Press Start 2013 confirmado; por enquanto apenas cinco reprises no set list

Por Alexei Barros

Passa ano, vem ano, mais Press Start. Desde 2006 tem sido assim, com pelo menos uma apresentação anual no Japão. Em 2013, o concerto acontecerá dia 30 de agosto no Tokyo Metropolitan Art Space, com capacidade para 2000 assentos, e performance da Tokyo Philharmonic Orchestra sob a condução de Taizo Takemoto. Nesta oitava edição confesso não ter nada de muito novo para falar: “espero pelo segundo CD”, “aguardo novidades japonesas”, “quando vocês vão tocar Donkey Kong e Metroid?” etc. O de sempre. Ou seja, nada de novo.

Se eu não tenho grandes novidades para compartilhar sobre o Press Start 2013, o set list parece incorporar esse espírito da mesmice, com, até o momento, decepcionantes cinco reprises. Espero, pelo menos, que daqui em diante sejam somente novidades, com aquelas seleções marotas que só o Press Start possui. Por enquanto, só me resta comentar os números requentados e, para não ficar mais monótono do que já está, coloquei sugestões de números inéditos para cada uma.

– Okami: “The Beginning” ~ “Ryoshima Plains II” ~ “Reset” ~”Thank You” Version~

Já executado no Press Start 2009 e 2011, considero um repeteco altamente dispensável porque é um dos poucos que já tivemos a oportunidade de ouvir e ver também, com um vídeo oficial mostrando a primeira vez em que o Okami foi tocado. Se pudesse trocar por outro jogo da Clover Studio/Platinum Games, optaria sem pestanejar pelo Bayonetta, que inclusive compartilha alguns compositores com o Okami, como o Hiroshi Yamaguchi, autor da “One Of A Kind”.

– Chrono Trigger e Chrono Cross: “A Premonition” ~ “Chrono Trigger” ~ “Wind Scene” ~ “Frog’s Theme” ~ “Decisive Battle with Magus” ~ “Epilogue ~ To Beloved Friends” ~ “Frozen Flame” ~ “Marbule: Home” ~ “Scars of Time”

Acho que só se justificaria um medley da série se fosse novo – como, por exemplo, fez muito bem a Cosmosky Orchestra, com músicas pouco usuais do Chrono Cross. Já teve Chrono em 2008 e 2010 com duas seleções de faixas diferentes, mas o site do concerto afirma que a reprise será idêntica à segunda vez que o jogo foi apresentado. No lugar, podiam fazer algo com o… Radical Dreamers.

– Legend of Mana: “Legend of Mana ~Title Theme~” ~ “Colored Earth” ~ “Hometown Domina” ~ “Ruined Sparkling City” ~ “Song of Mana ~Opening Theme~”

Pela escolha feliz de composições, deve ter sido um dos melhores números do Press Start 2012. Com certeza isso os levou a quererem repetir sem muita demora já neste ano. Resta saber se haverá de novo a cantora sueca radicada no Japão Sofi Persson como em 2012. Mas, Shimomura por Shimomura, talvez pudessem tocar um medley do Kingdom Hearts mais caprichado que o de 2007.

– Xenogears: “Knight of Fire” ~ “In a Prison of Peace and Regret” ~ “Flight”

Yasunori Mitsuda mais uma vez representado com um medley executado no Press Start 2011. Muito provavelmente a escolha se deu por Xenogears ter ficado na berlinda após o lançamento do Myth: The Xenogears Orchestral Album no mesmo ano. Inclusive o medley tem faixas não arranjadas nesse CD. Se pudesse trocar, ficaria evidentemente com Xenosaga, o qual o concerto Score já fez uma belíssima apresentação.

– NieR: “Shadowlord” ~ “Emil” ~ “Kainé” ~ “Song of the Ancients”

Outra repetição do Press Start 2011. Lembro na época como a trilha original polarizou opiniões em fóruns de discussão na internet. Ironicamente, eu fico no meio desses polos, porque há boas músicas, mas chega uma hora que a repetição começa a imperar. Como há dois anos, não teremos a “Grandma”, que, por uma nova ironia, considero a melhor da trilha. Para continuar com um jogo desenvolvido pela Cavia, que, aliás, fechou as portas após o lançamento do NieR, eu voltaria para a geração PlayStation 2 para se lembrar da transcendental trilha de Drakengard 2 por músicas como a “Fate”.

[via PRESS START]

6 Responses to “Press Start 2013 confirmado; por enquanto apenas cinco reprises no set list”


  1. 1 Figueras 27/06/2013 às 10:51 am

    Ainda que não seja o único trabalho da orquestra, eu realmente espero que, por ser um trabalho anual, apareçam mais novidades. E poxa, divulga a novidade primeiro, e depois os repetecos :)

    Por outro lado, podia ser pior. Podia ter um certo compositor canastrão tocando guitarra a cada duas músicas ;)

    • 2 Alexei Barros 28/06/2013 às 2:09 am

      Pois é! Tirando o Press Start 2010, que acumulou o maior número de reprises com a desculpa de que era um concerto do aniversário de 5 anos, acho que é a primeira vez que eles fazem isso.

      Espero moderadamente por boas novidades, até porque não me recordo de trilhas recentes japonesas que ainda não tenham sido homenageadas no concerto…

      “Por outro lado, podia ser pior. Podia ter um certo compositor canastrão tocando guitarra a cada duas músicas ;)”

      HAHAHAHA! Olha o que você foi me lembrar… Consegui ficar mais de um ano sem fazer um post do VGL (o último data de novembro de 2011), daí entro no site oficial para ver a quantas anda o show e me deparo com um projeto financiado por Kickstarter do VGL. Olha, eu acho muito válido projetos independentes ou então caras das antigas que não estão muito em evidência conseguirem bancar as contas com crowdfunding, mas não consigo entender por que um show podre de rico como o VGL precisaria do Kickstarter…

  2. 3 jejepinheiro 30/06/2013 às 6:23 pm

    Isso do Kickstarter da VGL me intriga também… Mas voltando ao Press Start, certamente não é a única orquestra que existe. Ainda assim, é para mim, um dos melhores! Onde eu assino para incluírem Bayonetta no repertório também? One of a Kind é de arrepiar do começo ao fim, se tivesse essa ou até mesmo Battle for the Umbra Throne pra mim já tava ótimo.

    • 4 Alexei Barros 01/07/2013 às 12:56 am

      Aaaah, então não fui só eu…rs Eu estou me coçando para não escrever sobre o Kickstarter do VGL, porque achei muito estranho (não sei se porventura você tenha se empolgado com as promessas do projeto)…

      Tenho evitado escrever sobre o VGL porque vivia martelando as mesmas críticas desde o report de 2009 e já estava muito cansativo. Quem gosta, que vá. Mas eu só aviso que existem apresentações MUITO melhores por aí (no Brasil, inclusive). =p

      O Press Start é um dos meus preferidos por causa do repertório. Se um dia algum concerto tocar Bayonetta, 90% de chance de ser o Press Start.

      “Battle for the Umbra Throne”… Acabei de ouvi-la e também seria uma ótima pedida. E depois falam que os compositores japoneses já não são os mesmos (tá certo que o Bayonetta é de 2010…).

      • 5 jejepinheiro 01/07/2013 às 9:49 am

        Eu lembro dos reports sobre a VGL, e foram eles que inclusive me abriram os olhos sobre o evento, hahahaha. Pessoalmente, eu aprendi a gostar da bagunça que é a VGL aqui, tento tirar proveito disso e me divertir também, mas aí é de cada um mesmo. Logo no ano que eu NÃO fui, eles tocaram Resident Evil, e agora eu acho que só paro de ir definitivamente quando eu conseguir ouvir ao vivo essa joça, hahaha.

        Sobre Bayonetta, o piano de Battle for the Umbra Throne me deixa maluca! Hahaha, é uma das minhas favoritas na trilha, pena que quando essa música toca no jogo, é durante uma batalha ainda, mal dá pra apreciá-la muito, até por que a batalha é hiper rápida. Já ouviu “You May Call Me Father” também, maestro? É ótima.

        Aproveitando, ontem eu ouvi a trilha de Toki to Towa ~Tokitowa~, que tem o mestre Koshirão na composição. Achei bem legal, vou ouvir mais vezes pra poder comentar melhor sobre, mas foi muito gratificante ver o nome dele numa trilha sonora, coisa que não via faz algum tempo.

        • 6 Alexei Barros 01/07/2013 às 2:53 pm

          Ah, que legal! Se não me falhe a memória, eu nunca desestimulei as pessoas a irem ao VGL, a ideia dos posts era só para falar que existiam coisas muito melhores. Tanto é que se o VGL fosse em SP em lugar decente que não o HSBC Brasil eu teria muito mais vontade de assistir. E engraçado como o VGL foi pioneiro em tocar o Resident Evil 5… O Press Start até agora nem se lembrou da série…

          Não me lembrava da “You May Call Me Father”… Eu escutei a trilha do Bayonetta há muito tempo, quando saiu o álbum, e lamentavelmente não joguei o jogo… :(

          Excepcional a música!!! O que não poderiam fazer com essas três faixas em uma suíte…

          Eu ainda fiquei de ouvir a trilha completa do Toki to Towa ~Tokitowa~… Apenas escutei o álbum promocional, que já tinha gostado muito. Eu estou em dívida com o Koshirão, porque eu também precisava falar do Etrian Odyssey IV, que também achei excelente. Embora o Koshirão seja o mestre de “fazer muito com o pouco” com os chips de som totalmente limitados, tenho gostado de ouvir as trilhas dele com instrumentos reais.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: