Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 15

Por Alexei Barros

Não agüentava mais os elogios de tantas pessoas na convivência diária e também do nosso fiel comentarista Geraldo Figueras. Fui intimado a concluir o primeiro ano de direito (já comecei o segundo inclusive) e condenado a virar fã da série Ace Attorney, que já se tornou uma das minhas favoritas da Capcom. Impossível não se encantar com Phoenix Wright transpirando de desespero ou batendo com os dedos no papel convicto de que aquela é a prova cabal; o detetive Dick Gumshoe e as caretas e tiradas impagáveis; Miles Edgeworth apoiando as mãos na mesa em estado de pânico, e Manfred Von Karma ao mostrar a sua petulância quando dá ordens para o juiz. Citei quatro personagens e daria para falar de todos.

Antes de terminar o Phoenix Wright: Ace Attorney, eu havia me interessado pelas músicas da série ao ver o envolvimento do nome de Noriyuki Iwadare no álbum Gyakuten Saiban Orchestra Album ~Gyakuten Meets Orchestra~. Gostei. Citei a “Naruhodou Ryuuichi ~ Objection!” na Parte 8. E gostei mais ainda do Gyakuten Saiban Jazz Album ~Gyakuten Meets Jazz Soul~. Depois ouvi mais uma vez as faixas orquestradas do primeiro capítulo. Parei. Infartei. É outra história conhecer as originais do Masakazu Sugimori (participou de Viewtiful Joe 1 e 2), vivenciando as peripécias dos julgamentos, e perceber como as sintetizadas foram magistralmente orquestradas. Por isso, extraí outras três, totalmente obrigatórias, por enquanto apenas do episódio inicial. Alguma delas pelo menos deveria tocar no VGL. Melhor, um medley. Um ato. Um concerto inteiro vai.

Volto a frisar, só para você se revolver de raiva por não estar no Japão, que acontecerá amanhã, no domingo, dia 20 de abril, a apresentação Gyakuten Meets Orchestra com as trilhas de Ace Attorney e a participação da Orquestra Filarmônica de Tóquio. Provavelmente no evento também deverá ser apregoado mais informações do spin-off Gyakuten Kenji.

Sem mais enrolações, as músicas:

“Gyakuten Saiban ~ Courtroom Suite”

O juiz bate o martelo. Advogado de defesa na esquerda. Promotor na direita. Testemunha depõe. Phoenix já percebeu as contradições e desbarata as mentiras no interrogatório. Aponta o dedo na cara do inescrupuloso. A temperatura começa a esquentar. Quem jogou se lembra muito bem de cada momento porque são as músicas que você ouve por mais tempo na corte. Nesta suíte Iwadare agregou três faixas, respectivamente, “Gyakuten Saiban ~ Trial” (início do julgamento) “Examination ~ Moderate 2001” (Cross-Examination) e “Investigation ~ Overtaked” (quando o caso está próximo do remate). Sabe como ninguém usar metais, como fica comprovado na primeira e na terceira, e as cordas, no pizzicato da segunda. Verdade seja dita, a “Inform the Truth 2001” (dos depoimentos), bem que poderia estar na peça.

“Investigation ~ Mistery Suite”

Quando você não está no tribunal, encontra-se investigando. “Keisuke Itonokogiri ~ Detective Itonoko” (escutada quando você conversa com o detetive), “Search ~ Opening 2001” (Fey and Co. Law Office) e “Search ~ Core 2001” (explanação do crime no julgamento) formam esta suíte, orquestrada não por Iwadare, mas por Naoto Takada, um dos compositores de Mega Man X5. A transição entre cada faixa é feita de maneira esplêndida, com a maior naturalidade, aproveitando majestosamente o clima de suspense das composições originais.

“Oo-edo Soldier Tonosaman”

O tema do super-herói Steel Samurai é tão pegajoso que até virou toque de celular. O principal responsável pela parada cardíaca respiratória é este arranjo de Kaori Komuro, que adapta de maneira genial a original “Oo-edo Soldier Tonosaman”. Um desperdício, no meu modo de entender, que a versão do álbum jazz, “Oo-edo Soldier Tonosaman”, sob a pena do Noriyuki Iwadare, tenha virado uma música suave e relaxante, com o ritmo muito mais retardado que a do jogo. Quando penso em composições / arranjos do Iwadare, imagino faixas animadas, com metais à la big band, como em Grandia e Radiata Stories. Ei, e o tema da Pink Princess? Vão fazer?

Fora isso, o que falta para a Capcom lançar o Gyakuten Saiban Meets Piano?

11 Responses to “Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 15”


  1. 1 Farley 19/04/2008 às 2:08 pm

    As composições da série Phoenix Wright são realmente muito boas, mas acredito que não tenha “apelo público” para um VGL, infelizmente…

  2. 2 Alexei Barros 19/04/2008 às 4:14 pm

    Farley, concordo que a série ainda não tem tanto apelo para um VGL, mas sempre bato na mesma tecla ao questionar a presença de algumas músicas no repertório, como Advent Rising, Tron etc.

    Se você for reparar também, no ano passado o VGL tocou uma música do Beyond Good & Evil, um jogo cult. Inegavelmente a série Ace Attorney, em vias de receber o quinto capítulo, faz muito mais sucesso.

  3. 3 Igor 19/04/2008 às 4:39 pm

    Eu achei ótimo eles tocarem Advent Rising, primeiro porque a música é foda, depois porque me fez ter vontade de jogar o jogo (o que eu ainda não fiz, btw.).

  4. 4 Alexei Barros 19/04/2008 às 5:46 pm

    Até que a suíte do Advent Rising tem os seus méritos, Igor. Só não veria muito sentido em tocá-la todos os anos. De fato, no Brasil, foi executada apenas em 2006. Vamos ver em 2008.

  5. 5 Farley 19/04/2008 às 5:48 pm

    @Alexei
    Sim, você tem toda razão nisso. Tron mesmo é algo estranho a ser tocado no VGL, assim como BG&E ser um jogo cult. Mas realmente o repertório do VGL tem umas escolhas meio “fora”… E torço que Ace Attorney apareça sim, as músicas são muito boas.

  6. 6 Alexei Barros 19/04/2008 às 5:55 pm

    Exatamente, Farley! O concerto se chama “Video Games Live”. Qual o sentido em tocar a música de um filme?? Para ser realista, talvez nunca veremos e ouviremos Ace Attorney no VGL. Minha esperança é que esse concerto de amanhã seja lançado em CD ao menos…

  7. 7 geraldofigueras 19/04/2008 às 9:36 pm

    Puts, outro comentário meu que sumiu. Olhem o filtro ai rapaziada! ;)

  8. 8 Alexei Barros 19/04/2008 às 9:49 pm

    Que estranho, Geraldo. Deve ter dado algum pau porque não há comentários aguardando por moderação ou mesmo no filtro de spams. Geralmente isso acontece quando são colocados links para determinados tipos de sites, como o Goear e outros.

  9. 9 Igor 19/04/2008 às 10:53 pm

    A do Tron foi só em 2007? Porque fui em 2006 e não me lembro dela…

    Mas na verdade, tocam a suíte do Advent Rising só porque o Tallarico quis aproveitar e fazer um jabá da trilha, que não por acaso foi ele que fez. =P

  10. 10 Alexei Barros 19/04/2008 às 11:10 pm

    Exatamente, Igor, o Tron foi só em 2007 e o Advent Rising apenas em 2006.

    E no passado quem fez o jabá foi o Jack Wall com o medley do Myst.


  1. 1 Sem objeções « Hadouken Trackback em 20/04/2008 às 3:10 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: