Arms: um envolvente tema principal e sua deliciosa rendição 8-bit


Por Alexei Barros

O que eu ultimamente mais estou gostando de ver na Nintendo é o ímpeto para apostar em novas franquias, ainda mais numa época em que o mercado se mostra muito mais receptivo para novas IPs do que há 15 anos. E a parte mais interessante disso é ver compositores novatos da casa criando temas icônicos, o que antes parecia ser privilégio de nomes da velha guarda, como Koji Kondo e Hirokazu Tanaka (obviamente estou me limitando aos principais nessa rápida menção).

O caso mais recente dessa ousadia nintendista é Arms, jogo de luta cujo tema principal já me fisgou desde o vídeo de revelação do Switch em janeiro deste ano. Antes mesmo do lançamento do jogo, essa música já podia ser ouvida na íntegra.

Os atabaques, os apitos e o canto de torcida me trouxeram lembranças da já saudosa trilha do Mario & Sonic at the Rio 2016 Olympic Game, embora não tenham nenhum compositor em comum. Infelizmente, ainda não existe um álbum da trilha sonora de Arms para revelar os instrumentistas das músicas, já que o jogo é bem lacônico nos créditos, citando apenas a performance da Arms Band, além dos nomes dos compositores Atsuko Asahi e Yasuaki Iwata (os mesmos que trabalharam na magnífica trilha de Mario Kart 8).

De toda forma, a maioria da trilha de Arms passeia por variações desse tema, mas as faixas dos estágios reservam algumas surpresas, como o tema “Ninja College (Ninjara’s Stage)”, com solos de shamisen que me lembraram a “Daddy Mulk” do Ninja Warriors.

Além do tema principal que muitos já devem ter ouvido, deixo como recomendação esta excelente versão chiptune de autoria do Loeder, o que nos faz confundir a cabeça e imaginar que essa franquia poderia existir desde a geração 8-bit.

Anúncios

3 Responses to “Arms: um envolvente tema principal e sua deliciosa rendição 8-bit”


  1. 1 Farley 24/06/2017 às 10:41 am

    Também gostei da música tema de ARMS, ela é bem interessante e gruda fácil na cabeça (uma pena que achei o jogo bem sem sal). Curti bastante também essa versão chiptune, conseguiu traduzir bem todos os elementos da composição.

    Já as outras músicas do jogo me decepcionaram um pouco por serem simples variações do tema principal. De fato algumas têm elementos únicos, mas para mim foi uma oportunidade perdida de trazer mais composições legais.

    • 2 Alexei Barros 24/06/2017 às 1:18 pm

      Curioso, das poucas opiniões que li sobre o jogo a maioria delas me pareceu favorável.

      Concordo sobre o excesso de variações do tema do jogo. Faz todo o sentido o tema do menu ser baseado na mesma melodia, mas fiquei com a impressão que até os temas de alguns estágios seguem a mesma base. Daí eu concordo plenamente com você.


  1. 1 Super Mario Odyssey e a magia jazzística de “Jump Up, Super Star!” | Hadouken Trackback em 27/10/2017 às 1:46 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

RSS Box art do dia

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: