Entrevista com Cristiano Gualda

Por Gustavo Hitzschky

Conforme prometido, posto aqui o bate-papo que tive com o Gualda, que apresentava o programa Stargame no Multishow. Como alguns devem saber, a entrevista deveria ter entrado na Revista Continue, porém iso não foi possível pela falta de tempo e outros pequenos contratempos.

Não me canso de bradar que esta foi a melhor atração televisiva a abordar os jogos eletrônicos no Brasil, e é mesmo uma pena que tenha acabado. Enfim, a íntegra do texto abaixo:

O Stargame foi o primeiro programa de videogames a ser veiculado na televisão brasileira. De junho de 1995 até setembro de 2000, a atração ia ao ar uma vez por semana e contava com apresentação de Cristiano Gualda. Depois de muito tempo afastado do universo gamer e dedicando-se à carreira de ator, a reportagem da Continue bateu um papo com o rapaz a fim de conhecer os bastidores da produção do programa. Nesta entrevista você saberá também como surgiu a famosa frase “É hooooora de debulhar”, proferida por Cristiano sempre que o quadro Debulhação, em que era mostrada a estratégia completa para terminar determinado jogo, tinha início.

Continue: Como você foi chamado para apresentar o programa?
Cristiano Gualda: Foi por meio da diretora Ângela Patrícia Reiniger, que idealizou o projeto e era minha amiga, estudávamos inglês juntos. Quando começamos a idealizar o programa, em 93 ou 94, eu inicialmente iria participar só da produção e teria dois apresentadores: um no estúdio, e eu na rua. Mas aí o cara que iria apresentar no estúdio teve que se mudar para Brasília, e a diretora me perguntou por que eu não tentava apresentar. Na primeira vez que apresentei, aconteceu alguma coisa engraçada, creio que escorreguei e ela adorou e disse “perfeito, adorei”. E então criamos uma linguagem de humor que acabou virando uma marca do Stargame.

Cont: Quais eram as dificuldades para produzir o Stargame?
CG: A maior dificuldade era dar conta do volume de informações com o pouco tempo de programa que tínhamos, e também lidar com a falta de apoio por parte dos representantes nacionais da indústria de games. Em outras palavras, falta de patrocínio.

Cont: O que era o melhor do Stargame na sua opinião?
CG: O bom humor e a liberdade criativa que tínhamos.

Cont: Você gostaria de ter feito alguma alteração no programa que foi vetada?
CG: Não, de maneira geral a gente fazia o que queria.

Cont: Por que o programa acabou?
CG: Principalmente porque o Multishow resolveu fazer uma mudança de perfil – pelo menos essa foi a justificativa na época – e investir numa programação mais adulta. Foi uma decisão do canal. Tínhamos uma boa audiência, relativamente consolidada, já que no início ele era transmitido em rede aberta pelas parabólicas, que ajudou a criar uma audiência grande. Da metade até o final do ano 2000, o Multishow quis mudar o perfil da programação e passar para algo mais adulto e eles classificavam o Stargame como jovem/adulto. Eles queriam passar para uma linha de shows e programas de música e acabou sendo uma decisão da diretoria por causa da grade. Nessa época, também não estávamos com nenhum patrocinador fixo, e isso é uma coisa que determina o que vai acontecer na TV. Mas foi legal ver que o programa durou tanto tempo. Quando começamos, era algo realmente novo e as tentativas tinham furado depois de cinco, seis episódios, e nós ficamos cinco anos e meio no ar, ninguém esperava isso. Por um lado estávamos tristes porque estava terminando, e por outro orgulhosos por ter conseguido ficar tanto tempo no ar. Conseguimos lançar uma sementinha que está dando frutos agora.

Cont: Tem acompanhado os programas de videogame da atualidade? Se sim, o que acha deles?
CG: Pra falar a verdade, não muito. Outro dia mesmo vi um programa estrangeiro, se não me engano no próprio Multishow…

Cont: Se você fosse chamado para trabalhar novamente com videogames, aceitaria ou não?
CG: Dificilmente, teria que ser algo que me estimulasse como ator, que é minha profissão.

Cont: O que você tem feito hoje em dia?
CG: Teatro, principalmente. E mais especificamente, musicais. Estou terminando de gravar um CD de um musical original composto por mim juntamente com dois amigos.

Cont: Ainda joga videogame, se interessa e lê sobre isso?
CG: Jogo muito de vez em quando, mas principalmente fora de casa. Outro dia levei meu sobrinho para jogar e nos divertimos muito. Alguns dos grandes sucessos da época do Stargame ainda resistem nos arcades.

Cont: Como surgiu o bordão “é hooooooooooooora de debulhar!”?
CG: Acho que eu inventei de uma hora pra outra um belo dia. Era um dos quadros mais esperados do programa, com certeza.

Cont: Do que você mais sente falta da época em que foi apresentador?
CG: Das viagens à E3 [feira de games realizada anualmente nos EUA]. Foi uma das coisas mais legais que fizemos no programa porque procurávamos mostrar não apenas o que estava rolando no mercado de games, como também criar uma parte de entretenimento para as pessoas que não eram tão ligadas aos games, mas que queriam ver a cobertura de um grande evento no exterior.Gualda e a Galera

Da esquerda para a direita: Alexei Barros, Claudio Prandoni, Cristiano Gualda, Gustavo Hitzschky, Daniel Trócoli, Marcelo Minutti e Renata Honorato

13 Responses to “Entrevista com Cristiano Gualda”


  1. 1 Fabio Bracht 19/01/2007 às 7:35 pm

    Muito foda!

    Eu nem assistia esse programa, mas de tanto que vocês falam, até fico com vontade de conhecer! Mas ainda não consigo entender como havia espaço em televisão para fazer detonados… Ainda mais de MGS! O.o

  2. 2 Saulo Griffyn 13/04/2007 às 2:13 pm

    Cara! É a primeira vez que acesso seu blog e a minha primeira impressão foi ótima!!

    Tenho muitas saudades do Stargame, pois naquela época era o melhor programa que tratava do assunto Games. O programa era recheado com dicas, vídeos, debulhações, humor e muita simpatia! Lembro de uma mão que sempre tratava de aporrinhar o pobre do apresentador. É uma pena que acabou e pelo visto para nunca mais voltar e, ainda que volte, sem o Cristiano não vai ser a mesma coisa!

    Cristiano é um apresentador über-competente, e sabia aplicar boas doses de humor aos jogos, ainda nos apresentou a E3, numa época em que as revistas tratavam mais do games em si. Ele deixou muitas saudades, mas é bom saber que continua pelo caminho artístico, afinal, competência ele tem de sobra!

    Essa entrevista é sem sombra de dúvida um presente de pura game-nostalgia!!

    Parabéns cara!!

  3. 3 dinho 12/06/2007 às 12:34 am

    muito bom, eu adorava o stargame, sem duvida o melhor programa de games que ja existiu, o gualda era demais, muito engracado.

  4. 4 Rogério Silveira 20/06/2007 às 6:43 pm

    PARABÉNS!!!Pra vcs e para o Cristiano Gualda!!!

    Ótima entrevista.Lembro que nós aqui em casa ficamos desesperados com a notícia de que o programa acabaria. Era o único programa que dava dicas completas, era divertidíssimo, a cara dos gamers de todo o país, e que cobria a E3 com a dinâmica que ela merecia. Até hoje existem pessoas como eu, que se sentem órfãos do Stargame. Lembro também que eu fui uma das primeiras pessoas a visitar o site para perguntar se voltariam, ou se estavam trocando de canal. Tenho um recado aqui pra vcs passarem pro Cristiano Gualda e pra antiga equipe, fazendo o favor:

    Cristiano, se uma proposta pintar para vc, pra mãozinha e pra toda a equipe do antigo programa, uma chance de ressussitar o Stargame, aceitem!! tente consiliar a carreira de ator com a de apresentador, mas tente. Tu é até hoje a referência visual e nostáugica do Stargame. Pense nisso! Um abraço!

  5. 5 Rodrigo 01/10/2007 às 5:22 pm

    Stargame era demais!
    Eu lembro da “mãozinha” que sempre tentava ferrar com o Gualda.
    Os efeitos especiais no kroma-key detonavam ;P

    Nossa, voltei uns 10 anos no tempo agora.
    Que saudades!

  6. 6 dewes 12/01/2008 às 1:35 am

    Bons tempos do Stargame, na era rudimentar da internet só haviam revistas e o semanal, e sempre aguardado, StarGame. Muito bom relembrar disso.

    “É hora de debulhaaaaarrr!!”

  7. 7 Hoeraldo 21/01/2008 às 6:16 pm

    Muitas saldades mesmo!

    Esse programa era ímpar na tv brasileira e que lutava contra o esterótipo…”videogame é coisa para criança” com entrevistas com personalidades de diversas faixas etárias que apreciavam videogames.

  8. 8 Bruno 13/02/2008 às 11:54 pm

    Eu era muito vidrado no StarGame… É muito difícil alguém chegar bo nível deles… As reportagens eram muito boas… E claro! Não podemos negar q o carisma do apresentar era imprescindível! Sem deixar de citar q o Cristiano era excepcional apresentador… Faz falta um apresentador como ele, que na minha opinião, é melhor q muito huck por aí huahuauha

  9. 9 João Rodrigo 03/05/2008 às 7:38 pm

    Poxa, quanta saudade desse programa!! Eu deixava de jogar futebol só pra assistir o talentoso e engraçado Cristiano Gualda explicando tudo dos jogos, entrevistando artistas e sempre em guerra com a mãozinha. É, realmente, uma pena ter acabado. Porém fico feliz em saber que, devido à costumeira competência, Cristiano está bem na carreira.

  10. 10 Luciano FT 24/09/2009 às 2:10 pm

    Poxa, o programa realemnte era ótimo , e claro o Cristiano fazia a diferença.Mas hj emd ia não iria rolar, tanto jogo ruim a industria do game ta um lixo, tanto que a melhor invenção atual é o nintendo ds trazendo o stilo dos anos 90 de volta.(jogabilidade)!

    hj em dia o Cristiano deve saber que se eles fossem voltar com o stargame seria pra falar muito mal dos jogos que estão rolando.
    Só porcaria 3d e jogabilidade copiada.
    Acho que só nakela decada mesmo que a industria era boa e com isso o programa fazia esse sucesso.

    Mas bem que podiam liberar dvds ou reprisar o Stargame dinovo, lembro que na época era legal ver debulhacoes e reviews dos jogos e videogames que não tinhamos.
    As vezes assito alguns miseros episodios no youtube pra ver c pinta uma ideia doq jogar no emulador.

  11. 11 Bruno Einsfeld 18/08/2010 às 1:25 pm

    MAS BHA TCHÊ
    GRANDE SAUDADE DESSE PROGRAMA
    ANOS 90 DEIXOU MUITA SAUDADE, STARGAME FOI UMA DELAS
    MAS É MUITO ESTRANHO,
    POR MAIS QUE AGENTE APROVEITE UMA “ÉPOCA”
    SEMPRE SENTIREMOS SAUDADES DOS VELHOS TEMPOS . QUE COM CERTEZA É INSUBSTITUÍVEL. (eu queria voltar no tempo de vez em quando)…

  12. 12 Ciro Alberto Mota 26/10/2013 às 12:12 am

    Gualda foi um icone para toda uma geração sempre quando se falar de programa de games no brasil se falara de Cristiano Gualda e STARGAME Parabens …


  1. 1 Festa de Tetris!!! « Hadouken Trackback em 20/10/2008 às 10:13 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr

%d blogueiros gostam disto: