Conseguindo Zelda II – Meus dias de licantropo

por André Sirangelo

Poucas horas depois de terminar minha primeira batalha em campo aberto e a galope, é hora de começar minha carreira no Hadouken dizendo que nenhum chefe ou sub-chefe (e QUE sub-chefes) foi mais assustador do que a batalha para conseguir Zelda: TP para GameCube. Passei por poucas e boas, como muitos Zeldamaníacos devem estar passando, apenas por querer pôr as mãos no jogo mais esperado e mais adiado dos últimos tempos.

Mas eu consegui. Então agora é hora de falar mal.

Os sortudos que conseguiram vão concordar comigo quando eu digo que este é um jogo cheio de defeitos. Listei abaixo alguns que me pareceram mais relevantes.

– Os cenários são tão imensos e deslumbrantes que fica difícil parar de olhar em volta e se concentrar na ação do jogo.

– A jogabilidade do Link lobo é tão incrível que, quando transformado de volta em humano, eu fico ansioso para voltar a ser fera. Só que aí os controles do Link humano são tão bons, e os itens e opções de combinação das armas tão perfeitos, que quando eu volto a ser lobo eu sinto uma falta enorme de ser gente.

– As dungeons. Olha, Nintendo, isso é uma atitude covarde. As dungeons são tão inacreditáveis que dá vontade de desbravá-las aos pouquinhos, para não gastar. Com o item Ooccoo, aquela *coisa* com corpo de galinha e cara de gente, até dá pra fazer isso. Mas quem consegue?

– O roteiro impecavelmente amarrado e a complexidade dos personagens secundários me fazem perder o foco da quest principal e me aventurar em subtramas e explorações sem fim por Hyrule só pra ver onde essa perfeição toda vai acabar. Mas ela não acaba.

– Momentos como o encontro com a Twilight Princess, o incêndio no depósito de bombas em Kakariko Village e a batalha campal para salvar Colin são tão marcantes que é praticamente obrigatório desligar o videogame sem salvar, só para jogá-los de novo.

Por essas e por ser a aventura mais extensa, épica e inacreditavelmente imensa da série Zelda é que eu digo que esse jogo é um ATRASO DE VIDA!

P.S.: A título de serviço público, preciso dizer que encontrei o jogo em sua versão pura e irretocável para GC na loja Microplus do Shopping Villa Lobos. O telefone de lá é (11) 3024-3794

3 Responses to “Conseguindo Zelda II – Meus dias de licantropo”


  1. 1 cprandoni 18/01/2007 às 1:39 pm

    Salve, Mestre Sira!

    Bem-vindo à nova Hyrule!

    Muito bem apontados os defeitos. De fato, é o tipo de coisa que acontece quando a Nintendo fica três anos fazendo um Zelda, ainda mais pensando em superar a droga do Ocarina of Time.

    Confesso que estou encurtando minhas sessões diárias de Zelda para que o jogo dure mais.

  2. 2 Fabão 18/01/2007 às 4:33 pm

    Parabéns pelo post, pela estréia no blog e pela aquisição! ;)

  3. 3 Gustavo Hitzschky 19/01/2007 às 3:07 am

    Vendo como vcs estão tresloucados com o Twilight Princess, fico pensando quando foi a última vez que me senti assim com um jogo. Creio que foi com o Shadow of the Colossus, um dos melhores do PS2 ao lado do MGS3…

    Caramba…tanta coisa pra jogar…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




RSS

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej

%d blogueiros gostam disto: