Tales of Orchestra Concert: 20th Anniversary: duas décadas de contos musicais

Originalmente lançado para Super Famicom em 1995, Tales of Phantasia demorou 20 anos para ganhar segmentos orquestrados

Por Alexei Barros

Sei que vou soar bastante repetitivo, mas não me canso de ressaltar como ultimamente tem aumentado a quantidade de concertos focados em séries específicas que não sejam Dragon Quest e Final Fantasy. Uma dessas franquias pouquíssimo exploradas em apresentações orquestrais teve o seu dia de glória em 9 de dezembro: a série Tales of, da Namco, em comemoração dos seus 20 anos.

E o melhor é que o álbum desse espetáculo, o Tales of Orchestra Concert: 20th Anniversary, já foi confirmado para o dia 9 de março de 2016. Apresentada no Tokyo International Forum Hall A, a récita foi tocada pela Tokyo Philharmonic Orchestra, com a regência do maestro Hirofumi Kurita, o mesmo do Gyakuten Saiban Special Courtroom 2008 (concerto de Ace Attorney). Os compositores Motoi Sakuraba e Go Shiina Também compareceram no espetáculo.

Tales of Orchestra Concert_03

A cantora e compositora Bonnie Pink fez uma participação surpresa com a performance da canção de Tales of Vesperia

Devo confessar que sou uma completa negação de Tales of. Minha única experiência se limita ao Tales of Legendia, jogo que procurei avançar motivado justamente pela magnífica trilha musical orquestrada do compositor Go Shiina. Mas minha empolgação esfriou ao perceber que no jogo as músicas não soavam tão maravilhosas como no álbum Tales of Legendia Original Soundtrack. A explicação disso é que as faixas na verdade foram melhoradas para o lançamento em CD.

Por ter músicas orquestradas, Tales of Legendia marcou uma das poucas aparições da série em concertos, figurando em apresentações como o A Night in Fantasia 2007 e o Press Start 2009. No Tales of Orchestra Concert, o Legendia foi representado com apenas uma música, que pelo menos é diferente das que vinham sendo tocadas: a “A Firefly’s Light”, canção que teve a voz da mesma cantora da trilha original, a Mayumi Sudo. Mesmo assim, eu estava sonhando com “Chasing Shirley” com seu incrível violino ou então a “TAO -melfes version-“, arranjo sinfônico do tema cantado pelo grupo Do As Infinity.

Ainda sobre isso, me surpreendeu a quantidade de músicas originalmente interpretadas por artistas J-pop que ganharam arranjos, como a “progress” (Tales of Xiilia) da cantora Ayumi Hamasaki ou a “White Light” (Tales of Zestiria) da banda superfly. Até onde eu entendi, todas essas músicas foram orquestradas em versões instrumentais. Curiosamente, outra música executada com participação de uma cantora, a Bonnie Pink em “The Full Moon and the Morning Star ~ from “Ring a Bell”, é de uma faixa originalmente instrumental, simulando uma caixinha de música. De resto, o programa passeou por diferentes jogos com músicas de Motoi Sakuraba, incluindo o primeiro jogo, Tales of Phantasia, do Super Famicom. Lembro que é muito raro aparecerem composições dele nos concertos, portanto foi sem dúvidas uma ocasião bastante inesperada e especial. Felizmente, daqui a alguns meses tudo isso será apreciável no CD do espetáculo.

Tales of Orchestra Concert_02

Antes desse concerto, apenas Baiten Kaitos havia aparecido no Press Start entre as grandes trilhas de Motoi Sakuraba. Por ora, nada de Star Ocean, Valkyrie Profile ou Dark Souls orquestrados

Abaixo, o programa completo do concerto, com links para as músicas originais dos 18 números tocados. Não deixe de clicar nos links dos reports no fim do post para ver outras fotos da apresentação.

Ato I

01. “Sorey’s Theme ~Purity~” (Tales of Zestiria)
02. “The Dream Will Not Die ~The Spilling Drops of Time~” (Tales of Phantasia)
03. “For the sake of mutual proof” (Tales of Xillia 2) ~ “Lion-Irony of fate” (Tales of Destiny) ~ “Decisive” (Tales of Phantasia) ~ “Scutum – decisive battle” (Tales of Rebirth) ~ “Coup de Grbce” (Tales of Destiny 2)
04. “Raising a Curtain” ~ “The Second Act” ~ “Final Act” (Tales of Phantasia)
05. “Eternal Mind” (Tales of Eternia)
06. “Captivated by the Journey” (Tales of Xillia)
07. “Starry Heavens” (Tales of Symphonia)
08. “progress” (Tales of Xillia)
09. “The End of a Nightmare, But Still in the Middle of a Dream” ~ “This Advancement Will Not Be Stopped” (Tales of Innocence)

Ato II

10. “The Full Moon and the Morning Star ~ from “Ring a Bell” (Tales of Vesperia) – vocal: Bonnie Pink
11. “Richea’s Lullaby” (Tales of Hearts)
12. “Royal Capital ~Majestic Grandeur~” (Tales of Graces)
13. “A Firefly’s Light” (Tales of Legendia) – vocal: Mayumi Sudou
14. “Testing the Passionate Bonds” ~ “Competing with the Honor of the Land” ~ “The Melody of Water Will Lead the Way” ~ “Struggle Between the Wind and Twinkling Sky” (Tales of Zestiria)
15. “Journey’s End” (Tales of Zestiria)

Bis

16. mirrors ~ “meaning of birth” (Tales of the Abyss)
17. “White Light” (Tales of Zestiria)
18. “Like a Dream” (Tales of Destiny)

Tales of Orchestra Concert_04

O gigantesco telão do espetáculo alternava entre as imagens dos instrumentistas/solistas e as cenas em anime dos jogos da série Tales of

[via Tales of Orchestra, Famitsu, Gamer, Dengeki Online e 4Gamer.net]

9 Responses to “Tales of Orchestra Concert: 20th Anniversary: duas décadas de contos musicais”


  1. 1 Farley 19/12/2015 às 8:19 am

    Ótimo post, Alexei :)

    Sou fã da série Tales of desde o Phantasia lá no SNES. Sempre gostei dos sistemas de batalha e do visual anime e acho os jogos bem divertidos, por mais que todo título novo receba uma grande quantidade de críticas negativas.

    A trilha sonora da série, para mim, nunca foi muito interessante. Sei lá, a sensação que eu tenho é que é tudo muito parecido, na maioria das vezes parece que o Motoi Sakuraba está com preguiça. Contudo, gosto muito dos temas de combate e pra mim são o ponto alto da série. E, claro, a trilha sonora do Tales of Legendia é excelente (uma pena que esse seja um dos Tales mais fracos da franquia).

    Eu fiquei surpreso quando soube que iam fazer um concerto em comemoração aos 20 anos da série. Isso pois até sei que no Japão a franquia tem boa popularidade, mas não tanta ao ponto de receber até um concerto. Achei as escolhas um pouco estranhas, sinto que faltou variedade — tem muitas músicas do Xillia (que acho que tem uma trilha sonora bem mediana) e do Zestiria (essa eu já gostei mais, tem muitas faixas do Go Shiina). Também achei estranho terem colocado tantas adaptações dos temas de abertura, mas entendo que os fãs japoneses gostam muito deles.

    No mais, estou curioso para ver o resultado. Quero ouvir especialmente os segmentos 4 (essas músicas do Phantasia são bem icônicas), 14 (simplesmente as melhores faixas do Zestiria juntas) e 17 (minha abertura preferida até o momento).

    • 2 Alexei Barros 19/12/2015 às 11:30 am

      Valeu, Farley!

      Mesmo tendo jogado tão pouco como eu comentei, eu tenho essa mesma impressão a respeito dos jogos e das trilhas. Eu só não me animo tanto a jogar porque já são muitos jogos lançados e fica difícil acompanhar, mas quem sabe um dia…

      Já as trilhas, você falou tudo e justamente por causa dessa mesmice do Motoi Sakuraba a trilha do Tales of Legendia me surpreendeu e cativou tanto. Eu ainda preciso ouvir direito as músicas do Tales of Zestiria, mas fiquei com a impressão que o Go Shiina não estava tão inspirado como no Legendia.

      Valeu também pelos comentários sobre as seleções do programa! Eu estou otimista em relação às adaptações dos temas de abertura. Pelo pouco que entendi no tradutor do Google, elas foram muito elogiadas.

      • 3 Farley 19/12/2015 às 12:17 pm

        Então, as composições do Go Shiina no Zestiria não são do nível do Legendia pois, aparentemente, ele e o Sakuraba tiveram dificuldade para coordenar o trabalho. Mas, de qualquer maneira, as do Shiina são as melhores da trilha.

        • 4 Alexei Barros 19/12/2015 às 12:37 pm

          Puxa, sinto que estou dormindo no ponto então…

          Nem sei se você compartilha da minha opinião, mas a única trilha do Go Shiina no nível do Tales of Legendia é do Mr. Driller: Drill Land para GameCube – inclusive essa trilha nem chegou a ser lançada em CD. Os outros trabalhos dele não achei tão inspirados…

          • 5 Farley 21/12/2015 às 8:14 am

            Eu não conheço direito o trabalho do Go Shiina pra poder opinar direito. Fora o Tales of Legendia, ouvi, com certo cuidado, somente a trilha do God Eater (e nem achei grandes coisas =P )

    • 6 Eric 19/12/2015 às 11:52 pm

      Dos muitos RPGs que eu gosto, quando vou pesquisar o compositor eu me surpreendo: é sempre o Sakuraba. Acho que por ser tão prolífico, muitas trilhas dele soam genéricas. A única trilha dele que me vem a mente é a de Valkyrie Profile, de resto…

      Quanto ao concerto, senti falta de mais músicas de Tales of Destiny, único RPG da série que joguei até cair os dedos…

      • 7 Alexei Barros 20/12/2015 às 1:38 am

        O mais incrível do Sakuraba é que ele também aparece em quase todos (senão todos) os jogos da Camelot. Mario Tennis e Mario Golf só dá ele.

        Outra trilha que gosto bastante dele é do Eternal Sonata… Eu acho que ele não caiu na mesmice, especialmente arranjando músicas do Chopin.

        Mas eu concordo que muitas faixas são meio genéricas mesmo. Ainda assim, acho que dá para separar composições específicas muito interessantes – a “Firelink Shrine” do Dark Souls é certamente uma das minhas preferidas.

        E valeu por notar a ausência do Tales of Destiny. Como eu não conhecia a série, acabei não me dando conta dessa ausência. Apesar de que para pesquisar os jogos das músicas originais deu para notar uma forte preferência pelos jogos da era PlayStation 2.

        • 8 Farley 21/12/2015 às 8:21 am

          Do Sakuraba, gosto muito das trilhas dos primeiros Golden Sun, mesmo que os sintetizadores me evoquem um sentimento meio “Mega Man”, haha… A música de Golden Sun: Dark Dawn não me apeteceu =P Também gostei muitíssimo da trilha sonora de Resonance of Fate, um dos melhores trabalhos do Sakuraba para mim. Baten Kaitos e Valkyrie Profile 2: Silmeria também têm música ótima.

          Alexei, eu achei ok a trilha do Eternal Sonata e pra mim ele caiu na mesmice sim =/ As músicas do jogo parecem demais com as faixas de Tales, mas gosto muito da música de batalha “Leap the precipice”, mesmo sendo parecida com “The True Mirror” de Baten Kaitos — compare o começo das duas e você vai ver a semelhança.

  2. 9 Alexei Barros 22/12/2015 às 8:06 pm

    @ Farley

    A trilha do God Eater eu também não achei grandes coisas…

    Boa lembrança do Resonance of Fate, eu me lembro que gostei quando ouvi. Golden Sun eu ainda precisava conferir com mais atenção.

    Puxa, já faz um tempo que escutei as músicas do Eternal Sonata, mas eu tinha ficado com uma boa impressão, especialmente por conta das músicas do Chopin como eu comentei.

    Bem observado sobre as semelhanças das duas faixas. Esses trechos meio parecidos também são muito comuns nas trilhas da série Souls…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: