Posts Tagged 'Charles Martinet'

Martinet é mais do que Mario

martinetmaisquemario

Por Claudio Prandoni

O bonachão americano Charles Martinet não é figurinha nova aqui pelo blog. Há mais ou menos longínquos três anos narrei por aqui a experiência de ir a uma churrascaria com o notório dublador do Super Mario (SPOILER: o cara é MUITO bom de garfo!).

Mas tem isso. Parece que ele é só o dublador do Super Mario. Ou do Luigi. Ou do Wario – e se pá só do Waluigi. Só que não.

Icônico pela atuação vocal dos personagens de boné da Nintendo, Charles se arrisca também nas dublagens de outros personagens – algo que, pelo que sei, foi surpresa até para alguns executivos figurões da Nintendo quando descobriram.

Geralmente são atuações bem diferentes da estridente voz de Mario e comparsas. Por exemplo, Martinet dublou o dragão Paarthurnax, no queridinho Skyrim (nem parece, né?).

O figura também fez vozes em Ratchet & Clank: A Crack in Time e um outro RPG mais, como Skies of Arcadia e Ressonance of Fate.

Infelizmente, nenhum deles muito lá eminente ou digno de nota… diferente do que acontece no recente Runner2: Future Legend of Rhythm Alien!

Ao estilo Stephen Fry, em LittleBigPlanet, Martinet faz o papel dele mesmo como narrador das corridas aventuras de Commander Video.

O bacana desse trabalho é que aí sim transparece todo o carisma e energia naturais do californiano.

As raras, mas marcantes, intervenções de Martinet brilham com simpatia, empolgação e um humor natural – traços do ator que pouco aparecem nos icônicos gritinhos e frases do Super Mario.

Abaixo dá pra conferir um cadinho do trabalho do Martinet logo na abertura do game.

Anúncios

Emoção e nostalgia no trailer tributo de fã para Super Mario Galaxy

Por Claudio Prandoni

Sei lá porque raios deixei de publicar esse vídeo por aqui. Ou será que publiquei, não lembro e ainda sou ruim pra procurar?

Que seja, fato é que esse vídeo é tão bacana que merece ser relembrado vez ou outra. Ainda mais na semana que sucede a visita de Charles Martinet, dublador do Super Mario, ao Brasil.

O tal Ed Peduzzi aí fez um vídeo tributo ao encanador gorducho da Nintendo que é simplesmente emocionante, seja pela nostalgia de quem acompanhou o herói pelos tempos, seja pela combinação de bela música e imagens.

Nintenérdico que só, o amigão Daniel Oliveira mandou bem e abriu o ano de 2010 publicando esse vídeo lá no Nintenerds. Boa, champs!

Registro fotográfico quase cronológico do último dia e premiação do Gameworld 2010

Por Claudio Prandoni

E lá se foi o disco, digo, evento voador. Na última quarta-feira, 31 de março, rolou o segundo e último dia do Gameworld 2010, que contou com feira e a tradicional premiação para destaques da indústria gamer.

Quem ouviu algo sobre o evento, sabe que a grande estrela foi o carinha aí acima, vulgo Charles Martinet, dublador do Super Mario, mas houve diversas outras atrações, como estandes com games para curtir.

Logo após o salto dimensional concretizado na forma de link logo abaixo ae, você acessa uma galeria com dezenas de imagens do eventos, incluindo várias do woo-hoo Martinet, e detalhes dos estandes, a exemplo da minha amiga Paulinha Rodrigues, que trajava um belo vestido de época para promover o Assassin’s Creed II na feira; o camarada Caio Corraini, que passou mais um dia como booth babe da Nintendo; todos os vencedores da premiação (cujos nomes você pode conferir aqui) e muita gente bonita e descolada tirando foto ao lado de Charles.

Para mais informações sobre o Gameworld 2010, é só acessar o site oficial ou conferir a cobertura feita pela equipe organizadora no site da EGW.

Continue lendo ‘Registro fotográfico quase cronológico do último dia e premiação do Gameworld 2010’

Na segunda-feira, fui jantar com o Super Mario

Por Claudio Prandoni

Lembro claramente, foi em 1996. Primeiro pelo fato de tanto jogar e ouvir, depois pelo fato de tanto imitar e repetir. Sério, lá com meus 10 e poucos anos, chegava ao ponto de ver paredes nas ruas e me imaginar rebatendo nelas para alcançar plataformas altas e estrelas, igualzinho idêntico ao Super Mario 64.

Lembro com precisão do espanto que esse jogo me causou. Sensação rara que só outro game ocasionou – Alex Kidd in Miracle World, na primeira vez que joguei videogame, história para outro dia. A precisão indomável da alavanca analógica, a vastidão intimidante do mundo 3D e, claro, o carisma magnético do Super Mario, ocasionado, entre outras coisas, pela voz do ator e dublador Charles Martinet.

Inegável, o cara ajudou em muito a definir o jeitão do herói no mundo 3D e em todos os anos 2000. O timbre jovial e saltitante, marcado por um pouquinho do carregado estereótipo italiano, são absolutamente reconhecíveis.

Enfim, por ocasião do trabalho hoje tive o imenso prazer de conhecer Charles Martinet. Cordial, prestativo, empolgado e muito falante – uma humildade que só as melhores pessoas conseguem demonstrar. Um cara fácil de fazer amizade.

Após uma longa e produtiva entrevista em vídeo para UOL Jogos, tive oportunidade depois de tomar uns drinques (eu milkshake de chocolate, ele caipirinha) ao lado de amigos de redação, como Théo Azevedo e Rodrigo Bozzi, e mais um pessoal, como os jornalistas Marcos Camargo e Renato Siqueira e o executivo Mark Wentley, da Nintendo.

O Mario do Super Mario

O papo logo migrou para um restaurante em São Paulo, onde tive uma das experiências mais bacanas e gratificantes nesse meu tempo no jornalismo de games. Agora acompanhados também pelo pop André Forastieri, todos rimos e conversamos demais.

Bom de garfo (MUITO bom de garfo MESMO), Martinet foi uma pessoa incrível. Brincalhão, fez e recebeu piadas (algumas muito boas do Théo… NOT).

Pitoresco, tirou do bolso em algumas ocasiões um bonequinho do Super Mario para tirar algumas fotos da primeira viagem dele ao Brasil – fato que me lembrou um bocado o filme O Fabuloso destino de Amèlie Poulain, em que a moça tirava fotos de um gnomo com cenários de diversas partes do mundo.

Porém, acho que o mais legal de tudo foi, de alguma maneira que nem sei definir direito – e até acho que aí está boa parte da graça, no intangível -, reconectar com um certo lado criança, maravilhado com a tecnologia. Ver ali de perto, conversando e gargalhando, um cara que ajudou a compor alguns dos momentos mais marcantes da minha juventude. Pode até soar meio bobo, talvez nerd, mas não dá pra negar como os videogames são parte da formação de qualquer um nascido dos anos 80 para cá. Alguns mais, outros menos, é verdade, mas não deixa de ser fato. Confraternizar então com alguém tão bacana, perceptivelmente feliz à beça com o que faz e ainda símbolo de um herói marcante como o Super Mario, foi de alguma forma muito fantástico. Enriquecedor, talvez.

Melhor ainda, é que uma galera considerável tem essa chance também de conhecer o Charles Martinet no Troféu Gameworld, que acontece nestes dias 30 e 31, em São Paulo (olha aqui o site oficial ó).

Pode parecer jabá, propaganda, ou coisa do tipo. Mas não é. Para quem é fã do Super Mario ou de videogames de maneira geral, é gratificante demais conhecer o Martinet e ver a alegria com que ele lida com o fato de ser a voz do Super Mario.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: