“Final Fantasy VI Symphonic Poem (Born with the Gift of Magic)” (Final Symphony 2014 em Estolmo, Suécia)

Por Alexei Barros

Com extensos segmentos de Final Fantasy VI, VII e X, o Final Symphony estreou em 2013 na Alemanha e no mesmo ano chegou à Inglaterra. Desde então o espetáculo se transformou em uma miniturnê, passeando por outros países da Europa e até o Japão.

Em nenhuma dessas oportunidades o Final Symphony chegou a ser transmitido seja em vídeo ou em áudio, como tanto nos deixou mal acostumados a série de concertos Symphonic (Shades, Fantasies, Legends e Odysseys), que foi organizada pelos mesmos responsáveis (Thomas Boecker e equipe). Só consegui ouvir gravações da plateia que permitem ter uma boa ideia dos arranjos, mas evidentemente nada que chegue perto da excelência das transmissões (o que dirá dos CDs). Isso até agora…

O site da Royal Stockholm Philharmonic Orchestra publicou uma gravação do dia 18 de junho do segmento “Final Fantasy VI Symphonic Poem (Born with the Gift of Magic)” na magnitude de seus 19 minutos. A oportunidade é perfeita, já que Final Fantasy VI completa 20 anos de existência em 2014. Pessoalmente, é a minha trilha favorita da série e do Nobuo Uematsu, que estava no ápice da inspiração ao compor obra-prima depois de obra-prima (os temas de combate, os temas dos personagens, a ópera, o tema de encerramento… é uma coisa de outro mundo).

Com tanto tempo assim, muitas dessas composições memoráveis foram desenvolvidas no poema sinfônico. Não entrarei em muitos detalhes como costumava fazer (até porque o CD do concerto vem vindo aí pelo que diz o site oficial do Final Symphony), mas há clássicos atemporais como “Overture”, “Terra’s Theme”, “Kefka”, “Battle Theme” (morri nessa hora), “Save Them!” e outras. Como o arranjo é do Roger Wanamo, você pode esperar por algumas delas sendo executadas ao mesmo tempo por diferentes instrumentos da orquestra.

Sob a regência do maestro Andreas Hanson, a orquestra teve, como não poderia deixar de ser, uma performance esplêndida, como já vimos em outras oportunidades (a exemplo do concerto LEGENDS, com músicas da Nintendo). Por ora, se você quiser ler uma análise aprofundada desse e dos demais números do Final Symphony, não deixe de conferir o report in loco assinado pelo Luiz “Radical Dreamer” Macedo.

Agora… o que é essa gravação? Ela está realmente perfeita, melhor do que a das transmissões em streaming. O corte das câmeras acompanha a participação dos instrumentos, como em um espetáculo gravado em DVD. Ficou realmente incrível. Ao clicar na imagem abaixo, você será redirecionado para o site da RSPO e lá você pode voltar para o mundo encantador de Final Fantasy VI onde tecnologia e magia se misturam…

RSOPlay

8 Responses to ““Final Fantasy VI Symphonic Poem (Born with the Gift of Magic)” (Final Symphony 2014 em Estolmo, Suécia)”


  1. 1 Felipe 27/10/2014 às 1:55 pm

    Final Fantasy VI é uma ausência vergonhosa no meu histórico gamer, e minha situação só piora quando todos que jogaram parecem concordar que este é o melhor episódio da série.

    De qualquer forma, mesmo sem conhecer o game, fiquei fascinado com esse Poema Sinfônico. Consegui acompanhar uma jornada perfeita nesses 19 minutos, “só” pela qualidade do arranjo.

    Alexei, com o lançamento do disco, você pretende fazer uma análise profunda das peças? Seria interessante comparar sua visão (ou seria percepção?) mais “fria” com o relato presencial e, portanto, mais apaixonado do Radical Dreamer.

    • 2 Alexei Barros 27/10/2014 às 4:43 pm

      O Final Fantasy VI não é só a minha trilha favorita da série, como também é o meu jogo preferido, Felipe.

      Se um dia tiver a oportunidade de finalizar acho que você não vai se arrepender. O jogo envelheceu bem (para ser sincero, eu só terminei de fato em 2005) e a história e os personagens ainda são cativantes. Toda a equipe de produção estava inspiradíssima – especialmente o Nobuo Uematsu. Em termos de frequência de combates aleatórios, o FFVI também é muito mais ameno que o FFIV, por exemplo (os de NES então nem se fala).

      Sobre a análise do CD do Final Symphony, eu pretendo fazer sim, Felipe. Os posts têm sido bastante escassos ultimamente pela falta de tempo, mas um concerto desse nível merece toda a atenção. A gravação da plateia que escutei da apresentação em Londres não estava ruim e até daria para falar do concerto baseado nisso, porém dei preferência para o Radical Dreamer, que esteve lá e tudo mais.

      • 3 Felipe 28/10/2014 às 12:00 pm

        Pegou pesado, Alexei, que retórica! E lá vou eu atrás de mais um clássico…

        Você conhece a versão Advance? Dei uma olhada no review do Gamespot e esta parece ter umas melhorias bacanas. Mas pra mim é mais fácil adquirir a versão da PSN, e agora fiquei na dúvida.

        • 4 Alexei Barros 28/10/2014 às 1:18 pm

          Hahaha, que isso!

          Conheço sim a versão Advance, Felipe, embora não tenha avançado muito. Apesar de os extras serem bacanas, o principal problema desse port para mim é a trilha sonora. Eu achei perfeito este comentário na análise do Gamespot.

          “The only problem is that the Game Boy Advance hardware just can’t do the soundtrack justice. It still sounds great, but this is the kind of music that you want to hear loud and clear, and that’s not possible on the GBA.”

          Eu preferiria muito mais a versão que saiu na PSN, que é a mesma do Final Fantasy Anthology de PS1. Ela é fiel à original de SNES e tem como único contratempo um tempo mínimo de loading quando você abre o menu, mas para mim dá para relevar isso.

          • 5 Felipe 28/10/2014 às 1:52 pm

            Caramba, valeu mesmo Alexei! Tinha passado batido por essa parte do review, li apenas sobre os acréscimos e o The Good/The Bad. O sacana do crítico não comentou essa parte da trilha sonora no “The Bad”.

            E o cara ainda diz que o tema de batalha soa um pouco distorcido! Bom, depois dessa, fico com a versão da PSN sem pestanejar.

            Obrigado novamente, maestro!

  2. 6 Alexei Barros 28/10/2014 às 2:18 pm

    Agora que vi que o autor não falou desse detalhe no “The Bad”, que coisa. De cara, isso foi a coisa que mais me chamou a atenção quando joguei no GBA. Vai na versão da PSN sem medo mesmo.


  1. 1 Final Symphony: concerto será gravado no Abbey Road Studios com a London Symphony Orchestra | Hadouken Trackback em 18/12/2014 às 11:50 pm
  2. 2 “Final Fantasy VIII (Mono no aware)” (Final Symphony II 2016 em Estocolmo, Suécia) | Hadouken Trackback em 23/09/2016 às 7:13 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: