Arquivo para setembro \06\UTC 2012



“Silent Hill” – Silent Hill (PlayFest 2012)

Por Alexei Barros

O compositor Akira Yamaoka saiu da Konami em 2009, mas não conseguiu abandonar totalmente a série Silent Hill: junto com Jeff Danna, ele é o autor da trilha do vindouro filme Silent Hill: Revelation 3D, a chegar às telonas em outubro de 2012. Além disso, ele sai por aí tocando músicas da série em todos os cantos do mundo.

Eu disse “músicas da série”? Na verdade, só Silent Hill 2. É sempre “Theme of Laura”, “Theme of Laura”, “Theme of Laura”, “Theme of Laura”… a composição é contagiante, mas podiam trocar o disco de vez em quando. E trocaram mesmo no PlayFest 2012, um evento de música, animação e games realizado em Úbeda, na Espanha.

A faixa escolhida: simplesmente a “Silent Hill”, tema do primeiro jogo para PlayStation, aquela coisa sufocante e perturbadora da época em que existiam puzzles quase insolúveis (o do piano sujo com manchas de sangue, claro). A música original é tocada por bandolim, guitarra, bateria e teclado (como não há instrumentistas creditados, creio que todos são sintetizados), com mais uns efeitos aqui e ali. Na versão ao vivo, o mais incrível é que há de fato um cara (de nome David Martínez) tocando bandolim. Não feliz em ter todos esses instrumentos sendo reproduzidos na hora, a performance apresentou um arranjo para cordas e coral, elementos que não constavam na versão do jogo. Coisa caprichada e profissional mesmo. Quem sabe faz ao vivo, como diria o outro.

Se você foi atento, há de perceber que o local da apresentação é o mesmo daquele Festival Cine Ubeda 2011, o qual mostrei vídeos do Castlevania: Lords of Shadow ano passado. O coral, Ziryab Choir, é o mesmo, embora numa formação um pouco menor, mas muito respeitável. Só a orquestra é diferente: a Master Symphony Orchestra em vez da Orquestra Filarmônica de Málaga.

Anúncios

“Heavens Divide” – Metal Gear Solid: Peace Walker (Press Start 2010 ~Symphony of Games~)

Por Alexei Barros

E não é que depois de tantos anos de secretismo e reclusão, o Press Start abriu os cofres e está liberando mais gravações em vídeo? Tudo isso poderia acontecer em DVD que já seria excelente e requisitado há muito tempo. Agora… de graça e no YouTube?

O melhor é que desta vez trata-se de uma performance que não havia sido liberada antes: a canção “Heavens Divide” do Metal Gear Solid: Peace Walker tocada no Press Start 2010 – o jogo tinha sido lançado em abril daquele ano. Mesmo que a execução da música seja basicamente a mesma da versão da trilha sonora original, é outra coisa ver e ouvir não só a voz potente da Donna Burke, como as cordas majestosas da Kanagawa Philharmonic Orchestra e o pungente violão de Haruo Kubota. O acompanhamento da bateria, que vai crescendo de potência, ficou ótimo e, ainda bem, não atropelou a solista e o restante da orquestra como é muito comum de acontecer nesse tipo de apresentação. Isso é que é concerto!

“Battle #1” – SaGa Frontier (String Quartet)

Por Alexei Barros

Mais um daqueles vídeos que jogam na cara a minha negligência com a série SaGa. Nem que eu tenha que jogar só pelas músicas…

Entre tantas performances da série já publicados, a preferência maior dos japoneses sempre foi pela trilogia do Super Famicom. Como os dois primeiros do Game Boy, Makai Toushi SaGa e SaGa 2: Hihou Densetsu, têm a participação do Nobuo Uematsu, também apareceram alguns arranjos desses; o SaGa Frontier II e o Unlimited SaGa têm as faixas assinadas pelo Masashi Hamauzu e por isso igualmente estão entre os preferidos. Com isso, há duas lacunas: Jikuu no Hasha: SaGa 3, ainda inédito por aqui, e finalmente o primeiro SaGa Frontier, cuja trilha é de autoria do principal compositor da série, Kenji Ito.

Enquanto a transição do Final Fantasy VI  para o VII é perceptível na mudança de estilo das músicas do Uematsu, no Kenji Ito a passagem do Romancing SaGa 3 (Super Famicom) para o SaGa Frontier (PlayStation) seu deu sem grandes mudanças. A “Battle #1” poderia se passar por qualquer outro tema de combate do SNES por conta do sintetizador como instrumento-líder e do baixo slap.

Dito isso, nessa interpretação do String Quartet, quarteto de cordas que não consegui descobrir mais informações (vale frisar que não é o Ensemble Game Classica), a música ficou uma maravilha totalmente sinfônica. O primeiro violino faz a parte do sintetizador, e, mesmo sem algo que faça a vez do baixo (como um contrabaixo acústico), os outros instrumentos dão textura à peça. Uma beleza!

 

Soundtrack Cologne – East meets West: Xenogears e Unlimited Saga no programa


Por Alexei Barros

Provisoriamente conhecido como Symphonic Game Music Concert 2012, o concerto a acontecer na Alemanha dia 16 de novembro deste ano (não confunda com o Final Symphony em maio de 2013) mudou de nome e tem reservado boas novidades para os amantes da música sinfônica gamística.

O espetáculo, agora intitulado Soundtrack Cologne – East meets West, tem o conceito, como o nome diz, de misturar em uma mesma apresentação as escolas japonesa e ocidental de composição. O lado do ocidente já teve dois representantes anunciados: Journey (do americano Austin Wintory) e Turrican II (do alemão Chris Huelsbeck). Mas do oriente o programa é ainda mais promissor, com Xenogears (do japonês Yasunori Mitsuda) e Unlimited Saga (do alemão – de olhos puxados – Masashi Hamauzu).

As duas adições são ousadas para um concerto germânico. Xenogears jamais foi lançado na Europa, nem mesmo no relançamento da PlayStation Network. O RPG filosofal será representado por uma suíte arranjada pelo finlandês Roger Wanamo – por consequência, uma suíte diferente da apresentada no bis do Press Start 2011, em que o jogo foi tocado ao vivo pela primeira vez. Mitsuda foi consultado para sugerir suas composições favoritas para a peça.

Unlimited SaGa foi publicado na Europa para PlayStation 2, mas não é um jogo lá muito famoso. Nunca joguei e não li comentários favoráveis a respeito. Já a trilha sonora… talvez esse seja o único motivo para o jogo ser lembrado hoje. Aliás, o último capítulo original da série SaGa lançado (isso em 2003), como depois só vieram remakes. Eu, se pudesse escolher, ficaria entre a “Battle Theme I” e a “Unlimited Saga Overture” (que compartilham o mesmo motivo inclusive). Mas a faixa escolhida é ótima, remetendo ao trabalho do Hamauzu em Final Fantasy XIII: a “Ruby’s Theme”. Como o Xenogears, o arranjo será do competente Roger Wanamo.

Além desses dois, está listado o segmento “Final Fantasy – Concerto for Piano and Orchestra”, que acredito ser o mesmo apresentado no Symphonic Odysseys. A performance da WDR Radio Orchestra Cologne e WDR Radio Choir Cologne no Funkhaus Wallrafplatz conduzida pelo maestro britânico Wayne Marshall não terá transmissão em vídeo como o Symphonic Fantasies e o Symphonic Odysseys, mas haverá sim transmissão em áudio, o que já considero um imenso privilégio.

[via Facebook]


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: