Canção-tema da versão ocidental de Final Fantasy XIII será música licenciada

Por Alexei Barros

Longe de achar a “Kimi ga iru kara” memorável – ainda mais comparando com faixas promissoras da trilha do Final Fantasy XIII como “Battle Theme” e, quem diria, “Chocobo Theme” – , fiquei estarrecido com a revelação feita no vídeo que confirmou a data do lançamento ocidental (EUA e Europa): 9 de março de 2010 (82 dias depois da edição japonesa, a localização mais rápida da série entre os episódios numerados, conforme o Fabão comentou no Twitter).

Leona Lewis - EchoEm vez de traduzida, a composição do Masashi Hamauzu cantada pela Sayuri Sugawara será substituída na versão ocidental pela “My Hands”. Assinada pela dupla Ina Wroldsen e Arnthor Birgisson, é a sexta faixa do álbum Echo, o segundo da carreira da cantora inglesa Leona Lewis lançado dia 9 de novembro de 2009. Ou seja, vão trocar uma música original, feita para o jogo, com a letra escrita para a história do jogo, por uma canção pronta, sem qualquer relação com a trama, para ser tocada na rádio. Qual o sentido disso?

Fico pensando: a canção-tema originalmente seria composta pelo Nobuo Uematsu, que acabou deixando a missão para o próprio Hamauzu porque ele já estava muito atarefado com a trilha de Final Fantasy XIV. Será que se a música fosse do Uematsu, a Square Enix faria essa alteração torpe? Eu duvido.

48 Responses to “Canção-tema da versão ocidental de Final Fantasy XIII será música licenciada”


  1. 1 Orakio "O Gagá" Rob 13/11/2009 às 4:31 pm

    Nossa, só a capa do disco da moça já dá medo… ainda não tive coragem de ouvir a música. Aliás, acabei de lembrar que estacionei no Super Nintendo, e provavelmente nunca vou ter a infelicidade de ouvir essa porcaria.

  2. 2 Bruno Julião 13/11/2009 às 4:32 pm

    Cara… A gravadora da mina é Sony… Preciso falar algo mais? huahuahua
    :P

  3. 3 Alexei Barros 13/11/2009 às 4:35 pm

    @ Orakio

    “Nossa, só a capa do disco da moça já dá medo…” (2)

    Eu já ouvi comentários ainda piores sobre a capa e sobre a moça, hahahaha!

    “Aliás, acabei de lembrar que estacionei no Super Nintendo, e provavelmente nunca vou ter a infelicidade de ouvir essa porcaria”.

    O jeito é ficar ouvindo a trilha do FFVI em looping. =P

    @ Julião

    HAHAHAHAHA!

  4. 4 Orakio "O Gagá" Rob 13/11/2009 às 4:36 pm

    Aliás, como foi que a mulher ficou com a pele dessa cor? Vixe, que photoshop brabo!

  5. 5 Douglas 13/11/2009 às 4:47 pm

    Tudo bem, eu não esperava que fizessem como em FFX, onde Suteki da ne nem traduzida foi. Esperava algo como a Sanctuary, do Kingdom Hearts 2: versão em inglês e muito mais sem graça. Mas isso foi uma Masamune no peito, um Alexander em Gestalt Mode caindo na cabeça. Já disse no Twitter, já disse para alguns, e repito aqui: parece música daqueles comerciais com crianças africanas e asiáticas sorrindo no meio do gueto, com frase no final do tipo “20,000 children die of starvation everyday. You can help.”

    Ah, e eu adorei Kimi ga iru kara. Pode não ser uma música fantástica, mas “a nível de” canções-tema de FF, é muito mais inspirada que Kiss me Good-bye, em minha humilde e ignorante opinião.

  6. 6 ANTIDEUS 13/11/2009 às 8:44 pm

    Gostei, é melhor que qualquer coisa que o Nobuo Uematsu faz.

    NOT!

  7. 7 Alexei Barros 13/11/2009 às 9:15 pm

    @ Orakio

    Realmente… pior que vendo outras fotos da moça é difícil saber qual é a tonalidade de cor verdadeira.

    @ Douglas

    Não havia me tocado que a “Suteki da ne” não foi traduzida. =S
    Essa de mudar a melodia da “Passion” na versão “Sanctuary” nunca entendi o verdadeiro motivo, ao menos mantiveram a cantora.

    Não me passou pela cabeça esse comercial, mas cabe perfeitamente, hehe… e não acho que uma música assim combine com Final Fantasy.

    Interessante você ter gostado mais do que a “Kiss Me Good-Bye” (talvez a minha preferida dentre as canções de FF), porque daí a lamentação é ainda maior.

    @ Emerson

    Hahahaha!

  8. 8 fezones 13/11/2009 às 10:41 pm

    Não sei por que estou comentando aqui, o Bruno Julião fechou o tópico faz tempo asdasjdoiasdsa xD

  9. 9 Mateus Prado 14/11/2009 às 10:29 pm

    Eu acho que só pelo fato da musica ser PoP não significa que seja ruim. A letra é boa e se encaixa no tema de FFXIII. A SquareEnix precisa lucrar galera, precisa de uma musica popular, tipo como faz Holywood ou a Globo em suas novelas. O Jogo custou em media 70 milhões de dolares a produção, o tempo de arriscar, para o bem ou para o mal ACABOU! Eu sou Mateus Prado, você pode saber mais de mim em http://www.gamesreflexoes.blogspot.com

  10. 10 Alexei Barros 15/11/2009 às 2:57 pm

    @ Mateus

    Respeito a sua opinião, mas devo dizer que discordo de absolutamente tudo o que você falou.

    “Eu acho que só pelo fato da musica ser PoP não significa que seja ruim”.

    Eu não disse isso em momento algum, mesmo porque a canção japonesa também é pop, e as baladas pop são característica da série desde a “Eyes on Me” do Final Fantasy VIII.

    “A letra é boa e se encaixa no tema de FFXIII”.

    Não importa se a letra é boa ou ruim, o problema é que ela não foi feita especialmente para o jogo, como também aconteceu com a “Here’s to You” do filme Sacco e Vanzetti e foi aproveitada para o Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots. Eu achei essa música fabulosa, mas critiquei a decisão.

    Não entendo como você pode dizer que “se encaixou no tema de FFXIII”, sendo que o jogo sequer foi lançado, e é precipitado dizer que combinou ou não somente pelas impressões superficiais dos previews, fotos e vídeos. Enfim, sem ter jogado e terminado. A demo só não conta.

    “A SquareEnix precisa lucrar galera, precisa de uma musica popular, tipo como faz Holywood ou a Globo em suas novelas”.

    E que empresa não precisa lucrar? Agora me responda: Final Fantasy por si só não é popular o bastante? A mencionada “Eyes on Me” ganhou o prêmio “Song of the Year (Western Music)” no 14th Annual Japan Gold Disc Awards de 1999, disputando com músicas que não são de games. “One-Winged Angel” e “Liberi Fatali” também são estrondosamente populares. Não entendo a razão para a Square Enix precisar de uma música de uma cantora cuja carreira começou em 2006, quando a própria produtora tem uma marca poderosa há mais de vinte anos, sempre com composições originais que provam o valor artístico da game music.

    “O Jogo custou em media 70 milhões de dolares a produção, o tempo de arriscar, para o bem ou para o mal ACABOU!”

    Onde você conseguiu a informação do custo de produção do jogo? Não encontrei em lugar nenhum, e por favor me diga a fonte porque fiquei curioso.

    Não entendi essa de “o tempo de arriscar acabou”, porque licenciar uma música não é prova de ousadia, mas de completo conformismo.

    O jogo pode até ter sido mais caro do que isso, mas não sei o motivo para você achar que a Square Enix está em apuros e que depende do Final Fantasy XIII para sobreviver.

    Talvez você esteja supervalorizando o que pode fazer uma mera música pop de um cantora de três anos de carreira que saiu de um programa de calouros. Duvido que a presença dessa canção da versão americana aumentará a quantidade de cópias vendidas no ocidente.

  11. 12 Camila Schafer 16/11/2009 às 2:58 pm

    Que horror! Porque não traduziram a música feita para o jogo? Ainda bem que, como o Gagá, estacionei no SNES… hehehehehe

  12. 13 marcelsn 16/11/2009 às 7:31 pm

    chocobo theme do ff13 ja valeu a OST toda

  13. 14 Mateus Prado 17/11/2009 às 9:04 pm

    ALEXEI

    Eu acho que a SquareEnix teria sim mais propriedade fazendo uma canção tema por si só, mas o que os fans precisam entender que o fato de ter uma canção licenciada não abdica o jogo de belas composiçoes proprias, se você viu a Premiere deve saber do que estou falando. A musica tema esta ligada mais ao marketing do jogo se você não sabe e como a Leona esta atualmente vendendo milhares de cds na Europa e sendo extremamente popular, a SquareEnix viu ai uma oportunidade de parceria capitalista, principalmente para atrair novos fans, os novos fans não conhecem FF mas sem duvida conhecem Leona ( os europeus principalmente). Coloque uma coisa na sua cabeça, e aqui lhe fala um professor de Marketing, musica tema só existe para popularizar um produto, seja game, filme ou novela Global! TODOS precisam de novos fans. Quanto ao custo de produção, 70 milhões de dolares é uma estimativa com base em custos de produção da atual geração alinhada ao perfil da SquareEnix. E sobre a letra ter haver com a história…

  14. 15 Mateus Prado 17/11/2009 às 9:07 pm

    …ter haver com a história, significa ter haver com o PROLOGUE!! Alias toda musica tema é baseada no prologue, e esse, os fans antenados ja sabem. É isso! Para saber mais de mim acesse http://www.gamesreflexoes.blogspot.com

  15. 16 Alexei Barros 17/11/2009 às 10:14 pm

    @ Camila

    Olha, para mim, soaria bem menos preguiçoso deixar a original japonesa mesmo sem traduzir nem nada do que pegar essa música licenciada. Aliás, fizeram isso no FFX como o Douglas comentou acima.

    @ marcelsn

    Certamente a melhor até agora para mim. Também estou na expectativa pelas orquestradas – haverá músicas tocadas pela Warsaw National Philharmonic Orchestra.

    @ Mateus

    Com todo o respeito, mais uma vez você está emitindo opiniões sem o menor fundamento.

    “Eu acho que a SquareEnix teria sim mais propriedade fazendo uma canção tema por si só, mas o que os fans precisam entender que o fato de ter uma canção licenciada não abdica o jogo de belas composiçoes proprias, se você viu a Premiere deve saber do que estou falando”.

    É claro que se apenas uma música é licenciada, sobram as outras tantas originais. O problema é que por culpa dessa decisão estúpida de usar a “My Hands” a maioria dos ocidentais não vai conhecer a “Kimi ga iru kara”, que é uma composição própria.

    “A musica tema esta ligada mais ao marketing do jogo se você não sabe e como a Leona esta atualmente vendendo milhares de cds na Europa e sendo extremamente popular, a SquareEnix viu ai uma oportunidade de parceria capitalista, principalmente para atrair novos fans, os novos fans não conhecem FF mas sem duvida conhecem Leona ( os europeus principalmente)”.

    Não sei quem são esses “novos fans” (sic) que você se refere. Para mim, quem não conhece Final Fantasy de nome, não conhece videogame. Ou seja, você está querendo dizer que quem é fã da cantora, vai se sentir estimulado a comprar um Xbox 360 ou PlayStation 3, uma cópia do Final Fantasy XIII e se aventurar por um RPG de dezenas de horas cheio de texto apenas por uma música que essa pessoa pode ouvir no CD Player, na rádio ou no computador? De novo, você está supervalorizando a participação de uma canção genérica da Leona Lewis. Ressalto que o problema não é ela; caso a chamassem para cantar uma música feita especialmente para o jogo eu não veria o menor problema. O ruim é pegar uma canção pronta. É preguiça demais.

    “Coloque uma coisa na sua cabeça, e aqui lhe fala um professor de Marketing, musica tema só existe para popularizar um produto, seja game, filme ou novela Global! TODOS precisam de novos fans”.

    Discordo, não acho que todos precisam de novos fãs. Há muitas séries de jogos que se preservam ao longo dos anos atendendo a um nicho menor, mas sempre fiel, e não necessariamente estão à procura de mais aficionados. Vou citar como exemplo os jogos da Treasure, sempre hardcore, na maioria das vezes bidimensionais. O estúdio está na ativa há 17 anos com o mesmo público cativo desde os 16-bits.

    Você está vendo só o lado comercial da coisa. É possível sim que uma música-tema seja original, própria do jogo, e conquiste novos fãs. É apenas uma das funções de uma música-tema popularizar o produto, não a única, e nem é preciso ser professor para constatar isso.

    “Quanto ao custo de produção, 70 milhões de dolares é uma estimativa com base em custos de produção da atual geração alinhada ao perfil da SquareEnix”.

    Em quais jogos da geração atual você está se baseando para fazer essa estimativa? O que me leva a acreditar que uma música vai ajudar um jogo a vender mais do que já venderia e ainda por cima evitar que a Square Enix feche as portas como você disse?

    “E sobre a letra ter haver com a história, significa ter haver com o PROLOGUE!! Alias toda musica tema é baseada no prologue, e esse, os fans antenados ja sabem”.

    Prologue? Você se refere ao Episode Zero? Como você é um fã antenado, poderia então me explicar a relação entre o entrecho do Episode Zero e a letra da “My Hands” que separei abaixo? Ou então me mostrar um link com um texto que mostre que a letra da música “tem haver” (sic) com o Episode Zero? Fiquei bastante curioso. É espantoso isso o que você disse, porque, até o momento, o prólogo está disponível oficialmente apenas em japonês, ainda que tenha sido traduzido por fãs e, como todos sabemos, a “My Hands” será ouvida somente na versão ocidental. Não é incrível?

    E, não, não obrigatoriamente uma música-tema tem a ver com um prólogo…

    I wake in the morning
    Tired of sleeping
    Get in the shower

    And make my bed alone
    I put on my makeup
    Talking to the mirror
    Ready for a new day
    Without you

    And I walk steady on my feet

    I talk my voice obeys me
    I go out at night
    Sleep without the lights
    And I do all of the things
    I have to keeping you off my mind
    But when I think I’ll be alright
    I am always wrong cause

    My hands
    Don’t wanna start again

    My hands
    No they don’t wanna understand

    My hands
    They just shake and try to break
    whatever peace I may find

    My hands
    They only agree to hold
    Your hands
    And they don’t wanna be without
    Your hands
    And they will not let me go
    No they will not let me go

    I talk about you now
    And go a day without crying
    I go out with my friends now
    I stay home all alone

    I don’t see you everywhere

    I can say your name easily
    I laugh a bit louder
    Without you

    And I see different shades now
    And I’m almost never afraid now

    But when I think i’ll be okay
    I am always wrong now

    My hands
    Don’t wanna start again

    My hands
    No they don’t wanna understand

    My hands
    They just shake and try to break
    whatever peace i may find

    My hands
    They only agree to hold
    Your hands
    And they don’t wanna be without
    Your hands
    And they will not let me go
    No they will not let me go

    Sometimes I wake and see them reaching out for you
    Quietly breaking whatever shields
    I spent so long building up
    I cannot fake, cos when they cry I’m unspoken
    They miss holding my baby

    My hands
    No they don’t wanna understand
    They just shake and try to break
    whatever peace I may find

    My hands

    Your hands
    They don’t want to be without
    Your hands
    They will not let me go

    Not they will not let me go

    My hands
    They don’t wanna start again

    My hands
    No they don’t wanna understand

    My hands
    They just shake and try to break
    whatever peace I may find

    My hands
    They only agree to hold
    Your hands
    And they don’t wanna be without
    Your hands
    And they will not let me go
    No they will not let me go
    No they will not let me go

  16. 18 Mateus Prado Sousa 18/11/2009 às 11:08 am

    ALEXEI

    Eu ja falei o que penso e não tenho mais nada a acrescentar, eu só acho que ao contrário de você que ve Final Fantasy como uma série estabilizada em fins comerciais, a sabia SquareEnix sabe que muitos garotos de 10, 12 anos vao se iniciar na serie no XIII episódio e irao SIM se sentirem atraidos pelo jogo que toca o mesmo HIT que ele houve no radio. Diferente de você a SquareEnix é conciente que muitos não conhecem a serie, até pq muitos estao ganhando seu primeiro video game agora!! Lembra dos pre adolescentes que falei? Pois é a SquareEnix precisa da grana deles também, capitalismo? SIM, para o bem e para o mal ele rege o mundo, até mesmo Spira, Cocoon, Pulse… http://www.gamesreflexoes.blogspot.com

  17. 19 Alexei Barros 19/11/2009 às 9:28 am

    @ Mateus

    “Eu ja falei o que penso e não tenho mais nada a acrescentar…”

    Não pareceu. Você continuou acrescentando…

    “…eu só acho que ao contrário de você que ve Final Fantasy como uma série estabilizada em fins comerciais, a sabia SquareEnix sabe que muitos garotos de 10, 12 anos vao se iniciar na serie no XIII episódio e irao SIM se sentirem atraidos pelo jogo que toca o mesmo HIT que ele houve no radio”.

    Então de uma hora para a outra a Square Enix vai transformar Final Fantasy em uma série infanto-juvenil? Desculpe-me, você está tremendamente equivocado. E quem diz isso não sou eu, mas a Entertainment Software Rating Board (faça a busca por “Final Fantasy”). Observe que a maioria dos jogos da série recebeu a classificação Teen, ou seja, recomendado para mais de 13 anos, e eu suponho que o Final Fantasy XIII não vai ser menos que isso. A Square Enix obviamente não lançaria um produto para atrair crianças de 10 a 12 anos como você disse se nem a ESRB recomenda para essa faixa etária.

    E ainda tem um agravante. Como todos sabemos, o sistema de classificação varia de país para país, e em alguns casos pode ser mais rigoroso. De acordo com a Pan European Game Information, que avalia os jogos na Europa, o Final Fantasy XII, que nos EUA foi classificado como Teen, foi recomendado na maioria dos países europeus para mais de 16 anos.

    “Diferente de você a SquareEnix é conciente que muitos não conhecem a serie, até pq muitos estao ganhando seu primeiro video game agora!! Lembra dos pre adolescentes que falei? Pois é a SquareEnix precisa da grana deles também, capitalismo?”

    Claro que precisa. E é justamente para esse tipo de público existem títulos da Square Enix mais simples, como a vertente Final Fantasy Fables, estrelada pelos chocobos.

  18. 21 Orakio "O Gagá" Rob 19/11/2009 às 9:52 am

    “A Square Enix obviamente não lançaria um produto para atrair crianças de 10 a 12 anos como você disse se nem a ESRB recomenda para essa faixa etária.”

    A inexorável lógica de mestre Alexei ataca novamente… vocês não adoram argumentos bem embasados? :)

  19. 23 Tiago 21/11/2009 às 11:39 am

    Quase todos os comentários neste post são deprimentes.
    Para aqueles que nao sabem, Leona Lewis é uma cantora internacional que bateu todos os records de vendas com o seu primeiro album e esta a fazê-lo novamente com o segundo.
    A Leona tem mil vezes mais capacidades do que uma miúda japonesa de 18 anos que nao esta a conseguir impor-se, nao ha uma msuica, nem se quer o tema do 13 que esteja nos tops japoneses, ao contrario da Leona que mesmo sendo britanica já foi numero 1 no japão.

    Se nao gostam do tipo de música, muito bem, mas a leona nao teve qualquer culpa na escolha.

    Acho muito bem que tinhamos uma versao nossa, eu e quae todas as pessoas nao queremos uma musica que nao se preceba a letra por estar em japones, para alem de que nao é o genero de musica que ouvimos.

    Voces esqueçem-se é que aquelas pessoas que só vem japones a frente, viciados em tudo o que seja de la,sao ai no maximo 20% das pessoas que vão comprar o jogo.

    Estou muito contente pela escolha do tema, é fantástico e o director do jogo confirmou que encaixa na historia na perfeição.

    Espero que ao menos aproveitem o jogo.

    • 24 Orakio "O Gagá" Rob 21/11/2009 às 11:46 am

      “Para aqueles que nao sabem, Leona Lewis é uma cantora internacional que bateu todos os records de vendas com o seu primeiro album e esta a fazê-lo novamente com o segundo.”

      O Calypso também vende milhões de discos :)

      … peraí, melhor eu não dar ideia, vai que a Square lê o meu comentário e no FFXIV tasca uma música do… não, não, não quero nem pensar!

      • 25 ANTIDEUS 21/11/2009 às 2:37 pm

        @Tiago

        “Para aqueles que nao sabem, Leona Lewis é uma cantora internacional que bateu todos os records de vendas com o seu primeiro album e esta a fazê-lo novamente com o segundo.”

        Para mim esse argumento equivale a este: “Você sabe de quem está falando?”

        @Orakio “O Gagá” Rob

        Pra mim tanto faz, não gosto de Final Fantasy mesmo :P . Agora se fosse Phantasy Star a história mudaria completamente :( .

  20. 26 Alexei Barros 21/11/2009 às 12:34 pm

    @ Rebeca / Orakio

    Ao menos não estou sozinho nessa história toda. :)

    @ Tiago

    Você vai me desculpar, mas o seu comentário é que é deprimente.

    “Para aqueles que nao sabem, Leona Lewis é uma cantora internacional que bateu todos os records de vendas com o seu primeiro album e esta a fazê-lo novamente com o segundo”.

    Isso pouco me importa, considerando que a popularidade não está associada com qualidade. Posso citar vários exemplos em diversas mídias (games, música, filmes), levando em conta, claro, que isso é um conceito subjetivo.

    “A Leona tem mil vezes mais capacidades do que uma miúda japonesa de 18 anos que nao esta a conseguir impor-se, nao ha uma msuica, nem se quer o tema do 13 que esteja nos tops japoneses, ao contrario da Leona que mesmo sendo britanica já foi numero 1 no japão”.

    A comparação não faz o MENOR sentido. Não há como confrontar a popularidade de uma música pop, que é um cenário muito mais famoso do que os videogames, mesmo que no Japão. A Sayuri Sugawara tem 19 anos, a Leona Lewis 24. A carreira da primeira começou em 2008 e a outra em 2006, amparada pelo sucesso do programa de TV The X Factor. Você deve conhecer de ponta a ponta os dois álbuns da Leona Lewis, Spirit e Echo, mas eu duvido que tenha escutado os dois singles (singles, veja bem) além das duas canções do jogo da Sayuri Sugawara para dizer, de forma prematura, que “A Leona tem mil vezes mais capacidades do que uma miúda japonesa de 18 anos”. Por último, se a Leona Lewis é tão famosa assim no Japão, por que a Square Enix também não usa a “My Hands” na versão nipônica?

    “Se nao gostam do tipo de música, muito bem, mas a leona nao teve qualquer culpa na escolha”.

    Concordo. Mas se a Leona é tão fundamental para o jogo, por que não pediram para que ela cantasse uma música especialmente feita para o FFXIII?

    “Acho muito bem que tinhamos uma versao nossa, eu e quae todas as pessoas nao queremos uma musica que nao se preceba a letra por estar em japones, para alem de que nao é o genero de musica que ouvimos”.

    Discordo em gênero, número e grau. Como você pode caracterizar como “nossa”, uma versão que, reitero, não foi composta para o jogo, mas sim licenciada? A música é dela, não da Square Enix. Não acho que seja fundamental entender o que diz a letra. E parece que muitas outras pessoas pensam como eu. Quais são as músicas mais famosas da série? “One-Winged Angel” e “Liberi Fatali”. Em latim. Muitos fãs não devem saber o que significam os versos das duas músicas. Eu nem faço ideia. E já no passado houve casos de canções chegarem faixas aqui ao japonês, como a “Suteki da ne”, sem que a popularidade no ocidente ficasse comprometida, tanto é que foi cantada assim pela Rikki no More Friends – music from Final Fantasy (2005) em Los Angeles, EUA. Sobre o “para alem de que nao é o genero de musica que ouvimos” é difícil de saber o que você gosta de escutar, mas sei que J-pop é muito popular sim por essas bandas, claro que não tanto quanto o pop ocidental.

    “Voces esqueçem-se é que aquelas pessoas que só vem japones a frente, viciados em tudo o que seja de la,sao ai no maximo 20% das pessoas que vão comprar o jogo”.

    Não sei, nessa você me pegou. Só sei que a série Final Fantasy ficou absurdamente popular nos EUA e Europa a partir do FFVII sem necessariamente fazer uma ocidentalização forçada, como essa iniciativa torpe de colocar uma música pop ocidental qualquer.

    “Estou muito contente pela escolha do tema, é fantástico e o director do jogo confirmou que encaixa na historia na perfeição”.

    Questão de gosto. Eu achei ridiculamente genérico. Poderia listar dezenas de músicas cantadas em estilo pop feitas especificamente para determinados jogos MUITO mais criativas, envolventes e emocionantes que a “My Hands”. Porém, mesmo se gostasse da canção, como foi o caso da “Here’s to You” do Metal Gear Solid 4, criticaria a decisão. Seria o mesmo que dizer que “os nossos compositores são incapazes de criar uma música para esse momento, então vamos comprar os direitos de uma canção famosa por aí”. E essa de encaixar na história com perfeição ainda estou para engolir.

    “Espero que ao menos aproveitem o jogo”.

    Ah, sim, não é por causa de uma música que vou ignorar o Final Fantasy XIII, mas não pude deixar de externar a minha revolta ao ver que as trilhas da série agora possuem um elemento estranho entre as músicas originais.

  21. 29 Alexei Barros 21/11/2009 às 12:43 pm

    @ Orakio

    Eu só vi o seu comentário depois que escrevi o texto acima. É que foi barrado no spam talvez por causa da palavra “Calypso”. :)

    O seu exemplo caracterizou bem o que penso também. Acho que a Susan Boyle também é uma forte candidata para o FFXIV. :D

  22. 30 Diego Paulino 22/11/2009 às 12:12 am

    //Repetindo o comentário pq eu respondi no lugar errado….^^””””

    “Quase todos os comentários neste post são deprimentes.”

    Então pq se dá o trabalho de ler….o.o’

    “Para aqueles que nao sabem, Leona Lewis é uma cantora internacional que bateu todos os records de vendas com o seu primeiro album e esta a fazê-lo novamente com o segundo.”

    E o que isso tem a ver com FF?! Ou você acha mesmo que a S-E colocou uma música dela pra vender o game……u_u’

    “A Leona tem mil vezes mais capacidades do que uma miúda japonesa de 18 anos que nao esta a conseguir impor-se, nao ha uma msuica, nem se quer o tema do 13 que esteja nos tops japoneses, ao contrario da Leona que mesmo sendo britanica já foi numero 1 no japão.”

    Esse manja das coisas…..
    E só por causa disso a S-E fez uma boa escolha?! Pelo seu argumtento então caso o game seja adaptado para o Brasil deveriamos ter uma canção tema baseada em um Funk ou pagode ou sertanejo…..

    “Se nao gostam do tipo de música, muito bem, mas a leona nao teve qualquer culpa na escolha.”

    Verdade, ela tem mais que agradecer, vai aparecer muito mais na midia agora…=]

    “Acho muito bem que tinhamos uma versao nossa, eu e quae todas as pessoas nao queremos uma musica que nao se preceba a letra por estar em japones, para alem de que nao é o genero de musica que ouvimos.”

    Não faria muita diferença, a maioria das pessoas não entendem uma música brasileira, imagina uma internacional….u_u’
    O fato é que a S-E preferiu uma música comercial ao invés de uma trabalhada para o game, não há como argumentar contra isso…

    “Voces esqueçem-se é que aquelas pessoas que só vem japones a frente, viciados em tudo o que seja de la,sao ai no maximo 20% das pessoas que vão comprar o jogo.”

    Estranho é que a maioria dos comentários de fãs de FF que eu li foram de desaprovação a escolha, por mexer em uma coisa que pra eles eram muito importante….e não sabia que de 100% das pessoas que comprariam o game 20% são dos fãs de FF…..o.o’

    “Estou muito contente pela escolha do tema, é fantástico e o director do jogo confirmou que encaixa na historia na perfeição.”

    Se ele disse então \o/ =]

    “Espero que ao menos aproveitem o jogo.”

    Sem um PS360 fica difícil…..='(

  23. 31 Tiago 22/11/2009 às 8:42 am

    Ola de novo

    já vi que gostam de fazer citações uns dos outros, e por isso vão igualmente responder a alguns comentários.
    Antes de mais, quero dizer que não quero criar aqui guerra nenhuma, só não posso é ficar calado perante alguns comentários que leio por aí.

    “Você vai me desculpar, mas o seu comentário é que é deprimente.”

    Se isto nao é deprimente …
    “Nossa, só a capa do disco da moça já dá medo” ou “Aliás, acabei de lembrar que estacionei no Super Nintendo, e provavelmente nunca vou ter a infelicidade de ouvir essa porcaria”

    Fazer comentários destes são completamente dispensáveis, sem qualquer argumento.

    “Isso pouco me importa, considerando que a popularidade não está associada com qualidade. Posso citar vários exemplos em diversas mídias (games, música, filmes), levando em conta, claro, que isso é um conceito subjetivo.”

    Pois, mas neste caso está, Leona Lewis é uma cantora internacional que ja ganhou vários premios de merito e as suas qualidades vocais são incomparaveis, a propria square explica isso no video em que anunciou a escolha.
    Por alguma razao, é ela quem vai dar voz ao tema de final fantasy, foi quem gravou o tema do filme “Avatar” (do mesmo director de titanic, que é um dos filmes mais caros e mais esperados) e tem mais uma musica no filme “precious”

    “se a Leona Lewis é tão famosa assim no Japão, por que a Square Enix também não usa a “My Hands” na versão nipônica?”

    Simples, pela mesma razão de que nós temos a My Hands. Os japoneses ouvem esse género de música regularmente, a sonoridade japonesa não é ouvida por cá.

    Acho muito bem, que tenhamos direito a uma música com a qual nos identificamos.
    Vou dar um exemplo, final fantasy 10 esta super exagerado de símbolos e de pormenores japoneses mas a grande parte dos jogadores não se apercebe desses mesmos símbolos e significados, e porque? porque nao se identifica em nada com isso.

    Depois, não tenho dúvidas que os fás fás, sao ai uns 20 % no máximo, e a square se tiver de perder esses 20 mas ganhar uns 50 fa-lo.

    Ate agora, convinha agarrar publico, neste momento isso ja nao se justifica, tem que se evoluir.

    Eu nao sou brasileiro, sou de Portugal e posso dizer-vos que cá, as músicas japoneses em jogos são severamente criticados por quem os analisa, é uma falta de respeito pelos jogadores colocar um tema que não se entende nada da letra.

    Outra coisa, se acham que é a Leona que vai ganhar mais, deixo-vos aqui a informação que Leona Lewis vendeu mais de 6 milhões do seu primeiro álbum à volta de todo o mundo, ou seja vende mais do que um final fantasy comum.

    Tambem ouvi a meia duzia de musicas da sayuri e gostos dos temas, nomeadamente o tema japonês mas como já referi se o colocassem sem uma tradução pelo menos, aí sim, consedaria uma falta de respeito por nós.

    Quanto ao facto de não se darem ao trabalho de fazerem um tema, concordo, mas sejam imparciais, e ouçam a música, é impossível dizerem que é horrível, só mesmo um hater é que é capaz de dizer uma coisa dessas.

    Fico feliz por ver que duas das coisas que gosto mais vão estar juntas, espero que também mudem de opinião quando jogarem Final Fantasy 13 :)

  24. 32 Orakio "O Gagá" Rob 22/11/2009 às 8:51 am

    Alexey, posso dar uma sugestão? Não perca seu tempo. O cara não entendeu (ou não quer entender) o seu ponto de vista. O lance não é se o trabalho da moça é ou não uma porcaria, mas sim se é ou não adequado ao jogo, e você já disse tudo o que poderia dizer. Deixa rolar.

  25. 33 Orakio "O Gagá" Rob 22/11/2009 às 8:51 am

    Aliás, coloquei um “y” no seu nome por acidente, não foi para ficar chique não :)

  26. 34 Tiago 22/11/2009 às 9:16 am

    Mas se a square diz que a musica encaixa no jogo na perfeição, porque que vocês dizem que nao?

    Já jogaram o jogo ou sabem mais do que os produtores?

    Eu acho que nao, por isso se o vosso argumento de que não se adequa ao jogo nao é valido para já, pelo menos antes de jogarem.

  27. 35 @robsontra 22/11/2009 às 10:15 am

    Ahhn… tirando o fato de num ter nada a ver com a historia… ateh da pra fazer um paralelo entre a my hands e a kimi ga iru kara… ainda gostaria de ter a original, e sei q eh puro merchan da sony… mas ateh tem um pouco a ver…. my humble opinion!

  28. 36 Alexei Barros 22/11/2009 às 4:42 pm

    @ Diego / @robsontra

    Bacana ver mais duas opiniões contrárias à decisão. Acho que são poucos que gostaram pelo que notei, e nem sei se dá para considerar que a maioria repudiou porque somente vi opiniões de fãs hardcore de game music.

    @ Orakio

    Tudo bem, você não foi o primeiro a me chamar de “Alexey”. :)
    Tudo bem em responder o Tiago também.

    @ Tiago

    Apenas um esclarecimento sobre as citações. Faço isso para destacar o trecho específico do comentário. Fica mais fácil de acompanhar, não tem nenhum mistério. Eu também não quero criar guerra, porque ao menos por enquanto estou achando a discussão bem interessante com os diferentes pontos de vista, especialmente se considerarmos que estamos esse tempo todo falando sobre as consequências que apenas uma música pode trazer (ou não).

    Então, como você não especificou quais comentários achava deprimente, eu imaginei que fosse alguma coisa que eu tinha falado, já que você escreveu logo depois das respostas que dei ao Mateus. Sobre os comentários que destacou, foi uma mera brincadeira do Orakio, mas você tem o direito de não gostar por ser fã da cantora.

    “Pois, mas neste caso está, Leona Lewis é uma cantora internacional que ja ganhou vários premios de merito e as suas qualidades vocais são incomparaveis, a propria square explica isso no video em que anunciou a escolha. Por alguma razao, é ela quem vai dar voz ao tema de final fantasy, foi quem gravou o tema do filme “Avatar” (do mesmo director de titanic, que é um dos filmes mais caros e mais esperados) e tem mais uma musica no filme “precious””

    Obrigado por essas informações adicionais, eu não sabia que a Leona Lewis também foi escalada para cantar essas músicas de filmes. Isso comprova o quanto as produções da Square Enix, ainda que japonesas, estão cada vez mais ocidentalizadas e hollywoodianas.

    “Simples, pela mesma razão de que nós temos a My Hands. Os japoneses ouvem esse género de música regularmente, a sonoridade japonesa não é ouvida por cá”.

    Essa sonoridade japonesa que você se refere é em relação à letra ou à melodia? Porque quando alguém fala em “sonoridade japonesa”, me vem à mente shakuhashis, shamisens e todos aqueles instrumentos antigos usados em trilhas de jogos como Okami, Samurai Shodown etc. Estranho esse comentário porque os japoneses são capazes de incorporar gêneros diferentes e não-próprios, e explorá-los até o limite. Por exemplo, o Yuzo Koshiro faz músicas dignas de John Williams, o Yasunori Mitsuda compõe músicas com roupagem celta e o Koji Kondo cria músicas de estilo latino. Sei que acabei fugindo um pouco do tema, mas não vejo na “Kimi ga iru kara” elementos primordialmente japoneses, a não ser pela letra e pela cantora.

    “Acho muito bem, que tenhamos direito a uma música com a qual nos identificamos”.

    Com certeza. Porém, há muitas músicas que eu me identifico, e nem por isso as quero ouvir no jogo que vou jogar.

    “Vou dar um exemplo, final fantasy 10 esta super exagerado de símbolos e de pormenores japoneses mas a grande parte dos jogadores não se apercebe desses mesmos símbolos e significados, e porque? porque nao se identifica em nada com isso”.

    Não concordo. Cada jogo deve ter a caracterização própria para passar uma atmosfera diferente, e nem sempre devemos entender. Vou citar o ICO. Uma das maiores peculiaridades do jogo é que a Yorda fala em um idioma repleto de símbolos incompreensíveis ao jogador, e isso estimula a sua imaginação ao tentar vislumbrar o que ela estava dizendo.

    “Depois, não tenho dúvidas que os fás fás, sao ai uns 20 % no máximo, e a square se tiver de perder esses 20 mas ganhar uns 50 fa-lo”.

    Não sei porque você acha que somente 20% das pessoas que acompanham a série Final Fantasy são verdadeiros fãs. Não entendi, sinceramente. E não acho que por causa de uma música esses mesmos fãs vão deixar de jogar, ao mesmo tempo em que não acredito que a canção vai aumentar tanto assim a base de fãs do jogo.

    “Eu nao sou brasileiro, sou de Portugal e posso dizer-vos que cá, as músicas japoneses em jogos são severamente criticados por quem os analisa, é uma falta de respeito pelos jogadores colocar um tema que não se entende nada da letra”.

    Muito interessante o que você sobre isso, e acredito que seja uma questão de diferença de culturas. Aqui no Brasil, somos influenciados pela cultura nipônica muito por conta da vinda de imigrantes na primeira metade do século passado. No decorrer dos anos, a cultura dos animes, mangá e música se proliferou, e hoje a quantidade de aficionados é colossal.

    Agora uma coisa que está me intrigando quando você diz que muitos críticos consideram “falta de respeito pelos jogadores colocar um tema que não se entende nada da letra”. Eu só conheço duas músicas cantadas em português nos jogos, “A Deus” e “Canção do Povo” do Grandia II. Com esse ponto de vista, a “My Hands” também é um desrespeito, porque é cantada em inglês, não em português. Então por que você parte do pressuposto que todos os fãs que jogam sabem inglês fluentemente e entendem a letra? E por que você faz a suposição de que o jogador não pode saber japonês e não pode entender a letra?

    Então você vai me dizer que todas as músicas em latim de Final Fantasy, Ace Combat, God of War e por aí vai são desrespeitosas apenas por que não podemos entender?

    O idioma influencia muito no resultado final da música, e se todas fossem em inglês não teria graça. A língua é escolhida para criar um efeito diferenciado em cada canção. A “Baba Yetu” do Civilization IV teria a mesma graça se não fosse em suaíli? A “Soviet March” do Command & Conquer: Red Alert 3 remeteria à União Soviética se não fosse cantada em russo? O próprio latim é usado para conferir uma imponência que talvez nenhum outro idioma seja capaz.

    Poderia citar aqui muitos outros exemplos, não só de músicas com coral, se o problema é com músicas de um artista apenas. Uma que me recordo é a “Song of Mana ~Ending Theme~” (Legend of Mana), cantada em sueco. Detalhe: o jogo nem saiu na Europa. Outra: “The Best Is Yet To Come”, cantada no idioma gaélico do Metal Gear Solid.

    “Outra coisa, se acham que é a Leona que vai ganhar mais, deixo-vos aqui a informação que Leona Lewis vendeu mais de 6 milhões do seu primeiro álbum à volta de todo o mundo, ou seja vende mais do que um final fantasy comum”.

    Você vai me desculpar novamente, mas essa comparação é simplesmente ridícula. Não tem como cotejar um jogo com um álbum de música pop.

    “Tambem ouvi a meia duzia de musicas da sayuri e gostos dos temas, nomeadamente o tema japonês mas como já referi se o colocassem sem uma tradução pelo menos, aí sim, consedaria uma falta de respeito por nós”.

    Legal saber que você procurou ouvir outras músicas da Sayuri Sugawara, retiro o que disse “eu duvido que tenha escutado…”. Sobre a falta de respeito, mais uma vez, discordo.

    “Quanto ao facto de não se darem ao trabalho de fazerem um tema, concordo, mas sejam imparciais, e ouçam a música, é impossível dizerem que é horrível, só mesmo um hater é que é capaz de dizer uma coisa dessas”.

    A questão de “sejam imparciais” é algo que não quero me aprofundar porque não há como dissociar a opinião de alguma parcialidade no meu modo de entender. Cada um tem seus gostos e suas particularidades, portanto não tem como eu me livrar disso ao ouvir uma música. Uma faixa que eu posso achar maravilhosa você pode achar uma tremenda porcaria e vice-versa.

    “Mas se a square diz que a musica encaixa no jogo na perfeição, porque que vocês dizem que nao? Já jogaram o jogo ou sabem mais do que os produtores?”

    Tem razão, é prematuro um veredicto. E já disse que não me importa o fato de os produtores dizerem que a música encaixa com perfeição. Quantas outras músicas pop melosas também não se adequariam? No YouTube tem várias dessas montagens, e algumas até combinam.

    Enfim, temos visões completamente diferentes sobre o caso, e para resumir eu acharia menos pior se, pelo menos, a “My Hands” recebesse um arranjo específico para o jogo. Esqueci de dizer, mas a versão da “Here’s to You” do Metal Gear Solid 4 foi adaptada pelo Harry Gregson-Williams, ainda que a música seja originária de um filme. Não parece que é isso que vá acontecer, deverá ser uma cópia carbono do álbum Echo, o que é de um conformismo sem igual. E se tem alguém sendo desreipetado nessa história toda é o Masashi Hamauzu. Como falei no post, duvido que aconteceria essa substituição se a música fosse do Nobuo Uematsu.

  29. 38 mateuspradosousa 22/11/2009 às 8:20 pm

    Juro, estou com medo do Alexei (y)

  30. 39 Magus 23/11/2009 às 1:35 am

    Muito peculiar o posicionamento do Tiago quanto a ser desrespeito a não-localização de um RPG até no que se refere às músicas… Isto me lembra depoimentos de amigos quanto à ausência de filmes legendados nos cinemas de ao menos determinados países europeus.

    Eu me sentiria bem afrontado se quisesse ver um filme X com áudio original – seja ele qual for – e legendas e não pudesse. No final das contas dá para se argumentar que a intenção original da experiência não inclui leitura de texto, mas eu discordo de que seja preferível se sentir digno de mexer na essência de uma obra para possivelmente aumentar apelo comercial. Tenho horror de simplificações da história e até da idéia de redução considerável de dificuldade de um jogo, que de algum modo pode ter alguma relação com o que foi proposto originalmente como experiência.

    Eu adoro quando em um anime há legendas na parte superior da tela explicando sutilezas culturais. Aliás, por mais elitista que isto soe, apesar de não ser uma regra infalível, a qualidade de algo parece tender a ser inversamente proporcional ao seu apelo popular, dados inclusive baixo nível de escolaridade e questões culturais de massificação de mídia. Localização é por si só algo que “olho torto”, enquanto algo que se dá a liberdade de não apenas fazer traduções literais de uma obra.

    Eu adoro cultura japonesa, mas o que eu disse valeria mesmo se a música original de FF13 fosse em árabe, russo, turco, esperanto ou KLINGON.

  31. 40 Roberto Soares 04/04/2010 às 11:07 pm

    Parece-me que My Hands encaixou perfeitamente no roteiro do jogo. Como o próprio e grandioso Alex disse, “é precipitado dizer que combinou ou não somente pelas impressões superficiais dos previews, fotos e vídeos. Enfim, sem ter jogado e terminado. A demo só não conta”.

  32. 41 Leandro 11/04/2010 às 7:07 pm

    Não gosto deste tipo de jogo, mas para alguém dizer que tem medo dessa moça da capa do álbum é porque é um baita de um boiolão mesmo.

    • 42 Alexei Barros 11/04/2010 às 10:32 pm

      Se eu falasse que ela é uma musa, um colírio para os meus olhos eu estaria mentindo. Não acho bonita. E não entendi o que o tipo de jogo tem a ver com a Leona Lewis também para você ter dito o “mas”.


  1. 1 Data de lançamento de Final Fantasy XIII no mundo e mais informações e scans | Select Game Trackback em 14/11/2009 às 2:11 pm
  2. 2 Distant Worlds 2009 em Chicago: comentários à distância « Hadouken Trackback em 25/12/2009 às 11:23 pm
  3. 3 Final Fantasy XIII: o trailer japonês x o trailer internacional « Hadouken Trackback em 14/01/2010 às 2:02 pm
  4. 4 “Suteki Da Ne” – Final Fantasy X (Distant Worlds 2009 em Chicago) « Hadouken Trackback em 31/01/2010 às 3:12 pm
  5. 5 Final Fantasy XIII Original Soundtrack: pompa, ecletismo e inspiração « Hadouken Trackback em 06/02/2010 às 12:31 am
  6. 6 Final Fantasy XIII: trailer japonês x trailer internacional | Hadouken Trackback em 06/11/2014 às 8:31 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: