Archive for the 'Metal Gear' Category

“Konami Medley Fourth Movement” – (FCB 10th Anniversary Live)

Por Alexei Barros

Depois da leva de jogos pouco conhecidos por aqui no terceiro movimento do medley de jogos da Konami para NES da Famicom Band, a quarta parte caminha para uma relação de jogos mais populares do público ocidental.

Como tantas outras produtoras da época, a Konami não perdia a oportunidade de lançar adaptações de filmes famosos, e Top Gun é outro que engrossa a lista, assim como Goonies e King Kong 2 que já apareceram nos movimentos anteriores. A performance inclui até uma rendição do lendário tema de Harold Faltermeyer criado originalmente para a obra cinematográfica de 1986. Épico.

Pouco depois, nada menos do que Metal Gear é representado. Mesmo que a versão principal seja a de MSX2, é incrível como essa adaptação para Famicom/NES, sem o envolvimento do Hideo Kojima, ganhou notoriedade. Não vou entregar mais spoilers, mas quem jogou de cara vai se sentir em casa, ou melhor, em Outer Heaven. Para ficar ainda melhor, a “Jungle” de Contra é tocada sem demora, incluindo uma lapidar representação do run and gun com dois integrantes da Famicom Band. Se você não aguenta mais, calma, já está acabando: faltam duas partes para terminar essa homenagem aos jogos 8-bit da Konami.

0:02Top Gun

1:48 – Metal Gear (メタルギア)

3:25 – Contra (魂斗羅)

- “Konami Medley Fourth Movement”

“Heavens Divide” – Metal Gear Solid: Peace Walker (Donna Burke Shine On)

Por Alexei Barros

Apesar de a “My Tales” ser, para mim, a maior surpresa da apresentação Donna Burke Shine On, talvez a canção pela qual a cantora australiana ficou mais conhecida seja a “Heavens Divide”, do Metal Gear Solid: Peace Walker, que, na minha preferência de músicas cantadas da série só perde para a “Snake Eater”.

Por isso, a “Heavens Divide” não podia faltar no Donna Burke Shine On. A satisfação de ouvir a música ao vivo só não é maior porque ela já cantou a canção em outras oportunidades – primeiro em um evento de Metal Gear realizado em abril de 2010 e, mais notoriamente, no Press Start 2010, com orquestra completa e tudo mais.

A performance do Shine On lembra mais a primeira apresentação, porque só há um conjunto de cordas, além do violão, bateria e baixo, com a diferença que a gravação está muito melhor. E por que publicar de novo a “Heavens Divide” se a versão suprema é a do Press Start 2010? Curiosamente, no concerto japonês não teve baixo elétrico – até onde eu sei, só teve uma vez, no Press Start 2007, e o baixo trouxe, pelo que li, alguns problemas na equalização. Mesmo que o instrumento não seja imprescindível para essa música (a original nem tem inclusive), o baixo sempre dá um “plus”, reforçando o impacto da entrada da bateria a partir do verso “Cold as the dark”.

Antes que você se pergunte, ela não cantou nesse show a “Sins of The Father” do vindouro Metal Gear Solid V: The Phantom Pain. Quem sabe não seja uma questão de tempo para essa música ser tocada ao vivo.

“Heavens Divide” – Metal Gear Solid: Peace Walker (Press Start 2010 ~Symphony of Games~)

Por Alexei Barros

E não é que depois de tantos anos de secretismo e reclusão, o Press Start abriu os cofres e está liberando mais gravações em vídeo? Tudo isso poderia acontecer em DVD que já seria excelente e requisitado há muito tempo. Agora… de graça e no YouTube?

O melhor é que desta vez trata-se de uma performance que não havia sido liberada antes: a canção “Heavens Divide” do Metal Gear Solid: Peace Walker tocada no Press Start 2010 – o jogo tinha sido lançado em abril daquele ano. Mesmo que a execução da música seja basicamente a mesma da versão da trilha sonora original, é outra coisa ver e ouvir não só a voz potente da Donna Burke, como as cordas majestosas da Kanagawa Philharmonic Orchestra e o pungente violão de Haruo Kubota. O acompanhamento da bateria, que vai crescendo de potência, ficou ótimo e, ainda bem, não atropelou a solista e o restante da orquestra como é muito comum de acontecer nesse tipo de apresentação. Isso é que é concerto!

“Snake Eater” – Metal Gear Solid 3: Snake Eater (Ensemble Game Classica)

Por Alexei Barros

Arranjo, arranjo, arranjo. Escrevo tantas vezes a palavra, mas vale frisar sua etimologia: “adaptação de uma composição a vozes ou instrumentos para os quais originalmente não havia sido escrita”. Para a maioria dos concertos de games isso não vale, porque muitas vezes são tocadas versões idênticas às músicas que se ouve no jogo. Isso só ganha um significado especial ao vivo, evidentemente, ou em vídeos. Do contrário é um tanto redundante.

Mais irônico é que o VGL, notório por reproduzir músicas fiéis às originais, fez de certa forma um arranjo ao substituir o vocal da “Snake Eater” pelo saxofone de Norihiko Hibino, ainda que a canção tenha sido interpretada por uma cantora, Laura Intravia, em apresentações mais recentes. Mas apaga tudo: o sax, a voz, os metais. A Ensemble Game Classica adaptou a contento a música para um quarteto de cordas. Toda aquela multiplicidade de instrumentos foi incrivelmente vertida para dois violinos, uma viola e um violoncelo. Nenhum detalhe foi deixado de fora. Eu gostei, fiquei satisfeito. Detalhe é que eles usaram como base a versão americana, não a “Snake Eater (Japanese version)”, que acho menos inspirada.

“Snake Eater” – Metal Gear Solid 3: Snake Eater (VGL 2011 em Seattle)

Por Alexei Barros

Quando a “Snake Eater” foi apresentada em solo brasileiro na turnê 2009 do Video Games Live suponho que a maioria do público não se importou com o fato de a voz ter sido substituída pelo saxofone do próprio compositor da canção, Norihiko Hibino. Mas havia dois senões. O primeiro é depender do Hibino, que está cada vez mais atarefado – motivo que levou à saída da The Outer Rim. O outro é que o VGL tem a filosofia de executar as faixas com a maior fidelidade possível.

Provavelmente será uma constante a partir de agora. Em Seattle, a “Snake Eater” foi entoada pela versátil Laura Intravia, que ficou popular pela alcunha Flute Link na mesma excursão de 2009 do VGL no Brasil. Polivalente não somente porque toca flauta e canta. A música que ela emprestou a voz para a  “God of War Montage”, era uma peça erudita, não pop como a faixa-tema do Metal Gear Solid 3.

Pela potência, afinação e interpretação, Intravia se saiu muito bem na performance. Impressionantemente eu diria. Mas, como sempre, faço uma ressalva. De novo a banda invisível. Guitarra, baixo, bateria. Tudo playback.

Press Start 2010: New Super Mario Bros. Wii, The Legend of Zelda e Metal Gear Solid: Peace Walker

Por Alexei Barros

A mais recente leva de atualizações do programa do Press Start 2010, que acontece no cabalístico dia 11 de setembro com duas apresentações, corrobora aquilo que já disse muitas vezes quando levanto a bola do concerto japonês. Ao mesmo tempo em que tece homenagens aos jogos antigos, o set list é antenado para as novidades. O que dizer quando o título de uma das seleções foi lançado no Japão em 28 de abril de 2010? E o outro em dezembro de 2009?

- New Super Mario Bros. Wii

Mais chocante seria se já tivesse Super Mario Galaxy 2, mas, calma, uma coisa de cada vez – e acredito que 2011 é que virá SMG2. Realmente me pegou de surpresa tal escolha, totalmente inédita – de novo outra vez mais uma vez Super Mario Bros. 1 não, por favor. O que chegou mais perto disso foi a “End Credits” do New Super Mario Bros., só que o de DS, no Fifth Symphonic Game Music Concert (2007), com arranjo do Yuzo Koshiro.

Não entendi muita coisa pelo tradutor do que disse o maestro Taizo Takemoto. Ele se refere a uma interjeição relacionada a um determinado tipo de fase do jogo. Isso mostra que ainda não joguei o New Super Mario Bros. Wii, apesar de ser ferrenho defensor do 2D. Vamos fazer assim, você finge que leu isso aqui, porque quando descobrir atualizo e aviso pelo Twitter. Combinado?

- The Legend of Zelda: “Main Theme”

Quem acompanha o blog há mais tempo há de se lembrar que na véspera do lançamento do Super Smash Bros. Brawl, eu repetia no final de cada post que o Yuzo Koshiro faria um arranjo da “Green Hill Zone” especialmente para o jogo, em estado de absoluto êxtase causado pela confirmação de Sonic como lutador. A campanha foi um fracasso completo (a faixa veio em versão original), mas Koshirão arranjou uma das mais lendárias composições dos games, o tema principal do Zelda, que adquiriu uma roupagem no melhor estilo John Wiliams que ele sabe fazer tão bem.

No texto de revelação, Shogo Sakai relembrou o processo de desenvolvimento do Brawl, quando eles estudavam qual música do universo da Nintendo combinaria melhor com o estilo de cada arranjador. Quando conversaram, o tema do Zelda ainda não havia sido designado para ninguém, então em um encontro com a equipe com Koshirão, partiu dele a iniciativa de arranjá-la. Quando a versão ficou pronta, o looping era de cinco minutos, em contraste com o padrão do Brawl de dois pela duração enxuta das lutas. Não importou, ficou assim mesmo. Sakai terminou enaltecendo a variação de instrumentos nas frases melódicas.

Como rememorado no site, será a terceira vez que Press Start toca Zelda. Nas duas outras, em 2006 e 2007, foi executado o “The Legend of Zelda Medley 2006”, que não só inclui o tema, como faz homenagens a The Link to the Past e Ocarina of Time. Retrocesso? Seria inaceitável se fosse o mastigado ao cubo “Legend of Zelda Theme” do Toshiyuki Watanabe do Orchestral Game Concert,  mas é do Yuzo Koshiro. Está perdoado.

- Metal Gear Solid: Peace Walker:  “Heavens Divide”

Quem diria que do tema principal do Metal Gear Solid 2 no Press Start 2006, a série de concertos pularia a “Snake Eater” (Metal Gear Solid 3) – verdade seja dita, não empolga muito a versão japonesa, que perdeu todo o pique James Bond da americana – ou então qualquer uma do Metal Gear Solid 4 direto para a canção-tema do episódio para PSP. O que mostra o quanto a música composta e arranjada pelo Akihiro Honda é espetacular.

A cantora australiana Donna Burke, que já coleciona participações em diversos jogos, como Tales of Legendia, The Last Remnant, God Eater e até mesmo OutRun 2, inclusive a interpretou ao vivo no evento de lançamento do Peace Walker no Japão, com instrumentação similar à versão em estúdio, com teclado, baixo elétrico, violão, bateria e conjunto de cordas. Milagrosamente, a apresentação foi gravada. Vergonhosamente, não a publiquei. Faço agora. A diferença principal para o Press Start é que será uma orquestra completa, como comentado por Masahiro Sakurai no depoimento repleto de referências ao jogo, não apenas alguns violinos. Também não apostaria no teclado e no baixo. Mas a Donna Burke, que é quem mais importa, estará lá no dia do concerto.

Set list até o momento:

01 – Chrono Trigger & Cross
02 – NES Medley
03 – Muramasa: The Demon Blade
04 – Mother

[via PRESS START]

“Metal Gear Solid Main Theme” – Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty (Furyxx)

Por Alexei Barros

Sei que as últimas atualizações tem sido de músicas batidas, mas esta vale a título de curiosidade, pois se trata do vencedor do concurso “Quem vai ser o próximo Martin Leung?” realizado na França para eleger a melhor performance amadora que terá o direito de executá-la na visita do Video Games Live em Paris. Desta competição também participou o Video Game Brass Quintet, com o “Super Mario Medley”.

“Metal Gear Solid Main Theme” é tocada com propriedade no duo de violino e piano, com direito a passagens virtuosísticas do segundo. Muito bom… mas confesso que tantos outros vídeos que publiquei aqui dos mestres pró-amadores do Nico Nico Douga me impressionaram bem mais.


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.545 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: