Posts Tagged 'Distant Worlds: music from Final Fantasy'

“Twilight Over Thanalan ~ Beneath Bloodied Banners” – Final Fantasy XIV (Distant Worlds 2009 em Chicago)

Por Alexei Barros

Depois que falei sobre a trilha do Final Fantasy XIII me sinto mais confortável para publicar o último vídeo dos que planejava do Distant Worlds em Chicago – falando na turnê, ontem e hoje, dias 6 e 7 de fevereiro, a turnê fez uma visita à Coreia do Sul.

Enquanto FFXII e agora FFXIII entra a duras penas nos repertórios dos concertos, Final Fantasy XIV nem foi lançado, sequer teve a trilha sonora anunciada, e já estreou no dia 12 de dezembro de 2009. A explicação para tudo pode ser resumida em duas palavras: Nobuo Uematsu, que está envolvido na produção juntamente com o maestro Arnie Roth.

Apesar da revelação informar que seria executado um segmento nunca antes ouvido – ou eu entendi mal e o release dizia que a música nunca foi tocada ao vivo anteriormente –, trata-se dos dois temas do trailer da Tokyo Game Show 2009 que por algum motivo que ainda tento compreender acabou passando batido por mim e pelo Hadouken. Por isso, publico para a comparação com a performance ao vivo.

E comparar com FFXIII é o que não devia fazer, mas farei. Talvez seja cedo para falar isso. São duas músicas orquestradas de breve duração excelentes, do mesmo nível do Lost Odyssey, Blue Dragon e do anime Guin Saga, mas nada muito extraordinário ou impactante como, como… FFXIII. Fiquei muito mais impressionado quando vi o primeiro trailer do FFXIII.

“Suteki Da Ne” – Final Fantasy X (Distant Worlds 2009 em Chicago)

Por Alexei Barros

Normalmente não publicaria este vídeo porque, você sabe, não sou chegado nas performances mais manjadas. E a “Suteki Da Ne”, canção principal do Final Fantasy X, é relativamente difundida porque estreou no 20020220, e desde então vem sendo reprisada nos concertos subsequentes.

Mas o motivo para a existência desse post é que no Distant Worlds em Chicago a música foi cantada pela primeira vez em inglês, já que em todas as outras foi em japonês – a faixa não foi traduzida na localização como de costume. Costume que durou até o FFXII, porque no FFXIII teve a fatídica substituição. Ah, claro que ainda dedicarei uma nota sobre a recém-lançada e avassaladora trilha.

Muito provavelmente esta versão em inglês também estará no Distant Worlds II, cujas gravações se encerraram recentemente na Suécia – a “J-E-N-O-V-A” está confirmada como comprova a foto da partitura.

Que me desculpem os entusiastas do FFX,  a “Suteki Da Ne” é a minha menos favorita dos temas J-pop do Nobuo Uematsu. Não sei, parece que falta alguma coisa. Mais emoção, talvez? A performance, em contrapartida, me agradou um bocado mais. Em parte pela voz calorosa da Susan Calloway. Vai ver que o problema era Rikki. Achei interessante que o título da canção foi preservado em japonês – ao pé da letra, “Suteki Da Ne” seria algo como “Não é maravilhoso?”.

“Dancing Mad” – Final Fantasy VI (Distant Worlds 2009 em Chicago)

Por Alexei Barros

Conforme o Twitter do Distant Worlds não me deixa mentir, o maestro Arnie Roth já está na Suécia para a gravação do Distant Worlds II com a participação da competente Royal Stockholm Philharmonic Orchestra. O que se pode esperar é que a “Dancing Mad”, que debutou na turnê no espetáculo em Chicago, aparecerá na track list.

Até que enfim, convenhamos. Como devo ter dito muitas vezes, é impressionante constatar que o tema do combate derradeiro do Final Fantasy VI tenha demorado 12 anos para ser orquestrado, tendo estreado no Fourth Symphonic Game Music Concert (2006). Aliás, injusto chamarem de “world premiere”, sendo que a faixa fora arranjada anteriormente e reprisada muitas vezes no PLAY! A Video Game Symphony. E levou mais três anos para entrar no repertório de um concerto exclusivo da série.

Como a “Dancing Mad” é uma música muito extensa, de 17 minutos, com algumas repetições, o arranjo do Fourth SGMC feito pelo maestro Adam Klemens preservou a nata da composição. Esta versão é essencialmente a mesma, com a diferença que o solo de órgão foi minorado. Inclusive achei que acabou ficando um vácuo (repare em 5:32) no excerto que antecede a retomada triunfante do coral. Mais ainda é uma releitura de alto nível para uma excelentíssima composição.

“J-E-N-O-V-A” – Final Fantasy VII (Distant Worlds 2009 em Chicago)

Por Alexei Barros

Na companhia de “Dancing Mad”, “J-E-N-O-V-A” foi a votada pelos fãs para integrar o repertório da turnê Distant Worlds, estreando na apresentação em Chicago. Pelo fato de ter sido selecionada em detrimento de outra faixa que poderia ser “Clash on the Big Bridge” (“Force Your Way” e “Seymour Battle” considerava candidatas com potencial menor para vencer), a escolha gerou comentários não muito favoráveis por estas bandas que apontavam a popularidade do Final Fantasy VII como responsável pela decisão, nem tanto pela qualidade da faixa. Desgosto que compartilhei. Entretanto, a inclusão da “Clash on the Big Bridge” na “Fantasy IV (Final Fantasy)” do Symphonic Fantasies atenuou o desprazer, apesar do que, se fosse para escolher obrigatoriamente FFVII, preferiria muito mais a “Those Who Fight”, que, aliás, ficou um assombro nesta mesma suíte.

Não obstante, a música nunca tinha sido arranjada para orquestra anteriormente, e isso representa um renovo salutar, porque sentia falta de releituras inéditas de Final Fantasy, coisa que venho dizendo desde que… desde que o Hadouken começou, em 2006, porque foi neste ano que aconteceu o último concerto da série antes do Distant Worlds, o Voices: music from Final Fantasy.

Posto isso, o resultado me surpreendeu. Arnie Roth me surpreendeu. Porque ele é muito mais maestro do que arranjador. Como diz no vídeo, Eric Roth e o próprio Nobuo Uematsu também tiveram participação na peça. Como traduzir o sintetizador da original para uma orquestra? A introdução é feita no xilofone, e a ênfase do arranjo é na bateria, o que confere um peso inexistente na versão do jogo – mas que ao vivo pode trazer complicações ao engolir o som de instrumentos mais suaves. Não sei na hora. No vídeo, se não está ideal, está bem próximo, isso que é uma gravação amadora. As intervenções do coral são dignas de Shiro Hamaguchi (ou Jonne Valtonen), e enobreceram o segmento, especialmente no desfecho, assim como os solos jazzísticos de trompete ao longo da performance.  Quem sabe o arranjo não fique ainda melhor na gravação do segundo CD, que acontecerá agora em janeiro.

Distant Worlds 2009 em Chicago: comentários à distância


Por Alexei Barros

O dia 12 de dezembro marcou o fim das apresentações em 2009 da turnê Distant Worlds: music from Final Fantasy, produzida pelo maestro Arnie Roth e pelo compositor Nobuo Uematsu. Uma pletora de novidades foi reservada para o concerto realizado em Chicago, com performance da Chicagoland Pops Orchestra e Elmhurst College Concert Choir no Rosemont Theatre, tanto que ainda farei posts específicos para cada uma – felizmente, há vídeos de todas elas.

Antes de comentar o espetáculo em si, vale ressaltar uma informação preconizada em uma entrevista de Roth ao SEMO que ainda não comentei por aqui. Em janeiro, a Royal Stockholm Philharmonic Orchestra, uma orquestra de alto gabarito como se pôde notar pelo Sinfonia Drammatica e pelos PLAY! realizados na Suécia, gravará o novo CD Distant Worlds II: more music from Final Fantasy, a ser lançado em junho de 2010, sem data específica. Imagino que já com as novidades recém-estreadas. No mesmo mês, no dia 12 de junho, acontecerá o debute dessa nova fase da turnê em Estocolmo com muitas músicas que ainda não foram executadas na Europa.

Voltando a Chicago, entre diversos segmentos conhecidos, “Advent One-Winged Angel” foi exageradamente tocada duas vezes seguidas no bis na companhia da banda formada especialmente para a ocasião, os Chicago Mages. Uma curiosidade: o próprio Arnie Roth pediu para que o público acompanhasse a orquestra e coral entoando os versos “Sephiroth!”. Esta interação com a plateia não cheira a… VGL?

Fora isso, foram enfatizadas as performances vocais de Susan Calloway – como Uematsu tem apreciado sobremaneira a sua voz, há fãs que acreditam que ela seja a escolhida para a canção do Final Fantasy XIV.  Todas os temas cantados da série foram executadas na apresentação, quase como no Voices: music from Final Fantasy, com exceção de “Eyes on Me” (FFVIII), “real Emotion (FFX-2 Mix)”, “1000 no Kotoba (FFX-2 Mix)” (FFX-2) e – atenção para a ironia“My Hands” (FFXIII). Dentre as canções, a que sobressaiu foi a performance da “Suteki Da Ne” (FFX), porque foi interpretada em inglês – talvez a faixa foi traduzida e mostrada assim pela primeira vez tendo em vista a quantidade colossal de pessoas que se ofendeu pelo fato de a versão do jogo ser em japonês.

Como havia mencionado em posts anteriores, a “J-E-N-O-V-A” (FFVII) e “Dancing Mad” debutaram na turnê, bem como o segmento “Twilight Over Thanalan ~ Behind Bloody Borders” (FFXIV). Comentarei em mais detalhes nos respectivos posts, portanto seja paciente.

Enquanto não publico os vídeos aqui, recomendo fortemente a entrevista que o Don Kotowski fez com o Nobuo Uematsu para o SEMO em Chicago. Em vez de perder tempo falando do bigode ou de quantas cervejas bebe como já vi acontecer em outros sites, o bate-papo enfoca os concertos, com muitas perguntas que sempre gostaria de fazer relacionadas ao Final Fantasy Symphonic Suite, Orchestral Game Concert e Press Start. O Symphonic Fantasies não poderia deixar de ser mencionado, e Uematsu-san disse algo que me deixou relativamente empolgado: “Entretanto, no futuro definitivamente gostaria de ouvir uma abordagem mais experimental das músicas de Final Fantasy, similar ao arranjo de Secret of Mana no concerto. Também gostaria de ouvir mais temas antigos da série Final Fantasy”. É exatamente isso o que queria.

O set list do Distant Worlds em Chicago com os tradicionais links das versões originais. De duas tive que pegar de outros concertos porque não estão dispostas assim nas OSTs, e do FFXIV a trilha nem saiu, evidentemente.

Ato I

01 – “Prelude” (Final Fantasy)
02 – “Liberi Fatali” (Final Fantasy VIII)
03 – “Victory Fanfare” (Final Fantasy)
04 – “At Zanarkand” (Final Fantasy X)
05 – “Don’t Be Afraid” (Final Fantasy VIII)
06 – “Ronfaure” (Final Fantasy XI)
07 – “Memoro de la Stono ~ Distant Worlds” (Final Fantasy XI)
08 – “Love Grows” (Final Fantasy VIIII)
09 – “Swing de Chocobo” (Final Fantasy)
10 – “The Place I’ll Return to Someday ~ Melodies of Life” (Final Fantasy IX)
11 – “Fisherman’s Horizon” (Final Fantasy IX)
12 – “J-E-N-O-V-A” (Final Fantasy VII)

Ato II

13 – “Opening ~ Bombing Mission” (Final Fantasy VII)
14 – “FFVII Main Theme” (Final Fantasy VII)
15 – “Suteki Da Ne” (Final Fantasy X)
16 – “Aerith’s Theme” (Final Fantasy VII)
17 – “Dancing Mad” (Final Fantasy VI)
18 – “Kiss Me Good-Bye” (Final Fantasy XII)
19 – “Theme of Love” (Final Fantasy IV)
20 – “The Man with the Machine Gun” (Final Fantasy VIII)
21 – “Twilight Over Thanalan ~ Beneath Bloodied Banners” (Final Fantasy XIV)
22 – “Terra’s Theme” (Final Fantasy VI)

Bis

23 – “Advent One-Winged Angel” (Final Fantasy VII: Advent Children) (2x)
24 – “Victory Fanfare” (Final Fantasy)

[via GameMusic.net, imagens via Flickr]

Distant Worlds: turnê fará a estreia mundial de Final Fantasy XIV

Final Fantasy XIV
Por Alexei Barros

Quando a turnê Distant Worlds: music from Final Fantasy foi revelada em 2007 minha empolgação beirava o zero. No entanto, aos poucos, o produtor executivo, diretor musical e maestro Arnie Roth e o Nobuo Uematsu estão deixando a excursão mundial cada vez mais interessante.

A apresentação em Chicago, EUA, marcada para o dia 12 de dezembro, já estava anotada na minha agenda porque marcará os debutes de “Dancing Mad” e “J-E-N-O-V-A” com arranjos do próprio Arnie Roth. Aliás, olha o que ele deixou escapar em recente entrevista ao site polonês GameMusic.net: “Nobuo Uematsu está me instigando a fazer um terceiro [arranjo], no entanto. Ele quer também a “Clash on a Big Bridge”, mas vamos ver (risos)”. Bom saber que se os fãs não a escolhem, Uematsu faz uma força para que seja orquestrada. Com certeza a vontade aumentou depois de ver o arranjo do Jonne Valtonen da música na suíte “Fantasy IV (Final Fantasy)” (09:18 a 11:17) do Symphonic Fantasies.

Não bastassem as duas novidades e a possibilidade de uma terceira, foi revelado que será executada uma música nunca antes ouvida (por isso, suponho que não é o tema do trailer da E3 2009 e nem o da TGS 2009) do MMORPG Final Fantasy XIV. Não faço ideia quem seja o arranjador, se o Shiro Hamaguchi, como foi no passado, ou o Hiroyuki Nakayama, como tem sido nos trabalhos recentes – o mais provável.

Repete o que aconteceu com os temas de Blue Dragon e Lost Odyssey tocados no PLAY! A Video Game Symphony antes de os jogos chegarem ao mercado e da “Kiss Me Good-Bye” do Voices: music from Final Fantasy, executada um mês antes (fevereiro de 2006) de Final Fantasy XII sair no Japão (março de 2006). Falando no PLAY!, a orquestra e o local serão os mesmos do espetáculo de debute em 2006: a Chicagoland Pops Orchestra no Rosemont Theatre. O Elmhurst College Concert Choir também acompanhará a performance, que ainda terá as participações da banda Chicago Mages e da cantora Susan Calloway. Mais de 100 pessoas estarão no palco.

Mas sou chato e vou ver o lado ruim: só por que o Nobuo Uematsu voltou para o papel de compositor em FFXIV vão pular as músicas do FFXII (fora a “Kiss Me Good-Bye”) e do FFXIII? Imaginava que o fato de uma faixa não ser dele automaticamente excluía a possibilidade de aparecer na turnê Distant Worlds. Não necessariamente. “Estamos pensando se podemos trazer mais compositores. Só tivemos músicas do Nobuo Uematsu até agora, mas não esgotamos o seu catálogo ainda. As pessoas ainda querem mais dele”, diz Arnie Roth na mesma entrevista supracitada. “Mas você tem razão, há muitos outros compositores ligados à franquia Final Fantasy. Trabalhei com alguns deles anteriormente, em outros concertos. (…) Não estou tentando dizer ‘não’ para os outros”.

Não poderia concordar mais.

[via Distant Worlds]

“Victory Fanfare” – Final Fantasy (Distant Worlds 2009 em São Francisco)

Por Alexei Barros

Sempre me perguntei: como o icônico tema “Victory Fanfare”, instantaneamente associado à série Final Fantasy, nunca foi orquestrado em concertos profissionais? A espera acabou.

Na apresentação da turnê Distant Worlds: music from Final Fantasy em São Francisco, EUA, no dia 18 de julho, a San Francisco Symphony executou a famigerada fanfarra da vitória em versão arranjada pelo próprio maestro Arnie Roth. Mas é só ela, não há a música que vem na sequência e que varia de jogo para jogo. Pico de nostalgia à parte, talvez encaixaria melhor num medley de temas de batalha. Todavia, não deixa de ser interessante o resultado.

Antes da performance propriamente dita, o histórico das fanfarras atráves dos anos (a do FFX-2 nem deveria estar no meio, e nem é de autoria do Uematsu).


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: