 2 (Symphonic Gamers 2)

Por Alexei Barros

Embora seja reconhecido por muitos como um dos maiores jogos de todos os tempos – e parte desse mérito se deve pela trilha sonora –, Donkey Kong Country 2 é um jogo que, em termos de arranjos para orquestra, sofre da “síndrome de Sonic 2”. Enquanto existem ótimas releituras de ambos os jogos originais, as sequências não costumam ser muito lembradas pelos concertos.

No caso de DKC2 até existiu uma tentativa ou outra, porém nada que chegue perto da JAGMO (JApan Game Music Orchestra) neste medley. Eu costumo chamar essas orquestras japonesas de pró-amadoras, mas a JAGMO não tem absolutamente nada que dê para chamar de amador. Por algum motivo inexplicável, notei que ainda não tinha falado deles.

Além da performance exímia, a JAGMO conta com o grande atrativo de ter alguns concertos transmitidos na TV ou na internet, deixando para trás a obscuridade e secretismo que costuma ser inerente a essas orquestras japonesas – às vezes parece que quanto mais interessante o set list menor a probabilidade de ouvir o material. Este concerto em questão, batizado de Symphonic Gamers 2 e apresentado no NHK Hall, foi transmitido pela NHK e conta com uma excelente captação de imagens dos instrumentistas. Não bastasse mostrar na maior parte das vezes os músicos certos no momento exato, a legenda ainda identifica as diferentes faixas que compreendem o medley. A melhor parte disso é que o vídeo chegou aos ouvidos do próprio compositor David Wise, que elogiou a JAGMO no Twitter. O belo arranjo é de autoria da Erika Fukasawa, nascida em 1989.

Não existe maneira mais apropriada que abrir o medley senão com a “Fanfare”, seguida pela “K.Rool Returns”, música perfeita de início de uma longa aventura. A “Welcome to Crocodile Isle”, tema do mapa-múndi, ficou uma joia com solos de fagote, trompete e trombone. Em seguida, a “Jib Jig” aparece em um solo de oboé e depois com toda a orquestra em um trecho empolgante. E, usando a percussão e os martelos, o ritmo e as batidas da “Mining Melancholy” são reproduzidos de maneira inacreditavelmente fiel à original.

Em uma transição que não foi das melhores, devo admitir, surge o momento mais aguardado com a obra-prima “Stickerbrush Symphony” – inclusive dia desses David Wise disse no Twitter que a composição originalmente foi imaginada para uma fase aquática ou nas nuvens e que ela quase não entrou no jogo! Inicialmente no xilofone, depois no piano, a melodia é tocada magnificamente em um solo de violoncelo quando entra a bateria e as flautas. As cordas dão sequência à música, que volta para o xilofone. Um espetáculo. Não sou contra o uso de instrumentos elétricos e eletrônicos na companhia da orquestra (muito pelo contrário, aliás), mas é realmente impressionante que a faixa psicodélica tenha sido orquestrada com tamanha competência sem nenhum desses artifícios (como guitarra ou teclado).

Para terminar o medley, toda a urgência da “Haunted Chase” é exprimida pela orquestra. E o final… Que final é esse? Provavelmente faltaram certas músicas entre as mais marcantes (me vem à mente faixas como “Forest Interlude” e “Disco Train”), mas uma trilha com essa fartura é difícil de ter tudo em um único número. Ainda estou para ver alguém superar a JAGMO.

“Donkey Kong Country 2 Medley”
“Fanfare” ~ “K.Rool Returns” ~ “Welcome to Crocodile Isle” ~ “Jib Jig” ~ “Mining Melancholy” ~ “Stickerbrush Symphony” ~ “Haunted Chase”

Altamente agradecido ao Fabão pela dica.

Anúncios

DKC2 Serious Monkey Business: sérias restrições, mas o saldo é positivo

Por Alexei Barros

Fazia tempo que não ouvia um álbum de ponta a ponta do OCReMix, e isso só voltou a acontecer quando soube da participação do compositor original David Wise e outros nomes conhecidos das comunidades de arranjos. Fui contaminado pelo hype. Fiquei feliz quando saiu para download. E não gostei tanto assim quando ouvi.

Não sei se sou cabeça-dura demais, pouco eclético e intolerante para experimentações desvairadas, mas tem várias faixas que não vejo muito objetivo. A primeira da minha lista de músicas que não vou querer ouvir de novo, a não ser para elencar um top 10 de piores arranjos, é definitivamente a “Trapped in the Minds (Kannon’s Klaim)”. Que raios é isso? Nada contra o hip-hop, que fique bem claro. A próxima é a “Monkeys Disarm Their Kremlings (Crocodile Cacophony)”. Alguns chamam de Death Metal. Eu chamo de lixo. Com todo o respeito (me preparo para comentários ofensivos). O vocal é tão pútrido que perceberam que quase ninguém ia gostar e também colocaram uma versão instrumental  de bônus.

Nem tudo está perdido. Há várias releituras eletrônicas interessantes que não são muito memoráveis para o meu gosto. Por isso, separei somente os arranjos que mais apreciei para comentar. Se não esqueci de nenhum, são:

“Rare Respite (Jib Jig)”
– Original: “Jib Jig”

O arranjo conseguiu transformar uma música simpática em uma performance exemplar com piano, violão e flauta com vários timbres diferentes (suponho que sejam sintetizadas), conferindo um tímido flerte com celta.

“Welcome to the Funky House (Funky the Main Monkey)”
– Original: “Funky the Main Monkey”

Na época em que acompanhava mais do OCReMix, os remixes que mais gostava era do djpretzel, o dono do site, e vejo que ainda tenho uma certa predileção pelo trabalho dele. Fazendo por merecer o nome da música, o arranjo tem todo um estilo funk, o que fica muito claro no timbre do baixo elétrico.

“Pickin’ Out the Fleas (Swanky’s Swing)”
– Original: “Swanky’s Swing”

Guitarra fantástica que combinou perfeitamente com o estilo da composição original. Uma pena que os metais não sejam muito convincentes, comprometendo um pouco o resultado final.

“Bramble Reprise (Stickerbrush Symphony)”
– Original: “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)”

Estou para ouvir o arranjo definitivo da melhor música original da trilha, porque ainda não foi desta vez. Joshua Morse aumenta a psicodelia do tema ampliando a gama de efeitos eletrônicos na introdução. Surge uma guitarra solando e depois outros instrumentos, como piano e bateria. Adiante começa a ficar meio repetitiva martelando na mesma sequência continuamente. Melhora um pouco com a guitarra mais incisiva, momento de alegria que dura pouco com uma fuzarca de sons – como se  fosse ouvir três músicas diferentes ao mesmo tempo.

“Re-Skewed (Donkey Kong Rescued)”
– Original: “Donkey Kong Rescued”

Pode me acusar de que apenas dou valor aos profissionais, mas para mim o arranjo do David Wise possui um nível superior de qualidade dos demais pela escolha de timbres dos instrumentos. Quando foi anunciado o seu envolvimento, imaginei que os seus companheiros ex-Rare Grant Kirkhope e Robin Beanland também fariam arranjos. Na verdade os três se uniram para a mesma rara ocasião: Wise no sintetizador, Kirkhope na guitarra afiadíssima e Beanland no saxofone, que estranhamente soa pior do que um sax sintetizado em certos momentos. Nada muito sério que estrague o arranjo que para mim é o melhor do álbum de uma música que não costumava prestar muita atenção.

“Bonus Bop (Token Tango, Bonus Lose, Bonus Win)”
– Originais: “Token Tango”, “Bonus Lose” e “Bonus Win”

Uma grata surpresa é um arranjo do OCReMix inteiramente gravada com instrumentos reais, no caso a The UArts “Z” Big Band. A “Token Tango”, que nada mais é do que a “DK Island Swing” do primeiro DKC, combina perfeitamente com o estilo big band. Tem até uns solos de piano, trompete e bateria. A performance é ótima, mas ainda faltam alguns anos de experiência para chegar no nível de uma The Big Band of Rogues. Haja exigência de minha parte.

DKC 2: Serious Monkey Business sai dia 15 de março

Por Alexei Barros

Quem diria, eu falando do OverClocked ReMix. Em novembro do ano passado  comentei sobre o mais recente projeto de remixes da comunidade, e agora finalmente foi anunciado quando vai ser disponibilizado. Antes previsto para fevereiro, o Donkey Kong Country 2: Serious Monkey Business foi postergado para março e estará à disposição no site nesta segunda-feira, dia 15.

O motivo para comentar aqui é que pela primeira vez na história do OCReMix o próprio compositor do jogo homenageado participou, ninguém menos do que o ex-Rare David Wise. Como bônus, Robin Beanland e Grant Kirkhope,  profissionais relacionados com a produtora britânica igualmente. Um feito respeitabilíssimo, devo reconhecer.

Ainda não foi divulgado quem fez o que, mas pelo VGMdb já é possível ver todos os arranjadores. Embora não seja versado no segmento de artistas amadores de games do ocidente (nem mesmo do oriente), reconheci alguns nomes importantes na área, o que mostra que procuraram caprichar mais do que o normal.

O proprietário do OCReMix, David “djpretzel” W. Lloyd participou, bem como o sueco Mattias Häggström Gerdt, conhecido pela alcunha Another Soundscape. Recentemente os dois compuseram a Kaleidoscope Original Soundtrack referente ao jogo indie para Xbox 360 (outra lista para a façanha). Além deles, Joshua Morse, que arranjou sozinho o Castlevania: Sonata of the Damned, e talvez o mais notório dentre esses, Jake “virt” Kaufman. Integrante da banda The Smash Brothers, é nada menos do que o compositor do Contra 4 e Red Faction: Guerrilla, e um dos arranjadores do Chiptuned Rockman com a “Tornadoman Stage (Integer Spin mix)”. Pode causar estranheza porque ele é dono do site VGMix, que na teoria seria um concorrente pela proposta similar. Até por isso, o virt nunca participou antes de um projeto do OCReMix.

No canal do OSV no YouTube foi publicado com exclusividade uma amostra que reproduzo aqui. Fiquei com uma boa impressão.

[via VGMdb]

Projeto de DKC2 do OCRemix terá a participação de três compositores profissionais – incluindo o autor da trilha original

Donkey Kong Country 2
Por Alexei Barros

Não é novidade – se não sabia, fique sabendo – que não sou fã número 1 dos arranjos do OverClocked Remix por questão de gosto musical (não me apetecem as experimentações muito cabeludas), mas devo reconhecer (seria tolice ignorar) que a comunidade de fãs conseguiu feitos incríveis. O primeiro, até onde eu sei, é a versão  da “Terra’s Theme” intitulada “Squaresoft Variation”, preparada pelo Jeremy Soule (Secret of Evermore, Guild Wars, The Elder Scrolls IV: Oblivion e outros).

O segundo, e a maior façanha de todas, foi o trabalho das releituras do Super Street Fighter II Turbo HD Remix. Eles não lançaram digitalmente apenas um álbum de remixes, e sim fizeram a trilha que está no remake. A próxima realização (talvez até tenham acontecido outras que desconheça) é a participação de três compositores de jogos da Rare no Serious Monkey Business, ainda sem data de lançamento definida, que cobrirá as músicas do Donkey Kong Country 2.

São eles: Grant Kirkhope (Banjo-Kazooie, Grabbed by the Ghoulies), Robin Beanland (Killer Instinct 2, Conker’s Bad Fur Day) e, mais admirável, David Wise, o compositor original do jogo e criador de obras-primas como “Aquatic Ambiance” (DKC) e “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)” (DKC2). Farei questão de ouvir.

[via OSV]

“Donkey Kong Medley” – DK64 e DKC2 (VGO @ Berklee Performance Center)

Por Alexei Barros

Desde a primeira vez em que falei da Video Game Orchestra, o que mais queria ver era o medley do Donkey Kong prometido para a apresentação no dia três de maio no Berklee Performance Center, com arranjo do vencedor do concurso 1st Call for Arrangers, o estudante de composição para cinema James Whisenand.

Poderia reclamar da ausência de diversas músicas esquecidas (“Simian Segue”, “Aquatic Ambiance” e outras), mas não vou ser mesquinho, afinal Whisenand fez aquilo que nenhum concerto profissional se atreveu e que há muito se esperava: orquestrou a “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)”!

Mas antes vem a “Jungle” do Donkey Kong 64, que é uma releitura da “DK Island Swing” do Donkey Kong Country. Aproveitando a levada jazzística, a introdução é tocada de maneira muito apropriada na bateria, seguindo por contrabaixo acústico, trompetes, trombones, violinos, clarinete, saxofone soprano, xilofone e por aí vai.

Na sequência aparece a “Bramble Blast” do Donkey Kong Country 2 baseada não na original, mas na arranjada pela Michiko Naruke para o Super Smash Bros. Brawl. Está fiel à releitura, com o beliscar das cordas dos violinos (o pizzicato), o solo de violão, prosseguindo ao clímax quando entram metais e a bateria ainda mais forte, encerrando com o violão.

Porém, por mais que o arranjo do Brawl seja interessante, preferiria que a orquestração fosse baseada na “Stickerbush Symphony (Bramble Blast)” original, que possui andamento mais lento, as esparsas intervenções do piano e principalmente o timbre grave eletrônico, que poderia ser feito pelo teclado.

“Donkey Kong Medley”
“Jungle” (Donkey Kong 64) ~  “Bra
mble Blast” (Donkey Kong Country 2 & Super Smash Bros. Brawl)

Super Mario Galaxy 8-bits

Por Alexei Barros

A moda de pegar músicas atuais e piorá-las para parecerem de NES pegou pelo jeito. Depois das faixas do Chrono Trigger alteradas pelo artista Goike, foi a vez do australiano DJ Bouche selecionar quatro temas do Super Mario Galaxy para transpassar o desígnio da nostalgia auditiva.

Ele não chegou a lançar um CD doujin como o Goike, mas compartilhou todos os remixes para download em sua página do YouTube. Mesmo assim, para facilitar, disponibilizo todas aqui para apreciação, e as originais para comparação, além de uma faixa bônus do Donkey Kong Country 2, também do DJ Bouche no estilo retrô, em homenagem ao comentarista Geraldo Figueras.

Super Mario Galaxy:

1 – “Purple Comet (8-bit Version)”“Purple Comet” (original)
2 – “Wind Garden (8-bit Version)”“Wind Garden” (original)
3 – “Battle Rock” (8-bit Version)”“Battle Rock” (original)
4 – “Floater Land” (8-bit Version)”“Floater Land” (original)

Bônus DKC2: “Stickerbush Symphony (Bramble Blast) (8-bit Version)”“Stickerbush Symphony (Bramble Blast)” (original)

“Donkey Kong Country 2 Medley” – DKC 2 (UMGSO Concert Spring 2008)

Por Alexei Barros

Mais um vídeo da Gamer Symphony Orchestra at the University of Maryland: um medley do Donkey Kong Country 2 com nove músicas arranjadas por Gerald Tagunicar. Por que nenhum grande concerto (digo não só VGL, mas PLAY!, Press Start, A Night in Fantasia etc.) toca faixas desse jogo? Gostei principalmente do excerto final, que me faz lembrar dos tempos áureos da Rare…

“Donkey Kong Country 2 Medley”

“K. Rool Returns (Title Theme)” ~ “Welcome to Crocodile Isle (Map Screen)” ~ “Lockjaw’s Saga (Lockjaw’s Locker)” ~ “Jib Jig (Mainbrace Mayhem)” ~ “Snakey Chantey (Rattle Battle)” ~ “Token Tango (Bonus Level)” ~ “Lost World Anthem (The Lost World)” ~ “Crocodile Cacophony (K. Rool’s Theme)” ~ “Fanfare”


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: