PLAY! A Video Game Symphony Live! é lançado… na iTunes Store

PLAY! A Video Game Symphony Live!
Por Alexei Barros

Se você acompanha o Hadouken há mais de um ano perceberá o déjà vu no título do post. Praticamente tudo o que aconteceu com o CD do VGL, o Video Games Live: Volume One, ocorreu com o álbum do PLAY!, o PLAY! A Video Game Symphony Live!. Ambos não cobrem todo o repertório tocado nas turnês pelo mundo – especificamente Final Fantasy, Mario e Zelda –, ambos sofreram adiamentos sucessivos e ambos, quando ninguém esperava, foram lançados na iTunes Store.

Sempre elogiei o PLAY! por tudo que vi e ouvi, mas comecei a ficar com um pé atrás depois de ler o report do CloudyMemory da apresentação na República Tcheca que originou o CD. Segundo ele, o Dvorák Hall of the Rudolfinum em Praga possuía espaço para 1000 pessoas e, na hora do espetáculo, o local não havia nem metade dos assentos ocupados. Quem estava ao fundo foi solicitado para ficar à frente.

Mais incrível, não havia ninguém para conferir se os indivíduos compraram os ingressos. Ou seja, era possível entrar de graça! Bem verdade que o autor sugere as prováveis causas para o fracasso de público: pouca divulgação, a desconfiança dos tchecos com os videogames – ele diz que ainda não colocam a música de jogos no mesmo patamar de cinema – e a ausência do lançamento de games muito importantes por lá. Você acredita que Chrono Cross nem apareceu no continente europeu?

Além disso, o maestro Arnie Roth chegou a interromper a performance de Silent Hill 2 por conta do erro do guitarrista como confirma o vídeo, e a música de Lost Odyssey também foi cessada e retomada de novo por um equívoco do coral. É como assistir a um ensaio. Meio cedo para tecer qualquer julgamento definitivo porque não estive lá (sério?), apenas estou repassando o que me chamou a atenção.

O repertório do CD é aquele mesmo que comentei quando falei sobre o adiamento, que nem acabou acontecendo na verdade:

01 PLAY! Opening Fanfare
02 Commodore 64 Medley
03 Castlevania
04 Sonic the Hedgehog
05 Crono Cross
06 Silent Hill 2
07 Halo
08 Kingdom Hearts
09 Battlefield Featuring Rony Barrak
10 World of Warcraft
11 The Elder Scrolls IV: Oblivion
12 Guild Wars

10019-121863Lamentavelmente, notei pelo report que foram tocadas, mas excluídas: “Amiga Medley”, “Metal Gear Solid”, “Super Mario Suite”, “Wind Garden” (Super Mario Galaxy)”, “Main Theme” (Lost Odyssey) e, me dói o coração, “The Revenge of Shinobi Suite”. As músicas da Nintendo já esperava a exclusão. Lost Odyssey, MGS e mesmo Super Mario Galaxy não fazem tanta falta, no meu modo de entender, porque os segmentos são semelhantes às faixas dos álbuns originais. “Amiga Medley” e sobretudo “The Revenge of Shinobi Suite”, arranjada pelo próprio Yuzo Koshiro, realmente é de entristecer. Ambas herdadas da série alemã Symphonic Game Music Concert – tocadas nas edições Fifth (2007) e Fourth (2006), respectivamente –, poderiam ser lançadas com qualidade profissional. Não foram. Tomara que fiquem reservadas para um volume dois. Ainda lembro que no concerto sequer foram executados os segmentos da série Final Fantasy, “One-Winged Angel”, “Liberi Fatali”, “Aerith’s Theme” e “Chocobo’s Theme”, talvez já prevendo que o CD não poderia tê-las por problemas de direitos autorais. Mas no álbum não fazem falta como as supracitadas porque são arranjos parecidos ou até idênticos às originais.

Do que escutei do CD, a performance não é perfeita. Apesar de todos os problemas, gostei do álbum principalmente porque em várias músicas, guitarra, baixo e bateria foram utilizados em parceria com a orquestra, no caso a Czech Philharmonic Chamber Orchestra – combinação que ficou imbatível no Press Start ~Symphony of Games~ 2007.

Reclamei da ausência de baixo na “Scars of Time” do A Night in Fantasia 2007? Aqui tem. Não tão excepcional, com aquele floreio como na OST, mas tem. Aliás, o segmento “Chrono Cross” originalmente chegou a ser intercalado com Chrono Trigger, só que os excertos do RPG 16-bits foram suprimidos também por problemas de direitos autorais – veja como era  a “Chrono Trigger & Cross Suite”. Baixo e bateria no trecho de “A Toccata into Blood Soaked Darkness” em “Castlevania” são empolgantes, e os dois instrumentos, reforçados pela guitarra em “Silent Hill 2” ficaram fantásticos – valeu a pena Arnie Roth intervir na performance. Para coroar, finalmente a suíte “Sonic the Hedgehog” arranjada pelo Yuzo Koshiro com qualidade decente. Vou poder incinerar os bootlegs fétidos.

Por isso tudo, mesmo com vários defeitos, o PLAY! A Video Game Symphony Live! é muito melhor do que Video Games Live: Volume One. Parece-me justo comparar álbuns de dois concertos de turnês mundiais. O CD do VGL, além de trazer oito gravadas em estúdio do total de 11 – afinal de contas, o show não se chama Video Games LIVE? –, tem entre as 11, uma música de um filme – afinal de contas, o show não se chama VIDEO GAMES Live? –, vulgo Tron. E há faixas iguaizinhas das OSTs… Para que vou querer outra versão em estúdio, ainda por cima piorada, de “Hikari”?

PLAY! ou VGL… Andei refletindo se hoje em dia vale a pena um concerto de várias franquias fazer turnês mundiais, por toda a dificuldade envolvendo a performance e custo altíssimo, sem falar das complicações de direitos autorais da Nintendo e Square Enix. Será que não compensa mais concertos com poucas apresentações, mas bem ensaiadas, e que representem uma série, uma produtora ou um compositor,  para assegurar o lançamento de um CD completo?

[via SEMO]

6 Responses to “PLAY! A Video Game Symphony Live! é lançado… na iTunes Store”


  1. 1 Cledson 20/01/2009 às 12:40 pm

    Pois é…
    Não consigo acreditar no “pouco caso” que fizeram em relação a este evento. Mas acredito que talvez seja melhor mesmo reduzir o número de concertos pra manter a qualidade.

  2. 2 Alexei Barros 20/01/2009 às 3:24 pm

    Cledson, o que questiono disso tudo é: se sabiam que a popularidade da game music é tímida na República Tcheca, por que escolheram gravar o CD justamente lá? E se sabiam, por que não fizeram propaganda como o concerto merecia?

    Verdade que a sensação de testemunhar um concerto ao vivo é insuperável, mas entre ver um show meia-boca e ouvir um CD perfeito, sou mais a segunda opção.

  3. 3 Cledson 20/01/2009 às 4:57 pm

    Com certeza..
    concordo totalmente com vc.

    Por isso mesmo vale aquela de “mais qualidade a quantidade”.


  1. 1 Chrono Trigger / Cross – (VGL 2009 em Oakland) « Hadouken Trackback em 02/03/2009 às 2:26 pm
  2. 2 Symphonic Fantasies: três das seleções de Chrono Trigger e Cross « Hadouken Trackback em 20/08/2009 às 3:42 am
  3. 3 “The Revenge of Shinobi Suite” – The Revenge of Shinobi (PLAY! 2007 em Estocolmo) « Hadouken Trackback em 29/10/2009 às 11:03 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: