Video Games Live 2007: pior ou melhor que 2006?

Por Alexei Barros

Tommy Tallarico prometeu e o VGL voltou para o Brasil. Em São Paulo, o show aconteceu no dia 16 de setembro; no 23 vai ao Rio de Janeiro e no dia 30 para Brasília, cidade que não havia recebido a apresentação em 2006. Desta vez, a Petrobras Sinfônica, que só tocara no Rio no ano passado, também foi a SP. Em Brasília será a Orquestra Villa Lobos.

Antes de começar o concerto, um vídeo live action pitoresco do Pac-Man, seguido da mensagem do telão do mais clássico dos engrishs: “All your base are belong to us”. Contudo, a maior surpresa foi ter ouvido depois da primeira música o ruído do codec e a voz de David Hayter, dublador de Solid Snake, anunciado Tommy Tallarico. Fora isso, os mesmos segmentos interativos do Space Invaders e Frogger, além de um novo desafio em um carro de Fórmula 1. Sem mais delongas, ao que realmente interessa, as músicas:

Ato I

01 – “Classic Arcade Medley” (diversos)

Repito: para mim, continua a melhor do concerto, apesar das sentidas ausências de Pac-Man, Rally-X e outros tantos jogos. É muita nostalgia para uma música só, com Donkey Kong, Elevator Action, Pong, Frogger, Space Invaders etc. Nela Richard Jacques (Sonic R e Sonic 3D Blast) confirma o seu apuro como arranjador – o que ficará ainda mais relevo em uma faixa adiante. Orquestrando soberbamente as toscas batidas sintetizadas, ele se superou na saudosa BGM da primeira fase de Ghosts ’n Goblins, feita por Ayako Mori, e na latina “Magical Sound Shower” de OutRun, composta por Hiroshi Miyauchi.

02 – “Metal Gear Solid Suite” (Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty e Metal Gear Solid)
Originais: “Metal Gear Solid Main Theme” (MGS2) ~ “Encounter” (MGS) ~ “Metal Gear Solid Main Theme” (MGS2)

Tema de abertura do jogo do PlayStation 2 que virou não apenas o hino da série, como aparece no repertório da maioria dos shows de game music. De fato, carrega toda a emoção dos momentos marcantes das aventuras de Solid Snake. Praticamente uma música de filme, mesmo porque Harry Gregson-Williams é um compositor oriundo do cinema. E na hora da encenação, a caixa não escondia a mesma pessoa do ano passado…

03 – “Sonic the Hedgehog Symphonic Suite” (Sonic the Hedgehog)
Originais: “Green Hill Zone” ~ “Labyrinth Zone” ~ “Marble Zone” ~ “Star Light Zone” ~ “Scrap Brain Zone” “Boss” ~ “Spring Yard Zone” ~ “Ending”

O PLAY! A Video Game Symphony também tem um medley com músicas do primeiro Sonic. Com arranjo do Yuzo Koshiro. Apesar de ele ser muito mais genial – e também conhecido – do que Richard Jacques, essa versão jazzística do VGL é superior a do PLAY!. Além de abranger mais músicas e elas serem mais fiéis às originais, ainda conta com a introdução do coral ao cantar “SEGA!” e a ênfase nos trompetes e trombones para matar qualquer aficionado por Sonic do coração. A segunda melhor. De novo com envolvimento de Richard Jacques.

04 – “Chrono Cross Piano Medley” (Chrono Cross) * inédita no mundo
Originais: “Scars of Time” ~ “Radical Dreamers”

De acordo com Tallarico, após a apresentação no ano passado, vários fãs brasileiros mandaram e-mails para ele comentando que só faltava uma música para o VGL ficar perfeito (Só uma…Tá bom…). Uma da série Chrono. Eis que Martin Leung então era quem estava escondido na caixa esse ano e saiu dela para tocar no piano (na verdade, um teclado) os temas de abertura e encerramento do Chrono Cross em um segmento até então inédito nas passagens do VGL pelo mundo. É um começo para quem não tinha nada da franquia, mas é pouco. Convenhamos, “Scars of Time” fica muito melhor com a adição de cordas e flautas. E cadê Chrono Trigger?

05 – “Type A” (Tetris)
Original: “Type A”

Logo em seguida Leung tocou uma que todos devem se lembrar muito bem: a tradicional música russa “Korobeiniki” do Tetris da versão do Game Boy. Tal como em 2006, com acompanhamento das palmas do público.

06 – Medal of Honor * inédita no Brasil
Original: “Operation Market Garden” (Medal of Honor: Frontline)

Música que já fazia parte do repertório do VGL, mas foi omitida no ano passado. Entrada forte da percussão, seguido por um belíssimo solo vocalizado de uma soprano. Perfeito, se não fosse por uma breve e sutil desafinação da cantora que não chegou a comprometer. Depois o trompete segue a melodia, passando pelas cordas e culminando com a triunfante entrada do coral. Sem dúvidas, a melhor das inéditas. A título de curiosidade, quem faz esse solo no começo dessa música da tela-título na versão original do MoH: Frontline é um garoto, como descobri em um vídeo que habilitei do jogo.

07 – “Civilization IV Medley” (Civilization IV)
Originais: “Opening Movie Music” ~ “Baba Yetu”

Ótima música e que foge bastante do que se costuma ouvir nas trilhas sonoras. Isso porque a aprazível canção desse jogo em estratégia em tempo real lançado em 2005 para PC segue um ritmo típico do continente africano, com coral no início e depois com um notável solo de tenor em “Baba Yet”.Tinha apreciado bastante em 2006 e gostei de novo.

08 – “Tron Montage” (Tron) * inédita no Brasil

Sinceramente, com tanta coisa boa de game music dando sopa, não dá para entender porque o VGL inclui no set list uma música de um filme. No caso, Tron, clássico de ficção científica de 1982. A peça é bacana, tem até jogo baseado no longa, mundo no Kingdom Hearts II e tal, mas não vejo o menor objetivo em tocar essa em um concerto que atende pelo título “Video Games Live”.

09 – “Liberi Fatali” (Final Fantasy VIII)
Original: “Liberi Fatali”

De novo sem o vídeo (até quando, Square Enix?), a pomposa música da abertura do FFVIII reaparece totalmente arrebatadora. Ela é tocada em tudo quanto é show de game music com justiça, já que também tem um valor histórico importante: foi a primeira da série Final Fantasy a ser gravada com uma orquestra completa, coisa tão recorrente hoje em dia.

10 – “The Legend of Zelda Symphonic Suite” (The Legend of Zelda)
Original: “Overworld”

E para quem pensava que “Liberi Fatali” fecharia de novo o ato inicial se enganou. Desta vez foi o tema da série Zelda, com arranjo similar à versão do Orchestral Game Concert 1, de 1991. Para quem ouve pela primeira oportunidade e conhece a música é realmente marcante. Aí você escuta mais uma, duas, três vezes…E começa a achar básica demais. Bate a vontade de ouvir “Dark World” de A Link to the Past, “Overworld” do Ocarina of Time…

ATO II

11 – Kingddom Hearts
Original: “Hikari -KINGDOM Orchestra Instrumental Version-“

Fantástica música de abertura da portentosa série da Square Enix que é figura obrigatória nas apresentações do VGL. Ouvir antes desta a versão J-Pop cantada pela própria Utada é um pré-requisito. Fica até mais memorável ao escutar as duas em seqüência.

12 – “Beyond Good & Evil Suite” (Beyond Good & Evil) * inédita no Brasil
Originais: “In the Beginning” ~ “When Domz Attack” ~ “Redemption”

Atente que esta música é a única provavelmente que é de um jogo cult, haja vista que a maioria do set list é constituída por franquias populares. Terminei essa obra do Michel Ancel, mas confesso que o título me marcou por muitos outros fatores e nem tanto pela trilha sonora. Tanto que mal lembrei dessa suíte, que abrange as músicas de abertura, combate e encerramento. No fim das contas, foi uma novidade bem-vinda, porém nada que faça estremecer as paredes ou comover o público.

13 – “Warcraft Suite” (Warcraft III: Reign of Chaos, Warcraft III: Frozen Throne e World of Warcraft)
Originais: “Cinematic Intro Music” (Frozen Throne) ~ “Cinematic 3: The Warning Music” (Reign of Chaos) ~ “Main Title ~ Legends of Azeroth” ~ “Intro Movie: Seasons of War” ~ “A Call to Arms” (WoW)

Essa sim mexe com as pessoas, já que é de uma franquia total e indiscutivelmente famosa. Embora nunca tenha me aventurado pelo populoso mundo de Azeroth (e por qualquer outro MMORPG), devo reconhecer que essa faixa é magnífica, graças ao impacto causado pelas entradas poderosas do coral.

14 – “Final Fantasy Piano Medley” (FF, FFVI, FFVII, FFVIII, FFIX e FFX)
Originais: “Fanfare” (FF) ~ “The Prelude” (FF) ~ “At Zanarkand” (FFX) ~ “Aerith’s Theme” (FFVII) ~ “Eyes on Me” (FFVIII) ~ “Fragments of Memories” (FFVIII) ~ “Terra’s Theme” (FFVI) ~ “Melodies of Life” (FFIX) ~ “Waltz for the Moon” (FFVIII) ~ “One-Winged Angel” (FFVII) ~ “Liberi Fatali” (FFVIII) ~ “Fanfare” (FF)

Um dos segmentos mais aclamados do ano passado retornou, obviamente. E com uma pequena novidade: no início do medley Martin Leung adicionou a conhecidíssima fanfarra da vitória (o mais incrível é que uma pessoa que sentou ao meu lado não reconheceu a melodia). De resto, o mesmo de 2006, incluindo a predileção por músicas do FFVIII: quatro no total. Bem que esse medley poderia ser atualizado com outras antigas (faltam temas bacanas de combate) e alguma do FFXII. “Kiss Me Good-Bye” talvez?

15 – “Myst Medley” (Myst, Uru: Ages Beyond Myst, Myst III: Exile e Myst IV: Revelation) * inédita no Brasil
Originais: “Myst Theme” (M) ~ “Gallery Theme” (Uru) ~ “Main Theme” (MIV)~  “Main Theme” (MIII)

Que me desculpem os fãs dessa série de adventure, mas esse foi um medley praticamente sonífero. Pouco mais de seis minutos de monotonia. Só melhorou um pouco quando se ouviu coral pomposo do tema principal de Myst III, que, aliás, é composto pelo próprio produtor executivo e regente do VGL, Jack Wall.

16 – “Revenge of the Gnomes” (Starcraft II) * inédita no Brasil

Pontuadas por metais e pelo coral, ótima música em estilo quase militar de um jogo que ainda não foi lançado. Antes do Brasil, ela só havia sido tocada em uma apresentação do VGL no Estádio Olímpico de Seul, na Coréia do Sul, e no BlizzCon 2007, em Anaheim, EUA.

17 – “Super Mario Bros.” (Super Mario Bros.)
“Overworld” ~ “Undewater” ~ “Underworld” ~ “Overworld”

A melodia mais conhecida da história dos videogames em uma versão orquestrada que também é do Orchestral Game Concert 1. Inclui as músicas das fases aquáticas e das subterrâneas. É a mesma sina de Zelda: quando se ouve pela primeira vez é um impacto e tanto. Depois se pergunta por que não tem SMB2 (sim, Mario 2), SMB3, SMW, SM64 etc.

18 – Medley do Super Mario no violão (Super Mario Bros., Super Mario Bros. 3 e Super Mario World)
“Overworld” (SMB) ~ “Map 1 (Yoster Island)” (SMW) ~ “Underworld” (SMB) ~ “Underwater” (SMB) ~ “Overworld” (SMB3) ~ “World Map 1” (SMB3) ~ “Invincible” (SMB) ~ “Course Clear” (SMB) ~ “Athletic” (SMW)

Boa surpresa do show. Depois de mandar um vídeo para Tommy Tallarico antes da apresentação, o violonista brasileiro Lucas Vandanezi foi convidado para subir ao palco para tocar um ótimo medley com músicas de SMB, SMB3 e SMW. Depois, fez a mesma façanha de Martin Leung, só que no violão. Tocou numa boa sem ver nada.

19 – “Overworld” (Super Mario Bros.)
Original: “Overworld”

Martin Leung então retornou para repetir o feito que o projetou mundialmente: tocar o tema do Mario no piano de olhos vendados. E além de mostrar sua virtuosidade, também revelou ser um humano, pois em certo momento errou feio e não conseguiu achar a nota certa.

20 – “Athletic” (Super Mario World)
Original: “Athletic”

Agora sem nenhuma venda, Marting Leung fez sua última participação ao interpretar a clássica música do SMW que é perfeita para o piano. Depois que ele toca em ritmo mais rápido acaba qualquer desconfiança: Leung é mesmo um extraterrestre.

21 – “Halo” (Halo & Halo 2)

O que seria um momento de êxtase para o público norte-americano, é de compreensível apatia para os brasileiros. Porém, mesmo quem não entende a razão para toda a fama dessa série FPS há de concordar que a música principal da saga de Master Chief é bem cativante, com coral etéreo, percussão e cordas.

22 – “Finish the Fight” (Halo 3)
Original: “Finish the Fight”

É uma variação do tema da série usada no trailer promocional de Halo 3. Esta versão do VGL é bastante inspirada no “Halo Theme Mjolnir Mix” da OST de Halo 2, cuja guitarra é originalmente de Steve Vai. Aqui Tommy Tallarico é quem toca o instrumento – inexistente no concerto do ano passado –, provando que não é somente um apresentador canastrão. Com o jogo vindo aí, a guitarra de Tallarico em perfeita sintonia com a orquestra e o coral comandado por um Jack Wall totalmente empolgado você até acaba sendo absorvido pelo hype avassalador de Halo 3. Deu até vontade de jogar.

23 –  “One-Winged Angel” (Final Fantasy VII)
Original: “One-Winged Angel”

Diferentemente do ano passado, Tallarico se deu conta que, com guitarra, “OWA”, o afamado tema da batalha contra Sephiroth de FFVII, vira outra música. De novo, o apresentador comanda o instrumento, seguindo com aptidão o arranjo feito para o filme FFVII: Advent Children. Só faltou bateria e baixo.

Fúria dos deuses

A pergunta que não quer calar: pior ou melhor que o ano passado? Por um lado (o de fora), a guitarra nas duas últimas músicas deixaram uma ótima impressão, pelo outro as faixas inéditas em território nacional, salvo raras exceções, foram bem insossas. O problema é que para entrar essas novas, saíram as antigas. Castlevania caiu fora. OK. Tomb Raider desapareceu. Sem problemas. Advent Rising nem foi lembrado. Ainda bem. E nada de God of War esse ano…Ou seja, pior que 2006. Inexplicavelmente, uma das melhores da apresentação de 2006 foi excluída. Uma fraude completa, já que faz poucos meses que a continuação foi lançada e o jogo é muito popular no Brasil.

Além disso, fica evidente que o show precisa renovar o repertório no que diz respeito às músicas orquestradas (não basta só acrescentar faixas para piano), haja vista que as cinco novidades mostradas esse ano já foram tocadas em outras apresentações pelo mundo – permanecem inéditas apenas Everquest II, Headhunter: Redemption e o medley de jogos do Tom Clancy. E para quem pensa que, pelo menos, Chrono Trigger, Metroid e Shadow of the Colossus vão aparecer no já prometido VGL 2008, Tommy Tallarico deu esperança aos fãs brasileiros, prometendo BioShock, Mass Effect e mais Halo 3. Ah, e mais Final Fantasy também.

***

A lenda da água de cinco reais

Camarote, 2006. Estava morrendo de sede. Pensei em comprar uma água. Perguntei quanto custava. “Cinco reais”, diz o garçom. Hesitante, cheguei a cogitar comprar, mas resisti bravamente. Foi quando ele me perguntou: “Tem certeza que você está no lugar certo?”. OK. Para todo mundo que conto essa história a revolta prevalece. Nem liguei. Na verdade, o que me enervou foi um jovem espectador sentado atrás de mim que degustava um whisky em pleno VGL. Teria mais a ver se eu fosse de terno e gravata.

Camarote, 2007. Para minha surpresa a água teve um desconto em relação ao ano passado: agora são apenas quatro reais. Aí pensei em comer alguma coisa. Dei uma conferida no cardápio. Hmmm, bolinho de bacalhau, pizza de calabreza (sic). Olha só, pastel. De carne e queijo. Eis que fui ver quanto custava. Imorais 18 REAIS!!! Eu ia comprar, mas acabei nem levando porque não tinha caldo-de-cana para acompanhar.

19 Responses to “Video Games Live 2007: pior ou melhor que 2006?”


  1. 1 Rodrigo 25/09/2007 às 1:00 am

    Vai deixar saudades!

    (nem fui, mas tudo bem)

  2. 2 TP 25/09/2007 às 5:36 pm

    Esses caras abusam….. negócio é levar a farofa na mochila….

    Faltam musicas do Dragon Quest ¬¬

  3. 3 Gustavo Hitzschky 26/09/2007 às 1:25 am

    HUAHAUHAUHAUHAUHA
    Realmente o preço dos aperitivos era algo completamente ofensivo.
    Também cogitei comer alguma coisa, mas infelizmente esqueci o cartão de crédito e não consegui parcelar a conta…

  4. 4 Vinicius 03/10/2007 às 2:05 am

    Realmente os comes e bebes do show de SP foram uma agressão. Aqui no Rj estava caro, mas não ao ponto de um pastel custar 18 contos.O.o Sério, acho melhor a Petrobrás começar a aumentar o investimento e fazer do VGL um show com preços acessíveis, pois quem não conhece (e gosta mito de OSTs) acha que esse show é só para galera muito mais abastada (alusão aos Vgs da nova geração?). Morri em 80 contos em uma mesa, mas muito satisfeito.

    Falando do show, aqui rolou Garota de Ipanema durante o Music A de Tetris e a no 2 ato a dança do Siri… >.>

    Uma música que me emocionou este ano foi a do Medal of Honor. Sério, quebrou o clichê de mostrar cenas do game e foi corajosa a iniciativa de mostrar os horrores da guerra. Bem sacado pacas.

    E eu gostei do Medley de Myst. na verdade, acho que Myst foi incluído para fazer uma média com o Jack Wall. Ano passado apresentaram Advent Rising, que é do Tommy. Nada mais justo, né?

  5. 5 Alexei Barros 03/10/2007 às 9:36 pm

    Vixe, TP…Sinceramente, não consigo imaginar o VGL tocando músicas do Dragon Quest, o que é lamentável. Por ser originário dos EUA, o concerto conta com muitas faixas de jogos ocidentais e, pelo que tenho lido nas declarações do Tallarico e do Wall, a tendência é o show ficar cada vez mais americanizado.

    Vinicius, não que tenha achado ruim o medley do Myst (não que nós não queiramos…), mas acho que há canções com coral (ex: “Megalith~Agnus Dei” do Ace Combat 4) ou instrumentais (qualquer uma do Shadow of the Colossus) muito mais marcantes que as desse jogo. De fato, foi para fazer uma média com o Wall. Ah, a música do MoH é para arrepiar mesmo.

  6. 6 Rodrigo Budrush 04/10/2007 às 7:21 pm

    Belo relato (como sempre, né, Alexei? :) ), vou linká-lo no próximo post sobre games do meu blog, belê?
    Também acho que tá na hora de incluir mais umas faixas nos medleys clássicos (no Sonic, por exemplo, quero ouvir músicas do Sonic 2, 3 e Knuckles, pô!). O Mario até tem outras na parte das apresentações solo. Zelda o povo clama por Ocarina. E a ausência do God of War foi mancada, mesmo. Podiam ter mantido em detrimento de uma das do Halo, por exemplo.
    E o pastel do carrinho aqui da esquina é maior legal e custa só R$ 2,20! :D

  7. 7 Alexei Barros 04/10/2007 às 7:39 pm

    Claro, sinta-se à vontade, Budrush! Assino embaixo. Acharia legal também algumas do Sonic Adventure…Enfim, são tantas…

  8. 8 sonia 14/10/2007 às 1:56 am

    EU GOSTARIA MUITO DE TER ESSES VIDEOS.

    INFELISMENTE EU NAO TENHO CONDIÇOES DE COMPRA LOS NEMMTAO POUCO SEI BAIXA LOS,PRA PODER UZUFLUIR ALGUMAS HORAS.

    PARABENS.

    SONIA NOGUEIRA


  1. 1 Wii Lóqui Lóqui Uéééarghhhh! « Blog do Budrush Trackback em 09/10/2007 às 1:46 am
  2. 2 Orquestra galáctica « Hadouken Trackback em 27/10/2007 às 3:04 pm
  3. 3 “Here’s To You” - MGS4: Guns of the Patriots / Sacco e Vanzetti (Ennio Morricone Live 2005) « Hadouken Trackback em 27/06/2008 às 3:42 pm
  4. 4 “Metroid Medley” - Video Games Live 2008 « Hadouken Trackback em 19/07/2008 às 10:04 pm
  5. 5 Lembrete: Video Games Live « Hadouken Trackback em 27/09/2008 às 9:18 pm
  6. 6 Insert Coin - Videogame & Cultura » Arquivo » Video Games Live Ao Vivo Trackback em 29/11/2008 às 5:35 am
  7. 7 “Monkey Island Theme” – The Secret of Monkey Island (VGL Lisboa 2008) « Hadouken Trackback em 08/12/2008 às 5:24 pm
  8. 8 Escalpe Hadouken 2008 « Hadouken Trackback em 31/12/2008 às 9:30 pm
  9. 9 Chrono Trigger / Cross – (VGL 2009 em Oakland) « Hadouken Trackback em 02/03/2009 às 2:25 pm
  10. 10 Video Games Live Ao Vivo Trackback em 18/03/2010 às 1:36 am
  11. 11 Video Games Live Ao Vivo | Faça com a Lucy Trackback em 12/11/2011 às 9:05 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: