Twilight Symphony: a trilha de Twilight Princess como todo mundo sempre quis


Por Alexei Barros

Se é para imitar uma orquestra, que seja uma reprodução convincente. Caso contrário, prefiro me contentar com a original, mesmo que fique eternamente no desejo por um arranjo sinfônico. É o que penso ao ouvir o álbum de fãs Ocarina of Time Reorchestrated, que repaginou (ou tentou pelo menos) as músicas sintetizadas do The Legend of Zelda: Ocarina of Time para uma roupagem pseudo-orquestrada, ou seja, sem qualquer utilização de instrumentos reais. Meu desânimo com a sonoridade pobre foi o bastante para nem sequer redigir uma menção sobre o projeto do grupo ZREO (sigla de Zelda Reorchestrated). Pior ainda é saber que levou seis anos para ser concluído. Se quiser tirar as suas conclusões e confrontar com a minha pútrida opinião, baixe aqui.

A ZREO então deu continuidade à ideia e seguirá para o The Legend of Zelda: Twilight Princess, com o projeto batizado Twilight Symphony, que terá quase 40 faixas em um total de duas horas e meia de música. A novidade é que, além de usar samples orquestrados, os arranjos serão mais naturais e orgânicos porque vão ser encorpados com as gravações de alguns musicistas. Aubrey Ashburn, cantora americana da avassaladora “Out of Darkness (Prologue)” (Devil May Cry 4) e da trinca “Dragon Age: Origins”, “I Am The One (High Fantasy Version)” e “I Am The One (Dark Fantasy Version)” do Dragon Age: Origins, participará do projeto. Seria perfeito se não fosse por um detalhe: eles querem utilizar um coral, acontece que a contratação dos coristas será financiada pelas doações dos fãs por meio do serviço Kickstarter – a meta é de 18 mil dólares até o dia 20 de março. Nos tempos em que as barreiras entre amadores e profissionais foram derrubadas, ainda acontecem coisas como essa duras de engolir. Coisas que abomino.

Como arranjador principal, temos Wayne Strange, amparado pelo time Tim Stoney, Eric Buchholz, Leonard Cheung, Nick Perrin e Alex Bornstein. Surpreendentemente, o arranjo da faixa de abertura do álbum “Overture” baseada no tema da tela-título foi utilizado como base para a orquestração de Chad Seiter (orquestrador do Medal of Honor: Airborne e que trabalha frequentemente com Michael Giacchino) que será executada no Play! A Video Game Symphony – acredite, a turnê ainda existe. Com sete minutos de duração, a peça enfim é um adendo interessante ao repertório do Play!, que não tinha nada desse nível desde que… Super Mario Galaxy foi adicionado, isso em 2008. Mais detalhes serão revelados acerca da estreia do segmento, mas é de conhecimento que a partitura foi escrita para uma orquestra de 90 instrumentistas.

O Original Sound Version, aquele blogue que sempre lança perguntas no final de cada post, liberou com exclusividade quatro minutos de amostras para nosso deleite. Como se não bastasse, o Destructoid também fez o mesmo, só que com outras músicas. Soa promissor. Muito promissor.

Sample do OSV:

Sample do Destructoid:

Grato ao Fabão por comunicar a novidade.

[via OSV, Destructoid]

10 Responses to “Twilight Symphony: a trilha de Twilight Princess como todo mundo sempre quis”


  1. 1 Rafael '00Agent' Fernandes 04/02/2011 às 6:58 am

    E mais uma vez, o veneno escorre nas entrelinhas desse post! XD

    Tava conferindo o OoT Reorchestrated, e sem dúvida tem muita coisa que ficou mal feita ali, não parece mesmo uma orquestra (Destaque para a gaita com asma na música do LonLon Ranch) Claro que nem todo mundo consegue perceber a diferença; mas para um projeto que levou esse tempo todo e que desde aquela época já pedia doações para ser concluído, poderia ter sido feito algo melhor, até porque hoje em dia até eu consigo orquestrar uma música em menos de 6 horas, sem ninguém pagar o meu lanche.

    Mas, pelos previews, a coisa tá bem melhor que antes. Uma pena que nunca pude conferir o jogo e a trilha sonora original para comparar com as originais, mas é óbvio que essas novas releituras versões são bem mais interessantes. Vamo ver até onde isso vai dar.

    • 2 Jejé 04/02/2011 às 8:56 am

      Procure escutar as trilha original do Ocarina e depois compare com a “Orquestrada”. Apesar que muitas das músicas de Zelda, são mais memoráveis se você já souber onde elas tocam, associando assim o momento do jogo.
      Já o Twilight, tem uma trilha original ótima, e o preview desse projeto me empolgou bastante, aguardo mais novidades! =D

      • 3 Rafael '00Agent' Fernandes 04/02/2011 às 12:27 pm

        Então Jejé, eu sou fã da trilha original! Apesar da “atualizada” que o ZREO deu nos sons originais (que já sofriam da artificialidade dos instrumentos, mas mais pelas limitações de memória do N64), acho que ficou meio aquém do que o projeto parece no papel, saca? Ainda mais com os recursos disponíveis hoje em dia para quem deseja fazer isso. Por isso, ainda prefiro as originais, apesar da simplicidade :D

  2. 4 erikamth 04/02/2011 às 8:23 am

    Concordo que não ficou perfeito (ok, don’t shoot me!). Alguns instrumentos soam fora de sintonia, o efeito improvisação e “flexível” de instrumentos como flauta e violino desaparece, deixando o som pobre. Fora os efeitos distorcidos que eu não acho que foi proposital (se foi, eu não gostei), como no Gerudo Valley.

    Mas não deixo de achar interessante o álbum. Vou baixar tudo e ouvir com calma depois. Me inspira pelo menos.

  3. 6 Radical Dreamer 04/02/2011 às 11:31 am

    Estou bem empolgado com esse novo projeto. Ainda me impressiona que uma série com um legado musical tão rico é tão ignorada em concertos ou arranjos profissionais (em grande parte culpa da Nintendo, que nem publicar a trilha do Twilight Princess publicou). Mas os previews são ótimos, parecem realmente promissores, mas não acho que o gol de 18 mil dólares para o coral será atingido. Quem sabe a Nintendo mesmo faz direito com o Skyward Sword e nada disso será necessário.

  4. 7 DGC 04/02/2011 às 11:52 am

    Acompanho o ZREO Team faz algum tempo já… ou ao menos acompanhava de sextas em sextas-feiras quando eles ainda atualizavam o site com novas músicas (cujo agora está explicada a longa ausência) e devo confessar, embora goste do trabalho deles, há sim muito lixo nas músicas que eles “re-orquestraram”. Porém há tbm coisas que prestam e mais do que isso, faixas que ficaram maravilhosas.
    Eis algumas:
    – Calling The Four Giants (de The Legend of Zelda – Majora’s Mask)
    – Cloud Tops (de The Legend of Zelda – The Minish Cap)
    – Ocean Redux v.2 (de The Legend of Zelda – The Wind Waker)
    – Midna’s Suite e Sacred Grove (de The Legend of Zelda – Twilight Princess)

    O Twilight Symphony soa, literalmente, promissor… agora… na base de doações é… complicado (pra não dizer outra coisa).

  5. 8 Alexei Barros 04/02/2011 às 1:31 pm

    @ 00Agent

    Já pedia doações naquela época? Vixe…

    As cordas de fundo da “Lon Lon Ranch” até que ficaram boas, mas a gaita asmática não rola mesmo, hehe…

    O Twilight Princess está na minha lista de ausências, mas do que ouvi da trilha é decepcionante não serem orquestradas. Depois do Super Mario Galaxy e Super Mario Galaxy 2, é uma obrigação que a trilha do The Legend of Zelda: Skyward Sword seja orquestrada.

    @ Jejé e 00Agent

    Concordo com o espião 00Agent. Mesmo com a simplicidade da trilha, as músicas têm um charme, exacerbado pela qualidade das composições e dos timbres para um jogo de cartucho.

    @ Erika

    Faço coro a todas as suas observações, Erika. Ouvi de novo a “Gerudo Valley” e fiquei chocado com todo o artificialismo. O solo de trompete é totalmente fake.

    @ Radical Dreamer

    Em parte a falta com Zelda dos concertos foi compensada com o poema sinfônico do Symphonic Legends, mas tem muito a ser explorado ainda.

    Sobre o fato de a trilha do Twilight Princess não ser lançada, existe uma explicação para isso.

    “- Why doesn’t Nintendo release CDs?

    We have never published a single CD.

    Instead, record companies have suggested a CD release plan, and we have let them publish it under license. However, game soundtrack CDs didn’t sell well, and you’d often hear news about poor sales of general CDs lately. It’s just a few thousand, at best. It requires a lot of labor to make a CD, and even if we do, we think we still should utilize our musical assets for such promotion that you can enjoy games more. we’ll try to help more people enjoy the sound of Nintendo, through enclosures like this issue of Nintendo Dream and the guide book of Chibi-Robo!, the rewards of Club Nintendo, or the launch of Nintendo Mobile. Game is what matters most to us, and we’ll use game music as promotion.

    Fonte: VGMdb

    Acho que a culpa é mais dos fãs, porque na década de 1990 a Nintendo lançava trilhas e mais trilhas, originais e arranjadas, de jogos não muito famosos.

    @ DGC

    Esqueci completamente que eles também orquestraram músicas dos outros jogos da série.

    Opa! Essas que você passou estão em outro nível! Gostei especialmente da “Ocean Redux v.2”, “Midna’s Suite” e “Sacred Grove”.


  1. 1 Play!: os debutes de Dragon Age: Origins e do novo segmento de Castlevania « Hadouken Trackback em 26/02/2011 às 6:22 pm
  2. 2 Play!: as estreias de Halo: Reach, Dragon Age II, Metroid e dos novos números de Mario e Zelda « Hadouken Trackback em 30/04/2011 às 8:10 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: