LEGENDS: a escuridão escarlate de Super Metroid


Por Alexei Barros

A arrojada “Super Metroid (Suite: Samus Aran – Galactic Warrior)” foi um dos segmentos mais polêmicos do Symphonic Legends, provocando discussões sobre a abordagem modernista de Torsten Rasch tão incomum em concertos de game music – ao menos de game music japonesa, uma vez que BioShock figurou em diversas apresentações e terá uma nova daqui a alguns dias.

No LEGENDS, Super Metroid ficará sob os auspícios de Jonne Valtonen, que também, por enquanto, cuidou da “Toward the Celestial Sphere” de Star Fox. O arranjo não parece que causará a mesma polêmica, ainda que faça o uso de um elemento inusitado, a narração. No comentário do Facebook, o finlandês quis traçar um paralelo com a trilha original do Hirokazu Tanaka (embora o segmento seja apenas do Super Metroid) no sentido de criar a sensação de um organismo vivo. Para tanto, complementou as melodias com progressões de acordes e sobreposição de faixas. Apenas o tema principal pareceu intocado.

Uma das virtudes de Super Metroid e que Valtonen quer transmitir na “Into Red, Into Dark” é a batalha mental entre Samus e Mother Brain. A interação de orquestra, coral e narrador buscará expressar os temores de Samus, mas também sua determinação. Em inglês, a narração será feita por um corista, o sueco-americano Philip Sherman.

Não era um arranjo do Valtonen, mas do Fabian Del Priore com orquestração de Nic Raine e produção do Thomas Boecker, a “Merregnon Soundtrack – Volume 2 – Suite” no First Symphonic Game Music Concert (2003) utilizou o mesmo recurso da narração, no caso o ator James Walker, o Mr. Radik de Império do Sol (1987).

[via Facebook]

4 Responses to “LEGENDS: a escuridão escarlate de Super Metroid”


  1. 1 Radical Dreamer 05/05/2011 às 7:03 pm

    É bem possível que o Valtonen faça algo mais acessível, ou pelo menos mais reconhecível, do que o arranjo anterior. Torço pela “Brinstar Overgrown with Vegetation Area”, ainda que seja em parte eletrônica.

  2. 2 DGC 05/05/2011 às 8:06 pm

    mas… narração!? O_o

  3. 3 Alexei Barros 05/05/2011 às 9:39 pm

    @ Radical Dreamer

    Penso exatamente o mesmo, que vai ser mais acessível, com faixas identificáveis. Pelo que o Thomas me falou, é uma das partituras mais difíceis que o Valtonen já fez. A “Brinstar – Plant Overgrowth Area” é uma das mais marcantes da trilha e imagino que estará presente no arranjo.

    @ DGC

    Pelo trauma que tive com a “Darkness and Starlight” fiquei um pouco apreensivo, mas acho que nesse caso sinto que a narração deverá combinar no todo da peça, com orquestral, coral e tudo mais.


  1. 1 “The Legend of Zelda: A Link to the Past (Healing)” – The Legend of Zelda: A Link to the Past (LEGENDS) « Hadouken Trackback em 14/06/2011 às 11:32 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: