Video Games Live: cadê os dez segmentos novos?


Por Alexei Barros

“Que venham mais verborragias ao VGL, cartões, sapatos e tudo o mais que faz o Hadouken ser o Hadouken”, disse Geraldo “Final Fantasy X” Figueras. Coincidência ou não as verborragias ao Video Games Live vem se tornando uma marca do blog como muito bem apontado pelo sectário hadoukeniano sulista. Você que é fã incondicional do show e aplaude qualquer coisa que eles façam, seja ao vivo ou playback, provavelmente vai achar que estou pegando no pé do VGL de maneira exagerada. De maneira alguma. Não contarei nenhuma mentira. Acompanhe meus passos.

Pensa que esqueci? O ano já está quase acabando, mas quero voltar para o dia 20 de janeiro de 2009, quando publiquei a nota “Halo 3: ODST confirmado no VGL; mais dez segmentos novos em 2009”, em referência à notícia publicada no site Music 4Games. Melhor ainda, regressemos para 18 de janeiro, quando havia uma nota do próprio site do VGL, não em um fórum ou em uma entrevista, repito, no site do VGL: “Além das mais de 50 franquias já representadas, o Video Games Live está atualmente trabalhando em dez segmentos novos para 2009, incluindo Mega Man, Chrono Cross/Chrono Trigger, Super Smash Bros., Monkey Island, Shadow of the Colossus, Earthworm Jim, Silent Hill e mais”.

A turnê 2009 do VGL acabou 19 de dezembro, com a apresentação em Taiwan. Até este show, eis as novidades e as respectivas cidades onde estrearam:

01 – Halo 3: ODST: Seattle, EUA
02 – Chrono Trigger & Cross Medley: Oakland, EUA
03 – Mega Man 2 & 3 Medley: Los Angeles, EUA
04 – “Snake Eater” (Meta Gear Solid 3: Snake Eater): Cingapura
05 – Shadow of the Colossus: Tóquio, Japão
06 – “Theme of Laura” (Silent Hill 2): Tóquio, Japão
07 – Assassin’s Creed II: Paris, França

Se conto bem são sete novidades. Você deve estar pensando: “‘Snake Eater’ e Assassin’s Creed II nem estavam nos planos e você só vê o lado ruim e fica reclamando de boca cheia”. O problema não é somente o cumprimento de 70% do prometido. Alguém viu o segmento de Super Smash Bros.? De Monkey Island? Earthworm Jim? Se as novidades fossem anunciadas em um fórum ou até numa entrevista já seria de reclamar, o problema é que foram publicadas em um release no site oficial, supostamente a fonte de informações mais confiável para vários países do mundo. Isso que nem entrei no mérito da qualidade dos arranjos (nenhum como do Sonic, por exemplo). E foi-se o tempo em que imaginava que uma dúzia (ou três dúzias) de músicas novas bastavam para melhorar o espetáculo.

Ah, não acabei ainda. Enquanto para alguns tudo é festa e maravilhoso relativo ao VGL (recorde absoluto de 56 apresentações em 2009, o primeiro show estrangeiro a fazer um concerto de game music no Japão, especial na TV, Blu-ray, DVD e o segundo CD), tem certas coisas que também não podem passar batidas, à moda das idas e vindas de cidades do site brasileiro.

O VGL era para fazer três espetáculos na Polônia que misteriosamente viraram apenas um. Pior ainda foi em Portugal. O show, que aconteceria dia 27 de novembro, foi cancelado e adiado para 2010 “por motivos de força maior”.  Mas para mim o pecado mais grave de todos foi dizer que o Yasunori Mitsuda fez o arranjo “exclusivo” do Chrono para apresentação no Japão em um release (divulgado em sites importantes, como o IGN) e meses depois silenciosamente substituí-lo pela Natsumi Kameoka. Até a fonte diferente denuncia a mudança. Ora, se você trabalhou de perto com o arranjador, como é possível confundir o nome (ainda mais sendo um proeminente) de maneira tão grotesca? Mentira das grossas.

As impertinências vglísticas (de 2009) acabam por aqui. Agradeço a sua compreensão.

17 Responses to “Video Games Live: cadê os dez segmentos novos?”


  1. 1 Orakio "O Gagá" Rob 30/12/2009 às 9:38 pm

    Hadouken sem post do Alexei sobre o VGL é que nem show dos Rolling Stones sem “Satisfaction” :)

    Tomara que o VGL faça muita lambança em 2010, eu me divirto muito com os seus posts enfurecidos…

  2. 2 Radical Dreamer 30/12/2009 às 10:27 pm

    Então somos dois. Já que o VGL continua fazendo besteiras, é bom que haja alguém para expô-las sempre que elas aparecem. Essa do Yasunori Mitsuda eu não sabia. E pensar que o VGL continua mentindo para o seu próprio público-alvo. Não deixa de ser um pouco ridículo, mas nessas horas é só lembrar que existem pessoas como Thomas Bocker e Arnie Roth para representar melhor a game music. E bem que eles podiam colocar a suíte do Sonic no CD, essa eu arranjava de algum jeito (apesar de ela já ter sido confirmada no CD, em se tratando do VGL, é muito possível que ela se torne um dos shows cancelados ou um dos segmentos prometidos e não realizados).

  3. 3 Alexei Barros 30/12/2009 às 10:40 pm

    @ Orakio

    Hahaha, é só eles continuarem do jeito que estão… :)

    @ Radical Dreamer

    Exato! Essa do Yasunori Mitsuda sabia há um certo tempo, até comentei no Twitter, mas fiz questão de comentar no post porque achei muita cara de pau promover o arranjo como dele.

    Com certeza, o Thomas e o Arnie Roth são bons exemplos de pessoas que fazem por merecer a game music como arte nos concertos.

    E se não tiver a suíte do Sonic no CD pode esperar por outro texto como o que acabei de publicar. =P

  4. 4 geraldofigueras 30/12/2009 às 10:46 pm

    Sempre aplaudo tais verborragias, apesar de discordar de algumas opiniões do maestro. Mas hoje não há o que discordar. O profissionalismo do VGL como empresa é realmente lamentável, e demonstra que o ego do Tallarico sobressai-se ao controle de qualidade do evento.

  5. 5 Alexei Barros 30/12/2009 às 11:05 pm

    Obrigado, obrigado, mestre Figueras!

    “O profissionalismo do VGL como empresa é realmente lamentável, e demonstra que o ego do Tallarico sobressai-se ao controle de qualidade do evento”.

    Eu iria além. O profissionalismo de muitos concertos de games é abaixo da crítica. Vide o PLAY!, cujo CD, que foi comprado por pré-venda por muitas pessoas demorou meses para sair e no final das contas era um CD-R. Nesta seara também incluiria a Eminence da Austrália, que tenho algumas restrições quanto à produção: pedidos para doações em dinheiro, convocação de voluntários para auxiliar na divulgação (desde distribuição de panfletos até edição do site oficial) e outras atitudes semiprofissionais ou até mesmos amadoras dos organizadores.

    Profissionais mesmo, de modo geral, só os concertos japoneses, do Thomas Boecker na Alemanha, o Distant Worlds e o Games in Concert na Holanda.

  6. 6 Ryunoken 31/12/2009 às 12:44 am

    Alexei, eu só queria saber se você anda traduzindo e enviando todos os teus textos pro email oficial da VGL. Seria de grande valia. Esse ano eu até abdiquei da minha resenha sobre o evento, pois os textos que rolaram pela net e revistas, principalmente os teus, resumiram tudo.

  7. 7 Alexei Barros 31/12/2009 às 1:09 am

    Verdade, né, ficou faltando o seu relato. Mas você podia ter escrito mesmo assim, sempre é interessante ver os diferentes pontos de vista.

    Confesso que nunca pensei nisso e, sei lá, acho que nem seria uma boa. Sabe, tem uma penca de pessoas que adora o show, e eu sou apenas um de muitos poucos que não tem ficado feliz com o que vem acontecendo. Se o espetáculo está fazendo sucesso como está, não acho que são opiniões como as minhas que vão mudar alguma coisa. Já desisti de achar que um dia tudo mudasse para que ficasse do meu gosto – e talvez se fosse do meu gosto nem sei se seria tão popular como é. Também não é minha pretensão querer bater de frente com os organizadores. Pode parecer covardia de minha parte, mas vai saber. Por exemplo, tinha uma época que o Chris Greening, editor do Square Enix Music Online, trocava mensagens ofensivas com o Tallarico, e isso acabou pegando mal para ele, porque um monte de fanboys do VGL ficavam o atacando e tal. Enfim, prefiro ficar só com os textos hadoukenianos em português mesmo. :)

  8. 8 Marques 31/12/2009 às 8:37 am

    Nós reclamamos e críticamos muito o VGL, mas o problema é que o evento abrange mais os jogadores casuais ou pessoas que nem jogam videogame. Para eles pouco importa quem é Mitsuda ou outro compositor. O que a maioria quer ver é um simples arranjo de Super Mario Bros. ser tocado.

    Resta a nós, gamers enfurecidos, ficar “babando” nos vídeos dos bons concertos pelo mundo afora.

  9. 9 Ryunoken 31/12/2009 às 9:12 pm

    Sim, entendo teu ponto de vista. Mas pelo menos uma versão mais “light” deveria ser enviada, apontando principalmente, os pontos onde o consumidor está sendo lesado ou, no mínimo, “engabelado”. Os hardcores e os casuais, sabendo ou não disso.

  10. 10 Alexei Barros 31/12/2009 às 9:24 pm

    @ Marques

    “Nós reclamamos e críticamos muito o VGL, mas o problema é que o evento abrange mais os jogadores casuais ou pessoas que nem jogam videogame”.

    Exato, exato. Muita gente que vai tem uma leve simpatia por videogames e se realiza com os jogos no telão. Mas também acho que muitos jogadores hardcore que vão e gostam. Iria além. Há ainda muitos apreciadores hardcore de game music que curtem pelo que vejo nos fóruns gringos.

    @ Ryunoken

    Aí sim, de fato. Mas aí faria mais enfocando nos problemas mais graves da apresentação em São Paulo que aparentemente ninguém se importou, sobretudo com aquela história das pessoas da pista ficarem de pé. Isso é digno de reclamação.

  11. 11 Marques 06/01/2010 às 12:38 pm

    O que eu quis dizer é que não sabendo ou sabendo pouco sobre o assunto, o público é prejudicado e nem imagina isso.

    Realmente, o profissionalismo da VGL é lamentável.

  12. 12 Alexei Barros 06/01/2010 às 12:40 pm

    @ Marques

    “O que eu quis dizer é que não sabendo ou sabendo pouco sobre o assunto, o público é prejudicado e nem imagina isso”.

    Perfeitamente. Puxa vida, não é normal assistir 3 horas de um show de game music tão caro de pé. Vi pouquíssimas pessoas reclamarem disso da apresentação em São Paulo.

  13. 13 Orakio "O Gagá" Rob 06/01/2010 às 2:19 pm

    A minha esposa já reclamou de ter que assistir sentada :)

    Ela curtiu o show e tudo mais, só que achou muito longo, com o falatório todo do Tallarico. Em pé, então, eu não tenho nem coragem de convidá-la.

  14. 14 Alexei Barros 06/01/2010 às 4:52 pm

    Hahaha, olha que eu acho que todo mundo que comprou na pista não sabia deste pequeno detalhe. Não bastava ser de pé, como era em um local completamente abafado pelo que me disseram.


  1. 1 Tweets that mention Video Games Live: cadê os dez segmentos novos? « Hadouken -- Topsy.com Trackback em 30/12/2009 às 10:25 pm
  2. 2 Video Games Live: Uncharted 2: Among Thieves e Afrika « Hadouken Trackback em 20/05/2010 às 4:04 pm
  3. 3 “Heroes of Might and Magic Medley” – HoMaM II: The Price Of Loyalty, II: The Succession Wars, IV, V e VI (VGL 2010 em Paris) « Hadouken Trackback em 27/12/2010 às 10:48 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: