Posts Tagged 'Cristina Branco'

“A Deus” – Grandia II (Games in Concert 2)


Por Alexei Barros

Sinceramente, não achei que um dia fosse ouvir a “A Deus” executada no Games in Concert 2 em 2007. Uma performance histórica eu diria. Foi a primeira (e até agora única) vez que uma faixa da série Grandia foi tocada ao vivo. Curiosamente, o compositor Noriyuki Iwadare só se tornou mais ativo em concertos ano passado não com Grandia ou Lunar, mas com Ace Attorney.

E que seleção mais ousada! Grandia II foi lançado originalmente para Dreamcast em 2000, e desse capítulo mesmo a “Canção do Povo” é um pouco mais comentada. Naquele ano do concerto Grandia III já havia surgido, e o Grandia original seria uma escolha que se imaginaria mais facilmente – a Metropole Orchestra poderia tocar a “Theme of Grandia” numa boa com todos os instrumentos que tem direito. Levando em consideração que a apresentação não foi no Japão, e sim na Holanda, a audácia atinge níveis estratosféricos.

Cristina BrancoPara completar, a canção divinal é em português, o que torna tudo ainda mais singular. Se na original era interpretada com uma pronúncia terrível pela japonesa Kaori Kawasumi, ao vivo foi cantada pela portuguesa Cristina Branco. Como é o seu idioma nativo, a canção soa muito mais natural e fluida.

Os versos são entoados duas vezes (e não uma como na original) e na primeira repetição do refrão o PA’ dam Choir também acompanha a cantora antes do encantador interlúdio com os solos de flauta e violoncelo. Toda a parte instrumental é uma pintura, e mostra que a Metropole Orchestra não tem apenas um naipe de metais potente, como demais músicos de excelente nível. A harpa etérea, as cordas majestosas… e ainda o baixo elétrico sutil. Sublime.

O site do concerto holandês nunca publicou o vídeo da música, mas esta e “Moon Over the Castle” foram as duas escolhidas para a transmissão de rádio – preciso dizer que são as que estava mais maluco para conhecer?

Abaixo, a letra da música, que não faz o menor sentido (é um verdadeiro amontoado aleatório de palavras bonitas), e o link da gravação, que consegui graças ao colega Matthijs Koole:

Nascer do Sol, palavras, milagre
Água pura, uma lágrima
Paz, luz, amor…
Fruto agreste, respiração, liberdade
Harmonia, vento da benção
Agradecimento…
Tempestade, inquietação, escuridão
Luz do Sol, alegria, graças a Deus…

“A Deus” (Grandia II, Games in Concert 2)

Anúncios

“Moon Over the Castle” – Gran Turismo 4 (Games in Concert 2)

Gran Turismo 4
Por Alexei Barros

Depois de ver o vídeo do último post não me conformei e fiquei mais obcecado do que nunca na busca por qualquer registro da “Moon Over the Castle” executada na apresentação holandesa Games in Concert 2 (2007). Eis que depois de algumas caçadas no Google me deparo com o Nitro Game Injection # 118: Go Karting With Bowser. Completando a procura que parecia ser eterna, o podcast abria com a famigerada faixa. Tratei de solicitá-la por e-mail ao editor do site, KyleJCrb, que me enviou encarecidamente.

Para meu espanto, levando em conta que o site oficial não havia publicado o vídeo, não é uma gravação amadora, mas sim profissional. O que aconteceu: algumas músicas dessa série de espetáculos foram veiculadas pela NCRV Radio – não todas, já que o primeiro concerto de game music transmitido de ponta a ponta ao vivo via rádio foi o Symphonic Shades em 2008 –, e a “Moon Over the Castle” estava entre elas. As demais estou caçando nos sarcófagos da Internet.

Se na outra ocasião, no A Night in Fantasia 2005, em que a faixa foi (parcialmente) executada em uma apresentação de games eu disse “Infelizmente, o longo tempo de procura é proporcional à minha imensa decepção com a performance”, posso afirmar o inverso: felizmente, o longo tempo de busca, é pequeno ante a satisfação com a performance, que não é uma simples execução literal.

Cristina BrancoCuriosamente, a porção erudita da abertura, adicionada no arranjo de Keiichi Oku para Gran Turismo 4, “Moon Over the Castle ~Orchestral Version~”, é reproduzida de maneira alternativa, começando com o vocal da cantora portuguesa Cristina Branco. Entoando os versos em italiano (traduzidos já na original a partir da letra escrita pelo criador da série, Kazunori Yamauchi), ela confere uma interpretação mais suave e menos ópera até finalmente sabermos se a lua acima do castelo está mesmo cheia.

Traumatizado pela versão do A Night in Fantasia 2005 que acabava assim, por um momento imaginei o mesmo, mas, puxa vida, a guitarra participa sutilmente da parte inicial, não haveria sentido em encerrar aqui. Sabendo então que haveria os instrumentos adequados para o rock, imaginei apreensivo “como o concerto é na Holanda, vão tocar a “Reason is Treason” (Kasabian), que substitui a “Moon Over the Castle” na abertura da versão europeia de Gran Turismo 4”. Que nada.

Ouço as primeiras notas do tema assinado por Masahiro Andoh na guitarra, a entrada fenomenal de baixo elétrico (fones de ouvido são recomendados para apreciar melhor os graves), a bateria e o teclado – todos os instrumentos ao vivo, tocados por musicistas sentados no palco como os outros integrantes da orquestra; você entendeu para quem foi a indireta –, numa combinação absolutamente avassaladora. Melhor que isso só o T-Square.

Como disse, não é uma mera imitação da original, porque também foi introduzida a orquestra na parte rock, ainda mantendo o foco da melodia na guitarra – tipo de arranjo jamais feito não só nos álbuns de Gran Turismo, como nos três CDs orquestrados do T-Square, Classic, Harmony e Takarajima, todos lançados antes de 1997. Os metais, sempre os poderosos metais, da Metropole Orchestra foram implementados, com breves participações das cordas. Passado o êxtase, volta o trecho erudito da abertura, desta vez em uma versão mais próxima da original, iniciando com o coral PA’dam Choir, que apesar de pequeno (cerca de 15 vozes, todos com microfones próprios) dá conta do recado, novamente passando para o solo de Cristina Branco.

Não me conformo como uma joia rara desta não foi publicada em vídeo no site oficial e também como a transmissão do rádio, mesmo parcial, quase nem foi comentada à época. Para uma música tão variada e eclética ser executada de maneira soberba, ainda por cima numa performance inédita em um concerto de games japonês, mostra o quanto a Metropole Orchestra é versátil e competente. Respeito  e admiração eternos à série holandesa Games in Concert.

Ouça enfim:

“Moon Over the Castle” (Games in Concert 2)


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: