007: Blood Stone: a Activision parte para o tudo ou nada


Por Alexei Barros

Embora tenha demonstrado poucas vezes a minha admiração pelos jogos de James Bond por aqui, mais do que nunca sou obrigado a compartilhar o meu entusiasmo com o recém-revelado 007: Blood Stone, estranhamente anunciado fora da E3.

Como o remake do Goldeneye 007 é exclusivo do Wii, os demais sistemas, Xbox 360, PlayStation 3, PC e DS, receberão o jogo em terceira pessoa no final do ano. Pela visão por trás do personagem e por não ser baseado em um filme em específico, e sim uma história original, já de cara me lembra o excepcional James Bond 007: Everything or Nothing, o melhor da era EA Games. Mas agora 007 é há certo tempo da Activision, e Blood Stone está sob os cuidados da Bizarre Creations, aclamada pela série de automobilismo Project Gotham Racing. Não será de estranhar se as partes de corrida aparecerem como um dos destaques do jogo. A versão portátil, por sua vez, é da n-Space (Geist de GameCube).

Para completar a empolgação, a trilha sonora é de Richard Jacques, que a Bizarre havia contratado para criar as músicas do Metropolis Street Racer – falando nisso, que vergonha nunca ter sido lançada em CD. Como se o mundo não fosse o bastante, nunca é demais lembrar que um dos melhores trabalhos do compositor britânico é Headhunter, um jogo com quê de James Bond. Já imaginou uma nova faixa do mesmo nível da “Jack’s Theme”?

E ainda tem a canção-tema. Intitulada “I’ll Take It All”, foi assinada em parceria de Dave Stewart (da dupla Eurythmics) com a cantora Joss Stone, que também emprestou o rosto para o papel de Bond Girl nesta aventura. Daniel Craig e Judi Dench, nos papéis de James Bond e M, igualmente participaram da produção.

Depois de ver o primeiro vídeo e principalmente a introdução, ao som da supracitada música, dá para perceber que a Activision não está de brincadeira.

Trailer



Abertura

[via SEMO]

10 Responses to “007: Blood Stone: a Activision parte para o tudo ou nada”


  1. 1 00Agent 17/07/2010 às 7:08 am

    Richard Jacques? Eeeeeita! Gosto muito da trilha sonora que ele fez para o Headhunter! Esse jogo promete desbancar Everything or Nothing, ainda mais no jejum de filmes do agente secreto, devido aos problemas da MGM!

    Um detalhe interessante é que, para a trilha sonora do Goldeneye de Wii, a Activision chamou ninguém menos que David Arnold, o compositor atual das partituras dos filmes. Pena que o Christopher Lennertz ficou de fora… Gostei muito do trabalho dele nas trilhas do From Russia With Love/ Quantum of Solace!

    Já a música tema faz jus mesmo aos temas passados dos filmes… Só não sabia que a Joss Stone conseguia cantar assim! E a abertura ficou pouco criativa, pegando algumas ideias da abertura do Casino Royale. Mas tá bom!

    • 2 Alexei Barros 17/07/2010 às 10:30 am

      Antes de mais nada, 00Agent, vale o agradecimento, porque graças ao seu Twitter que soube da participação da Joss Stone.

      Tomei nota meio por cima desse entrave da MGM e quando fui escrever o post acabei esquecendo de pesquisar mais a fundo. Ainda bem que isso não afeta os jogos do personagem. E o que acho mais sensacional é capricharem no jogo como se fosse de fato um filme, tal qual bem fez a EA com o Everything or Nothing (só não reparei nessa semelhança do Casino Royale na primeira vez que vi).

      Acabei passando batido pelo envolvimento do David Arnold no Goldeneye de Wii, mas foi uma revelação muito interessante. Em relação ao Christopher Lennertz, também curto a trilha do Medal of Honor: European Assault, talvez a melhor entre as que não tiveram o envolvimento do Michael Giacchino.

      De todo modo, só de ver o afinco da Activision já fico aliviado por saber que os tempos de produções meia-boca como Tomorrow Never Dies e Agent Under Fire se foram há muito.

      • 3 00Agent 17/07/2010 às 1:00 pm

        É, no caso essa semelhança estaria no vídeo de abertura… Bond e um inimigo lutam, e esse inimigo quando leva um soco e explode em vários diamantes. A mesma coisa aconteceu na abertura do filme CR, só que o cara explodia em várias cartas.

        De qualquer forma, tanto a abertura quanto a música são infinitamente superiores às do último filme, o Quantum of Solace. É bom que esse game levanta a moral dos fãs, que andam meio desapontados com o filme.

        Ainda assim, guardo um pouco do ceticismo, porque fizeram um estardalhaço maldito em volta do jogo Quantum of Solace, que, no final, se revelou apenas um pouco acima da média.

        Só espero que minha placa de vídeo rode o game!

  2. 4 Cledson 17/07/2010 às 10:59 am

    Ficou ótima a trilha! Realmente lembra os temas do passado!
    E a J. Stone tem uma voz bem potente né? Muito bom!

    Tomara que o jogo fique tão legal também!

  3. 5 Marques 17/07/2010 às 5:48 pm

    Gostei do texto cheio de referências à frânquia(começando no título).

    O jogo parece ótimo, seguindo os moldes de Everything or Nothing(roteiro, atores, trilha sônora de qualidade- tudo como se fosse um filme, mas é um game) espero que seja igualmente bom ou melhor quanto.

  4. 6 Lucax 17/07/2010 às 11:27 pm

    entao, curti muito os trailers e tal. mas o que me impressionou foi o mestre Barros ter me revelado que o Michael Giacchino fez a trilha do Medal of Honor. Minha cabeça explodiu aki agora.

    fui checar no IMDB so pra ter certeza, e nao so ele fez a trilha dos MoH como tambem fez a de um dos meus jogos favoritos de SNES: Maui Mallard in Cold Shadow \o/

    olha, eu ja adorava ele por todo trabalho com lost, os filmes da pixar e as parcerias com o J.J. Abrams, mas agora o cara simplesmente subiu e muito no meu conceito.

    • 7 Alexei Barros 17/07/2010 às 11:50 pm

      Bem curioso, Lucax, porque comigo aconteceu justamente o caminho contrário: foi por causa do Medal of Honor que conheci o Michael Giacchino. De fato, foi um dos primeiros jogos que despertou o interesse de eu pesquisar sobre a autoria da trilha.

      Ele fez de vários jogos da série, mas não de todos. Do primeiro até o Allied Assault só dava Giacchino e mais tarde voltou no Airborne. Para resumir, são esses mais o Vanguard, que não conta muito porque a trilha é toda de reprises.

      – Medal of Honor
      – Medal of Honor: Underground
      – Medal of Honor: Frontline
      – Medal of Honor: Allied Assault
      – Medal of Honor: Airborne

      Quando o Giacchino ganhou o Oscar, aliás, cheguei a fazer um post sobre a carreira dele caso esteja interessado em ler.

  5. 8 Mateus Marvila 20/07/2010 às 4:28 pm

    Pô, pelo q eu vi, esse novo 007 promete ser muito mais tenso,
    eu já tinha jogado o jogo em 3ª pessoa do 007 (não lembro o nome) e agora é aguardar sair, aparentemente tá sinistro né, usaram as vozes dos atores do filme e até criaram trilha própria (muito legal), só num sei se a activision é só a publisher ou se ela produziu o jogo mesmo, mas é isso aew, é jogar pra ver (ou esperar um review no hadouken, uahuahauha).


  1. 1 “Bond Theme” – From Russia With Love (Games in Concert) « Hadouken Trackback em 30/10/2010 às 12:03 am
  2. 2 A melancólica despedida da abóbora bizarra « Hadouken Trackback em 18/02/2011 às 10:47 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: