Press Start 2013: uma sonolenta nova rodada de sete repetecos

Por Alexei Barros

Se a primeira leva de atualizações do set list do Press Start 2013 não empolgou pela ausência de novidades, a segunda… fica na mesma. Só reprises. Pelo pouco que entendi no post do site 2083, neste ano a organização da série japonesa de concertos quis montar um programa com os segmentos favoritos do público. Inclusive isso já foi feito no Press Start 2010, com a diferença que havia a desculpa de ser uma apresentação comemorativa dos cinco anos de aniversário. Agora, aparentemente, não há um motivo para que isso aconteça.

Como tradicionalmente gosto de falar do Press Start por aqui, vou mais uma vez conjecturar com segmentos equivalentes que poderiam ser interessantes.

– Super Mario Bros.: “Overworld” ~ “Underwater” ~ “Underworld” ~ “Overworld”

No Press Start 2007 foi tocado um segmento do primeiro Mario que era uma ofensa de tão básico, apenas com a “Overworld” e mais nada. Quiseram corrigir o erro no Press Start 2009, com um medley mais elaborado… mas é exatamente o mesmo do Orchestral Game Concert e do Video Games Live. Lamentavelmente, vão tocar mais uma vez, como se fosse necessário de novo esse segundo segmento, que, além da “Overworld”, tem a “Underwater” e a “Underworld”. É difícil de ouvir o medley com a mesma empolgação da primeira vez, considerando que outros arranjos foram feitos nesses anos com resultados muito melhores: me refiro ao “Super Mario Bros. (Retro Suite)” do Symphonic Legends, que fugiu do senso comum ao incluir composições de outros jogos da série, e do primeiro Super Mario mesmo eles pegaram a “Castle”, que não está presente no medley do OGC. Super Mario Bros. 3 ou Super Mario World seriam as escolhas indicadas para algo mais ousado, mas eu ia me empolgar mesmo se fosse tocado um medley do Super Mario Bros. 2 (o Super Mario USA para os japoneses).

– Xenoblade Chronicles: “Xenoblade” ~ “Gaur Plains” ~ “Mechanical Rhythm” ~ “Riki the Legendary Hero” ~ “Sator, Phosphorescent Land / Night” ~ “Those Who Bear Their Name” ~ “Confrontation with the Enemy”

Um dos RPGs que atrasou o enterro do Wii possui uma trilha gigantesca, com participações de vários compositores. Três deles estiveram no palco do Press Start 2011: as cantoras CHiCO e Manami Kiyota, além do guitarrista Tomonori Kudo. Vou deixar minha sugestão, mas para o Press Start 2014: um medley do X, o novo RPG também da Monolith Soft que sairá para Wii U. Seria um voto de confiança para o Hiroyuki Sawano, em sua estreia na composição de uma trilha sonora de jogo – sua carreira foi toda construída com trilhas de animes e J-dramas.

– Baten Kaitos: “To the End of the Journey of Glittering Stars”

Opa! Essa aqui é uma reprise até que interessante, porque foi tocada há mais tempo, lá no Press Start 2008 e nunca mais apareceu de novo. Apesar disso, sugerir um segmento alternativo para o Baten Kaitos é a tarefa mais fácil de todas. O RPG do GameCube foi feito pela tri-Crescendo e tem trilha do Motoi Sakuraba. Que outro jogo tem essa dobradinha? Eternal Sonata, é claro. “Scrap and build ourselves -from Revolution-“ para ontem! Chopin e Sakuraba em uma mesma sinfonia.

– Kirby’s Dream Land: “Title” ~ “Green Greens” ~ “Float Islands” ~ “Sweet Potato Shooting” ~ “King Dedede’s Theme” ~ “Ending”

Originalmente tocado no Press Start 2009, o segmento baseado no Kirby’s Dream Land de Game Boy só foi tocado no bis, homenageando o Masahiro Sakurai, criador do personagem, o qual completaria aniversário no dia seguinte do concerto. Conheço muito pouco das trilhas sonoras do Kirby, mas, para não ir muito longe, imagino que poderia haver músicas de outros jogos da série. Por exemplo, o medley do OGC5 engloba faixas do Kirby Super Star…

– Mother Medley: “Eight Melodies” (Mother) ~ “Eight Melodies” (EarthBound) ~ “Snowman” (Mother) ~ “LOG-O-TYPE” ~ “Porky’s Theme” ~ “MOTHER 3 ‘Love Theme” (Mother 3)

Teve Mother logo no Press Start 2006, em um medley com músicas do primeiro jogo, para Famicom, do EarthBound (Mother 2), de SNES, e até do Mother 3, de Game Boy Advance. Curiosamente, no Press Start 2010 tocaram um medley diferente, enfocado apenas no Mother original. Desta vez vão repetir o primeirão, de sete anos atrás, abrangendo toda a série. É difícil querer encontrar um segmento equivalente pela série, já que Mother foge bastante das convenções, então vou me guiar pelos trabalhos de um dos compositores, Keiichi Suzuki. Para chutar o balde mesmo: a comovente “The Wind’s Regret Main Theme ~ Orchestra Version”, do Real Sound: Kaze no Regret, aquele adventure em áudio, sem imagens, do Saturn. E ainda poderia valer como uma homenagem póstuma ao Kenji Eno, criador do jogo que faleceu em fevereiro de 2013.

– Rhythm Heaven: “Ninja”

No Press Start 2009 e 2010, o jogo de ritmo foi usado para um segmento interativo com pessoas da plateia aos moldes do Video Games Live e que será tocado pela enfadonha terceira vez. Poderiam, sei lá, pensar em executar alguma música do Rhythm Heaven Fever do Wii…

– Wild Arms: “Wild Arms 2nd Ignition” Medley (Intro) ~ “Battle vs Lord Blazer” (Wild Arms 2) ~ “Into the Wilderness” (Wild Arms) ~ “First Ignition” (Wild Arms 2)

Mais um número que será tocado pela terceira vez. O Wild Arms surpreendeu muito quando foi escolhido no Press Start 2008 e, na reprise em 2010, a performance ganhou o reforço de um assobiador profissional para dar o clima perfeito de velho oeste. No lugar, eu trocaria por outro jogo com músicas da Michiko Naruke, o The Wizard of Oz: Beyond the Yellow Brick Road, RPG de DS que tinha um nome muito mais legal na versão original japonesa, RIZ-ZOAWD. A música-tema “RIZ-ZOAWD!” poderia muito bem ser interpretada com a participação da cantora Kaori Asoh.

[via PRESS START]

7 Responses to “Press Start 2013: uma sonolenta nova rodada de sete repetecos”


  1. 1 Marcelo Martins 15/07/2013 às 10:21 am

    Alexei, obrigado pelo incrível detalhe deste post, como sempre.

    Meu comentário é um pouco off-topic, mas eu sempre tive curiosidade para jogar o Eternal Sonata e nunca tive a oportunidade. Você jogou? Recomenda?

  2. 2 jejepinheiro 15/07/2013 às 11:19 am

    OS medleys do Kirby são quase sempre os mesmos. Posso estar enganada, claro, mas não me lembro de ter ouvido nenhum dele com músicas do Kirby 64, cuja trilha sonora é excelente também.

    http://youtu.be/yCtQR4AdeYg s2

  3. 3 Figueras 17/07/2013 às 4:16 pm

    “Sonolento” é a definição mesmo.

    Sinceramente, Maestro? Dentre todas essas orquestrações dos últimos tempos, te falar que nada me empolga mais em termos de arranjo que o Smooth McGroove :D

  4. 4 Alexei Barros 19/07/2013 às 3:30 pm

    @ Marcelo

    Que isso, Marcelo, disponha! Sempre gosto de falar do Press Start, mesmo que em situações menos empolgantes como essa, porque as seleções costumam ser bastante diferentes do que os concertos ocidentais.

    Rapaz, devo confessar que, nesta geração, por falta de tempo, eu fui uma negação completa em RPGs. Puxando pela memória, talvez eu não tenha terminado nenhum deles, apenas experimentado.

    E se todos os comentários off-topic fosse como esse…rs Então, eu não joguei o Eternal Sonata, embora, assim como você, também tenha muita curiosidade, apesar de ser um jogo já do começo dessa geração (2007 no X360 e 2008 no PS3). Mas já ouvi algumas opiniões não muito favoráveis a respeito, incluindo do Figueras aí embaixo, que terminou se não me engano. Acho que se você estiver disposto a relevar algumas daquelas características tão criticadas hoje em dia dos J-RPGs, você pode curtir sim, especialmente para ver como ficou a trilha no jogo. E também se você encontrar para comprar, deve estar bem barato…

    @ Jejé

    Ah, boa dica, Jejé… Eu sei que você manja de Kirby e imaginei que fosse sugerir alguma música.

    Excepcional a faixa que você passou (especialmente considerando a limitação do som do N64), não conhecia.

    @ Figueras

    Olha, eu confesso que não costumo gostar tanto de arranjos a capella, mas os que ouvi do McGroove são muito bons mesmo…

  5. 5 Alexei Barros 23/07/2013 às 7:20 pm

    @ Figueras

    Antes que me esqueça, assisti outro dia a IMPRESSIONANTE versão do McGroove da “Aquatic Ambiance”… Depois dessa, eu me rendi à genialidade do barbudo… rs

  6. 6 Figueras 23/07/2013 às 8:09 pm

    Hahaha o barbudo é incrível mesmo! Aquatic Ambiance ficou linda. Outra que achei genial, pela própria composição não ter um perfil a cappella, foi a de Super Metroid

    • 7 Alexei Barros 23/07/2013 às 8:20 pm

      Acabei de ver essa versão do Super Metroid também, sensacional! E, como comentaram em um dos vídeos dele, demorou para o McGroove fazer uma versão a capella da “Stickerbush Symphony”!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: