VGL 2010 confirmado em SP e RJ: zzzzzzzzzzzz…


Por Alexei Barros

Enquanto você pulará de alegria e soltará rojões, permita-me bocejar com o que vou falar: Video Games Live confirmado neste ano no Brasil para duas cidades: São Paulo, dia 8 de outubro, e Rio de Janeiro, 10 de outubro. Depois daquela que foi a maior turnê no país já feita pelo show, com quatro apresentações em 2009, voltamos ao total de 2006, quando somente as duas foram contempladas. Findada a excursão, o Twitter brasileiro limitou-se a escrever “Video Games Live Brasil 2009 – Sucesso!”, enquanto que o site americano exaltou a liquidação de ingressos em todos os espetáculos. Se foi tão maravilhoso assim, por que não aumentou o número de cidades? E não creio que irá crescer. Digo isso porque havia duas vagas além do RJ com status “COMING SOON!”, e a terceira desapareceu.

Posto isso, farei o que sempre acaba acontecendo nos posts em que menciono VGL: as críticas. As inevitáveis críticas.

– Sabemos os locais: Canecão no Rio de Janeiro e HSBC Brasil em São Paulo. Um adendo, o horroroso (para o VGL) HSBC Brasil. Se você não leu o que eu achei ou esqueceu, deixa relembrar o que escrevi em 2009:

“Longe de tudo e de todos, próximo à ponte que partiu, a casa de espetáculos é a zona do desconforto. No camarote, veja bem, no camarote, era impossível avistar o palco em sua inteireza para quem estava no fundo porque a visão ficava obstruída pelas pessoas que se sentavam à frente nas mesas posicionadas lateralmente. Haja torcicolo. Para ver melhor tive de ficar de pé – não que seja um martírio, só que no Via Funchal isso não acontecia. Pelo que me contaram, a seção da pista era abominável: sem lugares marcados, as pessoas obrigatoriamente ficavam levantadas, cobertas sob um teto baixo em uma área escaldante e sem ventilação. Uma senzala praticamente.”

Acredito que o estado de epifania causado pela nostalgia visual (auditiva eu não diria) fez com que muitos relevassem o fato de assistir a três horas de show de pé na pista – foram raras as pessoas que reclamaram disso –, para um espetáculo cansativo voltado para a toda família. Eu não. Principalmente porque o Via Funchal era mil vezes melhor e mais confortável em 2006 e 2007. Voltar para o mesmo local inadequado para mim é um grande equívoco.

Além disso, gostaria de expor o meu completo asco para o tom de súplica demonstrado no Twitter do VGL brasileiro, pois mais parece que estão pedindo esmola – nem parece que é um espetáculo norte-americano de grande rentabilidade: “O VGL 2010 precisa de apoio para São Paulo. Previsto para 08 de outubro sem patrocinadores.” Ou eu que levo o Twitter muito a sério ou isso é mais uma demonstração de que algumas pessoas estão mal acostumadas. Ué, não é a organização que deve procurar por patrocinadores? Se bem que poderia ser pior. Poderiam pedir doações como faz despudoradamente certa orquestra que conheço

– Os horários estão a definir, mas enquanto no RJ o show acontece num confortável domingo, em SP será em uma caótica sexta-feira. Quem mora nessa pacata cidade (ao menos é o que devem achar os organizadores) sabe que o trânsito neste dia em especial piora tremendamente. Basta derrubar um copo d’água no asfalto para causar um engarrafamento. Sorte que ninguém vai precisar trabalhar, o lugar é bem perto e dá para ir a pé.

– Lembro que no VGL 2009 quando Tommy Tallarico pediu que se manifestassem todas as pessoas que assistiram alguma vez o show, minha impressão é a de que 90% do público levantou a mão. Penso eu: você que já conhece, o que leva a ver de novo? Será o QUINTO ano de VGL no Brasil, com grande parte do set list igual a 2006 (Zelda, Mario, OWA, Warcraft, Halo, Metal Gear Solid, Sonic, Kingdom Hearts) – duvido muito que queiram tirar algum destes. Ano passado os números novos, se não eram muitos (cinco, contando somente os orquestrados e não-interativos), eram de jogos representativos que faziam falta. De lá para cá estreou somente três segmentos: Assassin’s Creed II, Uncharted 2 e Afrika. Embora sejam interessantes do ponto de vista de um apreciador mais hardcore complacente para uma performance parcialmente gravada, nem dá para comparar em termos de relevância com Mega Man, Chrono, Metal Gear Solid 3, Shadow of the Colossus e Silent Hill 2. A menos que BioShock, inédito no Brasil, surja inesperadamente, e você considere o seminovo “Classic Arcade Medley” imperdível. Não é nada que ajude a melhorar o panorama, ainda mais que não apostaria numa atração especial como milagrosamente aconteceu com o Norihiko Hibino ano passado.

– Já que é o mesmo show de 2009, e piorado, não seria melhor que o VGL esquecesse os lugares de sempre e partisse para cidades jamais visitadas? Por exemplo, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Fortaleza…

– A orquestra também é a mesma de 2009, a Simphonica Villa Lobos, em ambas as cidades. E no apertadíssimo HSBC Brasil em São Paulo. Se tiver Afrika, mal posso esperar para que uma orquestra de 25 pessoas tente tocar o que 100 indivíduos fizeram na trilha original. Já cansei de salientar os instrumentos fantasmas, o excesso de exibicionismo guitarrístico, o público mais ensurdecedor que as vuvuzelas na Copa 2010… mais uma vez agradeço a paciência.

44 Responses to “VGL 2010 confirmado em SP e RJ: zzzzzzzzzzzz…”


  1. 1 Marcio Melo 20/07/2010 às 11:24 pm

    Salvador de fora, ano passado tiveram aqui dizendo que iriam voltar. :~~~~~~~~~~

  2. 2 Carlão 20/07/2010 às 11:54 pm

    Se tivesse aqui em BH eu iria com certeza!

  3. 3 fezones 21/07/2010 às 8:44 am

    Que senhor mais ranzinza esse Maestro xD

  4. 4 Farley 21/07/2010 às 8:55 am

    VGL ainda existe? Nem lembrava mais…

  5. 5 Vinicius 21/07/2010 às 10:22 am

    Canecão de novo??? Meu Deus do céu.

    Pelo que o Alexey falou do HSBC, o Caneção é uma Broadway. Por mais que na pista (do Canecão) todos fiquem em pé, pelo menos a visão do palco é total.

    Pior do que a set list estar batida é o som estar baixo. Aconteceu isso nas primeiras 5 múscas de 2009 aqui no RJ…

    Só vou ao VGL por falta de um evento gamer decente aqui no Brasil, e conhecer gente que curte games…

  6. 6 00_Agent 21/07/2010 às 10:30 am

    Canecão de novo??? Meu Deus do céu. [2]

    Isso está confirmado mesmo? Caso positivo, terei que fazer um esforço além da conta para ir.

    Eu fui na apresentação de 2007, que rolou no Claro Hall, na Barra da Tijuca. Muito mais perto daqui de casa. Não sei porque insistem com o Canecão, ainda mais depois das críticas ao som do local e à disposição dos lugares.

    Só espero que tragam outras atrações mais interessantes, como o Norihiko Hibino no ano passado. Eu lembro que, em 2007, tinha o Martin Leug e um brasileiro que tocava com os olhos vendados, mas… não havia nada especial nisso.

    Nos anos anteriores, eu fiz minha parte, de não ir, rsrsrs. Estava guardando uma certa expectativa para esse ano, mas espero não ter que fazer um esforço contra a minha vontade própria devido a esses contras do evento.

  7. 7 Orakio "O Gagá" Rob 21/07/2010 às 10:42 am

    Perfeito, mestre Alexei. De fato, no reason at all para ir de novo. A quem ainda não viu eu recomendo, mas repetir a dose, no way.

  8. 8 Icaro94 21/07/2010 às 10:49 am

    Droga, pensei que dessa vez viriam para Porto Alegre >.<

    E é triste saber que é assim que o VGL é representado no Brasil…

  9. 9 Jejé 21/07/2010 às 10:51 am

    “– Os horários estão a definir, mas enquanto no RJ o show acontece num confortável domingo, em SP será em uma caótica sexta-feira. Quem mora nessa pacata cidade (ao menos é o que devem achar os organizadores) sabe que o trânsito neste dia em especial piora tremendamente. Basta derrubar um copo d’água no asfalto para causar um engarrafamento. Sorte que ninguém vai precisar trabalhar, o lugar é bem perto e dá para ir a pé.”

    Ahauhaua, eu tenho a impressão de que a última frase foi sarcástica. Né? D=
    Pra quem mora mais perto do centro da cidade (Sé, Paulista e afins), é ainda mais fácil de chegar no local. Agora pegue uma reles normal que mora no extremo leste da cidade? ¬_¬
    Totalmente contra-mão…
    Penso seriamente em ir na VGL do Rio, mais por causa do dia mesmo.

  10. 10 Eric Fraga 21/07/2010 às 10:52 am

    É… Nada de VGL aqui em Salvador, como já era de esperar. Apesar do sucesso da vinda deles no ano passado (única vez que vieram em Salvador).

    Eu iria quantas vezes fosse possível. Só de ver qualquer música de jogo sendo executada ao vivo, vale o ingresso de qualquer valor. Pena que viajar para outro estado nem sempre é possível.

    Bom, de volta para o Youtube este ano… rs

  11. 11 mcs 21/07/2010 às 11:16 am

    Seria ótimo que o VGL viesse para Ribeirão Preto-SP, no Teatro Municipal, provavelmente. E um show on-line via streaming não seria nada mal (desde que não fosse fail como o stream do EVO).

    Talvez achem que o público brasileiro se agrada com migalhas e mais do mesmo, piorado. Se bem que talvez não seja mentira…

  12. 12 Cesar 21/07/2010 às 11:39 am

    VGL é só JABÁ, não vale o ingresso

    Música do HALO? A puuuta que parioo

    Cade as musicas decentes?

  13. 13 Gustavo Hitzschky 21/07/2010 às 12:34 pm

    Olha, acredito que uma das coisas mais engraçadas do mundo é ver o maestro Barros discorrendo sobre o VGL. É uma frase mais cômica que a outra. E eu ainda tive o prazer e a honra de ver todas as apresentações em São Paulo ao lado do figura. E ae, maestro, vamos ter que ir de novo só para manter o 100% de aproveitamento? Vai ser um lixo, o que não é nenhuma novidade, mas pelo menos a gente dá umas risadas.

    De boa, do jeito que a organização do evento demonstrou uma sapiência incomensurável ao marcar o show para sexta, não me surpreenderia se o horário estipulado fosse em torno das 20 horas. É como o senhor falou, o local é completamente acessível e de sexta-feira dá pra ficar deitado na marginal durante uns cinco minutos, dada a ausência de carros.

  14. 14 Vinicius 21/07/2010 às 1:35 pm

    E não vamos nos esquecer dos preços ”camaradas” dos comes e bebes: latinha de suco 6 reais; água (copo 200 ml) 4 reais ( depois o rock in rio que é barato); bolinho de bacalhau (6 unidades) 16 reais ( hahahahaha), lembrando que esses são valores populares (canecão)

    • 15 00_Agent 21/07/2010 às 5:39 pm

      Putz, e ainda tem isso. E nem adianta levar suprimentos para o local, porque eles confiscam até a água para te obrigar a comprar a água dourada que oferecem no recinto

  15. 16 Alexei Barros 21/07/2010 às 1:46 pm

    @ Marcio Melo / Eric Fraga / Carlão

    Não cheguei a mencionar no texto, mas opção mais salutar seria de voltar para as cidades que receberam poucas vezes o show, como Salvador ou BH mesmo ou então Curitiba.

    @ fezones

    Pois é, sempre que volto a ouvir uns elogios rasgados por aí a rabugência me invade para falar do que me indigna.

    @ Farley

    “VGL ainda existe? Nem lembrava mais…” (2)

    Pior é que ainda sou acometido pelo fantasma. Ou pelos instrumentos fantasmas…

    @ Vinicius

    Hahahaha! Eu enfoquei mais os problemas de SP como estive in loco, mas não me lembrava que no Canecão as pessoas também ficavam de pé. Numa boa, o que custa colocar umas cadeiras? Isso é ridículo, considerando o alto preço do ingresso.

    “Só vou ao VGL por falta de um evento gamer decente aqui no Brasil, e conhecer gente que curte games…”

    Realmente, é uma escassez de dar dó, ainda que pareça ter melhorado um pouco nesses últimos anos.

    Quanto aos preços, não acompanhei no HSBC, mas no Via Funchal era essa pouca vergonha mesmo.

    @ 00_Agent

    “Isso está confirmado mesmo? Caso positivo, terei que fazer um esforço além da conta para ir.”

    Se fosse divulgado no site brasileiro eu não publicaria o post, mas confiei na credibilidade do site americano. Pelo que sei, quando entra lá só vai ser alterado por motivos de força maior. E como já apareceu o local e a orquestra escolhida é confirmado mesmo.

    Como comentei no texto, acho difícil se repetir uma atração especialíssima como o Norihiko Hibino, mas nunca se sabe.

    @ Orakio

    Obrigado, mestre Gagá, obrigado.

    @ Icaro94

    Se não me engano, Porto Alegre chegou a pintar no site americano em 2008, o que acabou não se confirmando, e depois nunca mais foi sequer mencionado. Revoltante não conseguirem uma data para a cidade e sempre ficarem no comodismo de SP e RJ.

    @ Jejé

    Pois é, reclamei da distância, isso que moro na zona sul da capital, e ainda assim é MUITO LONGE. Comparado com o Via Funchal… nossa. Falando do RJ, curioso como sempre o VGL é no domingo.

    @ mcs

    Já vi muitas vezes as pessoas mencionarem cidades do interior de SP no fórum do VGL, acho que não fazem ideia de quanto lotaria os shows.

    @ Cesar

    A definição perfeita em poucas palavras. :D

    @ Mastro Hitzman

    É, ao menos renderia muito material cômico para um podcast, mas desanimo quando lembro que nem gravamos em 2009, mesmo com tantas piadas prontas. Por exemplo, a pista de teto baixo quente como uma sauna (que não comportaria a sua descomunal altura) ou todas as falas do Tallarico que antecipei. “Hoje vamos mostrar que os videogames são a preferência de entretenimento do século XXI…”

  16. 17 Vinicius 21/07/2010 às 3:19 pm

    Em tempo, o possível setlist desse ano (na minha opinião):
    1 alguma banda brazuka pra abrir o show (imagino que seja a gameboys tocando toejam e earl e sonic 2 medley)
    2 classic arcade medley
    3 mgs medley
    4 civilization 4
    5 martin tocando um medley no piano
    6 afrika
    7 bioshock
    8 zelda
    9 one winged angel

    Barra de loading…

    10 kingdom hearts (será que é tão difícil pelo menos mudar para sanctuary??????)
    11 sonic medley
    12 world of warcraft
    13 assassin creed medley
    14 mais um medley no piano (possivelmente o do mario)
    15 tetris piano (sempre teve…)
    16 guitar hero van halem (interativo)
    17 mario medley
    18 halo 1, 2, 3, wars, odst, reach(porque não aumentar mais?)
    19 castlevania medley
    20 street fighter medley (as vezes o impossível é possível. Não custa nada sonhar…)

    • 18 Alexei Barros 21/07/2010 às 4:00 pm

      Bem provável que seja algo nessa linha mesmo. Nem vou comentar mais uma vez a insistência revoltante em alguns segmentos, mas gostaria de sugerir também faixas da animação Halo Legends para o número designado para o Master Chief ficar com 20 minutos logo. :D

      Fora isso, não acredito que vão abrir mão de Mega Man e principalmente Chrono, que caiu nas graças do povo. Meio que ficou fixo no programa. Street Fighter II não acho impossível, visto que foi um dos pedidos mais recorrentes no ano passado no Brasil, e o Tallarico já comentou sobre o jogo algumas vezes quando perguntadas as novidades. Ah, também imagino aquela música nova que é a OWA mais para o encerramento, a não ser que mudem a ordem.

  17. 20 Vinicius 21/07/2010 às 3:57 pm

    Em tempo, o possível setlist desse ano (na minha opinião):
    1 alguma banda brzuka pra abrir o show (imagino que seja a gameboys tocando toejam e earl e sonic 2 medley)
    2 classic arcade medley
    3 mgs medley
    4 civilization 4
    5 martin tocando um medley no piano
    6 afrika
    7 bioshock
    8 zelda
    9 one winged angel

    Barra de loading…

    10 kingdom hearts (será que é tão difícil pelo menos mudar para sanctuary??????)
    11 sonic medley
    12 world of warcraft
    13 assassin creed medley
    14 mais um medley no piano (possivelmente o do mario)
    15 tetris piano (sempre teve…)
    16 guitar hero van halem (interativo)
    17 mario medley
    18 halo 1, 2, 3, wars, odst, reach(porque não aumentar mais?)
    19 castlevania medley
    20 street fighter medley (as vezes o impossível é possível. Não custa nada sonhar…)

  18. 22 Rafael "Barry" Ventura 21/07/2010 às 4:15 pm

    Alexei, eu sonhei ou fui na VGL em BH ano passado? Foi aqui que estrearam o tema de SH no evento… ;]

    • 23 Alexei Barros 21/07/2010 às 4:27 pm

      @ Vinicius

      Imagina, na verdade você enviou duas vezes porque um set list era do RJ e outro de SP. =P

      @ Rafael “Barry” Ventura

      Hehe, não foi você que sonhou, eu que esqueci COMPLETAMENTE que teve em BH em 2009. Até removi do post como quis mencionar somente as cidades que não receberam o show e arrumei o que disse ao Carlão. Desculpe a falha. =P

  19. 24 Kadu Araujo 21/07/2010 às 5:36 pm

    Bom, Maestro. Faço de suas palavras as minhas tb.

  20. 25 vinicius 21/07/2010 às 5:42 pm

    Alexey, li seu post do 007 que irá sair e logo me veio a cabeça: onde será que está a apresentação de Headhunter do VGL? Por ser umas das primeiras a serem apresentadas na história do VGl, acredito eu que tenha mais qualidade que algumas mais novas…

  21. 26 Alexei Barros 21/07/2010 às 5:57 pm

    @ Kadu Araujo

    Valeu!

    @ Vinicius

    Sem sombra de dúvidas gostaria muito mais de Headhunter do que outras coisas bizarras que já foram tocadas.

    O esquecimento do segmento se deve ao fato de que o jogo é muito menos popular do que os arrasa-quarteirões da Nintendo, Square Enix, Blizzard, além de Sonic e Halo.

    Olha o que o próprio T.T. disse sobre isso quando perguntado se seria tocado Headhunter em um certo show:

    “Unfortunately, Advent, Headhunter & Shadow won’t be at that particular show, but when we return next year… they probably would be. Whenever we go to a brand new area we like to start off with a lot of the most popular and well known segments in order to initially attract a wider and more mainstream audience, then in year two when we return we usually start to mix in a lot of the other stuff we perform. It’s important that when we perform in a new place for the first time that we make a big impression… so favorites like like Mario, Zelda, Sonic, Final Fantasy, Kingdom Hearts, Warcraft, Metal Gear, etc. become standards for us because they are so popular with a wider audience.”

    O problema é que esta já será a quinta visita… =S

    A título de curiosidade, compilei os segmentos que foram executados em outros países e ainda estão inéditos do Brasil. Dava quase para fazer uma apresentação só com essas pela quantidade (nem tanto pela popularidade):

    – Everquest II
    – Tom Clancy (Splinter Cell, Ghost Recon e Rainbow Six)
    – Headhunter
    – Command & Conquer: Red Alert 3
    – Conan
    – Lair
    – Jade Empire
    – BioShock
    – Need for Speed: Undercover
    – “Prepare to Drop” (Halo 3: ODST)
    – Assassin’s Creed II
    – Uncharted 2
    – Afrika

    @ 00_Aagent

    E quase nem deve dar sede com aqueles ambientes super bem ventilados… =S

    • 27 vinicius 21/07/2010 às 6:47 pm

      Need for Spedd Undercover?!?! Oo

      Tem dedo da EA nessa história, além de ser bizarro…

      • 28 Alexei Barros 21/07/2010 às 7:03 pm

        Pois é, OutRun, Gran Turismo para quê?

        Teve em poucas apresentações, porque depende da presença da banda canadense Splitting Adam. Vídeo aqui. Em uma palavra: dispensável. :(

        • 29 vinicius 21/07/2010 às 7:41 pm

          Vejamos: Onde nasceu a série NFS? No canadá, inclusive pela EA Canadá, e é exatamente uma banda canadense que é uma das responsáveis pela apresentação ter sentido. Beleza, então é um pulo para termos FIFA 20XX no VGL…

          Curioso é que desse setlist que vc escreveu, todos (talvez com exceção de Afrika e Lair, que são japoneses, se não me engano) todos são ocidentais, e bem sem noção alguns (Conan e lair pra quê?).

          • 30 Alexei Barros 21/07/2010 às 8:09 pm

            Exatamente. Além desse show em Vancouver, teve NFS: Undercover em uma apresentação em Seattle também.

            O Lair foi feito pela alemã Factor 5, e a trilha é do John Debney, então só o Afrika é japonês desses 13 mesmo. Esqueci de mencionar que ainda tem alguns segmentos da Blizzard na manga de expansões e tal, como o VGL costuma fazer eventos só com temas da produtora, mas tocados com menor frequência.

  22. 32 Lia 24/07/2010 às 2:19 pm

    Esses são o artigo e comentários mais brochantes ever =P
    Qual foi exatamente o preço do ingresso em SP? Eu não me incomodo de ficar de pé, mas teria que pegar meia dúzia de ônibus e bancar um hotelzinho, então já ficaria um tanto salgado, e tá duvidoso demais se valeria o esforço o0

    • 33 Alexei Barros 24/07/2010 às 9:40 pm

      Hahaha! Pode ver que o meu desânimo já contaminou o Farley e o Igor como acompanham o blog há certo tempo.

      Ainda não foram divulgados os preços dos ingressos. Se for como no ano passado, pelo que li no texto que fiz do VGL 2009 (não lembrava), fica entre 80 e 140 reais, sendo que estudantes pagam meia. Tem um preço intermediário para as pessoas que ficam sentadas próximas ao palco, mas não me recordo. Sei que 80 é da pista (a mencionada senzala onde as cadeiras inexistem) e 140 do camarote, que está longe de ser confortável. Agora se somar todas as despesas adicionais que você falou… precisa estar a fim mesmo. :D

      Eu acho que o VGL mesmo está brochante nesse ano, apesar do estardalhaço do especial da PBS. Não sei se é porque já ficou saturado ou se Tallarico quer apenas descansar, é estranho ter em 2010 somente 20 apresentações, enquanto que em 2009 foram 60, se não me engano, com a intenção inicial de aumentar ainda mais. Estranhamente, esse tempo livre não está sendo aproveitado para preparar novos segmentos. Para completar, há o recente afastamento do Jack Wall da regência dos shows.

      • 34 Vinicius 24/07/2010 às 10:28 pm

        Jack Wall não se afastou porque estava se dedicando na OST de Mass Effect 2?

        E alguns foruns afora dizem que o show da PBS pode ser um divisor de águas do setlist padronizado do VGL. Ou seja, como a temporada deles começa no nosso segundo semestre, tudo é possível (mas eu não acredito nem um pouco…)

        • 35 Alexei Barros 24/07/2010 às 10:45 pm

          No caso da turnê brasileira de 2009 sim, foi por causa do Mass Effect 2. Depois disso, o Jack Wall apareceu eventualmente, como no especial da PBS. Contudo, a notícia que esqueci de colocar o link e atualizei aí em cima é a de que ele se afastou em definitivo para se dedicar à composição de trilhas. Não sei, por mais que entenda o lado dele, estranho deixar um projeto que vinha fazendo tanto sucesso.

          Se o boato dos fóruns prosseguir, vai ser mais do que atrasado. Nem falo do PLAY!, que está em decadência há um bom tempo, mas do Distant Worlds, que começou em 2007, até mudou de nome para Distant Worlds II neste ano. Tá certo que não foram mudanças tão drásticas assim, mas nota-se um esforço em melhorar o set list. E aquilo de sempre: a espinha dorsal do programa do VGL continua sendo os mesmos números de Mario, Zelda, Sonic, Kingdom Hearts, Warcraft, Halo e MGS, que foram tocados no Hollywood Bowl em 2005

          • 36 Vinicius 24/07/2010 às 11:23 pm

            Ah sim. Imaginava que fosse isso mesmo. Mas sei lá, talvez não seja coisa somente do Jack Wall. Talvez a fabricante que o contratou pediu ao mesmo 100% de comprometimento.

            Na minha opinião, essa turma que mantém orquestras tocando músicas de games deveriam ser mais ecléticas. Tipo, tudo bem que ouvir uma orquestra seja uma experiência totalmente diferente do que estamos acostumados, mas poderiam contratar também uma banda de rock/jazz/progressivo pra fazer parte da mesma. Não acho que seja mais caro contratar uma banda do que meia dúzia de músicos que tocam oboe, clarinete, violino. Daria um gás a mais nas apresentações.

            “E aquilo de sempre: a espinha dorsal do programa do VGL continua sendo os mesmos números de Mario, Zelda, Sonic, Kingdom Hearts, Warcraft, Halo e MGS”
            Os três primeiros eu também vejo como indispensáveis,contanto que haja renovação das músicas. Já Kingdom Hearts Halo e MGS poderiam ser substituídas por outras (se trocarem essas por Shadow of the Collossus, Silent Hill e Megaman, está valendo. Não muda muuuuito, mas seria mais coerente…), e WoW ter outras músicas.

      • 37 Lia 29/07/2010 às 12:07 pm

        Yeah, fica difícil considerar até a ânsia-de-primeira-vez nesse caso, no risco de causar algum trauma futuro, ainda mais com esse ânimo meio marasmático da produção.
        Vamos ver o setlist… mas o money continua na causa do CD do Symphonic Fantasies por enquanto =)

  23. 38 Alexei Barros 24/07/2010 às 11:38 pm

    Sobre o Jack Wall, até pode ser, não havia pensado nisso, mas para ser definitivo não acredito que seja um jogo, como foi o Mass Effect 2.

    São raríssimas as ocasiões em que o TT toca acompanhado de uma banda, e quando tem é sempre rock. Jazz eu já vi no Games in Concert, agora rock progressivo seria de uma ousadia sem precedentes. Na realidade, só imaginaro o Motoi Sakuraba fazendo algo parecido com uma orquestra.

    Suponho eu que devo ser bem caro bancar uma banda e todas as viagens, visto que nem sempre seria possível encontrar músicos bons em todas as localidades. E pelo uso recorrente de playback de baixo e bateria não acredito que estejam preocupados em contratar instrumentistas, a não ser pelas ocasiões especiais.

    Exato. Não vejo problema nenhum em ter Mario todo ano, desde que seja Mario Galaxy esse ano, Mario Galaxy 2 em 2011, Super Mario 64 em 2012 e por aí vai…

  24. 39 Gabriel 27/08/2010 às 12:47 pm

    Olá gents .-.

    Eu li o post e concordei com algumas críticas como a insistência em alguns segmentos, a casa de shows que é um horror e os instrumentos fantasmas, mas eu vim aqui comentar porque eu achei dose você reclamar o público é barulhento…

    Pelo jeito tu nunca foi em um show grande mesmo! O público é 315434318547346687 vezes mais barulhento que nesse evento onde as pessoas gritam só um pouquinho quando a música começa e acaba… Sem falar que não existe show sem grito! Isso não é uma coisa que se controla, faz parte de qualquer evento.

    … e pista é feita para se ficar de pé! Nunca na minha vida que eu vi pista que tem cadeira!

    • 40 Alexei Barros 27/08/2010 às 1:34 pm

      Fala, Gabriel!

      Você não errou quando disse que nunca fui em um show grande, porque nunca fui mesmo. Digo mais, nem pequeno – o que eu posso fazer se as minhas bandas favoritas estão no Japão, do outro lado do mundo?

      Não sei se você chegou a ler o post que fiz do VGL 2009 em SP em que aprofundei mais sobre a reação do público, mas faço algumas considerações a respeito do seu comentário:

      – O que é o VGL? Um show ou um concerto? O site do espetáculo diz que é uma mistura dos dois, e aí está o problema. Em um concerto, as pessoas ficam quietas não só porque é uma atmosfera mais formal e séria, também porque a plateia quer apreciar cada instrumento da orquestra em sua inteireza. Se a orquestra está no palco, suponho eu que está para ser escutada, e como eu vou ouvir instrumentos de sonoridade menos potente como flautas, oboés e violinos acompanhados de gritos histéricos? Se o VGL fosse só uma banda de rock tocando músicas de games não haveria reclamação sobre isso, afinal as guitarras e a bateria não seriam engolidas pelos berros.

      – “nesse evento onde as pessoas gritam só um pouquinho quando a música começa e acaba…”

      Desculpe-me, mas não foi isso que aconteceu no VGL 2009 em SP. Concordo que em um show de rock a euforia deve ser muito maior, agora as pessoas não gritavam apenas antes e depois das músicas, como principalmente durante, não porque estava gostando da performance, e sim pelo que o telão mostrava. Isso para mim foi muito claro no segmento do Sonic, em que as pessoas urravam a cada aparição de tela-título. Essa descrição combina mais com as apresentações do VGL em outros países, já que o Brasil é notoriamente o que possui o público mais efervescente.

      – “Sem falar que não existe show sem grito!”

      Show com certeza absoluta, já um show-concerto eu discordo. Na real, não vejo problema nenhum das pessoas gritarem antes e depois se respeitassem a si mesmas e ouvissem as músicas. No segmento do Shadow of the Colossus, por exemplo, não houve quem conseguisse escutar a introdução minimalista.

      – “Isso não é uma coisa que se controla, faz parte de qualquer evento.”

      Poderia sim, caso o apresentador não incentivasse as pessoas a fazer isso.

      – “e pista é feita para se ficar de pé! Nunca na minha vida que eu vi pista que tem cadeira!”

      Opa! No Via Funchal, que sediou o VGL em 2006 e 2007 em São Paulo, todas as pessoas da pista ficavam acomodadas em cadeiras.

      • 41 Gabriel 05/09/2010 às 11:03 pm

        Olá Alexei!

        De fato não cheguei a ler sua matéria sobre o VGL de 2009 em São Paulo, evento o cujo eu estive presente por sinal.

        Concordo com sua afirmação que um concerto é para ter um público silencioso, mas o VGL não é só um concerto, pelo menos não faz questão de ser: Vide o exibicionismo com a guitarra!

        Tallarico faz o VGL tentando criar o caos e a animação de um show costumeiro “incitando a plateia” a berrar e não, se a orquestra ficasse parada apenas tocando e olhando para as partituras, ainda haveria um escândalo igual por parte do público ao meu ver já que quem vai ver um show-concerto-whatever de games, provavelmente é mais jovem e uma pessoa de 15 a 29 anos +/- não quer saber de ficar queto em uma ocasião especial… Isso deve ser levado em conta lembrando-se que um conserto de música clássica tem presença de um público mais velho e, consequentemente, mais conservador e reservado.

        Você me pegou com a Vila Funchal! As “pistas” a que eu me refiri são pistas comuns onde as pessoas tem de passar o show de pé como em estádios, onde a maioria dos shows são realizados ao meu humilde conhecimento… Mas eu concordo que a pista do HSBC Hall é uma porcaria! Eu não iria nela nem de graça.

        Perdão pela minha ignorância! Se eu disse alguma pérola sobre o assunto é porque eu margeio orquestras sinfônicas que, pelo que noto, são assunto quase que unicamente falado por aqui…

        E eu vou na VGL desse ano denovo porque eu gostei da experiência de ter um evento virado para jogadores e estar em contato com gamers! Muito provavelmente este foi o mesmo motivo que “90%” das pessoas presentes terem repetido de dose! :)

        Grato pela atenção!

        • 42 Alexei Barros 06/09/2010 às 1:24 am

          Apenas mais algumas considerações, Gabriel.

          Nas duas primeiras apresentações, em 2006 e 2007, eu não me incomodei nem um pouco com os berreiros – não sei pela acústica do Via Funchal ou porque na ocasião não eram tão exacerbados. Como disse tantas vezes, nada contra, até eu que sou mais contido acabo contagiado pela euforia se a performance merece de fato tal reação.

          Nesse quesito, eu acho que o VGL não deixaria de ser VGL se os gritos fossem limitados para antes e depois das performances. Prova disso é que no Japão, onde o público é culturamente mais acalmado e tímido, foi tudo bem mais audível. Veja, por exemplo, a “Theme of Laura” como foi quando o show passou por lá.

          Perfeito o seu comentário sobre concertos eruditos. Em países como a Alemanha, já imagino que há mais jovens porque desde cedo são impelidos a assistir tais apresentações – veja o Super Mario Galaxy – A Musical Adventure, por exemplo. Não à toa que apresentações como o A Night in Fantasia e o próprio VGL são vendidos com a missão de introduzir a orquestra para o público mais jovem. Além disso, já vi o Tallarico dizer que acha a atmosfera mais séria de um concerto uma chatice, com todos os instrumentistas de terno e gravata, o silêncio da plateia… cada um com as suas preferências.

          Sobre a pista, não bastava ter que ficar de pé ainda por cima era em um lugar abafado. Não rola.

          “Perdão pela minha ignorância! Se eu disse alguma pérola sobre o assunto é porque eu margeio orquestras sinfônicas que, pelo que noto, são assunto quase que unicamente falado por aqui…”

          De forma alguma, não se menospreze. Muitas vezes uma opinião contrária é válida para eu não esquecer que não existe uma verdade absoluta sobre o VGL, e que obviamente é impossível agradar a todo mundo.

          “E eu vou na VGL desse ano denovo porque eu gostei da experiência de ter um evento virado para jogadores e estar em contato com gamers! Muito provavelmente este foi o mesmo motivo que “90%” das pessoas presentes terem repetido de dose! :)”

          Com certeza absoluta. Critique o que criticar, eventos vai, eventos vão e sempre o VGL aparece aqui para proporcionar ocasiões como a que você mencionou.


  1. 1 VGL 2010 em SP e RJ: despertando para o regresso de Martin Leung, a prodigiosa vinda de Akira Yamaoka e a divinal presença de Gerard Marino « Hadouken Trackback em 15/09/2010 às 9:06 pm
  2. 2 Video Games Live: a turnê no Brasil em 2011 « Hadouken Trackback em 09/10/2011 às 3:29 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: