Archive for the '2010' Category



Press Start 2010: Wild Arms, Namco Arcade Medley 2010 e Final Fantasy X

Por Alexei Barros

Se a última safra de novidades do Press Start 2010 chocava pela rapidez com que jogos recentes foram selecionados, nesta volta o amargor dos retornos, das meias-novidades. Ainda que desde 2006 os programas sejam os mais diversificados entre os concertos de game music, fico com a sensação que as escolhas andam em círculos em vez de partir para novos horizontes, com o perdão dos clichês. Por exemplo: por que mais uma vez Wild Arms e não Grandia? Por que Namco Medley e não Konami Medley? E, principalmente, por que “At Zanarkand” de novo?

– Wild Arms

E eu achando que as reprises eleitas pelo público haviam acabado. No Press Start 2008 o medley de Wild Arms serviu como uma coroação por todo o talento da compositora Michiko Naruke, que arranjou o segmento em parceria com a Natsumi Kameoka. Afinal, ela tem toda a carreira dedicada à série, a não ser por um ou outro jogo, como o The Wizard of Oz: Beyond the Yellow Brick Road, aquele RPG para DS que perdeu o charme do anagrama do RIZ-ZOAWD no título japonês. Com performance de Haruo Kubota no violão para ajudar a recriar o clima de velho oeste que permeia a trilha, o número passeava mais até por seleções do Wild Arms 2 do que do Wild Arms original. Claro que a “Into the Wilderness” não faltou. Ao que tudo indica no depoimento de Shogo Sakai, que comentou que a melodia evoca sentimentos de tristeza e coragem, será o mesmo arranjo para este ano.

– Namco Arcade Medley 2010

A Namco não só é proprietária de marcas poderosas, como também de arcades famosíssimos no começo da década de 1980. Época sem internet e sem celulares que Kazushige Nojima diz se lembrar ao ouvir as músicas das máquinas de fliperama. Na primeira apresentação, no Press Start 2006, foi tocado um medley com jogos da empresa, mas como o título do segmento mostra e o depoimento confirma, a configuração de 2010 será diferente. No final, Nojima insinua que Tower of Druaga e Libble Rabble estão confirmados. Só não entendo que em 2006 não teve, acredite você, Rally-X e, mais incrível, Pac-Man, e vai ser pior ainda se pelo menos o come-come de 30 anos recém-completos não aparecer novamente.

– Final Fantasy X: “At Zanarkand”

Com todo o respeito… DE NOVO? Verdade que não acontece um concerto exclusivo de Final Fantasy no Japão desde 2006, o Voices, que já não teve o tema de abertura do FFX, mas, convenhamos, a mim já cansou. A música, com aquele mesmo arranjo magistral do Shiro Hamaguchi que estreou no 20020220 que insere a participação da orquestra ao solo de piano da original, tinha sido tocada ano passado no Press Start 2009 no bis. Inclusive arrancou lágrimas de Nobuo Uematsu na primeira apresentação. Mesmo assim, não vejo objetivo nesta repetição, ainda que o público continue a clamar pela faixa do jogo que está prestes a completar uma década, como lembrado pelo próprio Uematsu. E “Decisive Battle” que é bom, nada…

Set list até o momento:

01 – Chrono Trigger & Cross
02 – NES Medley
03 – Muramasa: The Demon Blade
04 – Mother
05 – New Super Mario Bros. Wii
06 – The Legend of Zelda
07 – Metal Gear Solid: Peace Walker

[via PRESS START]

Press Start 2010: New Super Mario Bros. Wii, The Legend of Zelda e Metal Gear Solid: Peace Walker

Por Alexei Barros

A mais recente leva de atualizações do programa do Press Start 2010, que acontece no cabalístico dia 11 de setembro com duas apresentações, corrobora aquilo que já disse muitas vezes quando levanto a bola do concerto japonês. Ao mesmo tempo em que tece homenagens aos jogos antigos, o set list é antenado para as novidades. O que dizer quando o título de uma das seleções foi lançado no Japão em 28 de abril de 2010? E o outro em dezembro de 2009?

– New Super Mario Bros. Wii

Mais chocante seria se já tivesse Super Mario Galaxy 2, mas, calma, uma coisa de cada vez – e acredito que 2011 é que virá SMG2. Realmente me pegou de surpresa tal escolha, totalmente inédita – de novo outra vez mais uma vez Super Mario Bros. 1 não, por favor. O que chegou mais perto disso foi a “End Credits” do New Super Mario Bros., só que o de DS, no Fifth Symphonic Game Music Concert (2007), com arranjo do Yuzo Koshiro.

Não entendi muita coisa pelo tradutor do que disse o maestro Taizo Takemoto. Ele se refere a uma interjeição relacionada a um determinado tipo de fase do jogo. Isso mostra que ainda não joguei o New Super Mario Bros. Wii, apesar de ser ferrenho defensor do 2D. Vamos fazer assim, você finge que leu isso aqui, porque quando descobrir atualizo e aviso pelo Twitter. Combinado?

– The Legend of Zelda: “Main Theme”

Quem acompanha o blog há mais tempo há de se lembrar que na véspera do lançamento do Super Smash Bros. Brawl, eu repetia no final de cada post que o Yuzo Koshiro faria um arranjo da “Green Hill Zone” especialmente para o jogo, em estado de absoluto êxtase causado pela confirmação de Sonic como lutador. A campanha foi um fracasso completo (a faixa veio em versão original), mas Koshirão arranjou uma das mais lendárias composições dos games, o tema principal do Zelda, que adquiriu uma roupagem no melhor estilo John Wiliams que ele sabe fazer tão bem.

No texto de revelação, Shogo Sakai relembrou o processo de desenvolvimento do Brawl, quando eles estudavam qual música do universo da Nintendo combinaria melhor com o estilo de cada arranjador. Quando conversaram, o tema do Zelda ainda não havia sido designado para ninguém, então em um encontro com a equipe com Koshirão, partiu dele a iniciativa de arranjá-la. Quando a versão ficou pronta, o looping era de cinco minutos, em contraste com o padrão do Brawl de dois pela duração enxuta das lutas. Não importou, ficou assim mesmo. Sakai terminou enaltecendo a variação de instrumentos nas frases melódicas.

Como rememorado no site, será a terceira vez que Press Start toca Zelda. Nas duas outras, em 2006 e 2007, foi executado o “The Legend of Zelda Medley 2006”, que não só inclui o tema, como faz homenagens a The Link to the Past e Ocarina of Time. Retrocesso? Seria inaceitável se fosse o mastigado ao cubo “Legend of Zelda Theme” do Toshiyuki Watanabe do Orchestral Game Concert,  mas é do Yuzo Koshiro. Está perdoado.

– Metal Gear Solid: Peace Walker:  “Heavens Divide”

Quem diria que do tema principal do Metal Gear Solid 2 no Press Start 2006, a série de concertos pularia a “Snake Eater” (Metal Gear Solid 3) – verdade seja dita, não empolga muito a versão japonesa, que perdeu todo o pique James Bond da americana – ou então qualquer uma do Metal Gear Solid 4 direto para a canção-tema do episódio para PSP. O que mostra o quanto a música composta e arranjada pelo Akihiro Honda é espetacular.

A cantora australiana Donna Burke, que já coleciona participações em diversos jogos, como Tales of Legendia, The Last Remnant, God Eater e até mesmo OutRun 2, inclusive a interpretou ao vivo no evento de lançamento do Peace Walker no Japão, com instrumentação similar à versão em estúdio, com teclado, baixo elétrico, violão, bateria e conjunto de cordas. Milagrosamente, a apresentação foi gravada. Vergonhosamente, não a publiquei. Faço agora. A diferença principal para o Press Start é que será uma orquestra completa, como comentado por Masahiro Sakurai no depoimento repleto de referências ao jogo, não apenas alguns violinos. Também não apostaria no teclado e no baixo. Mas a Donna Burke, que é quem mais importa, estará lá no dia do concerto.

Set list até o momento:

01 – Chrono Trigger & Cross
02 – NES Medley
03 – Muramasa: The Demon Blade
04 – Mother

[via PRESS START]

Press Start 2010: Chrono Trigger & Cross, NES Medley, Muramasa: The Demon Blade e Mother

Por Alexei Barros

Desde que o site oficial do Press Start 2010 foi inaugurado para a revelação do concerto tudo estava inerte, às moscas, mesmo tendo passado muito tempo após o fim da eleição da reprise que findou dia 30 de abril. Até que hoje a página foi atualizada não com um, nem dois, mas já adiantando quatro segmentos do programa, infelizmente sem detalhar quais as faixas de cada número como em 2009. E os ingressos estão à venda. Não fiquei muito empolgado com as novidades (ou seriam meias-novidades?), com exceção de uma deveras interessante que constava na minha wishlist. Além dos comentários dos organizadores foram publicadas mensagens dos fãs. Vamos ver o pouco que entendi:

– Chrono Trigger & Cross

De novo? Será a terceira vez que o Press Start toca algo da série. Em 2007 foi um segmento arroz com feijão do Trigger, adaptado do Orchestral Game Concert 5, e em 2008 um medley abarcando músicas também do Cross que foi executado no bis. Trata-se de uma das reprises escolhidas pelo público, e me refiro evidentemente ao medley que há dois anos foi presenciado por Yasunori Mitsuda. De acordo com o maestro Taizo Takemoto, a performance foi bem recebida na ocasião e ainda impressiona. A título de curiosidade, eis a seleção:

“Epilogue ~ To Beloved Friends” (Chrono Trigger)
“Chrono Trigger” (Chrono Trigger)
“Frog’s Theme” (Chrono Trigger)
“Decisive Battle with Magus” (Chrono Trigger)
“Radical Dreamers” (Chrono Cross)
“To Far Away Times” (Chrono Trigger)
“The Scars of Time” (Chrono Cross)

Não apenas pelas faixas, principalmente pelo arranjo, se é que dá para considerar muito o que escutei pela apresentação chinesa do Press Start, não tem nem comparação com a “Fantasy III (Chrono Trigger & Cross)” do Symphonic Fantasies. Justo por isso que não consigo ficar animado, ainda mais sendo uma reprise.

– NES Medley

Em 2009, o Press Start estreou um segmento que mais se aproxima do Video Games Live pela interação com o público. Era um medley de jogos do NES, não só da Nintendo como de outras produtoras. Conforme se ouvia a música, o espectador era instigado a acompanhar a melodia com as palmas caso a reconhecesse até que o telão mostrava o nome do jogo para conferir se estava correto. Foram duas configurações diferentes para cada apresentação, tarde e noite, com seleções interessantes, como Kid Icarus, Ghosts ‘n Goblins, Mappy e Yie Ar Kung-Fu. A fórmula deu certo de acordo com o roteirista Kazushige Nojima. E se entendi corretamente, os títulos deste ano serão diferentes. Ainda bem!

– Muramasa: The Demon Blade

Opa, aqui começou o Press Start 2010. Antes de mais nada, é preciso frisar este momento raro da natureza porque enfim um concerto japonês profissional vai tocar Hitoshi Sakimoto! Ogre Battle, Final Fantasy Tactics, Valkyria Chronicles e, claro, Final Fantasy XII seriam algumas das escolhas que se imaginaria em um primeiro momento, mas o que importa no caso não é o compositor, e sim um estilo preponderante da trilha do jogo de plataforma do Wii conhecido no Japão como Oboromuramasa, que foi recomendada a mim pelo Farley. Seguindo a tradição iniciada por Samurai Shodown (2008) e Okami (2009), o segmento de Muramasa: The Demon Blade trará na companhia da orquestra, instrumentos nipônicos tradicionais, como o shamisen.  Se compreendi bem o texto do Masahiro Sakurai, será um medley com duas faixas, “Introduction” e “Impermanence”, ambas de autoria do Sakimoto – outros instrumentistas do estúdio Basiscape o auxiliaram neste trabalho.

– Mother

Dos retornos foi o que mais gostei, afinal aquele sensacional “Mother Medley” é do hoje longínquo Press Start 2006. E detalhe muito importante: o arranjo será totalmente inédito, é intitulado “Mother 2010”, e possui músicas do primeiro Mother e não do Earthbound e Mother 3 como há quatro anos. Shogo Sakai, que muito provavelmente é o arranjador, lembrou que a “Eight Melodies” é utilizada no aprendizado de música no Japão e recordou do álbum Mother de 1989, ressaltando a vocalista e o coral de crianças. Será que o segmento deste ano terá os mesmos elementos?

[via PRESS START]

Press Start 2010: igualando o Orchestral Game Concert


Por Alexei Barros

O primeiro post que escrevi no Hadouken, no final de 2006, era sobre o Press Start. Entra ano, sai ano, o concerto que mais fico na expectativa é o Press Start. A excitação provocada pela ousadia das seleções do programa da série de concertos japonesa chegou ao cúmulo de criar uma categoria específica. Mas hoje, dia 8 de abril, quando é anunciado o Press Start 2010, não vou mentir afirmando que a minha empolgação seja a mesma. Isso porque depois de ouvir as gravações amadoras de 2006 e 2007, foi com grande decepção que encarei a ausência do bootleg de 2008 em decorrência da liquidação de ingressos. Em 2009 restava uma esperança porque foram feitas duas apresentações no mesmo dia. Ainda assim, nada. No máximo um registro bisonho da “Still Alive” no YouTube. Resultado: está cada vez mais distante de quem não pode acompanhar in loco. Além disso, acho altamente improvável que um dia aconteça o lançamento do CD, mesmo que uma coletânea, porque a Nintendo e a Square Enix estragam tudo com as suas restrições.

Não que por isso irei ignorar a realização do concerto. Se não passei batido por nada, o site oficial apenas revela a data da apresentação, que será no dia 11 de setembro, em um sábado. Geralmente as récitas ocorriam no domingo. Um detalhe interessante é que desde 2006 o Press Start acontece nesse mês, apenas ano passado que não, foi em agosto. Por quê? Porque o Video Games Live, que comanda todo o calendário mundial de concertos de game music, foi em setembro. Algo me diz que o VGL não passará por Tóquio no segundo semestre…

Em 2010 o Press Start comemora 5 anos de existência, igualando o antológico Orchestral Game Concert (1991-1995), que considero a série antecessora espiritual pelas raízes japonesas e por cobrir músicas de diferentes produtoras – Keiichi Oku, Shogo Sakai e Nobuo Uematsu participaram de ambas –, ou então, se formos além do Pacífico, a série alemã Symphonic Game Music Concert (2003-2007).

Ainda não foi divulgado nenhum jogo do set list, mas para comemorar o referido aniversário, o site da Famitsu abriu uma votação que se encerrará no dia 30 de abril a fim de que o público selecione qual segmento quer ouvir de novo dentre os 55 já executados nas edições passadas – lamentável constatar que apenas um deles, o “Professor Layton and the Curious Village”, foi lançado em CD. Curiosamente, a relação também inclui os números com banda do Press Start 2007 tocados pelo ghm sound team e pela [H.].

Ainda aguardo as confirmações do local, orquestra e artistas.  Depois do Hadouken tem a minha pulguenta wishlist, devidamente atualizada em relação a 2009, excluindo os segmentos já executados (Okami e Suikoden) e adicionando descobertas obscuras e novidades de lançamentos.

[via Famitsu]

Continue lendo ‘Press Start 2010: igualando o Orchestral Game Concert’


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: