Arquivo para junho \23\-03:00 2009



Shinobi renasce em coletânea ninja


Por Alexei Barros

Em mais um capítulo do excelente trabalho – musical – da Sega, a Wave Master vai publicar no dia 23 de julho mais uma compilação enfocada em uma série. A homenageada da vez é a saga Shinobi. A caixa Legend of Joe Musashi ~Shinobi Music Collection~, de número de catálogo WM-0626~9, terá quatro CDs e sairá por 5040 ienes (104 reais, sem taxas) no dia 23 de julho. Estranho publicar a coletânea em 2009, já que Shinobi completou 20 anos em 2007.

E quando falam das músicas de Shinobi, o primeiro nome que me vem à mente é Yuzo Koshiro por conta das trilhas de The Revenge of Shinobi (Mega Drive) e Shinobi (Game Gear). Ambas estarão na antologia, entre outras. Veja o conteúdo:

– Shinobi (Arcade)
– Shadow Dancer (Arcade): pela primeira vez em CD;
– The Revenge of Shinobi (Mega Drive): pela primeira vez com todas as músicas nas versões do Mega Drive, já que o álbum The Super Shinobi & Works e a coletânea Yuzo Koshiro Best Collection vol. 2 (que trazia como novidade a “Long Distance”) compilavam as faixas da versão PC-8801;
– Shadow Dancer (Mega Drive): todas as composições pela primeira vez;
– Shinobi III: Return of the Ninja Master (Mega Drive): todas as composições pela primeira vez;
– Shinobi (Game Gear): pela primeira vez com todas as músicas, já que a compilação Early Collection 2nd – Yuzo Koshiro era incompleta;
– Shinobi II: The Silent Fury (Game Gear): pela primeira vez em CD;
– Shinobi (Master System): pela primeira vez em CD;
– Alex Kidd in Shinobi World (Master System): pela primeira vez em CD;
– The Cyber Shinobi (Master System): pela primeira vez em CD;
– Shadow Dancer (Master System): pela primeira vez em CD;

Parece completa? Não é. A coletânea ignora os lançamentos posteriores a 1993, que seriam: Shinobi Legions (1995, Saturn), Shinobi (2002, PS2) e Nightshade (2004, PS2). Além disso, não há indícios de versões arranjadas – nada de Shinobi Meets Orchestra desta vez. Ou ao menos poderia incluir a “The Revenge of Shinobi Suite” tocada no concerto alemão Fourth Symphonic Game Music Concert (2006) e eventualmente na turnê do PLAY! A Video Game Symphony, mas nunca registrada em CD.

Agradecido ao Fabão pelas informações.

[via ebten]

“Radical Dreamers” – Chrono Cross (VGO @ Berklee Performance Center)

Por Alexei Barros

“Radical Dreamers”, o tema dos créditos de Chrono Cross, já recebeu tantas adaptações instrumentais que até esqueço que a música é cantada originalmente, com acompanhamento do violão. Isso mostra que o vocal não é fundamental nesse caso.

A Video Game Orchestra fez o básico, que é imitar a canção do jogo, e a performance ficou perfeita. Shota Nakama, o fundador do grupo, é pleno no violão, e a artista harario interpreta de maneira absoluta, sobretudo porque até o seu timbre de voz é parecido com a cantora original Noriko Mitose. Mais uma amostra do alto nível técnico e artístico da VGO.

“Chrono Trigger & Xenogears Medley” – Chrono Trigger e Xenogears (Ensemble Game Classica)

Xenogears

Por Alexei Barros

O Ensemble Game Classica, aqui representado pelo trio básico piano, violino e violoncelo, não se contentou em selecionar músicas difundidas de Chrono Trigger (entre as escolhidas, destaco a pouco lembrada “The Royal Trial” do tribunal…Objection!), e entremeou o medley de 14 minutos com composições de Xenogears, outra trilha benquista pelos apreciadores de Yasunori Mitsuda.

Encaixaram bem as faixas, a não ser por um ou outro buraco na mudança de uma para a outra. A execução está longe de ser formidável ou virtuosística. É moderada e singela. Separei o áudio (não há imagens dos instrumentistas no Nico Nico Douga) mais pela presença de Xenogears, que raramente aparece entre as performances de fãs. Além disso, achei desnecessárias as repetições de faixas ao longo do medley, ainda que com interpretações diferentes.

“Chrono Trigger & Xenogears Medley”

“A Premonition” ~ “Guardia Millenial Fair” ~ “Peaceful Days” (Chrono Trigger) ~ “My Village is Number One” (Xenogears) ~ “Wind Scene” (Chrono Trigger) ~  “The Sky, the Clouds, and You” (Xenogears) ~ “Battle with Magus” ~ “Wind Scene” ~ “The Royal Trial” (Chrono Trigger) ~ “In a Prison of Peace and Regret” (Xenogears) ~ “Guardia Millenial Fair” (Chrono Trigger)

DVD do Persona Music Live e o Persona Music Live 2009

Persona Music Live 2009
Por Alexei Barros

Até havia perdido as esperanças… O show Persona Music Live aconteceu no dia 22 de agosto de 2008, com 24 músicas de Persona 3, Persona 3 FES, Persona 4 e do anime Persona ~ Trinity Soul~, mas nada foi falado acerca da gravação oficial, apesar da informação de que câmeras registraram o espetáculo e das composições serem de uma série, o que facilita o processo de direitos autorais.

Pois então: quase um ano depois o DVD Persona Music Live Velvetroom in Akasaka Blitz foi anunciado para o dia 16 de setembro e em duas versões. A normal, de número de catálogo ANSB 3181 sai por 3990 ienes (hoje 84 reais sem impostos e tudo mais), e a edição limitada, ANZB 3181~2, que custa 4410 ienes (92 reais), inclui um CD com quatro músicas do show (“The Battle of Everybody’s Souls”, “Pursuing My TrueSelf”, “Burn My Dread” e “Mass Destruction”) e mais um estojo. Ainda não se sabe se o DVD terá todas as faixas do evento.

Se não bastasse a excelente notícia, foi anunciado um novo show para este ano, a acontecer dia 19 de setembro, poucos dias antes da TGS (24 a 27 do mesmo mês): Persona Music Live 2009 Velvetroom in Wel City Tokyo. Se 2008 foi ano de Ace Attorney, 2009 é de Persona. Não se esqueça que o Press Start 2009 ainda tocará um medley com músicas de Persona 4.

Grato ao Fabão por detalhes na tradução.

[via Aniplex]

Artwork do dia: Merchandise Fighter II

merchanfighter

Por Claudio Prandoni

Uma abordagem divertida e interessante dos World Warriors originais de Street Fighter II, acrescidos de Sakura e Cammy e com a ausência de Sagat (ele poderia ser uma régua, talvez?).

Obra do excelente artista Albino Raven, que fez a imagem para uma camiseta.

Artwork do dia: wallpaper do Spartan Army de God of War III

KratosHallHD_1920x1200

Por Claudio Prandoni

Depois da barulheira estapafúrdia por lá na tal da E3, God of War III busca promover ainda mais algazarra com o relançamento do site oficial do game.

Agora cheio de estilo e seções e menus em Flash para interagir, o novo sítio virtual conta com bastantes informações e link para registro de newsletter do game (notícias por e-mail sobre o assunto, quase como um RSS).

Conveniente e simpaticamente, o treco foi batizado de Spartan Army, permitindo a qualquer um devanear e gritar bem alto THIS IS SPARTAAAAA!!!1!!1! imaginando que é coleguinha de desmembramento voraz do Kratos.

Enfim, quem se cadastra na lista recebe totalmente digrátis de graça um belo wallpaper do game, que acompanha os outros tantos também bacanudos disponíveis no site.

Para lhe poupar o trampo de cadastrar mais um spam na caixa de entrada de e-mail, logo abaixo o tal papel de parede nos seguintes formatos:
– 800×600
– 1024×768
– 1280×960
– 1600×1200
– 1920×1200

“Snake Eater” – Metal Gear Solid 3: Snake Eater (VGL 2009 em Cingapura)

Por Alexei Barros

Um dos fatores que sempre me queixei no Video Games Live é a ausência quase que completa de compositores japoneses nos eventos e nas performances. Que me desculpem os ocidentais, mas os nipônicos são, a meu ver, os mais talentosos. As aparições do Koji KondoJun Senoue no VGL 2007 em São Francisco foram milagrosas. Até por isso, pela falta de identificação do show com o Japão, causa tanta incerteza a realização do VGL em Tóquio.

O PLAY! A Video Game Symphony – não resisto à tentação de comparar as duas turnês mundiais –, em contrapartida, não só tem o costume de trazer diversos japoneses (o PLAY! de estreia, que aconteceu em Chicago em 2006, teve a proeza de reunir o dream team da game music oriental Nobuo Uematsu, Koji Kondo, Yasunori Mitsuda, Yuzo Koshiro, Akira Yamaoka e Takenobu Mitsuyoshi), como muitas vezes os próprios compositores participam da performance. Exemplo: Akira Yamaoka na guitarra de “Theme of Laura”.

As participações especiais do VGL se resumem a fãs que, com todo o respeito, são apenas fãs. Ocasionalmente, eles podem até tocar melhor (claro que o Martin Leung toca o tema do Mario mais rápido que o Koji Kondo), mas ter os compositores na execução confere singularidade ímpar. Então chegamos ao momento raro: compositor japonês em um palco do Video Games Live. Norihiko Hibino no saxofone de “Snake Eater”.

Minha hesitação quanto à instrumentação se confirma. No palco, não há guitarrista. Não há baixista. Não há baterista. Enfim, não há banda. Como de praxe. E o que causa maior espanto: não há sequer uma cantora. Além disso, como o VGL tem o reprovável hábito de usar playback, não dá para saber o que está sendo feito na hora (a bateria, o baixo e até os enfeites da introdução no piano em 1:00 e 1:11 são aparentemente sintetizados).

Mas eis que vejo Hibinão, o autor da música, entrando com o seu inebriante saxofone que faz a vez do vocal, e que só não é melhor ouvido por causa da gritaria do público no meio da performance, ainda que justificada. Dentro dos padrões do VGL, é surpreendentemente fantástico.


RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: