Conseguindo Zelda III: olhando para o céu

Por Claudio Prandoni

Passaram quase cinco anos e… cá estou de novo destilando armagura e ansiedade por um novo episódio canônico da série Legend of Zelda. Desta vez, na real, nem tenho muito do que chiar: já recebi no trabalho o Skyward Sword e estou avançando na brincadeira – e ainda com opiniões divididas.

De qualquer maneira, o game sai oficialmente no próximo dia 20 de novembro e aqui no Brasil ainda não tem data definida. Muitas lojas anunciaram para o próprio dia 20, mas já é possível ver variações de 25 a 30 de novembro.

Mas já estou enrolando demais: se você é fã, sabe que Zelda Skyward Sword terá edição especial, com um controle Wii Remote dourado e um CD com músicas orquestradas da franquia.

A parada chega aqui em Terras Brasilis? Sim, chega sim!

Vai ser fácil descolar? Provavelmente não.

Garanti a minha comprando online, mas já esgotou por lá. O lance é dar uma olhada – e rápido! – pra garantir em alguma outra revenda. O preço é salgado, cerca de 250 reais, mas o jogo é bacana, o controle vai virar item de colecionador e o CD acaba sendo uma rara chance de ter um CD bacana de game music oficialmente aqui no Brasil, não é, Alexei?

Ficadica então, zeldistas.

8 Responses to “Conseguindo Zelda III: olhando para o céu”


  1. 1 Alexei Barros 18/11/2011 às 12:40 pm

    O que mais me deixa chateado é que se passaram quase cinco anos… e ainda estou estagnado na tentativa de conhecer melhor os jogos da série. =/

    Sobre o CD, o disco não traz os arranjos Zeldistas dos sonhos, mas há belas releituras pelo que pude ouvir. Mas 250 reais até que não está tão absurdo, considerando que vem o Wii Remote Plus e o álbum.

    • 2 Orakio "O Gagá" Rob 18/11/2011 às 1:38 pm

      Eu joguei o primeiro Zelda no NES, “naqueles tempos” mesmo. Segui no pique com Zelda II e A Link to the Past, mas depois me afastei dos consoles da Nintendo.

      Só quando comprei o Wii fui buscar esse legado todo… zerei Ocarina e Majoras no Virtual Console, amei os dois. Semana retrasada fechei Windwaker, e agora estou encarando Twilight Princess enquanto o meu bundle do Skyward não chega. Cara, vale muito a pena correr atrás desses jogos, mesmo tantos anos depois. E sei que falar bem do Ocarina é chover no molhado, mas o treco é bom mesmo.

      • 3 Alexei Barros 19/11/2011 às 12:13 am

        Wow! Na época do NES eu mal sabia o que era Zelda. Não lembro se nos respectivos posts sobre os dois primeiros jogos no Gagá Games você havia comentado que jogou nos tempos idos. Quando fui conhecer a série já existia o A Link to the Past há alguns anos.

        Aproveitando o embalo do seu post sobre retrogaming no Wii e as suas recentes façanhas zeldistas, dá para dizer que o Wii não é bom para jogar os antigões, como menos modernos, por assim dizer, como os títulos de GameCube. Ainda pretendo jogar vários dos clássicos indispensáveis do console.

        Como falei aí embaixo (apesar do seu comentário ter vindo antes só vi agora… caiu no Spam), por detalhes eu não terminei o Ocarina of Time. A pressão sobre os meus ombros é tanta que vou tentar recomeçar o mais cedo possível… =p

  2. 4 Orakio "O Gagá" Rob 18/11/2011 às 1:35 pm

    Tinha um esquema para comprar na Saraiva com descontão, o bundle ficava em 180 reais. Mas não rola mais, infelizmente…

  3. 5 clefbits (@clefbits) 18/11/2011 às 8:17 pm

    Alexei,

    Quais jogos você ainda não jogou da série? Acredito que Ocarina of Time e Majora’s Mask você já conhece. Se não, são essenciais.

    Eu particularmente adoro Wind Waker (GC) e The Minish Cap (GBA). Wind Waker tem um estilo gráfico único! Em Minish Cap, adoro uma música que se chama Minish Woods. Simples, mas combina perfeitamente com o tema “exploração em uma floresta”.

    No DS, o meu favorito é The Spirit Tracks. O jogo é muito bom e a trilha, na minha opinião, é uma das melhores da série. Não tanto pela qualidade das composições, mas pela implementação genial. Para mim, continua sendo uma referência entre jogabilidade combinada com música, junto com Super Mario Galaxy.

    Phantom Hourglass é um excelente jogo também, mas não sou um grande fã da trilha. Até onde sei, Kondo não esteve envolvido nessa produção.

    Depois falem se vocês gostaram do Skyward Sword.

    Abraços!

    • 6 Alexei Barros 18/11/2011 às 10:53 pm

      Assim, conhecer no sentido de entender a mecânica de jogo, eu conheço por cima a maioria dos jogos. O problema é finalizar mesmo. Eu cheguei bem próximo de terminar o A Link to the Past e o Ocarina of Time no emulador, mas acabei perdendo o save de ambos em um pau do computador. Phantom Hourglass e o The Minish Cap joguei um bocado de ambos também.

      Tive menos contato com o Majora’s Mask, o The Wind Waker, o Twilight Princess e o Spirit Tracks. A principal causa para isso ter acontecido foi não ter tido o Nintendo 64 e o GameCube. Só voltei a ter um console da Nintendo com o Wii mesmo. Daí até retomar tudo…

      Tem ainda o primeiro, o Zelda II, Link’s Awakening, Oracle of Ages, Oracle of Seasons, mas acho que a maioria não se aprofundou nesses primeirões.

      Um dia hei de completar essa lenda…

      Abraço!

  4. 7 Radical Dreamer 19/11/2011 às 2:42 pm

    Já garanti o meu bundle, mesmo o preço sendo salgado, para um fã de Zelda um item de colecionador desses é bom demais!

    Sou suspeito em fazer recomendações, pois as faço a todo e qualquer jogo da série. Infelizmente não consegui jogar ainda os jogos de Game Boy e Game Boy Color, mas pretendo mudar isso com o 3DS.

    É claro que há uma questão de gosto, mas acredito que o Ocarina of Time será sempre considerado o melhor não apenas por sua qualidade excepcional intrínseca, mas porque causou um impacto no mundo dos games que poucos jogos conseguem causar. Pessoalmente, prefiro o Majora’s Mask e o Wind Waker, por terem características nas histórias e personagens que os tornam bem individuais. O Twilight Princess é quase um Ocarina of Time 2.0, algo que decepcionou muitos (eu inclusive). Dos de DS prefiro o Phantom Hourglass, apesar da repetição da dungeon Temple of the Ocean King, pelo design ótimo do uso de items e os chefes sensacionais. Creio que no Spirit Tracks a flauta foi mal implementada, e suas músicas não chegam nem perto das que Kondo compôs para OoT e MM. Minish Cap é um jogo com muito charme e muito criativo, com um único ponto fraco a meu ver, que é a pequena duração.

    Agora é jogar o Skyward Sword. Esse jogo não teve nenhum trailer tão bom como aquele do Twilight Princess da E3 2005 (o meu trailer favorito da série), mas as suas qualidades únicas me fazem crer que vou gostar mais desse do que do TP. Em poucos dias descobrirei!

  5. 8 Radical Dreamer 30/11/2011 às 2:09 pm

    Não sei se aconteceu apenas comigo, mas achei que tinha garantido o bundle e hoje recebo uma notificação de que o produto está esgotado, apesar de ter ficado como disponível por pelo menos uns 10 dias após minha compra. Além disso, parece que todas as lojas agora notificam uma nova data para a edição normal, dia 15 de dezembro. Alguém que encomendou o bundle de fato o recebeu hoje ou foi notificado de que ainda está para recebê-lo, ou foi adiado a entrega para a data mencionada?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: